Voz


PodCast



Enquete





Blog

Natureza

Em 13 anos, planeta perdeu quase 1 milhão km² em florestas naturais, indica estudo

Natureza  Postado por Débora Ayane - 14/01 10:48h
Em 13 anos, planeta perdeu quase 1 milhão km² em florestas naturais, indica estudo

Um estudo publicado na sexta-feira (13) pela revista científica "Science Advances", indica que o planeta perdeu 919 mil km² de florestas naturais entre os anos de 2000 e 2013, o equivalente a 7,2% da área total. O trabalho do professor de geografia da Universidade de Maryland, nos Estados unidos, Peter Potapov, indica que 60% da redução aconteceu em áreas tropicais. O Brasil é um dos maiores responsáveis pelo desmatamento, com 157 mil km² de perda de ecossistema. O país aparece próximo de Rússia, com 179 mil km², e Canadá, com 142 mil km². Em 37% da área destruída, a causa do desmatamento é a extração de madeira. Em seguida aparece a expansão agrícola, com 27%, e a propagação dos incêndios florestais por causa da construção de infraestrutura, com 21%.

Comente agora

Morcegos brasileiros começam a se alimentar de sangue humano

Natureza  Postado por Débora Ayane - 14/01 09:35h
Morcegos brasileiros começam a se alimentar de sangue humano

Pesquisadores brasileiros, da Universidade Federal de Pernambuco, descobriram que, pela primeira vez, uma espécie de morcego passou a se alimentar de sangue humano naquela região. Antes disso, o que se sabia era que o animal consumia, exclusivamente, sangue de pássaros.O estudo, conduzido no Parque Nacional do Catimbau (a cerca de 300 km de Recife), analisou 70 amostras de fezes da espécie Diphylla ecaudata (o morcego-vampiro-de-pernas-peludas) e conseguiu extrair o DNA de 15 delas – sendo que em três continham vestígios de sangue humano misturado com o de aves. O resultado foi publicado na revista Acta Chiropterologica, especializada em morcegos.“Nós ficamos muito surpresos. Essa espécie não tinha uma adaptação fisiológica para se alimentar com sangue de mamíferos”, explicou o pesquisador Enrico Bernard à New Scientist. Segundo o professor, o sangue de aves é rico em gordura, enquanto o dos mamíferos é mais espesso e rico em proteína.

Mudança de hábito

Comente agora

Câmera em colar de urso polar dá pistas de como aquecimento está mudando seu cotidiano

Natureza  Postado por Débora Ayane - 13/01 13:37h
Câmera em colar de urso polar dá pistas de como aquecimento está mudando seu cotidiano

Uma câmera GoPro acoplada ao pescoço de uma ursa polar capturou cenas do cotidiano do animal no gelo ártico. A câmera foi instalada por cientistas do U.S. Geological Survey (Instituto de Pesquisas Geológicas do governo americano) para descobrir como os ursos polares estão reagindo ao derretimento de gelo causado pelo aquecimento global.Os cientistas resolveram divulgar as imagens para alertar o público sobre a ameaça do aquecimento global. O vídeo mostra a ursa caçando com um companheiro. Ela mergulha no mar e captura uma foca, que é estraçalhada na neve em seguida. Ursos polares são os maiores carnívoros terrestres, chegando a pesar 800 kg. Segundo a ONG World Wildlife Foundation, trata-se de uma espécie em situação de vulnerabilidade. Sua população atual no mundo é estimada em 20 mil a 25 mil animais, dos quais de 5 mil a 7 mil vivem no Ártico russo.Desde que a a caça de ursos polares foi proibida na Rússia, em 1957, a maior ameaça atual aos animais é a perda de seu habitat por conta de mudanças climáticas.

Comente agora

EUA incluem abelha em lista de espécies ameaçadas pela primeira vez

Natureza  Postado por Anacley Souza - 12/01 21:57h
EUA incluem abelha em lista de espécies ameaçadas pela primeira vez

Autoridades americanas anunciaram a inclusão de uma espécie de abelha que desempenha um papel importante na polinização na lista de espécies em risco de extinção. É a primeira vez que uma espécie de abelha é objeto de tal medida no território continental dos Estados Unidos, informou na quarta-feira (12) o Serviço Americano de Pesca e Fauna Selvagem (USFWS). A decisão, que entrará em vigor em 10 de fevereiro, prevê medidas de proteção em nível nacional e a elaboração de um plano para fazer com que a população desses insetos cresça, através de fundos federais para os estados que contam com colônias destas abelhas, cujo nome científico é Bombus affinis. A população destas abelhas - uma das cinco espécies norte-americanas -, diminuiu 88% desde o ano 2000, coincidindo com uma perda ou degradação de 87% de seu habitat, combinada com os efeitos nocivos dos pesticidas e os patógenos. Atualmente, esta espécie está presente em apenas 13 estados do país e na província canadense de Ontário, enquanto que no final da década de 1990 estava em 31 estados americanos e em várias províncias do Canadá, segundo a USFWS, cuja decisão foi publicada no Diário Oficial. O Canadá incluiu a Bombus affinis na sua lista de espécies em risco de extinção já em 2012.

Comente agora

Brasil terá dois eclipses solares em 2017

Natureza  Postado por Anacley Souza - 11/01 19:42h
Brasil terá dois eclipses solares em 2017

O Sol vai desaparecer dia 26 de fevereiro. Mas só o sul da Argentina e do Chile, mais Angola, Congo e Zâmbia na África serão agraciados com um eclipse total sobre suas cabeças. E a sorte deles é maior do que parece: esse será um raro eclipse anular, igual o da imagem em cima, com a a Lua encobrindo o Sol todo, menos as bordas, deixando um “anel de fogo” no céu– “de fogo” entre aspas, claro, já que não tem fogo no Sol, o que a gente vê ali é energia nuclear pura, a céu aberto. Depois dessa, o Sol fica preto de novo no dia 21 agosto. A versão total desse eclipse vai acontecer longe do Brasil, mas a vantagem agora será de quem mora no norte e no nordeste – esses conseguirão ver uma boa parcial do fenômeno. Quem se deu bem mesmo foram os americanos. O eclipse total vai atravessar todo o território dos Estados Unidos. (Superinteressante)

Comente agora

Iceberg gigante está prestes a se soltar na Antártida

Natureza  Postado por Anacley Souza - 10/01 22:36h
Iceberg gigante está prestes a se soltar na Antártida

Um iceberg de quase cinco mil metros quadrados, equivalente ao tamanho do Distrito Federal, está prestes a se soltar da plataforma de gelo Larsen C, a maior da Antártida. Os especialistas não conseguiram estimar uma data exata para o rompimento, mas estima-se que acontecerá nos próximos meses. Isso porque apenas uma área de 20 quilômetros está prendendo um dos maiores icebergs da Terra à plataforma de gelo. As plataformas de gelo da Antártida são placas de gelo flutuantes sobre o oceano e não fazem parte do continente. Por isso, o maior temor - o de elevar o nível do mar-, pode ser descartado, pois elas já estão no volume do mar. No entanto, isso pode gerar consequências negativas caso as áreas desprendidas afetem as geleiras continentais. Uma vez que escoamento dessas geleiras, que eram "barradas" pela plataforma de gelo, começar a desbocar diretamente no oceano, a tendência é que, consequentemente, elas derretam, aumentando o nível do mar. Os rompimentos de plataformas da Antártida começaram em 1995, com o rompimento da Larsen A, e depois em 2002, com a Larsen B.

Comente agora

Novo estudo diz que série de impactos pode ter dado origem à Lua

Natureza  Postado por Anacley Souza - 10/01 20:46h
Novo estudo diz que série de impactos pode ter dado origem à Lua

A Lua, companheira do nosso planeta há cerca de 4,5 bilhões de anos, pode ter sido formada pelo impacto de uma série de rochas com uma Terra embrionária. Segundo estudo publicado no periódico científico Nature Geoscience, na segunda-feira, um bombardeio de corpos celestes teria lançado porções de nosso planeta para o espaço, formando pequenas “Luas” que ficaram orbitando a Terra e, ao longo de milhões de anos, se reuniram para formar nosso satélite. A nova teoria poderia explicar uma grande inconsistência na hipótese dominante, segundo a qual a Lua é resultado de uma única e gigantesca colisão entre a Terra e um corpo celeste do tamanho de Marte. De acordo com ela, cerca de um quinto do material da Lua teria vindo da Terra, e o resto do segundo corpo. No entanto, a composição da Terra e da Lua são quase idênticas – uma improbabilidade que há muito tempo intriga os defensores da hipótese do impacto único. “O cenário de múltiplos impactos é uma forma mais ‘natural’ de explicar a formação da Lua”, disse Raluca Rufu, do Instituto Weizmann de Ciências, um dos autores do novo estudo. Esses impactos múltiplos teriam escavado mais material da Terra do que um único impacto, o que significa que os satélites resultantes se assemelhariam mais à composição do nosso planeta, afirma o estudo.

Comente agora

Altas temperaturas podem acarretar em sangramento nasal

Natureza  Postado por Débora Ayane - 10/01 17:54h
Altas temperaturas podem acarretar em sangramento nasal

Ar seco, calor e temperaturas elevadas, além das taxas baixas de umidade podem favorecer o ressecamento da mucosa do nariz. Com isso, a fragilidade e a ruptura dos vasos aumentam, causando a epistaxe, nome dado ao sangramento nasal.Segundo o otorrinolaringologista da Clínica Dolci em São Paulo, Dr. Ricardo Landini Lutaif Dolci, esta é uma situação muito comum, que chega a acometer mais de 60% da população em algum momento da vida. Outras causas de sangramento no nariz são: alergias, uso de certos medicamentos, sinusite, uso de cocaína, exposição a irritantes químicos, traumas, rinite, corpo estranho no nariz, sprays nasais e até a utilização de anticoagulantes.Os casos de epistaxe, na maioria das vezes, não são graves e podem ser controlados em casa.

Comente agora

Floresta amazônica tem o maior desmatamento em nove anos

Natureza  Postado por Anacley Souza - 09/01 20:33h
Floresta amazônica tem o maior desmatamento em nove anos

Entre agosto de 2015 e julho de 2016 (calendário oficial para medir o desmatamento), a Amazônia perdeu 7.989 quilômetros quadrados (km²) de floresta, a maior taxa desde 2008, segundo levantamento do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam) a partir de dados oficiais divulgados pelo governo federal no fim do ano passado. O desmatamento no período equivale à derrubada de 128 campos de futebol por hora de floresta, segundo a entidade. O perfil fundiário dos responsáveis pela devastação teve pouca variação em relação aos últimos anos: a maior derrubada ocorreu nas propriedades privadas (35,4%), seguida de assentamentos (28,6%), terras públicas não destinadas e áreas sem informação cadastral (24%), e pelas unidades de conservação, que registraram 12% de todo o desmatamento verificado nos 12 meses analisados. De acordo com o Panorama do desmatamento da Amazônia 2016,Os estados que registraram maior aumento da taxa de desmatamento foram Amazonas, Acre e Pará, com incremento de 54%, 47% e 41%, respectivamente. Em números absolutos, o estado que mais desmatou foi o Pará, 3.025 km² de floresta a menos; seguido de Mato Grosso, que perdeu de 1.508 km² de vegetação nativa; e Rondônia, com 1.394 km² de derrubadas.

Comente agora

Mais 1 milhão de peixes de espécies nativas são liberados no São Francisco

Natureza  Postado por Anacley Souza - 08/01 17:29h
Mais 1 milhão de peixes de espécies nativas são liberados no São Francisco

A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) libera neste domingo (8) cerca de 1 milhão de alevinos – filhotes de peixes que acabam de sair do ovo – de espécies nativas da Bacia do São Francisco no trecho alagoano do rio. O objetivo da ação é recompor o estoque dos peixes da região e aumentar a quantidade e a variabilidade de espécies nativas. Segundo a Agência Brasil, a ação ocorre por ocasião da tradicional Festa de Bom Jesus dos Navegantes de Penedo, em Alagoas, com concentração no Porto das Balsas no Centro Histórico de Penedo. O chefe da Unidade de Recursos Pesqueiros e Aquicultura da Codevasf, Leonardo Sampaio, informou que o peixamento deste domingo inclui peixes das espécies piau, xira, piabas, matrinxã e curimatã-pioa. Segundo ele, antes do início dos peixamentos, algumas espécies estavam desaparecidas na área. “O matrinxã e o curimatã-pioa estavam desaparecidos naquele trecho do rio. Com o peixamento ao longo dos anos, voltaram a aparecer. Os pescadores mais jovens nem conheciam o matrinxã, por exemplo”.

Comente agora

Pássaros estão se divorciando por causa do desmatamento

Natureza  Postado por Débora Ayane - 05/01 14:18h
Pássaros estão se divorciando por causa do desmatamento

Você já sabe que o desmatamento não é bom. Contribui para o aquecimento global, extermina espécies, e até atrapalha a economia. O que talvez você não saiba é que cortar árvores também está afetando vidas conjugais. De pássaros.Quem está vivenciando esse dilema são duas espécies de aves os Troglodytes pacificus e os Catharus ustulatus (conhecido no Brasil como sabiá-de-óculos), animais com características marcantes: eles são monogâmicos e fiéis. Ou eram. Na natureza, essas aves costumavam encontrar regiões seguras, garantir um pouco de comida, e então achavam um par para procriar. Viviam felizes para sempre.Claro que havia imprevistos e separações. Às vezes o parceiro tinha algum problema fértil, não conseguia produzir novos ovinhos, e aí a natureza falava mais forte. O pássaro ia para outra região procurar um novo par que pudesse, enfim, transmitir seus genes adiante; mas essa situação era rara. Agora as separações estão ficando mais comuns.

Comente agora

Estudo desmente desaceleração do aquecimento global de 1998 a 2014

Natureza  Postado por Anacley Souza - 04/01 21:36h
Estudo desmente desaceleração do aquecimento global de 1998 a 2014

Durante 15 anos, entre 1998 e 2014, uma aparente desaceleração do aquecimento global foi usada pelos céticos como argumento para afirmar que o fenômeno era "um engano", mas um estudo publicado nesta quarta-feira (4) aponta que essa pausa foi uma ilusão. O trabalho dos pesquisadores das Universidades de Berkeley, na Califórnia, e de York, no Reino Unido, confirmam as conclusões de um estudo de 2015, elaborado pela Agência Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA, na sigla em inglês). "Nossos resultados significam basicamente que a NOAA tinha razão e que seus cientistas não alteraram os dados", aponta o pesquisador Zeke Hausfather, de Berkeley, e principal autor do estudo publicado na revista americana "Science Advances". A análise feita em 2015 pelos cientistas da NOAA mostrou que as temperaturas medidas pelas boias usadas hoje nos oceanos são ligeiramente mais frias do que as registradas nas leituras feitas pelos navios no passado. Essas diferenças de temperatura entre o velho e o novo sistema de medição ocultaram a realidade do aquecimento global nesses 15 anos, concluíram os pesquisadores.

Comente agora

2016: O ano em que o calor na Terra bateu recordes

Natureza  Postado por Anacley Souza - 02/01 20:06h
2016: O ano em que o calor na Terra bateu recordes

O ano de 2016 deverá ser o mais quente desde que começaram os registros de temperatura em 1850, segundo o Met Office, instituto de meteorologia do Reino Unido, e a Organização Mundial de Meteorologia. Dos 11 primeiros meses do ano, dez bateram o recorde histórico de calor. O encolhimento do gelo nos polos também bateu recordes. O aquecimento se associa a eventos extremos e destrutivos. Em outubro, o Furacão Matthew deixou devastação e 1.600 mortos no Caribe. O furacão bateu o recorde de duração na categoria 4, com 84 horas seguidas.

Após 2014, 2015 e 2016, o ano de 2017 baterá o quarto recorde seguido? Improvável. As temperaturas reagiram a uma junção entre o fenômeno El Niño, no Oceano Pacífico, e o aquecimento global causado pela ação humana. E o El Niño já se dissipou. Céticos das mudanças climáticas tentarão usar isso como argumento em 2017, mas a tendência gerada pelo aquecimento global continua.

Comente agora

Nova espécie de peixe é batizada em homenagem a Obama

Natureza  Postado por Débora Ayane - 02/01 15:40h
Nova espécie de peixe é batizada em homenagem a Obama

Ainda deu tempo de o presidente Barack Obama, no finalzinho do mandato, receber uma homenagem inusitada: uma nova espécie de peixe foi batizada com seu nome. O peixe ganhou o nome de Tosanoides obama. Ele foi encontrado pela primeira vez em junho, no Havaí, que também é a terra natal do Obama humano, em uma expedição no Monumento Marinho Nacional de Papahānaumokuākea. Um dos autores do artigo que classificou formalmente o Tosanoides obama como uma nova espécie de peixe destacou que os machos dessa espécie têm uma pequena marca amarela arredondada nas costas, cercada de áreas azuis. Para Richard Pyle, o desenho natural lembraria o logo da campanha presidencial de Obama – mas a comparação força um pouco a barra.

Comente agora

Cometa cruzará o céu na noite de Ano-Novo

Natureza  Postado por Anacley Souza - 30/12 21:56h
Cometa cruzará o céu na noite de Ano-Novo

Os fogos de artifícios devem iluminar a virada de ano no próximo sábado, mas eles não serão a única atração a brindar a chegada de 2017. De acordo com a Nasa, o cometa 45P, ou Honda-Mrkos-Pajdusakova, como foi batizado ao ser descoberto em 1948, passará próximo a Lua na noite do próximo dia 31. Embora o fenômeno possa ser visto de todo o Hemisfério Norte, para vislumbrar o cometa será necessário o uso de binóculos. A Agência Espacial Americana ainda ressaltou que o cometa deve passar discreto, quase que despercebido, uma vez que seu brilho se assemelha ao de uma estrela comum, o que pode confundir os espectadores.

Comente agora

China, maior mercado mundial de marfim, proibirá seu comércio em 2017

Natureza  Postado por Débora Ayane - 30/12 17:37h
China, maior mercado mundial de marfim, proibirá seu comércio em 2017

A China, o maior mercado mundial de marfim, proibirá todo o comércio interno e processamento do chamado "ouro branco" a partir do fim de 2017, noticiou a imprensa estatal chinesa nesta sexta-feira (30)."A China interromperá gradualmente todo o processamento de marfim e sua venda com propósitos comerciais no fim de 2017", reportou a agência de notícias Xinhua. Este anúncio foi antecedido da decisão adotada há dez meses de proibir a importação de marfim.O marfim africano sempre foi visto como símbolo de status na China, onde o preço de um quilo pode beirar os US$ 1.100, ou mais de R$ 3,5 mil.Milhares de elefantes são caçados ilegalmente todos os anos na África para abastecer a demanda mundial de marfim, que se mantém, apesar das crescentes restrições mundiais.A decisão chinesa representa, ainda, o fechamento de 34 empresas que trabalham o marfim e 143 dedicadas à sua comercialização."Esta é uma grande notícia que acabará com o maior mercado mundial ainda vigente para o marfim de elefantes", disse Aili Kang, diretor-executivo na Ásia da Sociedade para a Conservação da Vida Selvagem.

Comente agora

Sol Nascente: Geppina descobre sobre filha de Lenita e desconfia de Loretta

Natureza  Postado por Anacley Souza - 29/12 20:41h
Sol Nascente: Geppina descobre sobre filha de Lenita e desconfia de Loretta

Além de boa cozinheira, conselheira e melhor nonna de todas, Geppina (Aracy Balabanian) também é muito atenta. Depois de ver o mal estar de Lenita (Letícia Spiller) ao ouvir Loretta (Claudia Ohana) falar do hospital que trabalhava em 1996, a matriarca dos De Angeli sacou tudo! Ela vê Vittorio (Marcello Novaes) pensativo e não perde a chance de comentar sobre a coincidência do Natal: "A Lenita ter dado à luz no mesmo hospital em que a Loretta era enfermeira". Por essa ele não esperava! A mãe do padeiro promete que não vai contar nada para ninguém, mas pede para que ele explique todos os detalhes. Até porque, a esposa de Gaetano (Francisco Cuoco) não acredita muito que todo esse assunto tenha aparecido por acaso: "Loretta pode ter trazido outros assuntos na bagagem, além desse. Assuntos de que não queremos falar". Acompanhe a cena, que está prevista para ir ao ar em Sol Nascente nesta sexta-feira, 30/12.

Comente agora

O ano que não acaba: 2016 terá um segundo a mais

Natureza  Postado por Anacley Souza - 29/12 18:27h
O ano que não acaba: 2016 terá um segundo a mais

Como se 2016 não tivesse sido longo o suficiente, o último minuto do ano vai durar um segundo extra para compensar a rotação da Terra que está diminuindo gradualmente, afirmam os especialistas. A velocidade da Terra sob seu próprio eixo é oscilante. O Tempo Atômico Internacional (TAI), medido por cerca de 200 relógios atômicos precisos espalhados pelo mundo, deve ficar alinhado ao tempo de rotação terrestre. O TAI é usado para determinar o Tempo Universal Coordenado (UTC, na sigla em inglês), base para mediação de tempo oficial no mundo inteiro, incluindo o Brasil. É a hora que todos nós vemos nos relógios de pulso, celulares e computadores. Um dia astronômico é marcado de acordo com tempo que a Terra leva parar girar sobre si mesma, a rotação. A duração desse tipo de movimento do nosso planeta oscila de um ano para o outro. Isto é ocorre por fatores que incluem as forças gravitacionais da Lua e sobre a Terra e outros eventos geológicos, como terremotos e até o congelamento e derretimento das camadas de gelo. Com uma rotação mais lenta, o tempo fica fora de sincronia com o TAI. Os relógios de todo o mundo não ficariam sincronizados, no próximo ano, com a duração aproximada de um dia inteiro na Terra, ou seja, 24 horas.

Comente agora

Cresce o número de pessoas que são atingidas por raios dentro de casa

Natureza  Postado por Anacley Souza - 28/12 21:19h
Cresce o número de pessoas que são atingidas por raios dentro de casa

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais divulgou um estudo sobre a incidência de raios no Brasil. O número de mortes diminuiu nos últimos anos, mas o de vítimas atingidas dentro de casa cresceu. Eles são espetaculares, mas perigosos. Os raios matam 120 pessoas por ano, em média, no Brasil, segundo levantamento do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, o Inpe. Dorílio Farias de 69 anos deu sorte de ter a filha enfermeira por perto. Ele foi atingido por um raio nesta terça-feira (27) enquanto trabalhava na roça em Martinópolis, no oeste do estado de São Paulo. Ele está no hospital. “Ele estava carpindo com uma enxada, abrindo uma valeta, e de repente caiu o raio. E a minha irmã viu a fumaça entre o coqueiro e os pés de banana. Ela puxou a língua dele, lembrou de puxar a língua dele, conseguiu, e ele voltou”, conta Sandra Regina Silva, filha de Dorílio. O raio já foi considerado um castigo dos céus para brecar a arrogância da humanidade. Foi no século 18 que o americano Benjamin Franklin provou que o raio é um fenômeno elétrico. Os raios se formam dentro de nuvens cumulonimbus. Elas podem atingir até 18 quilômetros de altura e carregam um pacote completo, com ventos, gotículas de água, cristais de gelo e granizo.

Comente agora

Panda mais velho do mundo morre aos 31 anos na China

Natureza  Postado por Débora Ayane - 28/12 18:00h
Panda mais velho do mundo morre aos 31 anos na China

Pan Pan, o urso panda mais velho do mundo, morreu nesta quarta-feira (28) em um “asilo” para animais dessa espécie na cidade chinesa de Dujiangyan, informaram os meios de comunicação oficiais. Ele tinha 31 anos, o equivalente a 93 em um ser humano, e se tornou o mais velho da espécie desde que no último mês de outubro morreu em Hong Kong a ursa Jia Jia, aos 38 anos. Conhecido como "avô dos pandas", Pan Pan teve 140 animais descendentes - um quarto de todos os animais dessa espécie em cativeiro no mundo.O animal se encontrava em um estado de saúde delicado devido à sua idade avançada e sofria de catarata, pressão alta, problemas para se alimentar por causa dos dentes em más condições. Em junho deste ano, foi diagnosticado com câncer. Pan Pan vivia no centro de atenção a pandas idosos e doentes de Dujiangyan, onde são atendidos cerca de 30 animais, a maioria com idades superiores a 20 anos, que é a esperança de vida da espécie. A morte dele foi recebida com tristeza por meios de comunicação como a agência oficial Xinhua e os diários oficiais “Global Times” e “Diário do Povo”, que enviaram pelo Twitter mensagens de despedida ao chamado “avô dos pandas”, por seu grande papel na perpetuação desses animais em cativeiro. Devido à sua baixa taxa de natalidade, os programas de criação em cativeiro se converteram em peça chave para garantir a sobrevivência do urso panda. Atualmente, cerca de 1.800 vivem em estado selvagem e outros 400 em cativeiro, alguns deles em zoológicos do mundo todo.

Comente agora

Guepardo pode entrar para a lista de animais em extinção

Natureza  Postado por Débora Ayane - 27/12 17:22h
Guepardo pode entrar para a lista de animais em extinção

Há pouco tempo ficamos sabendo que as abelhas entraram para a lista de espécies em extinção e que as girafas estão bem perto de entrar pra essa lista também. Agora, cientistas divulgaram que o guepardo (ou chita) está ameaçado e pode desaparecer muito antes do que os pesquisadores previam.Essa é a conclusão de um estudo liderado pela Zoological Society of London (ZSL), em parceria com a Wildlife Conservation Society. Cientistas estimam que existam apenas 7.100 guepardos na natureza ocupando apenas 9% do território que ocupavam anteriormente.A maior parte dos felinos estão em países africanos. No Zimbábue, na última década, o número de indivíduos diminuiu 85% (de 1.200 animais para 170), principalmente por causa do tráfico ilegal de animais e de peles – um filhote de guepardo selvagem sai por até US$ 10.000. Na Ásia, a estimativa é que existam 50 guepardos sobrevivendo na região do Irã.A pesquisadora Sarah Durant é líder do projeto e afirmou que essa análise é a mais compreensiva até hoje em relação ao estado atual da espécie. Como tem sido difícil recolher informações confiáveis sobre os guepardos, já que eles costumam fugir com muita facilidade, o perigo que correm acaba sendo subestimado. Segundo Sarah, a pesquisa mostra com mais clareza a grande ameaça enfrentada pela espécie na natureza, e que o felino está muito mais vulnerável à extinção do que se pensava antes.

Comente agora

O misterioso rio de ferro líquido descoberto no centro da Terra

Natureza  Postado por Anacley Souza - 23/12 21:46h
O misterioso rio de ferro líquido descoberto no centro da Terra

baixo do Estado americano do Alasca e da região russa da Sibéria. Essa massa ambulante de metal foi detectada graças aos satélites europeus Swarm --um trio que está mapeando o campo magnético da Terra para entender seu funcionamento. O campo protege toda a vida do planeta contra a radiação espacial. Para os cientistas, a existência do rio de ferro líquido é a melhor explicação para uma concentração de forças no campo magnético terrestre que os satélites registraram no Hemisfério Norte. "É uma corrente de ferro líquido que se move cerca de 50 km por ano", explica Chris Finlay, da Universidade Técnica da Dinamarca. "É um líquido metálico muito denso e é preciso uma quantidade enorme de energia para movê-lo. É provavelmente o movimento mais rápido que temos no manto terrestre" disse ele à BBC. Finlay explica que a corrente de metal líquido é como o jet stream na atmosfera da Terra --a corrente de ar em altas altitudes usada por aviões para voar mais rápido. O rio de metal porém, está a 3 mil quilômetros de profundidade. Os cientistas acreditam que o rio tenha 420 km de largura e percorra quase metade da circunferência da Terra.

Comente agora

Neve cobre Deseto do Saara. Último fenômeno ocorreu há 37 anos

Natureza  Postado por Anacley Souza - 20/12 21:34h
Neve cobre Deseto do Saara.  Último fenômeno ocorreu há 37 anos

Um fotógrafo amador registrou imagens incríveis de neve cobrindo as areais do Deserto do Saara, fenômeno que não acontecia desde 1979. O argelino Karim Bouchetata ficou atordoado diante do inesperado cenário nas proximidades da cidade de Ain Segra, na Argélia, nessa segunda-feira. “Todos ficaram espantados de ver a neve cobrindo o deserto”, disse Bouchetata. “A neve ficou sobre a areia por cerca de um dia antes de derreter completamente”. Esta é a segunda vez em que a neve cobre as areias dessa região do Saara – em fevereiro de 1979, nevou por cerca de meia hora, no primeiro evento do tipo de que se tem notícia. No entanto, o fenômeno não chega a surpreender os especialistas. “Apesar de ser uma região desértica, também há chuvas no norte da África. Com frio intenso, pode nevar”, explica o meteorologista Augusto José Pereira Filho, professor da Universidade de São Paulo. O maior deserto do mundo ocupa uma área de 8,6 milhões de quilômetros quadrados do norte da África. No verão, as temperaturas chegam perto dos 50 graus. A cidade de Ain Segra, fica a 1.000 metros acima do nível do mar e é cercada pelas montanhas da Cordilheira do Atlas.

Comente agora

Relatório diz que 2016 está a caminho de se tornar o ano mais quente

Natureza  Postado por Anacley Souza - 19/12 20:44h
Relatório diz que 2016 está a caminho de se tornar o ano mais quente

Um relatório mensal sobre o clima global divulgado na segunda-feira por cientistas do governo dos Estados Unidos ofereceu mais evidências de que 2016 provavelmente será o ano mais quente dos tempos modernos, após o gelo do mar em ambos os polos ter atingido mínimos recordes. Os cientistas do clima dizem que a queima contínua de combustíveis fósseis está emitindo gases de efeito estufa que retém o calor na atmosfera, fazendo o planeta aquecer. Além disso, uma forte tendência do El Niño na primeira metade do ano aumentou as temperaturas do Oceano Pacífico equatorial e exacerbou o aquecimento. O mês passado foi o quinto novembro mais quente desde que os registros começaram, em 1880, segundo o relatório da Agência Oceânica e Atmosférica americana (NOAA). Mas a média de temperatura dos 11 primeiros meses do ano foi excepcionalmente elevada. “A temperatura acumulada no ano em toda a superfície terrestre e oceânica foi 0,94 graus Celsius acima da média do século 20, de 14ºC”, disse o relatório da NOAA. “Esta foi a (média) mais alta para o período janeiro-novembro nos registros de 1880-2016, superando o recorde anterior, estabelecido em 2015, por 0,5ºC”.

Comente agora

Sol Nascente': Loretta aceita divórcio caso Vittório pague uma pensão a ela

Natureza  Postado por Anacley Souza - 15/12 22:51h
Sol Nascente': Loretta aceita divórcio caso Vittório pague uma pensão a ela

Loretta (Cláudia Ohana) vai se recusar a assinar o divórcio em “Sol Nascente”. Por causa do ataque da ex, Vittorio (Marcello Novaes) descobre que ela está sem dinheiro. "O Massimo perdeu tudo. Eu só soube quando ele morreu, na reunião para a leitura do testamento. O advogado me informou que tudo estava comprometido: o prédio da fundação, os imóveis, a casa onde a gente vivia, os investimentos... Nem os móveis da nossa casa escaparam, foram a leilão pra pagar dívidas com funcionários da fundação", conta ela, sincera. Vittorio fica chocado e propõe um acordo com ela. "Se eu te ajudar, se te der uma pensão... Você assina o divórcio?", pergunta. Loretta promete pensar e depois aceita. "Eu aceito as suas condições para o nosso divorcio. Pode mandar o advogado preparar a papelada. Mas tem uma coisa: precisamos chegar a um acordo sobre o valor da minha pensão", diz ela. Vittorio fala que vai fazer os cálculos e sugere que ela arrume um emprego. "Trabalhar não está nos meus planos, Vittorio. Por isso o valor dessa pensão é importante pra mim. Preciso saber que tipo de vida eu vou poder ter daqui pra frente", fala.

Comente agora

Estudo alerta que recursos hídricos podem se esgotar em 2050

Natureza  Postado por Anacley Souza - 15/12 21:55h
Estudo alerta que recursos hídricos podem se esgotar em 2050

O uso crescente de água doce na agricultura, na indústria e para o consumo humano pode esgotar os recursos hídricos subterrâneos em várias partes do mundo nas próximas décadas, alertaram especialistas nesta quinta-feira. Entre as áreas em risco, os pesquisadores citam a Índia, Argentina, Austrália, Califórnia e o sul da Europa, em um estudo apresentado na conferência anual da União Geofísica Americana, que está sendo realizada nesta semana em San Francisco (Califórnia). “Embora muitos aquíferos permaneçam produtivos, a água subterrânea economicamente explorável já é ou se tornará inacessível em um futuro próximo, especialmente em áreas irrigadas intensivamente nas regiões mais secas do mundo”, disse o pesquisador Inge de Graaf, hidrologista da Escola de Minas do Colorado em Golden, Colorado. Segundo um novo modelo de computador, a água armazenada na região da bacia do Ganges, na Índia, e no sul da Espanha e da Itália poderia se esgotar entre 2040 e 2060. Nos Estados Unidos, os aquíferos nas partes central e sul do estado da Califórnia, atingido pela seca, poderiam escassear na década de 2030.

Comente agora

Macacos poderiam falar como seres humanos, revela estudo

Natureza  Postado por Anacley Souza - 14/12 22:16h
Macacos poderiam falar como seres humanos, revela estudo

Macacos falantes podem ser um fruto apenas da ficção científica. Mas pesquisadores americanos e austríacos descobriram que Macaca (um gênero de primata que vive na Ásia e na África) teria a capacidade de falar como seres humanos. Isso porque os animais têm a anatomia necessária para a fala. Para chegar a esse resultado, os cientistas usaram vídeos de raio-x que capturaram os movimentos de diferentes partes da anatomia vocal do macaco, como língua, lábios e laringe. A escolha por essas partes do rosto está relacionada à maneira como as pessoas falam, disse em um comunicado Asif Ghazanfar, coautor do estudo. Ele explica que o discurso humano tem origem no som produzido pela laringe e que ele é modificado pela boca e pelos lábios. “As palavras ‘bat’ (morcego) e ‘bot’ (robô) têm o mesmo som como fonte, mas ele é alterado pela anatomia facial para gerar o som diferenciado que ouvimos.” Depois, os pesquisadores conectaram os grunhidos dos macacos a um modelo computacional que simula o alcance vocal do primata a partir dos dados registrados pelo raio-x.

Comente agora

Cientistas registram maior onda do mundo, com 19 metros

Natureza  Postado por Anacley Souza - 13/12 18:51h
Cientistas registram maior onda do mundo, com 19 metros

Um novo recorde é batido nos mares: o da altura de uma onda. Segundo a Organização Meteorológica Mundial (OMM), uma onda identificada com 19 metros ocorreu no dia 4 de fevereiro de 2013, no Oceano Atlântico Norte, entre a Islândia e o Reino Unido (59° N, 11° W). Foram necessários mais de três anos de estudo por parte de um comitê de especialistas canadenses, americanos, britânicos e espanhóis para determinar a altura exata da onda, gerada por uma frente fria, com vendas de mais de 50 milhas por hora, em pleno mar. O recorde anterior era de 18,2 metros, calculado no dia 8 de dezembro de 2007, também no Atlântico Norte. A boia usada para a nova medida é parte da rede britânica de meteorologia e faz parte de um sistema global espalhado pelos mares e que da informações para a OMM. Essas boias servem para complementar as medidas tomadas por barcos e satélites, que monitora oceanos. “Essa é a primeira vez que uma onda é identificada com 19 metros”, afirmou o subsecretário-geral da OMM, Wenjian Zhang. “Isso mostra a importância da observação marítima para garantir a proteção de vidas.”

Comente agora

Esta noite tem superlua

Natureza  Postado por Anacley Souza - 13/12 17:06h
Esta noite tem superlua

A última superlua do ano acontece nesta terça-feira (13). O fenômeno ocorre quando o perigeu lunar – ponto da órbita em que o satélite está mais perto da Terra – coincide com a fase cheia da Lua. Dessa vez, ela não estará tão próxima como em 14 de novembro, quando a distância entre a Lua e a Terra foi a menor em 70 anos. Mesmo assim, a Lua parecerá maior e mais brilhante. Na noite desta terça-feira, a distância média de 384.000 quilômetros entre a Lua e a Terra será reduzida para 365.825 quilômetros.

Chuva de meteoros – A superlua vai ofuscar a observação de outro fenômeno: a chuva de meteoros das Geminídeas, que atinge seu clímax nesta terça-feira, com até 120 estrelas cadentes por hora. A chuva de meteoros é resultado da combustão de partículas deixadas por resquícios de cometas que atingem a atmosfera terrestre. Nesta terça, porém, a intensa luminosidade da superlua vai atrapalhar a visão dos meteoros.

Comente agora

Última Superlua de 2016 será acompanhada de chuva de meteoros

Natureza  Postado por Redação Voz da Bahia - 12/12 23:41h
Última Superlua de 2016 será acompanhada de chuva de meteoros

Se você perdeu a chance de observar a maior Superlua do século, no início de novembro, ainda tem a oportunidade de ver o satélite chegar mais perto da Terra pela última vez antes de 2016 acabar. A lua vai parecer um pouco maior na virada de 13 para 14 de dezembro – e o fenômeno vem acompanhado das Geminíadas, uma das maiores chuvas de meteoros do ano. Superluas são relativamente comuns: toda a vez que a Lua passa pelo apogeu da sua órbita, fica mais próxima do nosso planeta que o normal. Quando isso acontece e a lua está cheia, ela parece ficar maior no céu. Em 2016, tivemos várias superluas, mas próxima só vai acontecer em dezembro de 2017, então vale a pena aproveitar a chance. Para perceber a diferença no tamanho da lua, é importante buscar referências de dimensão, como prédios e árvores. O horário ideal para fazer isso, na noite do dia 13, é 19h30, quando a lua começa a aparecer no horizonte. Já o ápice da fase cheia da lua acontece perto das dez da noite. Se não bastasse a lua, uma chuva de meteoros também é motivo para observar o céu nas noites dessa semana. Da madrugada do dia 12 ao dia 18, as estrelas cadentes Geminíadas devem cruzar o céu. O show das Geminíadas é especialmente brilhante e “produtivo”: são 120 meteoros passeando no céu por hora. O problema é que o espetáculo vai ter que dividir o palco com a Superlua, já que o pico de estrelas cadentes também está estimado para as 22h da terça-feira. Com o brilho da lua, alguns meteoros devem ficar ofuscados. Mesmo assim, a estimativa da Nasa, segundo o site Space.com, é que 40 meteoros apareçam cruzando o céu, uma chuva mais abundante que a de Leônidas, que pintou o céu em novembro.

Comente agora

Astrônomos revelam que a rotação da Terra está se desacelerando

Natureza  Postado por Anacley Souza - 09/12 21:24h
Astrônomos revelam que a rotação da Terra está se desacelerando

“Para o mundo que eu quero descer”: você já deve ter ouvido essa frase algumas vezes nos últimos tempos. Pois bem, boas notícias: segundo uma equipe de astrônomos do Observatório Real de Greenwich, do Reino Unido, a rotação da Terra está mesmo se desacelerando. A pesquisa dos astrônomos revela que os dias terrestres estão ficando cada vez mais longos. Nos últimos 27 séculos, o dia médio aumentou em cerca de 1,8 milissegundos a cada 100 anos, segundo relata o site Phys.org. Neste ritmo, seriam necessários 3,3 milhões de anos para que ganhássemos apenas um minuto a mais por dia. Os cientistas analisaram as teorias gravitacionais sobre o movimento da Terra em torno do Sol e da Lua em torno da Terra para medir a velocidade de rotação do nosso planeta. Além disso, eles calcularam a evolução temporal dos eclipses da lua e do sol vistos do nosso planeta. Para isso, eles se basearam em observações dos eclipses registrados pelos antigos babilônios, chineses, gregos, árabes e europeus medievais, e encontraram discrepâncias entre os locais onde os eclipses deveriam ter sido observados e onde eles realmente o foram.

Comente agora

Quer o dia com mais horas? Ele está ficando mais longo, diz estudo

Natureza  Postado por Anacley Souza - 07/12 17:51h
Quer o dia com mais horas? Ele está ficando mais longo, diz estudo

Para quem reclama que o dia é curto, uma boa notícia: a natureza está tentando aumentá-lo. O ritmo, porém, é bastante lento. De acordo com registros compilados por cientistas, nos últimos 3.000 anos os dias ficaram 1,8 milésimos de segundo mais longos a cada século. Ou seja, em 3,3 milhões de anos, os dias terrestres terão um minuto a mais (e, em 2 milhões de séculos, uma hora a mais). Segundo estudo feito por cientistas britânicos e publicada nesta quarta feira no periódico científico Proceedings of the Royal Society, o movimento de rotação da Terra está se tornando mais lento, razão por que os dias se tornam maiores. Com os novos cálculos, os autores descobriram ainda que a taxa foi “significativamente menor” do que a de 2,3 milésimos de segundo por século estimada anteriormente – que requeria “apenas” 2,6 milhões de anos para adicionar um minuto ao dia. “É um processo muito lento”, disse à o autor principal do estudo, Leslie Morrison, astrônomo aposentado do Observatório Real de Greenwich, no Reino Unido, à Agência France-Presse. “Essas estimativas são aproximadas, porque as forças geofísicas que operam na rotação da Terra não serão necessariamente constantes durante um período tão longo de tempo.

Comente agora

Gelo polar do tamanho da Índia desaparece devido a calor recorde

Natureza  Postado por Anacley Souza - 06/12 18:46h
Gelo polar do tamanho da Índia desaparece devido a calor recorde

O gelo marítimo nos arredores da Antártica e no Ártico atingiu baixas recordes e encolheu duas vezes o tamanho do Alasca ou aproximadamente o tamanho da Índia – um sinal das temperaturas globais crescentes, disseram cientistas nesta semana. A diminuição do gelo nos dois extremos do planeta está alarmando os especialistas, que explicam que as razões para o fenômeno pode ser o acúmulo de gases de efeito estufa criados pelo homem, o fenômeno El Niño, que este ano liberou calor do Oceano Pacífico, e oscilações naturais imprevistas. “Há algumas coisas realmente loucas acontecendo”, disse Mark Serreze, diretor do Centro Nacional de Dados de Neve e Gelo dos Estados Unidos (NSIDC, na sigla em inglês), em Boulder, no Colorado. Segundo o especialista, as temperaturas em partes do Ártico ficaram 20 graus Celsius acima do normal em alguns dias de novembro. No mundo todo, este ano caminha para ser o mais quente já registrado. A extensão do gelo marítimo polar em 4 de dezembro ficou cerca de 3,84 milhões de quilômetros quadrados abaixo da média de 1981 a 2010, de acordo com medições de satélite do NSIDC – o tamanho da Índia, ou de dois Alascas.

Comente agora

ONU alerta para situação 'insustentável' do acesso à água potável no mundo

Natureza  Postado por Débora Ayane - 28/11 13:38h
ONU alerta para situação 'insustentável' do acesso à água potável no mundo

Líderes da ONU e de vários países insistiram nesta segunda-feira (28) que o mundo se encaminha para uma crise insustentável de desabastecimento de água potável devido a fatores como a mudança climática e o crescimento da população."O mundo avança por um caminho que segue em direção ao insustentável", afirmou o presidente da Assembleia Geral da ONU, Peter Thomson, um dos participantes da Cúpula da Água, que acontece entre hoje e quarta-feira em Budapeste, a capital da Hungria.Thomson se referiu ao sexto Objetivo de Desenvolvimento Sustentável, aprovado pela ONU em 2015, que adverte que a escassez de água, que já afeta mais de 40% da população mundial, crescerá com o aumento das temperaturas devido à mudança climática."A humanidade não entende, por enquanto, a importância disto", acrescentou Thomson, que afirmou que ainda há esperanças se a meta do Acordo de Paris de manter o aumento da temperatura média abaixo de dois graus centígrados for cumprida.

Comente agora

Nuvem de gás colidirá com a Via Láctea e choque deve criar novas estrelas

Natureza  Postado por Anacley Souza - 27/11 09:42h
Nuvem de gás colidirá com a Via Láctea e choque deve criar novas estrelas

Existem diversas nuvens de gás orbitando a Via Láctea. Uma das primeiras a ser observada foi a Nuvem Smith, descoberta por Gail Smith em 1963. Essa nuvem surpreendeu os astrônomos nos anos 2000 devido a uma assustadora conclusão: ela está em rota de colisão com a Via Láctea. Agora, uma pesquisa da Nasa traz novas descobertas. A Nuvem Smith está, na realidade, voltando em direção à Via Láctea, após ter sido catapultada no espaço pela nossa própria galáxia. Ela "cai" rápido. A nuvem, que possui quantidade de hidrogênio suficiente para criar 2 milhões de estrelas do tamanho do nosso Sol, se move pelo espaço a cerca de 300 km/s. No momento do impacto com um dos braços de nossa galáxia, uma explosão brilhante poderá levar à formação de novas estrelas. Mas, calma! O choque ocorrerá apenas daqui a 30 milhões de anos e provocará no máximo um leve "arranhão" na Via Láctea. A Nuvem de Smith é minúscula em comparação com a espiral de estrelas gigante que compõe a nossa galáxia. O fato de estarmos caminhando para uma colisão estrelar nas vizinhanças do Sistema Solar desperta interesse nos cientistas muito mais pelos enigmas do fenômeno do que pela dimensão de suas consequências.

Comente agora

Cratera Chicxulub dá pistas surpreendentes sobre última Era do Gelo

Natureza  Postado por Anacley Souza - 23/11 20:58h
Cratera Chicxulub dá pistas surpreendentes sobre última Era do Gelo

Cientistas da Missão 364, a primeira da história a explorar uma cratera submarina produzida pelo impacto de um asteroide, encontraram - por acaso, sem que estivessem procurando - evidências de que o nível do mar era mais baixo do que o atual na última Era do Gelo. O gigantesco estudo da cratera Chicxulub, que tem 200 km de diâmetro e se encontra no Golfo do México, busca decifrar o mistério da extinção em massa - inclusive dos dinossauros - provocada por um asteroide há 66 milhões de anos, além de descobrir como a vida ressurgiu e, inclusive, encontrar pistas sobre as possibilidades de vida em outros planetas. Mas os primeiros resultados trouxeram surpresas, afirmou nesta quarta-feira Jaime Urrutia, presidente da Academia Mexicana de Ciências e chefe da missão, durante coletiva de imprensa no Instituto de Geofísica da Universidade Autônoma do México. Sem que estivessem procurando por isto, os cientistas conseguiram confirmar que o nível do mar era muito mais distante da linha costeira atual na última glaciação.

Comente agora

Na Cúpula do Clima, muito discurso e uma certeza: países pobres estão sozinhos

Natureza  Postado por Anacley Souza - 18/11 21:35h
Na Cúpula do Clima, muito discurso e uma certeza: países pobres estão sozinhos

“Vocês estão sozinhos nessa”. Foi esta a mensagem que os países ricos deixaram para os pobres ao fim da Cúpula do Clima que acabou de acontecer durante dez dias em Marrakesh, no país africano do Marrocos. Os pobres reivindicam ajuda para suportarem os revezes trágicos causados pelas mudanças climáticas, fenômeno que, conforme cientificamente provado, está acontecendo, em grande parte, porque os ricos consomem excessivamente o combustível fóssil. A informação chegou-me há pouco, via mensagem eletrônica enviada pela ActionAid, organização não-governamental internacional que tem foco no combate à pobreza que acompanhou a COP22 lá no Marrocos. O coordenador global de assuntos climáticos da organização, Harjeet Singh, escreveu sobre o que chamou de travamento dos trabalhos por causa da questão financeira: “Embora vários países tenham feito contribuições bem-vindas para as necessidades imediatas de financiamento, os países ricos têm tentado se livrar de suas responsabilidades de ajudar as nações mais pobres a lidar com os custos de enfrentar os impactos das mudanças climáticas e tornar suas economias mais ecológicas.

Comente agora

Cachoeira baiana entre as cinco mais altas do Brasil

Natureza  Postado por Débora Ayane - 18/11 17:45h
Cachoeira baiana entre as cinco mais altas do Brasil

Um dos pontos mais visitados do Parque Nacional da Chapada Diamantina, a Cachoeira da Fumaça – a segunda mais alta do país com cerca de 340 metros, foi listada com uma das cinco principais do Brasil pelo Ministério do Turismo. Situada em meio a uma trilha, a maravilha baiana está numa lista juntamente com as cachoeiras do Tabuleiro (MG), Salto do São Francisco (PR), Caracol (RS) e Salto do Itiquira (GO). Para curtir a Cachoeira da Fumaça e outros locais da região, o turista deve se hospedar no Vale do Capão ou na cidade de Lençóis, que possuem uma boa infraestrutura hoteleira e de restaurantes, além - é claro - de um sem número de atrativos naturais.

Comente agora

Chuva de meteoros Leonídeas poderá ser vista até o próximo domingo

Natureza  Postado por Anacley Souza - 17/11 18:05h
Chuva de meteoros Leonídeas poderá ser vista até o próximo domingo

Quem olhar para o céu na noite desta quinta-feira (17) e madrugada de sexta (18) poderá observar a chuva de meteoros conhecida como Leonídeas em seu ápice. O fenômeno anual será visível a olho nu até o próximo domingo (20). Pelo menos 40 meteoros por hora riscarão os céus, de acordo com Irapuan Rodrigues, professor de Física e Astronomia da Universidade do Vale do Paraíba (Univap). "Uma chuva de meteoros ocorre quando, ao orbitar em torno do Sol a Terra atravessa o rastro de poeira e rochas - os meteoroides - que se desprendem da cauda de algum cometa na sua trajetória pelo sistema solar", explicou o professor. Segundo ele, o que conhecemos por "estrela cadente" é na verdade um meteoroide que acabou de se chocar com a atmosfera terrestre, entrando em incandescência. "Os que conseguem resistir à fricção do ar e chegar até o solo são os chamamos de meteoritos", afirmou. Rodrigues falou sobre o curioso nome dado à chuva.

Comente agora

Restam menos de 300 onças-pintadas na Mata Atlântica

Natureza  Postado por Anacley Souza - 16/11 22:16h
Restam menos de 300 onças-pintadas na Mata Atlântica

A onça-pintada está definitivamente ameaçada de extinção na Mata Atlântica. Menos de 300 desses magníficos felinos ainda sobrevivem no bioma, espalhados e isolados em pequenas populações pelo Brasil, Argentina e Paraguai, segundo um trabalho publicado nesta quarta-feira, 16, na revista Scientific Reports. É o mais completo levantamento já feito sobre a população remanescente de onças-pintadas na Mata Atlântica. As causas do declínio são óbvias. Cerca de 85% do hábitat original das onças-pintadas (ou jaguares, como também são conhecidas) na Mata Atlântica já desapareceu, e apenas 7% das florestas que restam ainda estão em bom estado de conservação, com tamanho e alimento suficientes para abrigar a espécie, segundo os cientistas. Não bastasse isso, as poucas onças sobreviventes são frequentemente perseguidas e atacadas por caçadores e fazendeiros. "Perda e fragmentação de hábitat são as principais causas de declínio das onças-pintadas, mas a mortalidade induzida pelo homem é a principal ameaça às populações remanescentes", dizem os autores do trabalho, que incluem pesquisadores do Brasil, Argentina, Paraguai e Porto Rico.

Comente agora

A superlua chegou ao céu do Brasil, mas só alguns conseguem ver

Natureza  Postado por Anacley Souza - 14/11 22:30h
A superlua chegou ao céu do Brasil,  mas só alguns conseguem ver

Nesta segunda-feira (14) a Lua está cheia , e mais próxima da Terra do que nunca em quase 70 anos. O resultado da combinação desses dois eventos é uma superlua, quando o satélite parece até 14% maior e 30% mais brilhante que o normal. Poucos brasileiros, no entanto, terão vista privilegiada para o fenômeno, que só se repetirá em tamanho grau em 2034. Como as nuvens não deram trégua, apenas as regiões central e litorânea do Nordeste apresentam condições perfeitas de observação. Em partes de alguns Estados do Norte, como Amapá, e do Sul, como Santa Catarina e Rio Grande do Sul, também será possível admirar a geografia lunar em escala aumentada.

Comente agora

Praias e locais mais escuros são alguns dos pontos para ver a superlua

Natureza  Postado por Débora Ayane - 14/11 17:20h
Praias e locais mais escuros são alguns dos pontos para ver a superlua

Nas próximas horas desta segunda-feira (14) a superlua estará visível no Brasil. Para que o fenômeno possa ser visto em sua totalidade, é necessário que o tempo esteja aberto, com poucas nuvens. A previsão para a capital baiana, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), é de que o tempo fique nublado a parcialmente nublado, com chuvas isoladas. Para os que querem tirar boas fotos ou mesmo observar os fenômenos não há mistério: basta observar a lua de qualquer ponto da cidade, de preferência em locais abertos, onde não há interferência na paisagem. Outra dica são os locais mais escuros, como as praias, em que a luminosidade da lua tende a ser percebida com maior intensidade. O fenômeno da superlua também provoca mudança nas marés. As marés cheia e baixa devem ser com maior intensidade, mas não provocam mudanças drásticas. O satélite deve ficar com a aparência de que está cerca de 14% maior e 30% mais luminosa do que a habitual lua cheia. A chamada superlua se explica pela proximidade do astro com a Terra, que está 48,2 km mais próximo. Esta é a segunda (e maior), das três superluas, de 2016. O mesmo fenômeno só deve voltar a ser visto em 2034.

Comente agora

O mundo pode perder dois terços dos animais selvagens até 2020, segundo relatório

Natureza  Postado por Débora Ayane - 12/11 15:42h
O mundo pode perder dois terços dos animais selvagens até 2020, segundo relatório

De acordo com o mais recente relatório do Living Planet Index, do World Wildlife Fund (WWF), o número de animais selvagens que vivem na Terra deverá cair em dois terços até 2020, se nada for feito para reduzir o impacto das ações humanas. A análise do relatório indica que as populações de animais caíram 58% entre 1970 a 2012, com perdas em vias de alcançar 67% em 2020. Os pesquisadores do WWF e do Zoological Society of London elaboraram o relatório a partir de dados científicos e descobriram que a destruição de habitats, a caça e a poluição foram os culpados por tamanho declínio. O maior motivo para a queda do número de animais é a destruição de áreas selvagens para a agricultura e a exploração madeireira: a maior parte da área terrestre do planeta já foi impactada por seres humanos. A caça furtiva e a exploração de alimentos são outros fatores graves, devido à pesca insustentável e caça. A poluição também é outro problema preocupante, que atinge animais como orcas e golfinhos, seriamente impactados por poluentes industriais. Fonte: O Eco a partir de The Guardian

Comente agora

Frente fria avança e chuva aumenta na Bahia

Natureza  Postado por Anacley Souza - 10/11 22:15h
Frente fria avança e chuva aumenta na Bahia

Depois de um longo período de estiagem a chuva voltou a cair sobre a Bahia. Em muitas áreas do interior baiano, as pancadas de chuva ocorrem de forma frequente e até volumosa, especialmente no oeste do estado. As pancadas de chuva foram volumosas na segunda quinzena de outubro e em algumas áreas, como , o mês fechou com cerca de 70 milímetros acumulados, conforme a medição do Instituto Nacional de Meteorologia. Este valor foi pouco se comparado à média de chuva de outubro, que é de aproximadamente 193 milímetros. Com a intensificação de áreas de instabilidade sobre a Bahia esta primeira quinzena de novembro promete terminar com um volume acumulado de chuva bastante alto. A previsão para Santo Antônio de Jesus no feriado prolongado é de pancadas de chuvas e de céu encoberto na terça-feira (15). (Jornal Tempo)

Comente agora

Maior superlua em quase 70 anos será vista no dia 14 de novembro

Natureza  Postado por Anacley Souza - 10/11 21:56h
Maior superlua em quase 70 anos será vista no dia 14 de novembro

Os brasileiros ainda compravam em cruzeiros, o presidente era Eurico Gaspar Dutra e os televisores não existiam no país na última vez em que a lua esteve tão perto da Terra. Na próxima segunda-feira, 14, o satélite vai estar à menor distância do planeta desde 1948, a cerca de 356 mil quilômetros, o que faz do fenômeno uma "super-superlua". O intervalo médio entre o satélite e a Terra é de aproximadamente 384 mil quilômetros. A diferença entre as duas posições lunares daria para percorrer o Brasil quase sete vezes, de norte a sul. A superlua ocorre quando a lua cheia atinge o perigeu, o ponto mais próximo da Terra em sua órbita mensal. A trajetória da Lua é elíptica e, como ela não faz um círculo perfeito ao redor da Terra, existem datas em que o satélite está mais próximo ou distante do planeta. A superlua é um fenômeno comum, que ocorre em média seis vezes por ano. Em 2016, são três consecutivas, nos dias 16 de outubro, 14 de novembro e 14 de dezembro. Em outubro e dezembro, a lua fica cheia no mesmo dia em que atinge o perigeu. Neste mês, ela entra na fase cheia duas horas antes, o que faz com que esta seja uma superlua ainda maior.

Comente agora

Estudo indica que temperatura da Terra subirá 4°C até 2100

Natureza  Postado por Anacley Souza - 09/11 21:05h
Estudo indica que temperatura da Terra subirá 4°C até 2100

As mudanças climáticas estão realmente acontecendo, não é papo de "ecochato". Um novo estudo publicado nesta quarta-feira (9), na Science Advances, afirma que a temperatura na Terra deve subir 4°C até 2100. A pesquisa nos afasta -ainda mais- do objetivo assinado por 195 no Acordo de Paris. No texto, foi prometido que todos se esforçariam para limitar o aquecimento do planeta a menos de 2°C, mas a tarefa está cada vez mais difícil. Para fazer o cálculo, Tobias Friedrich e sua equipe estudaram as variações climáticas da Terra de 784 mil anos. Com a análise, foi possível estimar que a temperatura da superfície terrestre aumente 4°C até o fim do século. E esse aumento levará inundações a grande cidades, seca em diversas regiões e situações ainda mais extremas de calor e frio. Como já foi previsto por outros cientistas, a pesquisa também indicou que, se os níveis de emissão de CO2 (dióxido de carbono) produzidos pelo homem permanecerem constantes, as temperaturas médias globais durante o século 21 vão ultrapassar as temperaturas máximas atingidas durante os últimos 784 mil anos.

Comente agora

Os 5 anos mais quentes do clima global

Natureza  Postado por Anacley Souza - 08/11 21:12h
Os 5 anos mais quentes do clima global

A OMM - Organização Meteorológica Mundial publicou uma análise detalhada do clima global do período 2011-2015 - os cinco anos mais quentes já registrados. As temperaturas recordes foram acompanhadas pelo aumento do nível do mar e por declínios na extensão do gelo do Ártico, nas geleiras continentais e na cobertura de neve do hemisfério norte. Todos estes indicadores climáticos confirmaram a tendência de longo prazo de aquecimento causada pelos gases de efeito estufa. O dióxido de carbono alcançou o marco significativo de 400 partes por milhão na atmosfera pela primeira vez em 2015, de acordo com o relatório da OMM. O relatório, também examina se a mudança climática induzida pelo homem esteve diretamente ligada a eventos extremos individuais. Dos 79 estudos publicados pelo Boletim da American Meteorological Society entre 2011 e 2014, mais da metade revelou que as mudanças climáticas induzidas pelo homem contribuíram para o evento extremo em questão. Alguns estudos mostraram que a probabilidade de calor extremo aumentou 10 vezes ou mais. "O Acordo de Paris visa limitar o aumento da temperatura global bem abaixo de 2°C e perseguir esforços em direção a 1,5°C.

Comente agora

Como se preparar para a maior Superlua em quase 70 anos

Natureza  Postado por Redação Voz da Bahia - 06/11 22:58h
Como se preparar para a maior Superlua em quase 70 anos

Daqui a alguns dias, a Lua estará mais perto de nós do que o comum. Na verdade, ela não se mostra tão atrevida há algumas décadas. Na véspera do próximo dia 14, será possível observar a maior Superlua em quase 70 anos. Mas do que se trata o fenômeno? De acordo com a astrônoma britânica Heather Couper, as superluas são resultado de uma "casualidade". "A Lua gira ao redor de uma órbita elíptica, e se a Lua Cheia coincide com o ponto do trajeto onde está mais próximo da Terra, ela pode parecer absolutamente enorme", afirma. Essa coincidência ocorrerá novamente no dia 14 de novembro e o fenômeno deve ser extraordinário por causa da proximidade: nesta data a Lua se encontrará a 48,2 mil quilômetros mais próxima da Terra do que quando esteve recentemente no seu apogeu - que é o ponto mais distante da órbita. O satélite não chegava tão perto assim desde 1948 e não voltará a fazê-lo até 2034. Com exceção do eclipse da Superlua de 2015, não houve nem haverá por muito tempo uma Lua Cheia tão especial - mesmo que curiosamente tenhamos tido três Superluas consecutivas em três meses - a anterior ocorreu em 16 de outubro e a última será no dia 14 de dezembro. É possível se preparar para aproveitar melhor o fenômeno e ainda identificar algumas "surpresas".

Qual é a melhor forma de ver uma Superlua?

Comente agora

Acordo histórico vai criar maior reserva marinha do mundo

Natureza  Postado por Anacley Souza - 06/11 17:57h
Acordo histórico vai criar maior reserva marinha do mundo

Uma comissão internacional chegou na última sexta-feira (28) a um acordo histórico para a criação da maior reserva marinha do mundo, para conservar as águas da Antártica, uma resolução obtida após anos de negociações sem sucesso pela oposição da Rússia. O acordo firmado pela Comissão para a Conservação dos Recursos Vivos Marinhos Antárticos (CCRVMA) conseguiu estabelecer, finalmente, a criação de uma reserva gigante na zona do mar de Ross, uma imensa baía no Pacífico, indicou o ministro das Relações Exteriores da Nova Zelândia, Murray McCully. O Mar de Ross, uma imensa área sob a jurisdição da Nova Zelândia, é conhecido como o "último oceano" por ser considerado o último ecossistema marinho intacto do planeta, sem contaminação, pesca excessiva ou espécies invasoras. A área protegida cobre mais de 1,55 milhão de quilômetros quadrados, dos quais 1,12 milhão são zonas de exclusão de pesca. A área equivale à soma dos territórios do Reino Unido, França e Alemanha. McCully revelou que o texto exigiu algumas mudanças para receber o apoio unânime dos 25 membros, mas garantiu que o acordo final conjuga proteção da vida marinha, pesca sustentável e interesses dos cientistas.

Comente agora

Churrasco de domingo é vilão do aquecimento global

Natureza  Postado por Anacley Souza - 06/11 09:52h
Churrasco de domingo é vilão do aquecimento global

A picanha, a fraldinha e a maminha, bem salgadas, feitas na brasa, símbolos de um bom churrasco, estão se tornando inimigas do clima. É que a carne, desde a criação do gado até a mesa do brasileiro, é responsável pela liberação de grande quantidade de gases que causam o aquecimento global, segundo o Observatório do Clima (OC) – rede que reúne 40 organizações da sociedade civil. A recomendação é que o consumo de carne de boi seja menor e a produção mais eficiente. Os impactos causados pela agropecuária são responsáveis por 69% das emissões de gases de efeito estufa do Brasil. Estão incluídos na conta poluentes decorrentes do processo digestivo e dejetos de rebanhos, o uso de fertilizantes e o desmatamento (43% das emissões nacionais). Os números são do Sistema de Estimativa de Emissão de Gases de Efeito Estufa (Seeg), do Observatório do Clima, divulgados no Rio de Janeiro. De acordo com a coordenadora de Clima e Agropecuária do Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora), Marian Piatto, que integra a rede do observatório, somente o gado de corte é responsável por 65% das emissões de gases de efeito estufa na agropecuária. Ela explica que um dos problemas está no sistema digestivo dos animais com dificuldades de processar o capim.

Comente agora

Meteorito metálico estranho é encontrado em Marte

Natureza  Postado por Anacley Souza - 02/11 09:53h
Meteorito metálico estranho é encontrado em Marte

O rover planetário Curiosity encontrou um meteorito metálico com forma estranha na superfície de Marte, segundo o portal Gizmodo. O corpo celeste pequeno foi encontrado no monte Sharp. Não é a primeira vez que o Curiosity descobre meteoritos no Planeta Vermelho, mas esse atraiu atenção por ter uma forma redonda com superfície lisa e sulcos profundos. O diâmetro do meteorito, batizado de Egg Rock, é de quatro centímetros. Segundo os cientistas da Univesidade do Estado do Arizona, o meteorito descoberto é composto de ferro-níquel e antes pertencia ao conjunto de asteroides de Marte. Por conta das condições especiais do planeta, meteoritos caídos na superfície do planeta podem conservar sua aparência original durante milhões de anos, pois eles não se oxidam, revela Gizmodo. O rover planetário Curiosity que possui seis rodas e pesa cerca de 900 quilos, iniciou sua viagem para Marte em novembro de 2011, alcançando o Planeta Vermelho em 6 de agosto de 2012 nas proximidade da cratera de Gale. Embora não haja um prazo exato para a conclusão da missão do Curiosity, sua missão principal está prevista para ser realizada durante um ano marciano, ou seja, 687 dias. (Sputnik)

Comente agora
Veja mais

As 5+ comentadas












Todos os direitos reservados a Marcus Augusto Macedo | vozdabahia@hotmail.com