As comentadas


Boa noite , Quinta-feira, 05/05/2016








Enquete



Reflita

Blog

Economia

05
Mai
Receita abrirá consulta ao lote de restituição multiexercício residual
Postado por: Anacley Souza / 20:01h

A partir das 9 horas da próxima segunda-feira (9), estará disponível para consulta o lote multiexercício de restituição do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física, contemplando as restituições residuais, referentes aos exercícios de 2008 a 2015. O crédito bancário para 71.781 contribuintes será realizado no dia 16 de maio, totalizando o valor de R$ 150.000.000,00. Desse total, R$ 61.323.713,51 referem-se ao quantitativo de contribuintes de que trata o Art. 69-A da Lei nº 9.784/99, sendo 17.106 contribuintes idosos e 1.271 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave. Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deverá acessar a página da Receita na Internet (http:// idg.receita.fazenda.gov.br), ou ligar para o Receitafone 146. Na consulta à página da Receita, serviço e-CAC, é possível acessar o extrato da declaração e ver se há inconsistências de dados identificadas pelo processamento. Nesta hipótese, o contribuinte pode avaliar as inconsistências e fazer a auto regularização, mediante entrega de declaração retificadora. A Receita disponibiliza, ainda, aplicativo para tablets e smartphones que facilita consulta às declarações do IRPF e situação cadastral no CPF.

Comente agora
05
Mai
Saques batem depósitos e poupança tem pior mês de abril desde 1995
Postado por: Anacley Souza / 19:31h

O BC (Banco Central) informou nesta quinta (5) que os brasileiros retiraram R$ 8,246 bilhões a mais do que depositaram na poupança em abril. Foi o pior resultado para o mês desde o início da série histórica do BC, em 1995. As informações são da Agência Brasil. De janeiro a abril deste ano, a caderneta acumula captação negativa (mais retiradas que depósitos) de R$ 32,296 bilhões. O saldo negativo supera o registrado no primeiro quadrimestre do ano passado. No período, a poupança dos brasileiros estava negativa em R$ 29,081 bilhões. Em abril, os saques da poupança somaram R$ 161,5 bilhões, superando os depósitos, que ficaram em a R$ 153,2 bilhões. O valor total nas contas ficou em R$ 640,5 bilhões. O volume dos rendimentos creditados nas cadernetas dos investidores alcançou R$ 4,127 bilhões. Desde janeiro de 2015, a caderneta de poupança registra retirada expressiva de recursos. Isso ocorre por causa do aumento de juros, que torna mais atrativas aplicações em fundos de investimento, e da perda de rentabilidade diante da inflação. Segundo o BC, a recessão econômica também contribui para a fuga de recursos da poupança. Por causa da crise e do desemprego, os brasileiros têm menos sobra de dinheiro para aplicar na caderneta e precisam sacar mais recursos para pagar dívidas.

Comente agora
05
Mai
Produção de veículos do Brasil tem pior abril desde 2004
Postado por: Anacley Souza / 17:55h

A produção de veículos no Brasilfoi a menor para abril desde 2004, com queda de 13,6% sobre março e de 22,9% sobre o mesmo mês do ano passado, segundo dados divulgados nesta quinta feira pela Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), que representa as montadoras. O volume produzido no mês passado foi de 169,8 mil veículos, o que fez o quadrimestre encerrar em baixa de 25,8% na produção, a 658,7 mil unidades. Em abril de 2004 foram produzidos 163,4 mil veículos. O novo presidente da Anfavea, Antonio Megale, afirmou que a industria deve continuar a ajustar a produção à queda do mercado interno, que em abril recuou 9,1% sobre março e 25,7% sobre mesmo mês do último ano, para 162,9 mil unidades. O setor terminou abril com leve queda nos estoques de veículos novos à espera de comprador. Os inventários caíram de 251,7 mil para 259,1 mil unidades entre março e o mês passado. Megale comentou que a Anfavea sabe que precisa ajustar suas previsões, mas prefere esperar o fim da volatilidade política antes de fazer novas estimativas. "O Brasil hoje tem realmente um problema de confiança. Torcemos para que haja uma solução, qualquer que seja ela, o mais rápido possível", afirmou o executivo. "Se houver medidas claras de ajuste, podemos entender que a confiança será retomada e que uma recuperação consistente possa ocorrer no final do ano ou começo do ano que vem". Segundo ele, o índice de ocupação da capacidade de produção da indústria de veículos fechou abril em 52%, um quadro visto por ele como preocupante já que cerca de 30% da força de trabalho do setor está sob algum tipo de regime de flexibilização como suspensão de contratos de trabalho. (Reuters)

Comente agora
05
Mai
Empresários baianos recebem incentivos para investir em Portugal
Postado por: Débora Ayane / 17:31h

O empresariado baiano, assim como acontece atualmente em todo o país, tem sentido os efeitos das crises política e econômica que atingem a saúde financeira das empresas, ceifa postos de trabalho e impede a realização de novos investimentos. Diante desse cenário adverso, a GO Engenharia (de Portugal) e a Connepar Consultoria (Brasil) apresentam nesta quinta-feira (5) e sexta-feira (6), no Hotel Porto Belo, em Salvador, a possibilidade de ampliação de negócios para Portugal. Segundo o diretor da Connepar, Alfredo José Malafaia Casaes, a intermediação da GO Engenharia facilita a entrada do empresário brasileiro no mercado europeu. O evento é realizado em parceria com a Federação das Indústrias do Estado (Fieb). De acordo com Alfredo Malafaia, a ampliação da área de atuação das empresas baianas surge através da política de desenvolvimento empreendida pela União Europeia, que criou fundos para auxiliar no processo de desenvolvimento dos países que integram o bloco econômico. "Portugal é um dos destinos aonde é possível receber esses incentivos que incrementam o processo industrial do país, não só com empresas portuguesas como também com empresas estrangeiras". Diante desse contexto, a GO Engenharia realizou, em São Paulo, dos dias 24 a 29 de abril, uma rodada de negociação para atrair empresários e investidores brasileiros. Após o evento da capital paulista, o destino da rodada de negócios passou a ser a capital baiana, na tentativa de atrair a atenção do empresário local para o Mercado Comum Europeu.

Comente agora
05
Mai
Novo rombo de distribuidoras pode parar na conta de luz
Postado por: Anacley Souza / 12:17h

O governo quer empurrar para as tarifas de energia dos brasileiros o custo da ineficiência das distribuidoras da Eletrobras que atendem a Região Norte. Emendas que aliviam a situação financeira dessas companhias foram incluídas no relatório da Medida Provisória 706, cujo objetivo é dar condições para que essas empresas possam renovar seus contratos de concessão. Estimativas preliminares da indústria apontam que a proposta pode repassar à conta de luz e ao Tesouro Nacional uma dívida em torno de 9 bilhões de reais ao longo dos próximos anos. As sugestões acatadas no relatório são uma das últimas ações do ex-ministro de Minas e Energia Eduardo Braga (PMDB-AM), que deixou o cargo e está licenciado do Senado, em mais uma das medidas que, nos bastidores do setor elétrico, têm sido chamadas de "jabutis amazônicos". A principal beneficiada da medida seria justamente a Eletrobras Amazonas Energia, que atua no Estado que é a base eleitoral de Braga. O governo foi consultado e se manifestou de forma favorável ao relatório, confirmaram o relator da MP 706, o senador Edison Lobão (PMDB-MA) e o Ministério de Minas e Energia. Para não perder validade, a MP 706 precisa ser aprovada na Câmara e no Senado até 31 de maio.

Comente agora
05
Mai
Governo quer R$ 4 bilhões por concessão de quatro aeroportos
Postado por: Dulce Santana / 07:18h

A ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) anunciou nesta quarta-feira (4) que pretende pedir no mínimo R$ 4,1 bilhões pela concessão de quatro aeroportos, prevista para este ano. Os dados sobre a privatização das unidades de Porto Alegre (RS), Florianópolis (SC), Salvador (BA) e Fortaleza (CE) vão ficar em audiência pública nos próximos 45 dias e depois será marcado o leilão. Vence a disputa quem oferecer o maior valor de outorga por cada aeroporto. Segundo anúncio da agência, o valor mínimo para Salvador será de R$ 1,5 bilhão por uma concessão de 30 anos. A empresa terá que fazer investimentos estimados em R$ 2,2 bilhões. Para Fortaleza, a concessão de 30 anos foi estimada em no mínimo R$ 1,6 bilhão, mas o investimento é estimado em R$ 1,3 bilhão. Para Santa Catarina, a outorga será de R$ 339 milhões e o investimento previsto em 30 anos é de R$ 887 milhões. O aeroporto da capital gaúcha terá o menor tempo de concessão, 25 anos. Lá, os investimentos estimados são de R$ 1,6 bilhão, com outorga mínima de R$ 729 milhões. Nos dois leilões anteriores de aeroportos, houve uma disputa com um grande número de participantes e as ofertas dos vencedores foram agressivas. O Galeão (RJ), por exemplo, teve oferta quase 300% superior ao mínimo. A agência aceitou a recomendação do TCU de reduzir o requisito para o operador aeroportuário participar de já ter operado um aeroporto de 10 milhões de passageiros/ano. O número vai ser de 9 milhões para Salvador e Porto Alegre, 7 milhões em Fortaleza e 4 milhões em Florianópolis. 

Comente agora
04
Mai
CMSE vai desligar térmicas com custo elevado a partir de 7 de maio
Postado por: Anacley Souza / 19:43h

O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) decidiu desligar, a partir de 7 de maio, as usinas termelétricas que produzem energia com um custo acima de R$ 150,00 por megawatt-hora (MWh). Com a determinação, apenas as térmicas mais baratas vão continuar a funcionar no País. Não haverá qualquer mudança na tarifa do consumidor, pois, desde abril, já vigora a bandeira verde, que não traz cobrança extra na conta de luz. De acordo com nota divulgada pelo CMSE, o País conta com uma sobra de energia de 12.899 megawatts (MW) para atender à demanda, dos quais 2.792 MW entraram em operação neste ano. O risco de racionamento é zero neste ano no Sudeste/Centro-Oeste e no Nordeste, considerando a série histórica de 83 anos. Levando em conta a série sintética, com 2.000 cenários, o risco é de 0,1% no Sudeste/Centro-Oeste e zero no Nordeste. Ainda conforme o CMSE, no mês de abril, as chuvas ficaram acima da média apenas na região Sul, em 147% da média história. No Sudeste/Centro-Oeste, Nordeste e Norte, as chuvas ficaram, respectivamente, em 72%, 23% e 50% da média histórica. Apesar disso, os reservatórios das hidrelétricas das região Sudeste e Centro-Oeste, que concentram as principais bacias hidrográficas do País, atingiram 57,6% de sua capacidade máxima no fim do mês passado. Para o fim de maio, a previsão é que os reservatórios atinjam 51,5% de sua capacidade no Sudeste/Centro-Oeste, 30% no Nordeste, 63,8% no Sul e 63,9% no Norte.

Comente agora
04
Mai
Governo Dilma deve lançar até sexta edital para leiloar quatro aeroportos, Internacional de Salvador está na lista
Postado por: Anacley Souza / 19:19h

O governo federal prevê arrecadar pelo menos R$ 4,1 bilhões com o leilão dos aeroportos de Fortaleza, Salvador, Porto Alegre e Florianópolis, previsto para acontecer ainda no primeiro semestre de 2016. A previsão está na proposta de edital aprovada nesta quarta-feira (4) pela diretoria da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). O texto vai agora passar por audiência pública e, depois, voltará a ser analisado pela agência. A aprovação do texto pela diretoria da Anac acontece duas semanas após o Tribunal de Contas da União (TCU) liberar o leilão dos quatro aeroportos. E a poucos dias da análise, pelo Senado, da admissibilidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, que pode ser afastada do cargo por até 180 dias caso seja aceita. Os R$ 4,1 bilhões correspondem à soma dos lances mínimos, ou valor de outorga, que o governo pretende exigir dos grupos interessados pelo direito de operar os aeroportos pelas próximas décadas.

  1. Aeroporto de Fortaleza: R$ 1,563 bilhões
  2. Aeroporto de Salvador: R$ 1,490 bilhões
  3. Aeroporto de Porto Alegre: R$ 729 milhões
  4. Aeroporto de Florianópolis: R$ 329 milhões

A concessão de cada aeroporto será entregue ao grupo que oferecer ao governo o maior valor de outorga, em relação a esses valores mínimos. Isso quer dizer que, se houver vários interessados no leilão, o governo pode vir a arrecadar um valor superior aos R$ 4,1 bilhões.

Comente agora
04
Mai
Dólar cai quase 1% e volta a ficar abaixo de R$ 3,55
Postado por: Anacley Souza / 18:21h

O dólar caiu quase 1% nesta quarta-feira e voltou a ficar abaixo de R$ 3,55, em movimento de ajuste após a alta de cerca de 4% nas duas sessões anteriores e sem a atuação do Banco Central no mercado de câmbio. O movimento foi contrário ao visto no cenário externo, onde a moeda norte-americana subia frente a outras divisas diante do aumento da aversão ao risco por conta de temores sobre a economia global. O dólar recuou 0,87%, a R$ 3,5400 na venda, após acumular alta de 3,81 % nos dois pregões passados. O dólar futuro caía cerca de 0,50% no fim da tarde. "(O dólar) deu uma puxada um pouco mais forte do que se esperava e está corrigindo... A tendência ainda é de desvalorização", disse o gerente de câmbio da corretora Fair, Mário Battistel. Após as recentes valorizações, que levaram o dólar a fechar no patamar de R$ 3,57 na véspera, o BC não anunciou para esta sessão leilão de swap cambial reverso, equivalente a compra futura de dólar. A percepção de muitos operadores é que a autoridade monetária não quer o dólar abaixo de R$ 3,50 para não prejudicar as exportações brasileiras e estaria confortável com o atual nível. Por isso, atuou com força no final da semana passada e início desta, após o dólar fechar abaixo de R$ 3,45. "Acho que o BC não vai deixar o dólar cair muito abaixo dos R$ 3,50, pelo menos até a passagem do impeachment e da definição da equipe econômica (do governo Michel Temer)", disse o operador de câmbio da B&T Corretora Marcos Trabbold.

Comente agora
04
Mai
Brasileiro tem ido menos ao mercado
Postado por: Dulce Santana / 11:55h

Uma pesquisa divulgada pela Associação Paulista de Supermercados revelou que os brasileiros têm ido menos ao supermercado e diminuído a compra de alguns itens corriqueiros, mas continuam comprando os produtos "premium". Realizado pela Nielsen e pela Kantar Worldpanel, o estudo analisou hábitos de consumo de 2013 a 2015. Principalmente clientes da classe C seguiram realizando suas compras dos chamados produtos premium, como por exemplo, cervejas artesanais. Em troca, eles levam produtos básicos, como os de limpeza, de marcas baratas. Foi observado também um aumento de compras pela internet, no chAmado e-commerce. O setor deve aumentar 43% em quatro anos, ou seja, de 41,3 milhões de reais em compras online em 2015, para 59,8 milhões em 2019.

Comente agora
04
Mai
Alta no preço dos imóveis no último ano é a menor desde 2013
Postado por: Redação Voz da Bahia / 09:29h

Nos últimos 12 meses encerrados em abril, o preço médio dos imóveis subiu apenas 0,21%, segundo o Índice FipeZap, que acompanha a variação nos valores de casas e apartamentos anunciados para venda em 20 cidades brasileiras. Essa é a menor alta em 12 meses já registrada pelo índice, que iniciou sua versão ampliada (com 20 cidades) em janeiro de 2013. No mesmo período, a inflação medida pelo IPCA deve ficar em 9,19%, segundo a previsão do Boletim Focus do Banco Central. Isso significa que ao considerar o efeito da alta dos preços, o índice apresenta queda real de 8,23% em 12 meses. A queda real é registrada quando o valor de um determinado bem tem uma alta inferior ao aumento generalizado de preços, medido por índices inflacionários, como o IPCA. Vale destacar que a variação real não é obtida com uma simples subtração. Para realizar o cálculo, é preciso dividir a oscilação dos preços pela variação da inflação. Nenhuma das 20 cidades que compõem o índice registrou variação superior à inflação nos últimos 12 meses e em Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Recife, Niterói e Distrito Federal houve queda nominal de preços (variação negativa) no período.

Comente agora
04
Mai
JAC Motors perde terreno e deve produzir menos veículos em Camaçari
Postado por: Dulce Santana / 07:23h

A montadora JAC Motors precisou mudar o local onde vai ser instalada sua fábrica em Camaçari e reduziu a estimativa de produção de veículos. Segundo a coluna Farol Econômico, do jornal Correio, a empresa deve perder o terreno de 6 milhões de metros quadrados onde estava prevista a construção em Camaçari. A montadora já garantiu a locação de um galpão pronto na mesma cidade. A expectativa era que a montadora pudesse produzir 100 mil veículos por ano, com investimento de R$ 1 bilhão. Por conta da diferença de tamanho da nova área, o valor empregado deve ser de R$ 200 milhões com estimativa 20 mil carros por ano produzidos. "A JAC Motors já definiu o novo local de sua fábrica no Brasil. O contrato de locação já foi firmado e assinado com o proprietário do imóvel e a produção será iniciada no primeiro trimestre de 2017", diz o presidente da JAC Motors do Brasil, Sérgio Habib, em nota. Ainda de acordo com a coluna Farol Econômico, a área onde estava prevista inicialmente a construção da fábrica é negociada pelo governo com a Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB) para abrigar uma unidade do Senai Cimatec.

Comente agora
04
Mai
Brasileiros já pagaram R$ 700 bilhões em impostos em 2016
Postado por: Redação Voz da Bahia / 06:41h

O valor pago pelos brasileiros em impostos neste ano alcançou R$ 700 bilhões por volta de 23h20 desta terça-feira (3), segundo o “Impostômetro” da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). No ano passado, esse mesmo montante foi alcançado um dia depois, em 4 de maio. O presidente da ACSP, Alencar Burti, destaca que o Brasil já tem uma das maiores cargas tributárias do mundo e que não suportará novos aumentos. “Qualquer tentativa de elevação de impostos irá aprofundar a recessão. Esperamos que o governo comece a revisar seus gastos para ajustar o orçamento. Só assim será possível recuperar a confiança do consumidor e do empresariado, juntamente com a desaceleração da inflação que se avista”, afirma. O Tesouro Nacional estima que a carga tributária brasileira cresceu em 2015 e atingiu 32,71% do Produto Interno Bruto (PIB) ante a 2,43% do PIB em 2014.

Comente agora
03
Mai
Governo federal desiste de proposta para unificar alíquotas do ICMS
Postado por: Anacley Souza / 21:05h

O governo federal desistiu de tentar, neste momento, fazer uma reforma do ICMS que unifique as alíquotas dos estados, afirmou nesta terça-feira (3) o secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Dyogo Oliveira. Ele argumentou que estados e a União não têm, neste momento, “condições fiscais” de assumir a transição. Uma proposta sobre o assunto tramita no Senadox, mas não chegou a ser votada. “A convergência das alíquotas, a nosso ver, hoje é inviável do ponto de vista fiscal. Embora seja correto do ponto de vista técnico e o caminho que imaginamos que deva ser seguido na reforma do ICMS, neste momento nem estados nem União têm condições fiscais de assumir os riscos desta transição”, disse. Segundo Oliveira, a conclusão do governo é que “o mais adequado” é “deixar para o momento que as condições fiscais permitam a retomada da discussão.” Questionado sobre qual seria o prazo para retomar essas discussões, o secretário disse que, com “um pouco de otimismo”, em dois anos a situação fiscal estará bem resolvida. “Neste caso do ICMS, nos parece que é um momento que temos que abrir mão da ideia de uma reforma geral, em favor de uma reforma que ataca o problema principal”, afirmou. Na semana passada, a Secretaria do Tesouro Nacional informou que as contas do governo registraram em 2016 o pior resultado para meses de março, e também para primeiro trimestre, desde o início da série histórica em 1997, ou seja, em 20 anos. No mês passado, foi contabilizado um déficit primário (despesas maiores do que receitas, sem contar juros da dívida pública) de R$ 7,94 bilhões, segundo números oficiais.

Comente agora
03
Mai
Dólar tem maior alta em mais de um mês e vai acima de R$3,55
Postado por: Redação Voz da Bahia / 19:23h

O dólar subiu mais de 2 por cento nesta terça-feira, maior alta em um mês e meio e que o levou acima de 3,55 reais, acompanhando a piora do cenário externo e maior aversão a risco sobretudo nos mercados emergentes, após dados ruins sobre a China. Ajudou também a atuação do Banco Central, que realizou leilão de swaps cambiais reversos --equivalentes à compra futura de dólares-- no início dos negócios. O dólar avançou 2,33 por cento, a 3,5712 reais na venda, maior alta desde 15 de março (+3,03 por cento), depois de ter batido 3,5828 reais na máxima do dia. Só nos dois primeiros pregões deste mês, a moeda norte-americana acumulou ganho de 3,81 por cento. O dólar futuro subia cerca de 1,85 por cento no fim da tarde. "Os dados da China hoje pegaram de jeito as commodities e isso acaba afetando as moedas de emergentes como um todo", disse o operador da corretora Correparti Jefferson Luiz Rugik.

Comente agora
03
Mai
Dólar sobe e Bovespa cai em dia de aversão ao risco no exterior
Postado por: Anacley Souza / 18:21h

O dólar subiu 2,33% nesta terça-feira, maior alta em um mês e meio, e terminou a 3,57 reais, acompanhando a piora do cenário externo e maior aversão a risco sobretudo nos mercados emergentes, após dados ruins da China. Na máxima do dia, a cotação chegou a bater em 3,58 reais. No mercado de ações, o Ibovespa, principal índice da Bovespa, recuou 2,27%, a 52.343 pontos, segundo dados preliminares, com as ações Itaú Unibanco entre as maiores pressões negativas após resultado trimestral mostrar recuo no lucro e alta nas provisões para calotes. No cenário externo, o principal fator que motivou a cautela dos investidores foi a queda da atividade industrial da China, que encolheu pelo 14º mês seguido em abril, mostrando fragilidade da segunda maior economia do mundo. O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) do Caixin/Markit da China recuou para 49,4, contra expectativa do mercado de 49,9 e ante 49,7 em março. "Os dados da China hoje pegaram de jeito as commodities e isso acaba afetando as moedas de emergentes como um todo", disse o operador da corretora Correparti Jefferson Luiz Rugik. A queda nos preços do petróleo também ajudou a alimentar a aversão ao risco do mercado nesta sessão, por preocupações com o aumento da produção no Oriente Médio e no Mar do Norte, renovando os receios em torno do excesso de oferta global. No caso do câmbio, ajudou também a atuação do Banco Central, que realizou leilão de swaps cambiais reversos -- equivalentes à compra futura de dólares -- no início dos negócios. Pela manhã, a autoridade monetária vendeu 9.800 swaps cambiais reversos da oferta total de até 20 mil contratos. A cena política permaneceu no radar dos investidores. Na véspera, Henrique Meirelles, ex-presidente do BC e já indicado para comandar o ministério da Fazenda em um eventual governo de Michel Temer, disse que é preciso reverter a trajetória da dívida pública e ter claro o que é preciso fazer para o país sair do atual ciclo econômico negativo. Na próxima semana, o Senado vota o afastamento temporário da presidente Dilma Rousseff. (Reuters)

Comente agora
03
Mai
Em três meses, produção industrial acumula retração de 11,7%
Postado por: Anacley Souza / 17:55h

A produção industrial brasileira subiu 1,4% em março na comparação com o mês anterior, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, a produção caiu 11,4%. Com o declínio, a produção industrial acumula retração de 11,7% em 2016 e de 9,7% nos últimos doze meses. As expectativas de economistas ouvidos em pesquisa da agência Reuters eram de alta de 1,6% na variação mensal e de queda de 10,8% em relação a março de 2015. Na comparação com fevereiro, houve crescimento em todas as quatro grandes categorias industriais avaliadas pelo IBGE. O melhor desempenho foi registrado em bens de consumo, com crescimento de 3,2%. Tanto em comparação com março de 2015 quanto no acumulado deste ano, o segmento de pior desempenho é o de bens de capital. A retração desse setor da indústria foi de 24,5% em relação a março de 2015 e 28,9% nos primeiros três meses deste ano. Bens de consumo duráveis, que encolheu 27,3%, foi outro segmento com forte queda no primeiro trimestre. A queda de 28,6% na fabricação de bens de capital para equipamentos de transporte foi a maior responsável pela retração registrada em bens de capital. No caso de bens de consumo duráveis, automóveis (-25,3%) e eletrodomésticos (-34,8%) tiveram as maiores baixas. (Reuters)

Comente agora
03
Mai
Governo anuncia liberação de R$ 30 bilhões para agricultura familiar
Postado por: Débora Ayane / 16:54h

O governo federal anunciou nesta terça-feira (3) a liberação de R$ 30 bilhões para o Plano Safra da Agricultura Familiar 2016-2017. Os recursos estarão disponíveis a partir de julho. O anúncio aconteceu em cerimônia no Palácio do Planalto que contou com a participação da presidente Dilma Rousseff e do ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias.O total de recursos previsto para o novo Plano Safra equivale ao valor pedido a Dilma na semana passada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) e supera os R$ 28,9 bilhões do plano do ano passado - segundo o governo, até agora foram contratos R$ 22 bilhões.A liberação de recursos acontece poucos dias antes de o Senado analisar a admissibilidade do processo de impeachment contra Dilma. Se for aceito, a presidente será afastada do cargo por até 180 dias.Mais cedo nesta terça, o governo criou uma comissão da verdade para apurar crimes contra sindicalistas entre 1946 e 1995. No domingo, a presidente já havia anunciado, em ato da Central Única dos Trabalhadores (CUT) em comemoração ao 1º de Maio, em São Paulo, ajuste médio de 9% para beneficiários do programa Bolsa Família.No mesmo evento da CUT, a presidente também anunciou mais 25 mil moradias para o programa Minha Casa Minha Vida Entidades, prorrogação de contratos dos profissionais do Mais Médicos e aumento da licença-paternidade para funcionários públicos. Ela também propôs a correção da tabela do Imposto de Renda para pessoa física em 5%.

Comente agora
03
Mai
Filhos devem gastar R$ 93,55 com presentes para o dia das mães
Postado por: Débora Ayane / 15:49h

O dia das mães é uma data importante pricipalmente para o comércio, perdendo somente para o natal. de acordo com os comerciantes. Os presentes deste ano será de R$ 93,55, segundo pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).Esse valor, no entanto, refere-se à média do gasto pretendido entre os consumidores que sabem o quanto irão desembolsar neste ano com cada presente. Segundo o levantamento, 38,3% dos consumidores ainda não sabe ou não decidiu o valor da compra do Dia das Mães. Com o aumento do desemprego, quase metade (47,5%) dos consumidores disseram que planejam gastar menos com o presente deste ano em comparação com 2015.De acordo com informações do site G1, quatro em cada dez (38,8%) consumidores pretendem gastar até R$ 100 com cada presente; 12,5% entre R$ 101 e R$ 200; e 10,3% acreditam que gastarão mais de R$ 200.

Confiram as preferências

As roupas lideram as preferências entre quem pretende presentear no Dia das Mães em 2016 (37%), seguidas dos perfumes (29,1%) e calçados (17,5%).O pagamento à vista em dinheiro é a modalidade preferida para 58,7% dos consumidores, bem à frente do cartão de crédito parcelado (19,2%) e do cartão de crédito à vista (11,2%).

Comente agora
03
Mai
Quase metade dos filhos gastará menos com presente para mães
Postado por: Dulce Santana / 11:09h

Quase metade dos consumidores pretende gastar menos com o presente no Dia das Mães neste ano. Segundo levantamento do SPC Brasil e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), 47,5% dos entrevistados afirmaram que vão desembolsar menos para presentear no próximo 8 de maio. A data é a segunda mais importante para o varejo em volume de vendas e faturamento, ficando atrás apenas do Natal. A principal razão para as mães receberem presentes mais modestos é o desemprego, citado por 24,8% dos entrevistados. Outros motivos mencionados são o endividamento (21,0%) e a necessidade de economizar (16,6%). De acordo com o levantamento, o consumidor tem sentido a alta da inflação, visto que 70,5% dos entrevistados têm a impressão de que os produtos para as mães ficaram mais caros. A maioria dos entrevistados pelo SPC Brasil (54,2%) pretende comprar somente um presente, e 30,9% dos entrevistados informam que vão comprar dois. O valor médio do gasto pretendido entre os consumidores que sabem o quanto irão gastar é de R$ 93,55 com cada regalo. Uma parcela dos entrevistados (38,3%) ainda não sabe ou não decidiu o valor da compra do Dia das Mães. Quatro em cada dez (38,8%) disseram que irão gastar até R$ 100,00; 12,5% entre R$ 101,00 e R$ 200,00, e 10,3% dos entrevistados acreditam que gastarão mais de R$ 200,00 com cada presente na data comemorativa.

Comente agora
03
Mai
Demanda por viagem de avião no Brasil cai 7,2% em março
Postado por: Dulce Santana / 07:24h

A demanda por voos domésticos no Brasil caiu 7,2% em março de 2016 na comparação com o mesmo mês do ano passado. Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil, é o oitavo mês consecutivo de redução do indicador. O Brasil deve registrar em 2016 a primeira queda no número de passageiros transportados em voos domésticos após pelo menos uma década de crescimento ininterrupto. A Avianca foi a única que teve crescimento na demanda em março, de 13,5%. Outras três empresas apresentaram redução: na Gol, 11,5%, na TAM, 9%, e, na Azul, 7,2%. A demanda por viagens internacionais operadas pelas empresas aéreas brasileiras também caiu em março de 2016. A queda, de 1,2%, é a primeira depois de 24 meses de crescimento. A oferta caiu 3,5% no mesmo período, após 19 meses seguidos de alta. Foram transportados 579,1 mil passageiros por empresas brasileiras no mercado internacional em março deste ano, um aumento de 1,9% ante março de 2015. Segundo a Anac, é a maior quantidade de passageiros transportados em voos internacionais por empresas brasileiras em meses de março nos últimos 10 anos.

Comente agora
02
Mai
Dólar sobe 1,45% e volta a encostar em R$ 3,50
Postado por: Anacley Souza / 19:28h

O dólar subiu 1,45% nesta segunda-feira e fechou o dia negociado por 3,49 reais, depois de o Banco Central voltar a atuar de maneira mais intensa no mercado de câmbio. Os investidores também maniveram-se atentos ao cenário político brasileiro. "A tendência do dólar é de queda (em relação ao real), o que vai demandar atuação do BC", afirmou o operador de câmbio da corretora B&T Marcos Trabbold. O Banco Central realizou neste pregão leilão de até 40.000 swaps cambiais reversos - equivalentes à compra futura de dólares -, depois de passar quase duas semanas quase sem intervir no mercado de câmbio. Muitos especialistas entendem que o BC não quer o dólar abaixo de 3,50 reais porque essa cotação prejudicaria os exportadores e também pelo fato de a moeda americana já ter se depreciado bastante neste ano. Só em março e em abril, as quedas mensais acumuladas foram de 10,17% e 4,34%, respectivamente. A cena política no Brasil permaneceu no radar dos investidores, com a expectativa de que o afastamento temporário da presidente Dilma Rousseff seja aprovado pelo Senado na próxima semana, o que levará o vice Michel Temer a assumir o comando do país. De modo geral, o mercado reagiu bem à indicação de que o ex-presidente do BC Henrique Meirelles será o novo ministro da Fazenda. Nesta segunda-feira, o governo elevou a alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) para compra de moeda estrangeira em espécie, prevendo aumentar a arrecadação em 1,4 bilhão de reais só neste ano, um dia após ter anunciado reajustes no programa social Bolsa Família. Mas, segundo operadores, a medida não teve impacto relevante na cotação da moeda. A Bovespa fechou em queda nesta segunda, pressionada particularmente pelas ações de bancos. Os papéis do Itaú Unibanco caíram quase 3% antes da divulgação do resultado trimestral, nesta terça-feira. O declínio dos preços de commodities corroborou a realização de lucros no pregão brasileiro. O Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, caiu 0,65%, a 53.561 pontos. O volume financeiro somou 5,8 bilhões de reais. (Reuters)

Comente agora
02
Mai
Planos de saúde perdem 1,3 milhão de clientes em um ano
Postado por: Anacley Souza / 19:05h

Mais de 1,3 milhão de brasileiros deixaram de ter planos de assistência médica entre março do ano passado e março deste ano, segundo dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), sendo 617 mil somente no primeiro trimestre deste ano. O subsegmento mais impactado foi o de planos coletivos empresarias, devido ao fechamento de vagas formais. Após perder o emprego no ano passado, a produtora de eventos Erika Freddo, 38 anos, ficou sem ter como pagar o plano de saúde dela e da filha, Larissa, de 15 anos. “O meu plano era pago integralmente pela empresa. Agora, estou empregada novamente, mas não cobre plano e não tenho condições. Não estou tranquila, mas como temos boa saúde, foco na fé”, brincou ela, que nunca utilizou o Sistema Único de Saúde [SUS], mas tem medo de precisar um dia. “Nunca fui, mas se quebrar um pé, por exemplo, não vai ter jeito. Agora, consultas médicas prefiro fazer em clínicas particulares com preços populares, porque tem menos fila”. Em março deste ano, o setor registrou cerca de 48.824.150 beneficiários em planos de assistência médica e 21.685.783 em planos exclusivamente odontológicos. No trimestre anterior, havia 49.441.541 beneficiários em planos de assistência médica e 21.960.128 em planos de assistência odontológica. Em março, o setor apresentou 1.320 operadoras com registro ativo, sendo 1.125 com beneficiários. Em 2015, os planos de saúde médico-hospitalares perderam 766 mil usuários em 2015, uma diminuição de 1,5%. Apesar do cenário de evasão dos beneficiários de seguros e planos de saúde privados, a expectativa da Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde), que representa as operadoras de planos e seguros de saúde, é que antes do fim de 2016, o setor de Saúde Suplementar recupere as perdas de beneficiários.

Comente agora
02
Mai
Déficit de petróleo e derivados foi de US$ 213 milhões em abril
Postado por: Anacley Souza / 18:15h

O diretor do departamento de Estatística e Apoio à Exportação do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Herlon Brandão, afirmou nesta segunda-feira, 2, que o déficit da conta petróleo e derivados foi de US$ 213 milhões em abril de 2016 e de US$ 1,029 bilhão no quadrimestre. O técnico do MDIC avaliou ainda que o movimento do dólar no curto prazo não deve impactar na balança comercial. "As safras já foram colhidas e é uma oscilação. Mudou de patamar em relação ao ano passado, mas ainda é favorável às exportações", disse. Com informações do Estadão Conteúdo.

Comente agora
02
Mai
Número de empregos na indústria apresenta queda pelo 14º mês seguido
Postado por: Anacley Souza / 17:57h

O faturamento da indústria caiu em março, após dois meses seguidos de crescimento. O faturamento de março sofreu queda de 1,2% até fevereiro, na série livre de influências sazonais. O emprego, com baixa de 0,6% no período, caiu pelo 14º mês consecutivo. As informações são da pesquisa Indicadores Industriais divulgada nesta segunda-feira (2) pela Confederação Nacional da Indústria. A indústria operou, em média, com 77,4% da capacidade instalada em março, recuo de 0,3 ponto percentual frente a fevereiro, na série livre de efeitos sazonais. Esse é o segundo menor valor da série histórica do indicador iniciada em 2003, atrás dos 77,1% registrados em janeiro deste ano. Ainda de acordo com o levantamento, as horas trabalhadas na indústria registraram alta de 0,2% em março. A pesquisa registrou massa salarial retraiu pelo nono mês consecutivo, com queda de 0,3% no período. O rendimento médio real dos trabalhadores aumentou 0,2% em março na comparação com fevereiro. Para a confederação da indústria, todos os indicadores tiveram queda nos três primeiros meses do ano diante do primeiro trimestre de 2015. Enquanto o faturamento recuou 13,2% e as horas trabalhadas apresentaram retração de 10,5%, o emprego caiu 9,3% nesta base de comparação. A massa salarial ficou 10,7% inferior e o rendimento médio dos trabalhadores 1,5% abaixo do registrado nos primeiros meses de 2015. (Metro1)

Comente agora
02
Mai
Australiano diz ser criador do Bitcoin e ações da moeda caem 2%
Postado por: Débora Ayane / 15:03h

O australiano Craig Wright, de 46 anos, revelou ser o criador da moeda criptografada Bitcoin. Anteriormente identificado como Satoshi Nakamoto, ele desvendou o mistério em entrevista para a BBC, The Econonomist e GQ. As ações caíram 2% após a divulgação da notícia e chegaram a US$ 442. Apresentando-se como empresário e cientista de computação, ele ofereceu aos veículos de comunicação documentos que provam que ele é o criador da Bitcoin, como a chave criptográfica que criou a moeda e a da primeira transação, feita em 2009. Autoridades tributárias australianas passaram a vasculhar a casa de Wright depois que passaram a circular boatos de que ele é o criador da moeda. "Eu quero trabalhar, quero continuar fazendo o que desejo. Eu não quero dinheiro. Eu não quero fama. Eu não quero adoração. Eu só quero ser deixado sozinho", admitiu Wright.

Comente agora
02
Mai
Após estiagem, Embasa recomenda redução do uso de água em Conquista
Postado por: Débora Ayane / 14:31h

Por conta da falta de chuvas e redução do armazenamento de água nas barragens na região de Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) orienta alerta para o uso racional de água na cidade. A medida pretende garantir a continuidade do abastecimento diário e regular no município.As barragens de Água Fria I e II possuem 2,9 bilhões de litros de água acumulados, o que corresponde a 45% da capacidade total de acumulação. Já a adutora do Rio Catolé, que já chegou a ser responsável por 45% da água distribuída na cidade, representa apenas 20% da oferta atualmente.O gerente da Embasa em Vitória da Conquista, Álvaro Aguiar, explica que os níveis das barragens e a disponibilidade do rio Catolé baixam a cada dia, pois o volume de água retirado é maior do que a disponibilidade hídrica dessas bacias hidrográficas, que deveriam ser recarregadas pelas chuvas de janeiro, o que não ocorreu neste ano.A Embasa recomenda aos moradores da cidade que evitem o uso de água potável para a lavagem de carros, de calçadas ou rega de plantas e jardins. Para esses fins, é recomendável o reuso da água de lavagem de roupas ou da lavagem de hortaliças e legumes. Outra observação importante, conforme orientação da empresa, é que a população seja vigilante em relação a vazamentos na rede interna do imóvel onde mora.Álvaro Aguiar diz que medidas simples, como estabelecer uma média de consumo diário e acompanhar pelo hidrômetro, tem resultados tanto para o sistema de abastecimento quanto para a redução do valor cobrado na conta do morador.Para informar sobre vazamentos na rede pública distribuidora de água, a empresa orienta ligar para o número 0800 0555 195, para que a Embasa providencie o conserto da tubulação e evite perda de água na distribuição. (G1)

Comente agora
02
Mai
Governo muda IOF sobre algumas operações de câmbio
Postado por: Redação Voz da Bahia / 12:23h

A presidente Dilma Rousseff e o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, assinaram decreto que altera a regulamentação do IOF. As mudanças estão publicadas no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira, 2, e abrangem algumas operações de câmbio, além de compromissadas realizadas por instituições financeiras. Dentre elas, o decreto fixa em 1,10% a alíquota do imposto que será cobrada nas operações de câmbio, liquidadas a partir de 3 de maio de 2016, para aquisição de moeda estrangeira, em espécie. O texto também zerou o IOF incidente "nas liquidações de operações simultâneas de câmbio para ingresso de recursos no País, originárias da mudança de regime do investidor estrangeiro, de investimento direto de que trata a Lei nº 4.131, de 3 de setembro de 1962, para investimento em ações negociáveis em bolsa de valores, na forma regulamentada pelo Conselho Monetário Nacional". A norma diz ainda que será aplicada a alíquota de IOF de 1% ao dia "às operações compromissadas realizadas por instituições financeiras e por demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil com debêntures de que trata o art. 52 da Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976, emitidas por instituições integrantes do mesmo grupo econômico".

Comente agora
02
Mai
Anatel adia novamente revisão de contratos de rede fixa para dezembro
Postado por: Dulce Santana / 10:15h

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) adiou mais uma vez o prazo para a realização de alterações nos contratos de concessão de telefonia fixa referentes ao período de 2016 a 2020. De acordo com resolução publicada no Diário Oficial da União (DOU), os contratos serão revisados em 31 de dezembro deste ano. No fim do ano passado, a agência havia adiado a data da revisão de 31 de dezembro de 2015 para 30 de abril de 2016. Em meados de abril, o conselheiro Otavio Luiz Rodrigues Junior, que havia pedido vista do processo no início daquele mês, pediu mais 60 dias de prazo para analisar o assunto. O conselho diretor da Anatel possui duas propostas para a revisão dos contratos: uma delas, apresentada por Igor Vilas Boas de Freitas, previa a manutenção da concessão apenas para orelhões; outra, de Rodrigo Zerbone, seria direcionar os investimentos para a expansão da banda larga no País, no lugar da telefonia fixa e dos orelhões. (Estadão)

Comente agora
02
Mai
Com impacto da crise, Dia das Mães do consumidor deve ser de lembrancinhas
Postado por: Dulce Santana / 08:24h

O apelo sentimental do Dia das Mães deverá movimentar o comercio no mês de maio, mas não o suficiente para reverter a crise que o varejo tem enfrentado nos últimos meses. Segundo pesquisa do Boa Vista SCPC, nesse dia das mães, apenas seis em cada dez brasileiros pretendem comprar presentes para as mamães esse ano. Ano passado, a média foi de oito em cada dez. O levantamento mostra ainda que o valor médio dos presentes encolheu esse ano em 28%. Em 2015 o gasto médio foi de 274 e esse ano será de R$ 197. O reflexo desse comportamento já vem sendo percebido pelo comércio. A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), acredita que as vendas no período devem recuar 4,1%, em relação ao ano passado. A expectativa, mais otimista, da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado (Fecomércio-BA) é que os números sejam parecidos com os de 2015. “Se a gente conseguir vender o mesmo que vendemos no ano passado, a perda será entre 8% e 10%, melhor do que os 16% de retração que amargamos no primeiro trimestre”, diz Carlos Andrade, presidente da Fecomércio-BA. A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Salvador espera que a data incremente as vendas em 30%, em relação a abril, e apresente queda de, pelo menos, 5%, em comparação com o Dia das Mães de 2015, quando, vale lembrar, o varejo já desacelerava.

Comente agora
02
Mai
Contribuinte já pode entregar Imposto de Renda com atraso e multa
Postado por: Dulce Santana / 07:30h

O sistema de recepção da Receita Federal já está restabelecido para receber as declarações do Imposto de Renda deste ano que ainda não foram entregues. Deste modo, os contribuintes que ainda não prestaram contas ao fisco poderão fazê-lo a partir de hoje, com multa. A taxa para os atrasados vale tanto para quem tiver restituição como para quem ainda tiver imposto a pagar. Após enviar a declaração, o contribuinte terá de imprimir o Darf para pagá-la. A multa para quem entregar com atraso é de 1% ao mês sobre o imposto devido. Segundo a Receita, a infração mínima é R$ 165,74, inclusive para quem é isento de imposto. A multa máxima é de 20% (cobrada de quem entregar a partir de 1º de dezembro de 2017). Quem já enviou a declaração e tiver de retificá-la também poderá fazer o ajuste a partir desta segunda. Na ficha Identificação do Contribuinte, será preciso marcar "declaração retificadora" e dar o número do recibo de entrega deste ano. Segundo a Receita, até sexta-feira mais de 716 mil contribuintes já estão na malha fina devido a "pendências". Mas os contribuintes só poderão checar a informação a partir do próximo dia 15.

Comente agora
02
Mai
Com reajuste, benefício médio do Bolsa Família sobe para R$ 176
Postado por: Redação Voz da Bahia / 06:50h

De acordo com o ministério, um decreto presidencial reajustará em 6,5% da linha de extrema pobreza do país, fixada atualmente em R$ 77. “A linha da extrema pobreza, instituída no Plano Brasil sem Miséria, garante a complementação da diferença entre esse valor e a renda declarada pela família”.O mesmo percentual será aplicado “à linha da pobreza, que estabelece o limite de renda de acesso ao benefício do Bolsa Família. Com isso, poderão ter acesso ao benefício famílias com renda de até R$ 164 mensais por pessoa”, informou a pasta.

Benefícios variáveis

O decreto também alcançará os benefícios variáveis pagos pelo Bolsa Família por criança de até 15 anos, gestante ou mães que amamentam. Para estes casos, segundo o MDS, “o valor autorizado passa de R$ 35 para R$ 38”. São pagos até cinco benefícios desse tipo por família. Já o benefício pago a jovens entre 15 e 17 anos passará de R$ 42 para R$ 45 mensais, até o limite de dois benefícios por família.

Comente agora
01
Mai
Salário mínimo cresceu 77% desde 2002, diz Ministério do Trabalho
Postado por: Dulce Santana / 14:53h

O salário mínimo aumentou 77,18% acima da inflação desde 2002, passando de R$ 496 (valor atualizado de acordo com a inflação) para R$ 880 em 2016. Os dados foram divulgados neste domingo (1º) pelo Ministério do Trabalho e Previdência Social. Segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), a valorização alcança diretamente 48,3 milhões de pessoas, que têm seus rendimentos referenciados no mínimo. Em 2017, o salário mínimo deve ser reajustado para R$ 946, conforme a proposta da Lei de Diretrizes Orçamentárias. Somente neste ano, de acordo com Dieese, o reajuste deve injetar R$ 57 bilhões na economia brasileira. Em mensagem divulgada hoje, o ministro do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto, diz que a classe trabalhadora teve “direitos importantes melhorados” e ressalta que “este 1º de maio será um dia de luta pela democracia e pelos direitos sociais conquistados”. “O salário mínimo tem garantido uma política de valorização, que fez com que ao longo desses últimos anos crescesse mais de 80% acima da inflação e por iniciativa da presidenta Dilma [Rousseff], esta política de valorização de crescimento e garantia do salário mínimo, está garantida até 2019. A renda do nosso povo, em média, subiu mais do que 60% acima da inflação. Todos ganharam", enfatiza o ministro na mensagem.

Comente agora
01
Mai
Atraso no pagamento de salários afeta 1,5 milhão de servidores no Brasil
Postado por: Dulce Santana / 09:21h

A grave crise fiscal que se instalou no País abalou o que há de mais seguro no mercado de trabalho brasileiro: o funcionalismo público. Sem dinheiro em caixa e com uma conta que não para de crescer, os Estados têm deixado de pagar em dia o salário dos trabalhadores. Um levantamento feito pelo 'Estado' com sindicatos e associações de servidores estaduais mostra que 11 unidades da Federação atrasaram, parcelaram ou escalonaram a folha de pagamento desde o início da atual gestão. O problema já afeta a vida de 1,5 milhão de trabalhadores. A expectativa é de que, nos próximos meses, outros Estados engrossem essa lista. Hoje, os casos mais dramáticos são Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro - ambos começaram a parcelar salários no ano passado. Na administração gaúcha, os servidores enfrentam instabilidade desde o início do segundo semestre de 2015. Além do 13º salário, que só começará a ser pago em junho deste ano, o salário de março foi parcelado em nove vezes. Em abril, a medida vai se repetir. "É uma coisa maluca, porque ninguém sabe quando e nem quanto vai receber", diz Cláudio Agostinho, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos do Estado. No Rio de Janeiro, onde 438 mil servidores foram afetados, o governo chegou ao ponto de abrir uma linha de crédito no banco para que os trabalhadores pudessem receber a segunda parcela do 13º salário, com juros pagos pela Fazenda. Por ora, segundo a Secretaria da Fazenda, os salários estão em dia. Mas o calendário de pagamentos foi alterado. A deterioração das contas estaduais teve origem na forte queda da arrecadação, sobretudo do ICMS - o principal imposto estadual -, e pela alta do endividamento. Nos últimos anos, até os Estados com baixa capacidade de tomar empréstimos foram autorizados pela União a elevar a dívida. "A queda de arrecadação colocou os Estados numa situação dramática", diz Raul Velloso, especialista em contas públicas. Parte da piora do quadro fiscal também é explicada pela redução dos recursos do FPE destinados aos Estados e pagos pela União.

Comente agora
01
Mai
Crise internacional e problemas internos são causas do desemprego no Brasil
Postado por: Dulce Santana / 08:47h

O Brasil chega ao Dia do Trabalho com taxa de desemprego de 10,9%, segundo os dados mais recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Já os números de março do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Previdência Social, mostram supressão de 1,85 milhão de vagas formais em 12 meses. O aprofundamento do desemprego atinge as economias emergentes em geral. Mas o caso brasileiro é agravado pelas crises política e fiscal. A Organização Internacional do Trabalho (OIT) projeta aumento em 2,4 milhões no número de desempregados nas economias emergentes em 2016. Steven Tobin, do Departamento de Pesquisa da OIT, explica que a deterioração do mercado de trabalho nesses países está ligada à redução do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e riquezas produzidos em um país). Na América Latina e Caribe, a situação é considerada mais grave, com contração do PIB em 2015. “Enquanto as economias emergentes navegaram pela primeira fase da recessão global relativamente bem, elas recentemente experimentaram marcada deterioração nas perspectivas econômicas e do mercado de trabalho. A situação é particularmente crítica na América Latina e Caribe. A região deve crescer significativamente abaixo da média mundial nos próximos anos”, destaca Tobin.

Comente agora
01
Mai
Indústria perde importância na economia baiana e em 22 estados
Postado por: Dulce Santana / 08:12h

A Bahia foi o estado brasileiro que mais sofreu retração da indústria na composição do Produto Interno Bruto (PIB) estadual. A queda foi de 6,6 pontos percentuais entre 2010 e 2013 – último dado disponível. Em 2010, a indústria baiana representava 27,1% do PIB do estado e em 2013 esse percentual caiu para 20,5%. A informação, divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), integra o estudo Perfil da Indústria nos Estados. De acordo com a pesquisa, 23 unidades federativas sofreram perda de participação da indústria no PIB. Em 11 estados, o decréscimo foi igual ou maior que a média nacional - a contribuição da indústria para o PIB brasileiro passou de 27,4% para 24,9%. Segundo o superintendente de desenvolvimento industrial da Federação das Indústrias da Bahia – Fieb, Marcos Vehine, a principal explicação para a queda acentuada nos números da Bahia está na indústria de transformação. Ele destaca que, dos 20,5% que a indústria representava para o PIB da Bahia em 2013, 7,3“Dentro desse setor, um terço é relativo ao refino, que sofreu forte queda no período 2010-2013. Apesar dos preços do petróleo em alta na época, a política de preços internos estacionada fez com que os derivados ficassem em valor inferior ao praticado no mercado internacional”, explica.% dizem respeito à indústria de transformação. (Correio)

Comente agora
30
Abr
Receita Federal recebeu quase 28 milhões de declarações do IR 2016
Postado por: Dulce Santana / 13:51h

Um balanço divulgado pela Receita Federal, na madrugada deste sábado (30), indicou que 27.960.663 declarações do Imposto de Renda 2016 foram recebidas até o fim do prazo, que terminou às 23h59 da última sexta-feira (29). Dessas, 102.383 foram enviadas por dispositivos móveis. Estima-se que 239 mil contribuintes tenham perdido o prazo para a entrega do documento, já que a Receita esperava receber 28,2 milhões de declarações. Quem se atrasou está sujeito a multa com valor mínimo de R$ 165,74 e poderá fazer a entrega somente a partir da próxima segunda-feira (2), as 8h. A Receita havia informado, mesmo antes do encerramento do prazo, que 716 mil declarações já estavam na malha fina do IR por conta de inconsistências das informações fornecidas. O pagamento das restituições será iniciado em 15 de junho. Até dezembro, sete lotes devem ser pagos. Pessoas que têm mais de 65 anos terão prioridade para receber. Depois, as restituições segundo a ordem de envio da declaração ao órgão serão liberadas. A Receita informou ainda que, em qualquer das situações, é necessário que não haja nenhuma pendências ou irregularidades. (Metro1)

Comente agora
30
Abr
Conta de água e esgoto terá aumento de 9,95% a partir de 6 de junho
Postado por: Redação Voz da Bahia / 12:21h

A Agência Reguladora de Saneamento Básico do Estado da Bahia (Agersa) autorizou, por meio da Resolução nº 002 de 2016, a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) a reajustar a tarifa de água e esgoto. O aumento será de 9,95%. Com isso, a tarifa residencial social passará de R$ 10,30 para R$ 11,30; a residencial intermediária de R$ R$ 20,20 para R$ 22,20 e a residencial normal de R$ 23,00 para R$ 25,30. De acordo com nota divulgada neste sábado (30) pelo governo do estado, o reajuste será aplicado de forma linear sobre a estrutura tarifária vigente e passará a vigorar a partir do dia 6 de junho. Segundo o governo, a Embasa havia pedido um aumento de 10,97%. A nota do governo do estado explica que a correção, prevista em lei anualmente, se deu com base na variação da inflação, corrigido pelo IPCA e outros parâmetros, como a elevação dos custos fixos, a exemplo da energia elétrica, um dos principais insumos da prestadora. (G1)

Comente agora
30
Abr
Incentivo federal garante R$ 2,14 bi para projeto de banda larga
Postado por: Dulce Santana / 09:50h

A Algar Telecom anunciou que vai realizar investimentos de R$ 2,14 bilhões em infraestrutura de banda larga, tanto fixa, quanto móvel. A iniciativa, que beneficiará os Estados de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e o Distrito Federal, contou com a emissão de debêntures, que são títulos de crédito representativo de um empréstimo tomado pela empresa junto a terceiros. Com captações via reduções das alíquotas do imposto de renda (IR) aprovadas pelo Ministério das Comunicações, a companhia estruturou parte do projeto de expansão da rede própria de dados até 2020. Para esse processo, o governo federal instituiu, em 2011, por meio da Lei nº 12.431/2011, a alteração da taxa do IR para investidores que adquirissem debêntures avaliadas como investimento em infraestrutura prioritária, dentre as áreas escolhidas está o setor de telecomunicações. A partir da autorização emitida pelo Ministério das Comunicações, a empresa solicitante pôde emitir os papéis, no prazo de um ano, durante o qual o comprador desses títulos recolherá, em suas declarações de IR, 0% no caso de pessoa física e 15% como pessoa jurídica.

Comente agora
29
Abr
Contribuinte poderá adiantar declaração de 2017 a partir do dia 2
Postado por: Anacley Souza / 22:53h

O contribuinte que quiser adiantar o preenchimento da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física do próximo ano poderá reunir as informações a partir da próxima semana. Na segunda-feira (2), a Receita Federal oferecerá o rascunho da declaração de 2017. O módulo de preenchimento das informações está disponível na página do órgão na internet, no serviço Rascunho IRPF. Os dados podem ser acessados de qualquer computador ou dispositivo móvel com o aplicativo App IRPF e ficam armazenados no sistema da Receita. Quando começar o prazo de entrega da declaração de 2017, o contribuinte pode importar as informações para o formulário. Esse é o terceiro ano seguido que o Fisco oferece o rascunho da declaração do IR. Em 2014, a ferramenta havia sido lançada em outubro. No ano passado, em julho. “Neste ano, o rascunho estará disponível no primeiro dia útil após o fim do prazo de entrega da declaração”, disse o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid. A Receita pretende ainda facilitar a recuperação de senha para o contribuinte que fizer o rascunho. Quem esquecer a senha poderá usar a ferramenta de pergunta-chave. Ao responder a questão, o contribuinte recebe a combinação para voltar a acessar os dados fiscais. O secretário anunciou outras novidades tecnológicas que facilitarão a entrega da declaração em 2017.

Comente agora
29
Abr
Mais de 716 mil contribuintes já caíram na malha fina do IR 2016
Postado por: Anacley Souza / 20:56h

Antes mesmo de se esgotar o prazo de entrega da declaração de Imposto de Renda, mais de 716 mil contribuintes já caíram na malha fina, segundo a Receita Federal. Até às 19h desta sexta-feira (29), cerca de 26,9 milhões de contribuintes entregaram suas declarações. A expectativa da Receita é que sejam entregues 28,2 milhões de declarações. Apesar do órgão saber, quase que em tempo real, as declarações que precisão ser retificadas, o contribuinte só terá acesso a essa informação no dia 15 de maio, quando ela estará disponível no portal e-CAC. "São diversos problemas que podem ter levado o contribuinte a cair na malha. Seja uma despesa médica, ou erro da fonte pagadora", diz Jorge Rashid, secretário da Receita. "A partir do dia 15, assim que o contribuinte fizer a retificação, ele sairá automaticamente da malha fina", complementa. O prazo para a entrega das declarações encerra-se às 23h59m59s desta sexta. No ano passado, dentro do prazo, foram entregues 27,9 milhões de declarações. O contribuinte que não entregou a declaração do IR deste ano terá de esperar até segunda-feira, 2 de maio, para acertar suas contas com o fisco. Somente a partir das 8h (horário de Brasília) a Receita restabelecerá o sistema. O mesmo programa utilizado para fazer a declaração gera a notificação da multa por atraso na entrega e o Darf (documento de arrecadação da Receita) para pagamento.

Comente agora
29
Abr
Crédito da casa própria cai 54,6% no primeiro trimestre, diz Abecip
Postado por: Anacley Souza / 19:15h

O volume de financiamentos imobiliários recuou 54,6% no primeiro trimestre de 2016 em comparação ao mesmo período do ano passado, para R$ 10,6 bilhões, segundo levantamento da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) divulgado nesta sexta-feira (29). A entidade projetava para o ano de 2016 uma queda da ordem de 20% do volume de financiamentos. Em março, o crédito para a casa própria teve uma recuperação pontual, com o volume de empréstimos para aquisição e construção de imóveis somando R$ 4,42 bilhões. Para a Abecip, "embora não signifique retomada de negócios nos patamares de 2014 e início de 2015, a recuperação reflete alguma melhora na demanda e oferta de crédito". O volume emprestado no mês superou em 37,8% o de fevereiro, mas recuou 48% em relação a março do ano passado. No acumulado de 12 meses até março, foram destinados R$ 62,4 bilhões para a aquisição e construção de imóveis com recursos das cadernetas de poupança do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), caindo 44,1%. Em março, 19,6 mil imóveis foram financiados nas modalidades de aquisição e construção. Esse resultado se mostra mais robusto em relação a janeiro e fevereiro, com expansão mensal de 33,6% em relação ao mês anterior. Mas em termos anuais houve queda de 46,9%. Nos três primeiros meses de 2016, foram financiados 47,8 mil imóveis, recuo de 56,4% em relação ao mesmo período de 2015, quando 109,5 mil unidades foram objeto de financiamento bancário.

Comente agora
29
Abr
ANP prorroga por 27 anos concessão do campo de Marlim, da Petrobras
Postado por: Anacley Souza / 19:09h

A ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) prorrogou, até 2052, do prazo de concessão do campo de Marlim, na Bacia de Campos, um dos maiores do país. O campo começou a produzir em 1991, mas o contrato de concessão foi assinado pela Petrobras em 1998, após o fim do monopólio estatal, e venceria em 2025. A prorrogação foi concedida com o argumento de que ainda haverá petróleo a explorar após o fim do prazo original e inclui o campo vizinho de Voador. Em troca, a Petrobras se comprometeu com investimentos na revitalização do campo, cuja produção vem declinando nos últimos anos. Para isso, a estatal terá que instalar duas novas plataformas na área. A empresa, porém, não planeja fazer isso antes de 2020 -nesse período, o foco são os projetos do pré-sal na Bacia de Santos. O campo de Marlim foi o sexto maior produtor do país em fevereiro, último dado publicado pela ANP, com 142 mil barris de óleo equivalente (somado ao gás). No início dos anos 2000, quando era o maior campo do país, Marlim chegou a produzir mais de 500 mil barris por dia. É considerado um campo maduro, como são chamadas as jazidas que estão em fase declinante de produção. Hoje, são nove plataformas instaladas na área - de menor porte, o campo de Voador compartilha parte dessa estrutura.

Comente agora
29
Abr
No menor patamar em 9 meses, dólar fica abaixo de 3,45
Postado por: Anacley Souza / 17:59h

Nesta sexta-feira (29), diante dos desdobramentos do cenário político, o dólar fechou abaixo de R$ 3,45, o menor patamar em 9 meses. Segundo informações do G1, o dólar terminou o último pregão do mês de abril em baixa de 1,64%, cotado a R$ 3,4401. No acumulado do mês, a moeda norte-americana já sofre desvalorização de 4,34% frente ao Real. "O BC não foi suficiente para conter a queda com o cenário externo favorável", disse à Reuters o operador de câmbio da corretora Correparti, Jefferson Luiz Rugik.

Comente agora
29
Abr
Gasto com presente de Dia das Mães deve subir 15% este ano, diz pesquisa
Postado por: Anacley Souza / 17:51h

O valor médio que os brasileiros das classes A, B e C pretendem gastar nos presentes para o Dia das Mães deve ser de 467 reais em 2016, de acordo com pesquisa divulgada pelo Google Brasil nesta quinta-feira. O montante é 15% maior que o do ano passado. Segundo o levantamento, realizado pelo Ibope em cinco grandes capitais do país e no interior paulista, 90% das pessoas consultadas pretendem presentear as mães - em 2015, as respostas positivas somaram 88% dos entrevistados. Os itens mais desejados continuam sendo roupas, acessórios e calçados, com 62% da preferência do público. A pesquisa sobre as intenções de consumo para o Dia das Mães, principal data do semestre para o varejo, revelou também que os brasileiros estão mais cautelosos e procurando mais informações antes das compras. Entre os entrevistados, 80% disseram que compararam os preços dos produtos que pretendem adquirir, acima dos 41% do ano passado. O uso da tecnologia na hora de avaliar as compras também está aumentando, com 77% dos consumidores usando sites de busca para comparar preços. Os smartphones, por sua vez, são o meio utilizado por 22% dos entrevistados para pesquisas, sendo que 15% efetuam as compras pelo próprio aparelho. "As pessoas estão muito conscientes da limitação do seu dinheiro e de como precisam fazer um uso eficiente dele", disse a gerente de insights do Google Brasil, Carolina Rocha.

Comente agora
29
Abr
Desemprego cresce para 10,9% e atinge 11 milhões de pessoas
Postado por: Anacley Souza / 17:42h

A taxa de desocupação atingiu 10,9% no trimestre móvel encerrado em março último, resultado 1,9 ponto percentual acima da taxa de 9% do trimestre fechado em dezembro de 2015 e 3 pontos percentuais a mais que no mesmo trimestre de 2015, quando o desemprego estava em 7,9%. Esta é a maior taxa de desemprego da série histórica da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (Pnad Contínua) iniciada em 2012. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (29) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A população desocupada chegou a 11,1 milhões de pessoas, aumentando 22,2% (2 milhões de pessoas), em relação ao número de desempregados do período imediatamente anterior (outubro a dezembro de 2015). No confronto com igual trimestre do ano passado, o número de desemprego subiu 39,8%, o que significa um aumento de 3,2 milhões de pessoas desocupadas. Os dados do IBGE indicam que, no trimestre encerrado em março último, a população ocupada do país estava em 90,6 milhões de pessoas, apresentando uma redução de 1,7%, quando comparada com o trimestre de outubro a dezembro de 2015. Em comparação com igual trimestre do ano passado, houve queda de 1,5% na população ocupada, representando menos 1,4 milhão de pessoas.

Carteira Assinada – Em um ano, 1,4 milhão de pessoas deixaram de integrar o contingente de trabalhadores com carteira de trabalha assinada no setor privado, que fechou o trimestre encerrado em março último em 34,6 milhões de trabalhadores.

Comente agora
29
Abr
Bandeira tarifária das contas de luz continua verde em maio
Postado por: Débora Ayane / 16:22h

Pelo segundo mês seguido, a bandeira tarifária das contas de energia elétrica será a verde, ou seja, não haverá acréscimo na conta dos consumidores. A bandeira que vai vigorar em maio foi definida hoje (29) pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Segundo a agência, entre os fatores que contribuíram para a manutenção da bandeira verde estão o resultado positivo do período úmido, que recompôs os reservatórios das hidrelétricas, além do aumento de energia disponível com redução de demanda. Desde que foi implementado o sistema de bandeiras tarifárias, em janeiro de 2015, até fevereiro de 2016, a bandeira se manteve vermelha (com a cobrança de R$ 4,50 a cada 100 quilowatts-hora consumidos). Em março, passou para amarela (com a taxa de R$ 1,50 a cada 100 kWh) e, em abril, a bandeira foi verde. O sistema é uma forma de recompor os gastos extras com a compra de energia de usinas termelétricas. A cor da bandeira que é impressa na conta de luz indica o custo da energia elétrica, em função das condições de geração de eletricidade. Por exemplo, quando o nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas está baixo, por causa da falta de chuvas, é preciso recorrer às usinas termelétricas para garantir a energia necessária para o país. Como a energia gerada por termelétricas é mais cara, o custo da energia fica maior, e a bandeira tarifária passa a ser amarela ou vermelha. Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico, o nível dos reservatórios das regiões Sudeste e Centro-Oeste está atualmente em 57,54% de sua capacidade máxima. (Agência Brasil)

Comente agora
29
Abr
Receita diz que 3,5 milhões ainda não declararam Imposto de Renda
Postado por: Débora Ayane / 13:34h

A poucas horas do fim do prazo, balanço da Receita Federal divulgado às 12 horas de hoje (29) indica que 3,5 milhões de contribuintes ainda não enviaram a declaração do Imposto de Renda - Pessoa Física 2016. Segundo o Supervisor do Imposto de Renda, Joaquim Adir, este ano já é possível observar que muitos deixaram a entrega para o último dia. Até o momento, 24,9 milhões enviaram as informações para os computadores da Receita. A estimativa é de 28,5 milhões de declarações. “Este ano o contribuinte atrasou um pouquinho mais. Está claro que muito mais gente deixou para as últimas horas. Os sistemas estão preparados para receber todas as declarações. Até o fim do prazo muita coisa deve acontecer”, disse. O prazo termina hoje (29) às 23h59min59s, horário de Brasília, e quem não entregar estará sujeito a uma multa de R$ 165,74 ou de 1% do imposto devido por mês de atraso, prevalecendo o maior valor. A multa máxima pode chegar a 20% do imposto devido. O programa gerador da declaração para ser usado no computador pode ser baixado no site da Receita Federal. O órgão liberou um Perguntão elaborado para esclarecer dúvidas quanto à declaração referente ao exercício de 2016, ano-calendário de 2015. O aplicativo do Imposto de Renda para dispositivos móveis (tablets e smartphones) está disponível nos sistemas Android e iOS, da Apple. Os aplicativos podem ser baixados nas lojas virtuais de cada sistema.(Agência Brasil)

Comente agora
29
Abr
Falta de documentos é problema mais comum no último dia da declaração do Imposto
Postado por: Dulce Santana / 09:35h

A falta do informe de rendimentos, dos recibos das despesas médicas e do CPF dos dependentes está entre os problemas mais recorrentes para quem deixa a declaração para o último minuto. “Muitos esquecem que é preciso declarar também os rendimentos dos dependentes, quando os filhos exercem atividade remunerada como estágio ou menor aprendiz”, afirma o professor do curso de Ciências Contábeis da Ufba Kleber Marruaz. Segundo ele, outra dificuldade para o preenchimento da declaração é a ausência do CPF dos prestadores de serviço e até dos cônjuges, que deve ser informada ainda que as declarações de cada membro do casal sejam feitas separadamente. “A informação correta do pagamento das domésticas também tem confundido os patrões. Para declarar adequadamente, é preciso ter os comprovantes do pagamento da guia de recolhimento”, acrescenta o professor. Outras situações que causam dúvidas na hora do preenchimento são as declarações de espólio, que precisam trazer a informação correta do cartório e da transferência da herança, assim como a venda de bens imóveis. “O erro da maioria dos contribuintes é não reunir todos os documentos antes de começar o preenchimento da declaração”, diz Marruaz.

Comente agora
29
Abr
Correios tiveram prejuízo de R$ 2,1 bilhões em 2015
Postado por: Redação Voz da Bahia / 06:54h

Os Correios fecharam 2015 com um prejuízo de R$ 2,1 bilhões no orçamento. A receita líquida de vendas da estatal cresceu 6,75% em comparação com o ano anterior, enquanto as despesas aumentaram 18,5%. Entre os motivos para o resultado, segundo a empresa, está a defasagem no valor das tarifas postais. O reajuste de 8,89% nas tarifas foi autorizado apenas em dezembro pelo Ministério da Fazenda. Outra justificativa dos Correios para o resultado do ano passado é que foi alocado um total de R$ 1,3 bilhão em benefícios pós-emprego, para garantir saúde e previdência aos trabalhadores aposentados. As contas de 2015 dos Correios foram aprovadas ontem (27) pelo Conselho de Administração da empresa e ainda passarão pela análise da Assembleia Geral Ordinária antes da sua publicação. Recentemente, os Correios têm adotado medidas para buscar o equilíbrio financeiro, em especial de redução de despesas, como o fechamento de agências aos sábados.] A empresa também vem diversificando sua atuação, com o objetivo de aumentar as receitas ainda em 2016. “A direção dos Correios está empenhada em alcançar a sustentabilidade da empresa, reforçando o compromisso e o engajamento nas ações de redução de despesas e de aumento de receitas em curso”, disse a empresa, em nota. No primeiro trimestre de 2016, as despesas dos Correios aumentaram 8,4%, abaixo do valor registrado no mesmo período de 2015.

Comente agora
29
Abr
Impeachment afeta 45% dos que procuram imóveis
Postado por: Redação Voz da Bahia / 06:51h

Algumas pessoas têm adiado o sonho de comprar a casa própria na expectativa de que a renda irá melhorar se houver impeachment ou que ospreços podem cair se a presidente Dilma Rousseff continuar. Mas, se você temdinheiro guardado para pagar o financiamento, essa não é a melhor estratégia. Comprar o imóvel o quanto antes pode ser mais inteligente. Uma pesquisa nacional, feita pelo portal imobiliário Viva Real na semana seguinte à aprovação do processo de impeachment na Câmara dos Deputados, mostrou que 45% dos consumidores que procuram imóveis tiveram sua decisão influenciada pela atual situação política. Entre eles, 63% decidiram empurrar a compra mais para frente. “Era esperado que a resposta fosse essa, porque as pessoas se sentem desprotegidas”, explica Lucas Vargas, CEO do Viva Real. Mas adiar o fechamento do negócio pode ser uma furada, já que, com a demanda em baixa, basta um pouco de paciência para conseguir preços e condições melhores. “Esse cenário de incertezas não vai mudar imediatamente e, no longo prazo, quando a economia se recuperar, os preços subirão muito”, projeta Vargas.

Preços dos imóveis estão em queda real

O preço dos imóveis subiu apenas 0,53% nos últimos 12 meses até março, segundo o Índice FipeZap, que mostra a variação nos valores médios do metro quadrado de 20 cidades brasileiras. O aumento ficou muito abaixo da inflaçãomedida pelo IPCA, que foi de 9,5% no período, de acordo com o Banco Central. Ou seja, descontando a inflação, houve queda real dos preços de 8,10%.

Comente agora
Todos os direitos reservados a Marcus Augusto Macedo | vozdabahia@hotmail.com