As comentadas


Boa noite , Sábado, 23/07/2016








Enquete



Reflita

Blog

Economia

23
Jul
Preço do feijão cai pela metade no município de Barreiras
Postado por: Redação Voz da Bahia / 18:55h

Em Barreiras, no oeste da Bahia, o preço do feijão caiu quase que pela metade. O alimento, que chegou a custar R$ 15, já é encontrado em alguns estabelecimentos pelo valor de R$ 7. Um alívio para os moradores e comerciantes, que chegaram a enfrentar o roubo de mercadorias. O economista George Lélis explica o motivo da redução no preço. "No primeiro semestre, tivemos uma redução da oferta desse produto em todo o mercado nacional, ocasionando assim um aumento no preço. Agora, partir do final de junho e início de julho, tivemos algumas regiões do país que começaram a produzir. Isso, consequentemente, levou à baixa do preço do produto no mercado", relata. Na feira livre de Barreiras, onde o feijão é vendido em litro, também houve redução. O litro, que chegou a custar R$ 12, agora custa R$ 8. "A gente torce para que baixe mais um pouco. Se não baixar, já está bom, em vista do que estava. A gente nunca tinha vista esse preço de feijão na feira. Esse ano foi uma coisa que todo mundo ficou apavorado. Era ouro", brinca a feirante Nívea Rosa. Segundo o economista George Lélis, a expectativa é de que a redução no preço atinja as demais cidades do estado. "A tendência é que ele vá baixando aos poucos, porque os supermercados compraram em quantidade e a preços elevados. Então, quando finalizar esse estoque, a gente vai perceber com mais clareza a diminuição do preço", detalhou. Em Salvador, o feijão, que chegou a custar R4 15, baixou um pouco e já custa R$ 13. (G1)

Comente agora
22
Jul
Petrobras aprova venda do controle da BR Distribuidora
Postado por: Anacley Souza / 23:13h

O Conselho de Administração da Petrobras aprovou nesta sexta-feira uma reformulação na busca de sócio para a BR Distribuidora, com o qual irá compartilhar o controle, como forma de facilitar a venda da distribuidora de combustíveis. No modelo de venda, haverá uma estrutura societária que envolverá as classes de ações ordinárias e preferenciais, de forma que a Petrobras fique majoritária no capital total, mas com uma participação de 49% no capital votante. A mudança acontece após a Petrobras concluir que as três propostas pela subsidiária não atendiam aos objetivos da empresa. Com isso, decidiu encerrar o processo competitivo que estava em curso e iniciar uma nova modalidade de venda. O novo modelo de venda, segundo a companhia informou em comunicado, busca maximizar o valor do negócio de distribuição de combustíveis, atender os objetivos estratégicos da Petrobras e manter a operação integrada na cadeia do petróleo. “Será condição para a conclusão da transação que questões estratégicas para a Petrobras estejam adequadamente refletidas na estrutura da parceria”, disse a empresa no comunicado. O Conselho de Administração da empresa também aprovou uma reavaliação do projeto Comperj e da Refinaria Abreu e Lima. (Reuters)

Comente agora
22
Jul
Geração eólica cresce 77% e consumo de etanol 18,6% em 2015
Postado por: Anacley Souza / 20:33h

A matriz energética brasileira ficou mais limpa no ano passado, principalmente com o crescimento significativo do consumo de energia proveniente de fontes eólicas e do etanol. Simultaneamente, caiu a demanda por gasolina, informa a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), que divulgou nesta sexta-feira (22/7) a edição deste ano do Relatório Síntese do Balanço Energético Nacional (BEN). O relatório revela ainda que, no ano passado, o consumo de energia proveniente de fonte eólica aumentou 77,1% em relação a 2014 e que o de etanol cresceu 18,6%. Ao mesmo tempo, o consumo de gasolina caiu 9,5%. A nova edição do relatório apresenta em detalhes a contabilização da oferta, da transformação e do consumo final de produtos energéticos no país, tendo por base o ano de 2015. O BEN mostra que a oferta interna de energia (total disponibilizado no país) atingiu 299,2 milhões de toneladas equivalentes de petróleo, registrando uma redução de 2,1% em relação ao ano anterior. Segundo a EPE, empresa responsável pelo planejamento energético do país, a queda foi influenciada pelo comportamento da oferta interna de petróleo e derivados, que caiu 7,2% no período em consequência do superávit nos fluxos de exportação e importação destas fontes energéticas. “Contribuiu ainda para a queda da oferta interna bruta o enfraquecimento da atividade econômica em 2015, ano em que o PIB [Produto Interno Bruto, soma de todos os bens e serviços produzidos no país] nacional contraiu 3,8%, segundo o último dado divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [IBGE]”, ressalta a empresa. Em contrapartida, do ponto de vista da energia elétrica, houve expressivo avanço da participação de renováveis na matriz elétrica de 74,6% para 75,5%, o que é explicado pela queda da geração térmica à base de derivados de petróleo e pelo incremento da geração à base de biomassa e eólica. Esse avanço veio a compensar a redução de 3,2% da energia hidráulica, com a oferta interna de energia elétrica caindo 8,4 terawatts-hora (TWh), retração de 1,3% em relação a 2014.

Comente agora
22
Jul
ACSP: Impostômetro alcança hoje a marca de R$ 1,1 trilhão no ano
Postado por: Anacley Souza / 20:16h

O Impostômetro, que mede o total de taxas, impostos e contribuições pagos pela população brasileira desde o começo do ano, registrou nesta sexta-feira, 22, a marca de R$ 1,1 trilhão. O montante, calculado pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP), foi atingido dois dias depois do que no ano passado, quando a mesma marca foi registrada em 20 de julho. De acordo com a ACSP, o fato de a marca anterior (R$ 1 trilhão) ter sido atingida com seis dias de atraso em relação a 2015 e de a marca de hoje ter sido registrada com apenas dois dias de demora pode sugerir que a recessão econômica esteja perdendo força. Apesar disso, a associação espera que o governo se esforce para organizar o Orçamento, controlar gastos e rever despesas de maneira célere. "Somente assim será possível reduzir os juros e reativar a economia, o que iria melhorar a arrecadação. Não é aceitável elevar ainda mais a carga tributária brasileira, que é a maior entre os países emergentes. Isso agravaria a recessão e, consequentemente, a receita fiscal", destaca em nota Alencar Burti, presidente da ACSP. (Estadão Conteúdo)

Comente agora
22
Jul
Governo reduz projeção de queda do PIB para 3,1%
Postado por: Anacley Souza / 18:14h

O governo federal reduziu a projeção de queda do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos em um país) para 2016. Em maio, era prevista retração de 3,8%. Agora, a contração da economia deve ficar em 3,1%, segundo dados da equipe econômica. As projeções estão no Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas do terceiro bimestre, divulgado nesta sexta-feira pelo Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. O relatório é publicado a cada dois meses, com atualização das previsões de arrecadação, gastos e metas do governo e revisão dos indicadores econômicos. Em maio, o governo publicou uma versão extemporânea após a aprovação da meta fiscal de déficit de 170,5 bilhões de reais para 2016. O documento é encaminhado ao Congresso Nacional e passa a servir de base para o acompanhamento da execução do Orçamento. Embora mais otimista em relação ao PIB, o governo elevou a projeção anual de inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). De 7%, a estimativa foi atualizada para 7,2%. O fechamento da Selic (taxa básica de juros da economia) foi mantido em 14%. Atualmente, a taxa básica está em 14,25% ao ano. O governo, portanto, projeta uma redução até o fim do ano. (Agência Brasil)

Comente agora
21
Jul
Preço médio para aluguel de imóveis cai 18% nos últimos 12 meses
Postado por: Anacley Souza / 22:51h

O preço médio para o aluguel de imóveis comerciais no Brasil teve queda real de 18% nos últimos 12 meses. De acordo com pesquisa FipeZap divulgada nesta quinta-feira (21), para venda os preços sofreram queda real de 10,92%. Os dados consideram os valores de enda e locação de salas e conjuntos comerciais de até 200 m² nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre. Entre elas, os imóveis mais caros estão no Rio de Janeiro, onde a média de preço do metro quadrado é de R$ 10.521 para venda e R$ 45 para locação.

Comente agora
21
Jul
Alta nos preços dos alimentos é a maior registrada desde julho de 2008, diz IBGE
Postado por: Anacley Souza / 20:10h

A tradicional combinação das refeições dos brasileiros, o feijão e o arroz, subiu mais de junho para julho, e pressionou o resultado do Índice de Preços ao Consumidor - Amplo 15 (IPCA-15). De acordo com informações divulgadas nesta quinta-feira (21), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o indicador, considerado uma prévia da inflação oficial, passou de 0,4% para 0,54%. No ano, o IPCA-15 acumula alta de 5,19%, abaixo dos 6,9% registrados no mesmo período de 2015. Em 12 meses, o índice ficou em 8,93%, perto dos 8,98% observados nos 12 meses imediatamente anteriores. Ainda no grupo de alimentos, o feijão carioca foi, mais uma vez, o vilão do aumento de preços. O grão ficou, em média, 58% mais caro. Em Goiânia, por exemplo, o quilo do produto subiu mais de 80%. A alta expressiva nos preços não partiu só do feijão. O consumidor também passou a 'coçar' mais o bolso pelo arroz. O aumento médio foi de 3,36%. Em Belém, passou de 8%. Tão consumido quanto o arroz e o feijão, o leite também ficou bem mais caro de junho para julho: 15,54% em média. Em Curitiba, a alta de preço foi de 27,46%.

Comente agora
21
Jul
CNI indica que construção civil mantém queda, mas em ritmo menor
Postado por: Anacley Souza / 19:59h

A indústria da construção civil continua a apresentar queda em seu nível de atividade. Entretanto, a sondagem feita no mês passado e divulgada nesta quinta-feira (21) pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) mostra que a desaceleração do setor perdeu fôlego em junho, confirmando tendência de recuperação observada desde o início do ano. O índice de evolução do nível de atividade da construção civil foi de 41,2 em junho, ante os 40,1 observados em maio. Quanto mais esse número se aproxima de 50, menor é a redução da atividade no setor. Em dezembro de 2015, esse índice se encontrava 33,3, o menor nível da série histórica iniciada em 2009. A recuperação foi mais intensa nas empresas de portes pequeno (de 39,2 para 43,8 pontos) e médio (de 39,2 para 41,3 pontos). Segundo a pesquisa, o nível de atividade da construção civil registrado em junho continua bem abaixo do usual para o mês. A utilização da capacidade de operação do setor, por exemplo, ficou em 56%, quatro pontos percentuais abaixo do auferido em junho de 2015 e oito pontos percentuais abaixo da média histórica para o mês. Como o índice da CNI continua a retratar uma queda na atividade dos canteiros de obras, mesmo que em um ritmo menos agressivo, a construção civil segue demitindo mais que contratando. A evolução do número de empregados ficou em 38,1 pontos, ainda indicando demissões por estar abaixo dos 50 pontos, mas com ritmo estável em relação ao mês anterior. Os principais problemas relatados pelos empresários da construção civil foram a demanda insuficiente, a elevada carga tributária e as altas taxas de juros da economia. Com informações da Folhapress.

Comente agora
21
Jul
Dólar sobe 1% e se aproxima de R$ 3,30
Postado por: Anacley Souza / 18:34h

O dólar fechou em alta de 1% e voltou a se aproximar de 3,30 reais nesta quinta-feira, com investidores realizando lucros após o tombo recente da moeda americana enquanto aguardavam novos desdobramentos que possam servir de gatilho para mais mudanças de patamar. O Ibovespa, principal índice da bolsa de valores, por sua vez, encerrou o dia estável, após sessão sem viés definido, com ações de bancos pesando negativamente, enquanto mineradoras e siderúrgicas contribuíram do lado positivo. De acordo com dados preliminares, o Ibovespa fechou estável, a 56.579 pontos. O volume financeiro somava 6,2 bilhões de reais. Em relação ao câmbio, o real se descolou dos mercados externos e quebrou a tendência recente de queda mais acentuada do dólar no Brasil. Investidores citaram como os principais focos a serem monitorados o ajuste fiscal e o cenário político no Brasil. O dólar avançou 1,02%, a 3,2816 reais na venda, após chegar a 3,2894 reais na máxima e 3,2429 reais na mínima da sessão. O dólar futuro subia cerca de 0,70% no fim tarde. A moeda americana vinha girando em torno de 3,25 reais, perto das mínimas em um ano, durante praticamente todo este mês, sem conseguir buscar patamares ainda mais baixos. “Há uma realização grande no mercado, estão colocando dinheiro no bolso”, disse o operador de uma corretora nacional, sob condição de anonimato. “Para o rali continuar, vamos precisar de notícias grandes, como a confirmação do impeachment ou alguma demonstração grande de contenção fiscal”, acrescentou, referindo-se ao julgamento do impedimento de Dilma Rousseff no Senado, marcado para agosto.

Comente agora
21
Jul
Tarifa aérea média cai 9% no país e fica em R$ 334,50 em 2015
Postado por: Anacley Souza / 17:58h

A tarifa aérea média para voos domésticos no ano de 2015 foi de 334,50 reais, o que representa uma queda de 9% em relação ao preço verificado em 2014. Os dados foram apresentados nesta quinta-feira pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Em relatório, o órgão informa também que, no ano passado, 57,5% dos assentos domésticos foram vendidos por menos de 300 reais e que 11,4% dos lugares foram comercializados com tarifas menores que 100 reais. Na outra ponta, 0,62% dos assentos domésticos foram vendidos com preços acima de 1.500 reais entre janeiro e dezembro de 2015. A Anac também destaca que o valor médio pago por um passageiro doméstico para voar um quilômetro – indicador chamado de yield tarifa aérea médio doméstico – ficou em 0,30264 centavo no último ano, valor 11,7% menor que o de 2014. Segundo a Anac, a redução nos dois indicadores ocorreu em meio a um contexto de “bastante oscilação em custos representativos para a indústria”. A agência destaca que, por um lado, o preço internacional do barril de petróleo apresentou comportamento de queda, o que diminuiu os custos com combustível de aeronaves, mas, por outro, a desvalorização do real exerceu força contrária, dado que os gastos com combustível, arrendamento, manutenção e seguro de aeronaves são ligados ao câmbio.

Comente agora
21
Jul
Coelba investe R$ 30 mi para os Jogos Olímpicos
Postado por: Débora Ayane / 17:41h

Os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro se aproximam, e, assim como as autoridades locais já se preparam para organizar o ciclo de partidas que deve interferir na rotina de Salvador – que receberá dez partidas de futebol pela competição –, investimentos também estão sendo feitos na área de energia elétrica visando o êxito da participação soteropolitana. Para isso, Coelba investiu R$ 30,3 milhões para somar ainda mais o serviço de fornecimento da energia elétrica.Dessa forma, a Arena Fonte Nova ganhará uma terceira linha subterrânea, que oferece uma confiabilidade maior ao fornecimento de energia, não apenas do estádio, mas da região que circunvizinha o equipamento, e também das demais áreas da cidade que estarão direta ou indiretamente ligados os Jogos.O foco das ações, de acordo com o superintendente da Coelba, Sérgio Mello, é, além da arena, os demais estádios, hotéis, hospitais, centros operacionais, emissoras de TV e rádio, o metrô e o aeroporto.“Com esses equipamentos, a gente procura não só resolver o problema mais rápido, mas antecipar esses problemas antes que eles possam afetar o fornecimento de energia”, explicou Sérgio Mello.Os trabalhos da companhia já haviam começado ainda antes da Copa do Mundo, com a construção da Subestação Fonte Nova, com duas linhas subterrâneas de 69.000 volts e 4 km de extensão.

SUBESTAÇÃO ITINGA

Comente agora
20
Jul
Nova diretoria do Banco Central mantém juros básicos em 14,25% ao ano
Postado por: Anacley Souza / 19:11h

Pela oitava vez seguida, o Banco Central (BC) não mexeu nos juros básicos da economia. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) manteve nesta quarta-feira (20) a taxa Selic em 14,25% ao ano. A decisão era esperada pelos analistas, que preveem que a taxa ficará inalterada até o fim do ano. Os juros básicos estão nesse nível desde o fim de julho do ano passado. Com a decisão do Copom, a taxa se mantém no mesmo percentual de outubro de 2006. A Selic é o principal instrumento do Banco Central para manter sob controle a inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Em comunicado, o Copom informou que as projeções para a inflação estão em queda. No entanto, o órgão aponta riscos de curto prazo, como a persistência nas elevações nos preços de alimentos, incertezas quanto à aprovação e à implementação dos ajustes necessários na economia e a indexação da economia, com a inflação passada alimentando a futura caso os índices de preços permaneçam altos e acima da meta. Tais fatores, segundo o Copom, levaram à manutenção da taxa Selic. Oficialmente, o Conselho Monetário Nacional estabelece meta de 4,5%, com margem de tolerância de 2 pontos, podendo chegar a 6,5%. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o IPCA acumulou 8,84% nos 12 meses encerrados em junho, depois de atingir o recorde de 10,71% nos 12 meses terminados em janeiro. No Relatório de Inflação, divulgado no fim de junho pelo Banco Central, a autoridade monetária estima que o IPCA encerre 2016 em 6,9%.

Comente agora
20
Jul
Procon alerta sobre indicação de alergênicos em rótulos
Postado por: Anacley Souza / 19:05h

A Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor da Bahia (Procon-BA) alertou nesta quarta-feira, 20, os consumidores baianos sobre as novas regras da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que obrigam os rótulos a trazer informações sobre os ingredientes que podem causar alergia. A resolução da Anvisa foi aprovada no ano passado, mas só entrou em vigor no início deste mês. As informações sobre os componentes alergênicos devem vir abaixo da lista de ingredientes, em fonte maior, negrito, caixa alta e cor diferente do rótulo. O regulamento inclui alimentos e bebidas. Os rótulos deverão informar a presença de 17 alimentos: trigo (centeio, cevada, aveia e suas estirpes hibridizadas), crustáceos, ovos, peixes, amendiom, soja, leite de todos os mamíferos, amêndoa, avelã, castanha de caju, castanha do Pará, macadâmia, nozes, pecã, pistaches, pinoli e látex natural.

Comente agora
20
Jul
Venda de livros cai 16,3% no primeiro semestre de 2016
Postado por: Anacley Souza / 18:44h

A venda de livros durante o primeiro semestre de 2016 fechou em queda de 16,3% em volume, em relação ao ano anterior. Em faturamento, a queda foi menor, de 6,94% — mas, descontando a inflação acumulada nos últimos doze meses, a queda real do faturamento é de 15,61%. O levantamento foi feito pela Nielsen por encomenda do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Snel). Segundo o Snel, os números são reflexo da crise econômica brasileira e da ausência de um fenômeno equivalente ao dos livros de colorir no ano passado, que testemunhou um boom entre abril e junho. O preço médio dos livros passou de 38,55 para 42,87 reais, comparando o primeiro semestre de 2015 e 2016, um aumento de 11,19%. A pesquisa mostrou que também caíram as vendas no chamado período 6, entre 23 de maio e 19 de junho, de 18,41% em volume e 9,93% em faturamento, em relação ao mesmo período no ano passado. A pesquisa faz parte do Painel das Vendas de Livros no Brasil de julho. O estudo é feito todo mês, a partir de dados coletados em livrarias, canais de e-commerce e varejistas.

Comente agora
20
Jul
Número de demissões cresceu neste 1º semestre em Santo Antônio de Jesus
Postado por: Débora Ayane / 16:37h

A presidente do Sindicato dos Comerciários de Santo Antônio de Jesus Aline Patrícia e André Nascimento, vice-presidente, falaram através de uma emissora de rádio nesta quarta-feira (20), sobre o índice de desemprego na cidade. De acordo com Aline, ano passado, segundo dados obtidos no Dieese através do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), Santo Antônio de Jesus teve um saldo negativo de 471 pessoas demitidas a mais em relação ao número de contratados, já neste ano de 2016, a partir de relatório até o mês de maio emitido pelo CAGED, continuamos com saldo negativo, com 126 demissões a mais que o número de contratados, “em 2016 tivemos 1066 admissões e 1192 demissões. Acho válido destacar que ano passado aqui em Santo Antônio duas grandes empresas fecharam as portas contribuindo para o aumento dos números e sabemos que o fechamento delas, que chegou a demitir quase 300 pessoas, não se deu por conta da crise, na verdade foram outras questões. Destaco isso para dizer que se você comparar o ano 2015 no que diz respeito a número de desemprego/demissões com 2016, tirando o índice dessas duas empresas, o número de demissões em 2016 está bem maior”, frisou.

Segundo André, Santo Antônio de Jesus obtém destaque estadual e nacional em números de empregados no comércio, apesar disso a cidade não está isolada onde os fatores econômicos que permeiam os estados são refletidos também aqui, impactando diretamente no índice de emprego e desemprego, “o quadro da cidade, apesar de expor desemprego crescente, ainda é um dos menores da Bahia, isso por que é uma cidade polo, nós verificamos e nos preocupamos com esses índices”, disse. Ainda conforme André, no mês de junho, onde geralmente o número de empregados tendem a aumentar, há um indicador de recuo ou contratos reduzidos pelas empresas, que não chegam a 90 dias, “tudo isso devido à crise, se isso está lá fora, quando fazemos o corte para a cidade, mesmo que ainda não seja intenso, nós temos um quadro preocupante”, concluiu.

Redação Voz da Bahia

Comente agora
20
Jul
Queda em juros agrada Temer, afirma Padilha
Postado por: Débora Ayane / 14:06h

No dia da primeira reunião do Conselho de Política Monetária (Copom) presidida pelo novo presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmou que o presidente em exercício, Michel Temer, "vê com bons olhos uma redução nos juros". "São os economistas que estão dizendo que o juro vai cair. Presidente vê com bons olhos, mas palavra final é do BC" ressaltou o ministro nesta quarta-feira, 20.De acordo Padilha, os próprios economistas estão apostando numa queda de juros ainda este ano. "Também isso agrada o presidente e ele vê com bons olhos, mas teremos que respeitar a autonomia do Banco Central", disse. Segundo o Relatório de Mercado Focus divulgado pelo BC na segunda-feira (18), a expectativa do mercado é que a taxa Selic comece a cair em outubro deste ano, chegando ao final de 2016 em 13,25% ao ano. Quanto à reunião do Copom que se encerra hoje, a expectativa unânime é pela manutenção da taxa de juros, atualmente em 14,25% ao ano. Questionado se o governo começou a pressionar os bancos públicos para reduzir os juros, Padilha afirmou que a Caixa Econômica sinalizou que pretende trabalhar no rumo de derrubar os juros. "O que seria um sinal do governo, a Caixa já deu resposta", disse.O ministro destacou também o governo está vendo com cautela os sinais de recuperação da economia. "Sinais estimulam o governo para que prossiga no rumo, com responsabilidade e sem ufanismo, não está nada resolvido. Começamos a resolver, a andar, mas temos a certeza de que estamos no rumo certo", disse.

Reforma política

Comente agora
19
Jul
Investidores esperam Bolsa em alta e dólar em queda nos próximos 2 meses
Postado por: Anacley Souza / 23:34h

Em dois meses, o clima para a Bovespa ficou mais positivo e as indicações são de dólar em tendência de queda. É o que destaca a XP Investimentos, que fez uma pesquisa com mais de 50 investidores institucionais traçando perspectivas para o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, e câmbio nos próximos meses, além dos setores preferidos dos investidores para aplicar na Bolsa. Os investidores estão mais otimistas com a Bovespa para os próximos dois meses se comparada com a pesquisa anterior, divulgada em maio. Para 68% dos entrevistados, o Ibovespa deve caminhar nos próximos dois meses para um patamar acima de 57,5 mil pontos (um potencial de valorização de 1,8% se comparado ao fechamento da última segunda-feira), sendo que 20% do total acredita na Bolsa acima de 60 mil pontos (alta de 6,22% na mesma base de comparação). Por outro lado, cerca de apenas 17% dos investidores entendem que o Ibovespa irá para um patamar abaixo de 55 mil pontos, o que representaria uma queda de 2,63%. "Portanto, comparando com a pesquisa de maio, quando os investidores estavam menos otimistas (47% acreditava na Bolsa abaixo dos 55 mil pontos), a postura do novo governo [interino de Michel Temer] trouxe melhora nas expectativas dos respondentes", diz o estrategista-chefe da XP, Celson Plácido, que assina o relatório. Entre os setores preferidos para investimento, segue na liderança o financeiro, com 70% dos respondentes mencionando viés positivo para o setor nos próximos dois meses. Energia e saneamento vem em seguida, com 45%. Outros setores foram: óleo e gás (35%), cartões de crédito (27%) e logística (27%).

Comente agora
19
Jul
JBS fecha unidade no interior de SP e demite 500 funcionários
Postado por: Anacley Souza / 23:21h

A JBS, empresa líder mundial em processamento de carne bovina, ovina e de aves, encerrou as atividades de sua unidade em Presidente Epitácio (SP) e desligou 500 funcionários. No total, a JBS tinha 795 empregados na fábrica, onde era realizado o processo de desossa de carne. Parte dos funcionários será transferida para outras plantas. “A companhia realizou todos os esforços possíveis para manter o funcionamento da planta, adiando o fechamento por um mês, enquanto aguardava a definição de um posicionamento do governo do estado de São Paulo sobre as novas regras tributárias, mas não obteve retorno até o momento”, informou a empresa em nota. Segundo a JBS, a decisão do governo do Estado de publicar o Decreto 61.907, de 2016, que alterou regras tributárias para produtores de carne, “inviabilizou a manutenção das atividades no local”. A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo disse que está dialogando com os produtores de carne e que o setor já conta com um regime especial de tributação que visa a diminuir os efeitos maléficos da guerra fiscal entre os estados, e busca dar condições para viabilizar a operação das empresas. No Rio Grande do Sul, a JBS informou que a unidade do frigorífico Seara Alimentos em Frederico Westphalen foi parcialmente interditada na última sexta-feira, após fiscalização do Ministério do Trabalho e Ministério Público do Trabalho (MPT). De acordo com o jornal O Estado de S.Paulo, o Ministério Público constatou risco grave e iminente de acidentes e doenças ocupacionais aos trabalhadores.

Comente agora
19
Jul
Demanda por voos nacionais cai 5,9% e tem menor resultado para junho desde 2012
Postado por: Anacley Souza / 22:43h

As companhias aéreas registraram, em junho, queda de 5,9% na demanda por voos domésticos em relação a junho de 2015, considerando o número de bilhetes vendidos, trecho percorrido e descontos de ocupação pela tripulação, cortesia e gratuidades. Foi a décima primeira queda consecutiva, no pior resultado para um mês de junho desde 2012, segundo informou nesta terça-feira (19) a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear). A oferta estimada - com base no número de assentos disponíveis e distância percorrida - apresentou retração de 6,4%. Já o movimento de passageiros teve baixa de 7% com 6,8 milhões de viagens. De acordo com a Agência Brasil, os dados abrangem as empresas Avianca, Azul, Gol e Latam, associadas à Abear e que respondem por 99% do mercado doméstico. No acumulado do primeiro semestre, houve queda de 6,6% na demanda; de 5,9% na oferta e de 8% no fluxo de passageiros em 43,2 milhões de viagens. A Gol teve uma participação no mercado de 36,42%, seguido pela Latam (34,96%); a Azul (17,15%) e a Avianca (11,48%).

Comente agora
19
Jul
Petrobras avalia aderir ao Programa de Governança das Estatais
Postado por: Anacley Souza / 20:25h

Todas as brechas para provar que a Petrobras é uma empresa íntegra e que foi um pequeno grupo de corruptores que fez mal à empresa estão sendo aproveitadas, afirmou nesta terça-feira (19), o diretor executivo de Governança, Risco e Conformidade da estatal, João Elek. "Queremos nos deixar conhecer para ganhar a confiança do nosso público estratégico depois de passada a má experiência, em que a empresa foi vitimada por empresas envolvidas em esquema de corrupção", disse em apresentação em mais um evento dos Fóruns Estadão, sobre Governança Corporativa. Nesse sentido, a Petrobras avalia aderir ao Programa de Governança das Estatais lançado no ano passado pela BM&FBovespa, que surgiu em meio aos questionamentos sobre a credibilidade e ingerência dessas companhias. A adesão é voluntária e até aqui nenhuma estatal entrou para o programa. "Estamos avaliando se nos enquadramos e o que seria necessário para fazer a adesão para trilhar um caminho mais transparente do que hoje", destacou. Internamente, Elek diz que uma das mudanças que pode ser notada é o reperfilamento do seu Conselho de Administração, com nomes diferentes dos vistos antigamente, caracterizados por escolhas de perfil político. Ainda no conselho, o executivo conta que foram criados comitês, os quais, segundo ele, são muito ativos hoje. "Eles orientam para assuntos importantes para a Petrobras", disse. O diretor de governança da Petrobras disse que os processos na companhia foram uniformizados e que uma das mudanças, com o objetivo de evitar más condutas, é que deixaram de existir "assinaturas individualizadas".

Comente agora
19
Jul
Quase dobra o número de brasileiros com cartões de crédito desde 2007
Postado por: Anacley Souza / 20:16h

Um levantamento realizado pela Fecomércio-RJ/Ipsos com 1.200 pessoas mostra que, desde 2007, o número de brasileiros com cartões de crédito praticamente dobrou. Há nove anos, 21% dos entrevistados usavam esse meio de pagamento. Em 2016, 40%. De acordo com o economista Christian Travassos, isso é um importante sinal de que o consumidor responderá mais rapidamente quando a economia voltar a crescer. “Apesar dos juros altos, do aumento do desemprego e da inflação persistente, o consumidor brasileiro atravessa essa conjuntura de forma mais madura”, afirma. A pesquisa também mostra um avanço na bancarização. Enquanto em 2007 apenas 33% das pessoas entrevistadas tinham contas bancárias abertas, em 2016 esse número subiu para 64%. O nível de conhecimento sobre as tarifas cobradas pelos bancos também cresceu de 36% para 40% entre 2007 e 2016. (Época)

Comente agora
19
Jul
Anatel lista 4 empresas interessadas e capazes de administrar Grupo Oi
Postado por: Anacley Souza / 19:53h

O conselho diretor da Anatel divulgou nesta terça-feira (19) a lista de quatro empresas "interessadas" e "capazes" de assumir a administração judicial do Grupo Oi, que teve pedido de recuperação aceito pela Justiça do Rio. De acordo com a nota, o processo seletivo recomenda os seguintes finalistas, listados em ordem alfabética: Alvarez & Marsal Consultoria Empresarial Ltda; Consórcio BDOPRO; Deloitte Touche Tohmatsu Consultores Ltda. (Deloitte); e Pricewaterhouse Coopers Assessoria Empresarial Ltda (PwC). O conselho também recomendou à Justiça que "avalie se as informadas relações contratuais entre as interessadas Deloitte e PwC e empresas ligadas ao Grupo Oi poderia configurar impeditivo a uma eventual nomeação como administrador judicial". A Justiça agora vai nomear uma dessas empresas para administrar judicialmente a empresa e elaborar um plano de recuperação. O pedido de recuperação judicial do Grupo Oi – o maior da história do Brasil – inclui no processo um total de R$ 65,4 bilhões em dívidas. A empresa é a maior operadora em telefonia fixa do país e a quarta em telefonia móvel, com cerca de 70 milhões de clientes. A decisão do juiz Fernando Viana, da 7ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ), também aborda a cessão de outorga das empresas em recuperação judicial para eventual alienação, oneração e substituição de seus bens reversíveis.

Comente agora
19
Jul
Para 88%, cortar gasto é melhor caminho para ajuste fiscal, diz pesquisa da Fiesp
Postado por: Anacley Souza / 18:24h

Para 88% de um total de 1.200 pessoas ouvidas em uma pesquisa encomendada pela Fiesp e pelo Ciesp à Ipsos Public Affairs, o melhor caminho para o governo arrumar as contas públicas e reequilibrar o orçamento é o corte de gastos. Não souberam responder 10% dos entrevistados, e apenas 2% deles acreditam no aumento de impostos como a melhor opção. “A população já entendeu há muito tempo que o caminho para tirar o país da crise não é aumentar e nem criar impostos”, afirma Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Ciesp, sobre o resultado do levantamento chamado ‘Percepção Sobre as Contas Públicas Brasileiras’. “Essa pesquisa carimba de vez que o ajuste fiscal tem que ser feito com o corte de despesas. Tributo não é a saída. Não há nenhum espaço para mais impostos”, disse. A pesquisa também perguntou às pessoas o quanto elas confiam que um imposto dito temporário não se torna permanente. A resposta de 84% das pessoas foi que não confiam que um aumento de impostos seria temporário. Apenas 5% afirmaram confiar. Os 11% restantes não souberam responder. “É claro que ninguém acredita em imposto temporário”, comenta Skaf. “Imposto vem e fica. A prova disso é que a carga tributária é cada vez mais alta. A arrecadação já está em quase R$ 2 trilhões por ano. Imposto é castigo e não solução”, avalia o dirigente. Em relação à redução de gastos, a primeira opção mencionada pela maioria dos entrevistados foi alguma medida relacionada a cortes nos gastos com pessoal. As seguintes alternativas foram congelar os salários dos funcionários do governo federal (24%), reduzir a quantidade de funcionários em cargos comissionados (18%), não contratar novos funcionários no governo federal (11%), reduzir os auxílios e benefícios de funcionários públicos (10%) e reduzir as despesas com serviços de terceiros e material de consumo (8%). Somadas, essas opções somaram 71% da preferência dos entrevistados.

Comente agora
19
Jul
FMI melhora previsões para economia brasileira e prevê volta do crescimento em 2017
Postado por: Anacley Souza / 18:03h

O Fundo Monetário Internacional (FMI) melhorou as previsões para a economia brasileira e agora prevê uma recessão menos severa este ano e a volta do crescimento em 2017. A projeção é que o Produto Interno Bruto (PIB) do país tenha contração de 3,3% em 2016, menos do que o previsto quando o Fundo fez sua reunião em abril em Washington e esperava queda de 3,8%. Para o ano que vem, a aposta é de expansão de 0,5%, ante crescimento zero projetado anteriormente, de acordo com relatório de atualização de projeções divulgado nesta terça-feira. É a primeira vez que o FMI melhora as previsões para o PIB do Brasil desde julho de 2012. Desde aquele ano, a cada novo relatório, os economistas da instituição vinham cortando as estimativas de crescimento do País, que sempre figurava na lista dos piores desempenhos econômicos entre os principais economias do mundo. A avaliação do FMI é que os índices de confiança no País, que recuaram para mínimas históricas, parecem ter atingido o fundo do poço. Além disso, a contração do PIB no primeiro trimestre de 2016 foi mais suave que o previsto, de acordo com o relatório. “A atividade no Brasil dá alguns sinais preliminares de moderação”, afirma o documento. No ano passado, a economia brasileira teve contração de 3,8%, o pior desempenho entre os maiores mercados emergentes. O PIB da Rússia, outro mercado em recessão, registrou queda de 3,7% e este ano deve cair 1,2%, também menos severo que o estimado anteriormente (-1,8%). Apesar da melhora das previsões, o FMI ressalta que a incerteza política permanece no Brasil e coloca “nuvens” no cenário do país.

Comente agora
18
Jul
Preço do feijão carioca sobe menos em meados de julho, diz pesquisa da FGV
Postado por: Anacley Souza / 23:32h

O peso do feijão carioca ou mulatinho pesou menos no bolso do brasileiro na segunda semana de julho. Pelo menos é o que aponta a inflação medida pelo Índice de Preços Consumidor - Semanal (IPC-S), da Fundação Getúlio Vargas (FGV). O levantamento mostra que a inflação desacelerou da primeira para a segunda semana de julho oscilando de 0,44% para 0,41%. Para interferir no índice, o preço do feijão teve destaque: a alta do preço do produto saiu de 47,37% para 42,12%. Entre os grupos de gastos analisados, ficaram mais caros despesas diversas (de 0,50% para 0,59%), educação, leitura e recreação (de 0,72% para 0,76%) e saúde e cuidados pessoais (de 0,51% para 0,54%). Veja a variação de alguns itens:

  1. Laticínios (de 7,02% para 8,00%)
  2. Tarifa postal (de 3,10% para 5,58%)
  3. Show musical (de 0,68% para 1,17%)
  4. Artigos de higiene e cuidado pessoal (de 0,30% para 0,41%)
  5. Tarifa de eletricidade residencial (de 0,07% para -0,62%)
  6. Tarifa de ônibus urbano (de 0,29% para -0,04%)
  7. Acessórios do vestuário (de 1,04% para 0,37%)
  8. Tarifa de telefone móvel (0,29% para 0,19%).
Comente agora
18
Jul
Mercado financeiro espera que taxa Selic fique em 14,25% ao ano
Postado por: Anacley Souza / 23:13h

Instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) esperam pela manutenção da taxa básica de juros, a Selic, em 14,25% ao ano, na reunião desta semana do Comitê de Política Monetária (Copom), que começa amanhã (19) e termina quarta-feira (20). Mas até o final do ano, a expectativa é de redução da taxa básica. De acordo com as projeções, ao final de 2016 a Selic estará em 13,25% ao ano. Em 2017, a expectativa é de mais cortes na taxa Selic, que encerrará o período em 11% ao ano. Quando o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso gera reflexos nos preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Já quando o Copom reduz os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, mas a medida alivia o controle sobre a inflação. Quando mantém a taxa, o Copom considera que ajustes anteriores foram suficientes para alcançar o objetivo de controlar a inflação.

Meta de inflação: O BC tem que encontrar equilíbrio ao tomar decisões sobre a taxa básica de juros, de modo a fazer com que a inflação fique dentro da meta estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional. A meta de inflação é de 4,5%, com limite superior de 6,5% este ano e 6% em 2017.

Comente agora
18
Jul
Liminar libera Odebrecht Óleo e Gás a participar de licitação da Petrobras
Postado por: Anacley Souza / 22:50h

O desembargador Fernando Fernandy, da 13ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), concedeu liminar que permite à Odebrecht Óleo e Gás participe de licitação da Petrobras. Desde dezembro de 2014, um bloqueio cautelar suspendia negócios da petroleira de 23 fornecedoras citadas na operação Lava Jato . A decisão, de 9 de junho, atende a pedido da Odebrecht para participar da prestação de serviços de construção e montagem para intervenções nas plataformas P-55 e P-62. No pedido, a empresa alega que deve ser "ressaltada a ausência de decisão definitiva quanto à impossibilidade de participação nos processos licitatórios (...) passado mais de um ano e meio da decisão administrativa cautelar". A empresa alega ainda que o impedimento é "capaz de provocar graves danos à agravante (...) colocando em risco sua atividade, em prejuízo do princípio da continuidade da empresa, e gerando efeitos negativos no âmbito socioeconômico, uma vez que, diante do atual cenário a redução das atividades da sociedade empresária pode levar, inclusive, ao aumento do desemprego". Na decisão, o magistado alega que não houve decisão definitva e prevê multa de R$ 10 milhões em caso de descumprimento da decisão.

Comente agora
18
Jul
Demanda por voos da Gol cai 11,2% no 2º trimestre
Postado por: Anacley Souza / 22:17h

A Gol divulgou nesta segunda, 18, os dados operacionais prévios relativos ao segundo trimestre de 2016, quando seu sistema total registrou queda na demanda e na oferta em relação ao mesmo período do ano passado. No que diz respeito à oferta, a queda no indicador de assentos-quilômetro oferecido (ASK, na sigla em inglês) entre abril e junho deste ano foi de 9,3% na base anual. Já o indicador de passageiro por quilômetros transportados (RPK, na sigla em inglês), que mede a demanda pelos voos da companhia, caiu 11,2% na mesma base de comparação. Desta maneira, a taxa de ocupação no trimestre ficou em 75,2%, uma queda de 1,6 ponto porcentual (p.p.) em relação ao mesmo intervalo do ano passado.

Comente agora
18
Jul
Programa de Incentivo à Cultura do Algodão é prorrogado até final de 2017
Postado por: Anacley Souza / 21:09h

O Programa de Incentivo à Cultura do Algodão (PROALBA), um dos instrumentos de política agrícola do governo do estado, foi prorrogado até 31 de dezembro de 2017. A informação foi publicada no Diário Oficial do Estado da última sexta-feira (15). O programa concede incentivo de até 50% do ICMS devido sobre a comercialização do algodão no mercado interno, desde que o produtor atenda aos requisitos tecnológicos, fitossanitários e de qualidade estabelecidos pelo programa. “Os projetos desenvolvidos com recursos do programa têm trazido melhorias em diversas áreas do agronegócio, dentre elas, a promoção do algodão nos mercados nacional e internacional, ações de marketing, qualificação de mão de obra, logística, sustentabilidade e responsabilidade social”, afirma o secretário da Agricultura, Vitor Bonfim.

Comente agora
18
Jul
Delivery de refeição: conheça seus direitos
Postado por: Anacley Souza / 20:43h

No Brasil, só o setor de pizza movimenta cerca de R$ 8,5 bilhões ao ano, com uma estimativa de crescimento de 8%. Diariamente, são consumidas cerca de 1,5 milhão de unidades, quase a metade disso (620 mil) no estado de São Paulo. De acordo com a ECD Food Service, uma pizzaria delivery vende em média 1.600 pizzas por mês. Pedir comida no conforto de casa é um hábito cada vez mais comum entre os consumidores do país. Mas, quais são os direitos do consumidor quando o assunto é delivery? Segundo o gestor de relacionamento do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Alexandre Frigério, a entrega em domicílio ou delivery é um serviço e a ele se aplicam as regras do Código de Defesa do Consumidor (CDC). Com isso, o consumidor tem o direito ao cumprimento daquilo que lhe foi ofertado (art. 30 do CDC) e à adequada prestação do serviço (art. 20 do CDC). Segundo ele, 'caso a entrega não ocorra da forma ofertada, configura má prestação de serviço, que representa também um descumprimento de oferta (art. 35 do CDC), e o consumidor tem o direito de exigir um desconto proporcional do preço ou cancelar o pedido sem necessidade de pagamento'. Frigério afirma que o consumidor pode exigir ainda o cumprimento forçado da obrigação, nos termos da oferta. O que quer dizer que se a refeição chegou fria ou mal preparada, por exemplo, você pode exigir que outra seja entregue nas condições prometidas. Para isso, é preciso entrar em contato com o fornecedor.

Comente agora
18
Jul
Caixa Econômica vai financiar imóveis de até R$ 3 milhões
Postado por: Anacley Souza / 19:53h

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta segunda-feira (18) que vai passar a financiar imóveis de até R$ 3 milhões. Hoje, o valor máximo de financiamento de imóveis pela instituição é de R$ 1,5 milhão. As novas regras entram em vigor na próxima segunda-feira (25). As mudanças afetam as operações de crédito no âmbito do Sistema Financeiro Imobiliário (que costuma financiar imóveis acima de R$ 750 mil, sem uso do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço – FGTS). A Caixa também vai passar a financiar uma "fatia" maior do valor dos imóveis. Para compra de imóvel usado, a cota de financiamento sobe de 60% para 70% do valor total. Já na compra de imóvel novo, terreno, construção em terreno próprio e reforma ou ampliação, a cota sobe de 70% para 80%. O banco informou ainda que, nas operações contratadas com Interveniente Quitante – que são aquelas em que haverá quitação de financiamento com outra instituição financeira – a cota de financiamento subirá de 50% para 70%. "A CAIXA esclarece que o novo modelo de concessão de crédito, que levará em consideração aspectos de perfil do cliente como rating ou menor quota de financiamento, ainda está em estudo e não tem previsão de data de lançamento", diz o banco em nota.

Comente agora
18
Jul
Economistas recomendam cautela com uso de FGTS no consignado
Postado por: Anacley Souza / 19:31h

Economistas consultados pela Agência Brasil recomendam cautela com a possibilidade de trabalhadores do setor privado utilizarem o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e a multa rescisória como garantia do empréstimo consignado. Segundo eles, a medida tem pontos positivos, como possíveis juros mais baixos, já que reduz o risco assumido pelos bancos. No entanto, destacam que a mudança pode causar aumento do endividamento em época de crise. A lei que autoriza o trabalhador do setor privado a usar até 10% do FGTS e até 100% da multa rescisória como garantia de empréstimo foi publicada na sexta-feira (15) no Diário Oficial da União. A norma condiciona o acesso a esses valores à demissão sem justa causa, por culpa recíproca ou força maior. Ou seja, os bancos só podem sacar os benefícios do devedor caso ele seja dispensado e não possa continuar pagando o consignado, que é descontado na folha de pagamento.

Garantias: O economista Eduardo Reis Araújo, presidente do Conselho Regional de Economia do Espírito Santo, diz não acreditar que a Caixa Econômica Federal, operadora do FGTS, estabeleça uma taxa mínima de juros para as instituições financeiras que desejarem ofertar a nova modalidade de crédito.

Comente agora
18
Jul
Planos de saúde perderam 910 mil clientes no 1º semestre
Postado por: Anacley Souza / 19:07h

Os planos de saúde perderam 910 mil clientes nos primeiros 6 meses deste ano, segundo dados divulgados nesta segunda-feira (18) pela Agência Nacional de Saúde Sumplementar (ANS). O setor reuniu em junho no país 48,48 milhões de beneficiários no país, uma queda de 1,84% ante a um total de 49,39 milhões de pessoas em dezembro do ano passado. Em 12 meses, a queda foi de 3,2%, ou o equivalente a uma perda de 1,64 milhão de clientes. Em junho de 2015, os planos médico-hospitalares reuniam 50,12 milhões de beneficiários. O relatório da ANS destaca, porém, que 5 estados registraram aumento do número de beneficiários em planos de assistência médica em relação a maio: Amazonas, Bahia, Pará, Piauí, Rio Grande do Sul e Tocantins. Entre as grandes operadoras, apenas a Hapvida registrou crescimento no número de clientes em junho (0,66%). Amil, Bradesco Saúde e Sul AMérica tiveram, respectivamente, queda de 0,09%, 0,64% e 0,48%, na comparação com maio. Ainda segundo a agência, os planos exclusivamente odontológicos somaram 21,96 milhões de clientes em junho, o que representa um aumento de 0,87% em relação ao mês anterior. Na comparação com junho de 2015, a alta foi de 1,9%. A ANS informou que em junho o número de beneficiários nos planos coletivos empresariais somou 32,1 milhões de clientes.

Comente agora
18
Jul
Medo do desemprego é o mais alto já registrado pela CNI
Postado por: Anacley Souza / 18:02h

O medo do desemprego entre os brasileiros alcançou, em junho, o maior nível desde que começou a ser medido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), em 1999. Segundo pesquisa da entidade, no mês passado, o indicador ficou em 108,5 pontos. O patamar é o maior da série histórica e só havia sido atingido antes em maio de 1999, durante a crise de desvalorização do real. O índice subiu 1,9% em relação à última medição, em março, e 4,2% em comparação com junho de 2015. O levantamento da entidade apurou ainda o índice de satisfação com a vida dos entrevistados. O indicador ficou em 93,1 pontos em junho, melhorando em relação a março, quando havia caído a 92,4 pontos, patamar mais baixo desde 1999. Em relação a junho de 2015, a satisfação caiu 2,6%. A pesquisa da CNI é realizada trimestralmente. Para levantar os dados divulgados nesta segunda-feira foram ouvidas 2002 pessoas em 141 municípios entre os dias 24 e 27 de junho. (Agência Brasil)

Comente agora
18
Jul
Datafolha: 45% da população quer se aposentar antes dos 60 anos
Postado por: Redação Voz da Bahia / 16:16h

Somente 24% da população brasileira quer se aposentar após os 60 anos, segundo pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira (18). Dos 2.792 entrevistados em 171 municípios, 45% querem se aposentar antes dos 60 (24% entre 56 e 60 anos e 21% antes dos 56); 14% já são aposentados; e 17% não souberam ou não quiseram responder. Em média, os homens gostariam de se aposentar aos 61, e as mulheres, aos 59, de acordo com o levantamento. Atualmente, a legislação permite que os trabalhadores do setor privado se aposentem após 35 anos de contribuição com a Previdência, no caso dos homens, ou 30, no caso das mulheres. Na falta de tempo de contribuição suficiente, é possível se aposentar por idade, aos 60 anos. De acordo com dados do Ministério do Trabalho e da Previdência Social, os brasileiros se aposentam aos 59,4 anos, mais cedo do que em países ricos como os Estados Unidos, Alemanha a França. Com a reforma da Previdência programada pelo governo do presidente interino, Michel Temer, há uma expectativa de que seja estabelecida a idade mínima entre 65 e 70 anos. O novo cálculo ainda não foi concluído, mas a administração pretende determinar regras de transição para as faixas etárias mais próximas da aposentadoria.

Comente agora
18
Jul
Incompleto, Minha Casa Minha Vida deixa de gerar R$ 70 bilhões
Postado por: Débora Ayane / 15:54h

Com a suspensão das faixas que atendem os mais pobres, o Minha Casa Minha Vida (MCMV) vai deixar de gerar R$ 70 bilhões no Produto Interno Bruto (PIB) em três anos, até 2018. Desde que a terceira etapa do programa começou, em janeiro de 2016, a população que mais precisa ficou de fora.As contratações da faixa 1, que beneficia as famílias que ganham até R$ 1,8 mil, estão suspensas desde 2015 e não foram retomadas. A faixa 1,5 - que contemplaria famílias que ganham até R$ 2.350 por mês - sequer chegou a sair do papel.O jornal O Estado de S. Paulo mostrou, na edição de domingo, dia 17, que a suspensão de novas contratações e a paralisia das obras do programa atingem 6,1 milhões de famílias em todo o País, número estimado para os que precisam de moradia digna.O MCMV foi criado, em 2009, justamente para combater o déficit habitacional, mas a interrupção do programa deve reverter a tendência favorável dos últimos anos.Além do aspecto social de atendimento da demanda habitacional da população de baixa renda, a paralisia do programa tem efeito econômico.No caso do emprego, se o programa seguir sem as duas faixas vão deixar de ser geradas 1,3 milhão de vagas, das quais 660 mil diretamente nas obras e outras 682 mil ao longo da cadeia, segundo o estudo "Perenidade dos programas habitacionais", da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Comente agora
18
Jul
Diretor da Fiesp deve R$ 6,9 bi à União; dívida é maior do que a de 18 estados
Postado por: Débora Ayane / 13:04h

Um dos diretores da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Laodse de Abreu Duarte, deve R$ 6,9 bilhões à União. O empresário é o maior devedor entre as pessoas físicas e ultrapassa dívida dos governos de 18 estados, entre eles a Bahia. Dois de seus irmãos também aparecem no topo da lista: Luiz Lian e Luce Cleo, com dívidas acima de R$ 6,6 bilhões. De acordo com o site da revista Exame, o valor atribuído a cada um diz respeito à mesma dívida, de quando eram gestores de um grupo empresarial familiar que está sendo cobrado pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional. Laodse informou por e-mail que sua condenação por crime contra a ordem tributária ainda não foi julgada em segunda instância, "o que torna precipitado qualquer conclusão ou juízo". O advogado Fabrício Henrique de Souza, que representa a família, informou que as dívidas que aparecem no nome dos três irmãos resultam de questionamentos da Receita Federal por operações mercantis realizadas e ainda estão sendo questionadas judicialmente. Embora sejam milhões de devedores, entre empresas e pessoas, uma pequena elite dominga o topo do ranking: 13,5 mil devem mais de R$ 15 milhões e juntos são responsáveis por uma dívida de R$ 812 bilhões aos cofres federais. O débito desses devedores representa cinco vezes o buraco total no Orçamento federal previsto para 2016. Entre as empresas devedoras estão as quuebradas Varig e Vasp, a Vale, a Carital Brasil (antiga Parmalat) e a Petrobras.

Comente agora
18
Jul
IPC-S desacelera na segunda semana de julho influenciado pela conta de luz
Postado por: Redação Voz da Bahia / 11:01h

Em sete capitais, o Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) apresentou variação de 0,41% na segunda semana de julho, taxa 0,03 ponto percentual abaixo da registrada na apuração anterior (0,44%). A maior influência ocorreu no grupo habitação que passou de uma alta de 0,44% para 0,26%. O resultado refletiu, principalmente, na queda de preço na tarifa da conta de luz (de 0,07% para -0,62%). O levantamento é feito pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV), em Recife, Salvador, Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Brasília e Porto Alegre. Metade dos oito grupos pesquisados indicou decréscimos e, em dois deles, houve quedas: vestuário (de 0,1% para 0,07%) e transportes (de -0,13% para -0,16%). Em comunicação, o índice teve variação de 0,09% ante 0,1%. 

Mais números: Em sentido oposto, foram constatadas elevações nos seguintes grupos: alimentação (de 0,82% para 0,89%); despesas diversas (de 0,50% para 0,59%); educação, leitura e recreação (de 0,72% para 0,76%) e saúde e cuidados pessoais (de 0,51% para 0,54%). As maiores pressões inflacionárias foram verificadas nos seguintes itens: leite tipo longa vida (15,08%); feijão-carioca (42,12%); passagem aérea (21,53%); plano e seguro de saúde (1,05%) e feijão-preto (31,72%). Já os itens que ajudaram a conter o avanço da taxa inflacionária foram: mamão papaya (-39,90%); cebola (-34,79%); gasolina (-1,25%); manga (-27,88%) e tarifa de eletricidade residencial (-0,62%).

Comente agora
17
Jul
Maioria dos brasileiros não sabe fazer marketing pessoal, diz pesquisa
Postado por: Débora Ayane / 15:25h

Uma minoria de brasileiros se diz confiante para falar de conquistas pessoas. É o que demonstra os 38% revelados pela pesquisa global "At Work", do LinkedIn, que no Brasil conversou com 1.014 profissionais, em maio deste ano. Segundo a Folha de S. Paulo, este número reflete o sentido negativo que recebe no país o marketing pessoal, ou seja, a habilidade de vender a própria imagem profissional como um produto. "Profissionais interpretam o ato de se vender como o de mostrar roupas e objetos caros e se vangloriar. Esse foco no 'ter' é que dá a impressão de falsidade da qual muitos fogem", explica Sulivan França, presidente da Sociedade Latino-americana de Coaching. De acordo com o especialista, o certo é se vender sim, como um produto, mostrando o que tem a oferecer de melhor, no entanto, os pontos fracos não devem ser camuflados ou escondidos, e honestidade deve ser almejada na comunicação, para não causar uma decepção futura. "Se você não conhece suas boas qualidades e não sabe vendê-las é como se você não as tivesse." O profissional brasileiro tem o conceito deturpado de networking, na visão do consultor. "Em redes sociais, as pessoas só entram em contato com seus pares quando estão desempregadas, isso soa feio, interesseiro."

Comente agora
17
Jul
Acordo aumenta exportações do Brasil para UE em R$ 250 mi por ano
Postado por: Débora Ayane / 12:02h

O Brasil poderá exportar R$ 250 milhões a mais por ano para a União Europeia (UE). Um acordo assinado na Organização Mundial do Comércio (OMC) na semana passada permite a ampliação das vendas de alguns produtos agrícolas e animais para o bloco econômico. As negociações duraram três anos e foram iniciadas após a entrada da Croácia na UE, em julho de 2013. O acordo estabelece o aumento das quotas de importação de açúcar e de carnes de frango e de peru que entram no bloco econômico com tarifa reduzida. No caso do setor sucroalcooleiro, além de elevar a quota de importação com tarifa reduzida em 114 mil toneladas de açúcar por ano, o Brasil poderá exportar o produto com tarifas mais baixas que as atuais por sete anos. O acordo será incorporado às listas de compromissos da União Europeia na OMC e não poderá ser alterado sem nova negociação. De acordo com o Itamaraty, as novas cotas de importação com tarifa reduzida foram negociadas com base nas exportações do Brasil para a Croácia antes de o país ingressar na União Europeia. Com a adesão do país, que se tornou o 28º membro da UE, as tarifas de importação foram elevadas para se ajustarem às aplicadas no restante do bloco, o que prejudica as vendas brasileiras para o exterior. Em nota, o Ministério das Relações Exteriores informou que o Brasil confia que as novas condições acordadas serão implementadas o mais rápido possível. De acordo com o comunicado, a intenção do governo é que os exportadores brasileiros se beneficiem do acordo comercial ainda no início do segundo semestre. Com informações da Agência Brasil.

Comente agora
16
Jul
Mega-Sena acumulada pode pagar R$ 25 milhões neste sábado
Postado por: Débora Ayane / 08:34h

O sorteio deste sábado (16) da Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 25 milhões para quem acertar as seis dezenas do jogo. Como ninguém acertou os números sorteados na noite da última quinta-feira (14), a Mega está acumulada há quatro concursos. O sorteio acontece às 20h, e as apostas podem ser feitas até às 19h, em qualquer lotérica do país. A aposta mínima custa R$ 3,50. De acordo com a Caixa Econômica Federal, o sorteio extra faz parte do especial "Mega Semana de Férias". Ainda segundo a Caixa, se um apostador levar o prêmio sozinho e aplicá-lo integralmente na poupança, receberá cerca de R$ 170 mil por mês em rendimentos.

Comente agora
15
Jul
Preço do etanol cai em 16 Estados e sobe em 9
Postado por: Anacley Souza / 23:45h

Os preços do etanol hidratado nos postos brasileiros caíram em 16 Estados e subiram em outros nove e no Distrito Federal nesta semana. Os dados são da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que não informou a referência para o Amapá. No período de um mês, os preços caíram em 18 Estados e subiram em outros sete e no Distrito Federal - também desconsiderando-se o Amapá. Em São Paulo, principal Estado produtor e consumidor, a cotação caiu 1,34% na semana, para R$ 2,217 o litro. No período de um mês, acumula desvalorização de 1,99%. Na semana, a maior alta ocorreu na Bahia (4,60%) e o maior recuo no Amazonas (1,86%). No mês, o etanol também subiu mais na Bahia (2,98%) e recuou mais no Amazonas (4,08%). No Brasil, o preço mínimo registrado para o etanol foi de R$ 1,79 o litro, em São Paulo, e o máximo foi de R$ 3,999 o litro, no Rio Grande do Sul. Na média, o menor preço foi de R$ 2,217 o litro, em São Paulo. O maior foi registrado em Roraima, a R$ 3,67 por litro. De acordo com os dados da ANP, compilados pelo AE-Taxas, o etanol passou a ser competitivo ante a gasolina no Paraná nesta semana. O Estado se soma a Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais e São Paulo, onde o biocombustível já era mais vantajoso. No restante do País, o derivado de petróleo continua mais vantajoso. Segundo o levantamento, o preço do etanol em Goiás equivale a 69,70% do da gasolina.

Comente agora
15
Jul
Oi vai à Justiça para evitar pagamento à Anatel
Postado por: Anacley Souza / 18:59h

Em recuperação judicial desde 20 de junho, a Oi recorreu à Justiça para evitar um pagamento de 104,3 milhões de reais em dinheiro à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o que poderia afetar o pagamento de fornecedores e empregados. A companhia pediu à Anatel uma atualização do valor que precisará ser garantido, mas não teria obtido um posicionamento da agência reguladora. Os 104,3 milhões de reais se referem ao valor total a ser pago pela Oi. No entanto, a operadora entende que teria direito a um abatimento sobre o valor a ser garantido ao cumprir obrigações de expansão de cobertura e ampliação da infraestrutura. O pedido feito agora à Justiça é para não apresentar garantia até que a Anatel defina o novo valor. Ontem à noite, a Justiça do Rio acatou o pedido da Oi. O valor seria usado para garantir o uso de uma radiofrequência móvel. Ao todo, a empresa pode ter de pagar quase 680 milhões de reais até o fim do ano pelas garantias. Sem elas, a Anatel pode suspender o uso da faixa, o que faria a empresa deixar de operar em alguns municípios. A garantia que vence neste mês é referente à outorga de parte da chamada banda H. A companhia corre contra o tempo. Isso porque deveria já ter renovado até a última terça-feira a apólice de seguro da garantia que vencerá no domingo. Para isso, alega que precisa de um posicionamento da Anatel sobre o abatimento do valor. Sem isso, a tele argumenta não ser possível saber o valor que deve ser garantido após o vencimento. Procurada, a Anatel não se pronunciou. Em documento apresentado à 7.ª Vara Empresarial do Rio, a Oi argumenta que o cenário é agravado pela de recuperação judicial. (Estadão Conteúdo)

Comente agora
15
Jul
Dólar tem 4ª queda seguida e fecha a R$ 3,25
Postado por: Anacley Souza / 18:33h

O dólar comercial fechou esta sexta-feira (15) em queda de 0,16%, cotado a R$ 3,254 na venda. É a quarta baixa seguida da moeda norte-americana, que havia caído 0,46% na véspera. Com isso, o dólar encerra a semana com queda de 1,22%. No mês, no entanto, a moeda acumula alta de 1,28%. No ano, a desvalorização acumulada é de de 17,57%. No exterior, o crescimento acima do esperado da economia chinesa e o avanço nas vendas do comércio dos Estados Unidos aumentaram a procura por aplicações de risco em mercados emergentes, como o Brasil. No entanto, investidores preferiram evitar grandes apostas após um ataque matar mais de 80 pessoas na França, na véspera. "Não há uma corrida clara por ativos (aplicações) de baixo risco, mas com certeza há motivo para prudência", afirmou à agência de notícias Reuters o operador de uma corretora internacional. No Brasil, a investidores mantinham o otimismo com relação à perspectiva de implementação de medidas de ajuste fiscal, especialmente após a eleição do deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) como presidente da Câmara dos Deputados. O político é considerado pragmático e com bom relacionamento com o presidente interino, Michel Temer, segundo analistas. Para Temer, a vitória de Maia na Câmara ajudou a pacificar a Casa e dará harmonia aos poderes Executivo e Legislativo. O Banco Central voltou a atuar no mercado de câmbio, o que limitou o espaço para quedas do dólar frente ao real. Nesta sessão, o BC vendeu a oferta total de 10 mil contratos de swap cambial reverso, que equivalem à compra futura de dólares, repetindo a operação que realizou em todas as sessões deste mês, exceto na sexta-feira passada (8). (Reuters)

Comente agora
15
Jul
BC recebe mais de 2,7 mil reclamações contra instituições financeiras
Postado por: Débora Ayane / 14:11h

Clientes bancários registraram 2.792 reclamações no Banco Central (BC) contra as instituições financeiras em junho. Segundo informações divulgadas nesta sexta-feira (15) pelo BC, a principal reclamação, com 349 casos, envolve a oferta ou prestação de informação a respeito de produtos e serviços de forma inadequada. Em segundo lugar, 294 queixas consideradas procedentes pelo BC foram relacionadas a irregularidades relativas a integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade das operações e serviços relacionados a cartões de crédito. Em terceiro lugar, com 267 casos, situam-se as reclamações classificadas como “outras irregularidades relativas à integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade das operações e serviços”. Entre as instituições com mais de 2 milhões de clientes, o banco BMG segue liderando o ranking de reclamações desde janeiro deste ano. No início do ano, o banco passou a ter mais de 2 milhões de clientes e desde então lidera a lista. Para fazer o ranking, as reclamações são divididas pelo número de clientes da instituição financeira que originou a demanda e multiplicadas por 1 milhão.

Comente agora
15
Jul
Aposentados e pensionistas que recebem pelo BB têm nova opção de saque
Postado por: Redação Voz da Bahia / 10:22h

Cerca de 3,7 milhões de aposentados e pensionistas que recebem pelo Banco do Brasil agora podem sacar o benefício pelo Banco24Horas, caixas eletrônicos compartilhados por vários bancos. Os portadores do cartão da Previdência Social emitido pelo Banco do Brasil só podiam receber o dinheiro pelos terminais próprios do banco e nos guichês de caixa da instituição. Mas, por segurança, a solução está disponível apenas para transações via cartões com chip. Desde o ano passado, o Banco do Brasil substituiu mais de 2 milhões de cartões do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A troca é gratuita e pode ser feita na agência onde o benefício do aposentado ou pensionista está vinculado. Para esclarecer dúvidas, o banco dá orientações pelo Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC), no telefone 0800 729 0722. O atendimento funciona 24 horas, em todos os dias da semana.

Comente agora
15
Jul
FGTS: publicada lei que libera uso do saldo do fundo para empréstimo
Postado por: Redação Voz da Bahia / 09:56h

Foi publicada na edição de hoje do Diário Oficial da União a decisão do Congresso Nacional em promulgar a lei que permite que o trabalhador do setor privado oferecer até 10% do saldo de seu Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) como garantia em um empréstimo consignado, onde é feito o desconto na folha de pagamento. A lei é originada de uma medida provisória editada pela presidente afastada Dilma Rousseff. De acordo com a lei, caberá ao agente operador do FGTS, ou seja, a Caixa Econômica Federal, definir os "procedimentos operacionais" para que as novas regras sejam aplicadas. "O Conselho Curador do FGTS poderá definir o número máximo de parcelas e a taxa máxima mensal de juros a ser cobrada pelas instituições consignatárias nas operações de crédito consignado de que trata este artigo", diz a lei. Dessa forma, o trabalhador terá que esperar o banco divulgar as regras para poder acessar o procedimento. A lei, que já tinha passado pela Câmara, foi aprovada nesta semana no Senado. Como foi editada pelo Executivo, não precisa ser sancionada pelo presidente em exercício Michel Temer e depende exclusivamente da Caixa para entrar em vigor. Pelo texto, o empregado também poderá dar como garantia nas operações até 100% do valor da multa paga pelo empregador, em caso de demissão sem justa causa.

Comente agora
15
Jul
Receita paga hoje restituições do 2º lote do Imposto de Renda 2016
Postado por: Redação Voz da Bahia / 07:47h

A Receita Federal paga nesta sexta-feira (15) as restituições do segundo lote do Imposto de Renda 2016 e de lotes residuais, de quem caiu na malha fina, de 2008 a 2015. Estão incluídos nesse segundo lote de restituição 1.490.266 contribuintes, totalizando mais de R$ 2,5 bilhões.

Consultas

A consulta pode ser feita pelo site:

http://www.receita.fazenda.gov.br/Aplicacoes/Atrjo/ConsRest/Atual.app/paginas/index.asp

Receita Federal lembra que há ainda o aplicativo para tablets e smartphones que facilita consulta às declarações do IRPF e situação cadastral no CPF, diretamente nas bases de dados da Receita Federal.

Comente agora
14
Jul
Fazenda pode negociar com servidores da Receita Federal
Postado por: Anacley Souza / 21:25h

Pressionado por auditores fiscais da Receita Federal por aumentos salariais, o Ministério da Fazenda sinalizou que poderá negociar com os servidores.Os servidores ouviram da Receita que o secretário executivo do Ministério, Eduardo Guardia, deverá recebê-los na próxima quarta-feira (20). Servidores da Receita Federal querem que o governo inclua a categoria entre aquelas que serão agraciadas por reajustes salariais este ano. Para aumentar a pressão, realizaram manifestações em três Estados. Na capital federal, ocuparam parte do Ministério da Fazenda. Como parte dos protestos, durante a manhã, os auditores realizaram uma operação padrão -quando deixam de cumprir plenamente suas funções- ao fiscalizar as bagagens de viajantes nos aeroportos de Guarulhos, em São Paulo, de Viracopos, em Campinas, e do Galeão, no Rio de Janeiro. Em Brasília, pouco mais de 100 manifestantes entraram no Ministério e ocuparam o 5º andar do prédio -onde fica o gabinete do chefe da pasta, Henrique Meirelles- para cobrar uma audiência com o ministro. Não foram recebidos por ninguém. Apesar do aceno do Ministério, o encontro com Guardia pode ser tarde. Após reunião entre o ministro do Planejamento, Dyogo de Oliveira, com Jorge Rachid, secretário da Receita, realizada nesta quarta-feira (13), Dyogo afirmou a secretários da pasta que mandaria ainda nesta quinta (14) o projeto de lei que propõe ao Congresso os reajustes salariais de diversas categorias de servidores do Executivo. Os servidores reclamam que os reajustes já tinham sido acordados com a equipe econômica da presidente afastada, Dilma Rousseff, e que a nova equipe do presidente interino, Michel Temer, não quer honrá-lo. Com informações da Folhapress.

Comente agora
14
Jul
Petrobras vai parar produção de petróleo em até 16 plataformas
Postado por: Anacley Souza / 21:00h

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) autorizou a Petrobras a interromper a produção em 16 plataformas e 14 concessões, sendo 13 em terra e uma em mar. De acordo com a ANP, a autorização foi motivada pela “recente e brusca” mudança da conjuntura externa à companhia, como a queda do preço do petróleo, a desvalorização significativa do real frente ao dólar, a perda de grau de investimento do Brasil e os problemas enfrentados com fornecedores nacionais. Segundo a agência, também pesou na decisão o fato de a produção no curto prazo não ser econômica. A Petrobras poderá parar a produção nas concessões de Aguilhada, Angelim, Aruari, Atalaia Sul, Brejo Grande, Ilha Pequena, em Sergipe; Fazenda Matinha, Fazenda Santa Rosa, Pedrinhas, Quererá, Rio da Serra, Rio Pojuca, na Bahia; Rio São Mateus Oeste, no Espírito Santo, todas em terra; e na de Agulha, no Rio Grande do Norte, no mar. Já as plataformas que terão a produção interrompida estão nos campos de Agulha (PAG-1, PAG-2 e PAG-3), Ubarana (PUB-15), Arabaiana (PARB-3), Pescada (PPE-3), Xaréu (PXA-2), Camorim (PCM-05, PCM-06, PCM-07, PCM-08, PCM-09), Guaricema (PGA-2, PGA-7 e PGA-8) e Oeste de Ubarana (POUB-2). Segundo a resolução da ANP, terminado o prazo de interrupção da produção, caso não haja um processo de cessão de direitos, a produção de cada campo deverá ser retomada no dia útil seguinte ao fim da paralisação, atualizados e apresentados os respectivos Programas Anuais de Produção e de Trabalho e Orçamento. Se a cessão de direitos não ocorrer ou for constatada a inviabilidade econômica do retorno da produção, o concessionário deverá dar início ao processo de terminação antecipada dos contratos.

Comente agora
14
Jul
Despesa com Itaipu pode elevar conta de luz em 2%
Postado por: Anacley Souza / 20:25h

A bondade concedida pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Paraguai pela energia da usina de Itaipu vai custar caro para o consumidor. Sete anos após o acordo que triplicou o valor pago ao país vizinho pela cessão de eletricidade, o governo decidiu livrar o Tesouro Nacional dessa conta e transferi-la integralmente ao consumidor. Cálculos preliminares de fontes do setor indicam que a tarifa da hidrelétrica terá que subir 12% para bancar essa despesa. Para a conta de luz, o impacto médio será de um aumento de 2%. No dia 23 de junho, o governo publicou a Medida Provisória 735, que transferiu toda a despesa para as tarifas de energia. O texto teve efeito retroativo e passou a valer a partir de 1º de janeiro deste ano, mas só deve ser incluído nas contas de luz no ano que vem. Neste ano, o Paraguai teria que receber cerca de 900 milhões de reais por ceder seu excedente de energia ao Brasil. Para o ano que vem, as tarifas terão que arrecadar 1,8 bilhão de reais, para fazer jus ao pagamento de 2016 e 2017.Na tarifa de Itaipu, esse custo deve gerar uma alta da ordem de 12%. Para o consumidor final o impacto será diluído e deve atingir, em média, 2%. A conta será paga apenas pelos clientes das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, pois Itaipu não atende as outras regiões do País.

Comente agora
Todos os direitos reservados a Marcus Augusto Macedo | vozdabahia@hotmail.com