As comentadas


Boa tarde , Domingo, 29/03/2015









Enquete



Reflita

Blog

Economia

29
Mar
Projetos de R$ 4,3 bi esperam recursos do FI-FGTS
Postado por: Letícia Oliveira / 13:55h

Pressionada pela crise na indústria de óleo e gás, agravada pela queda na cotação internacional do petróleo e pela Operação Lava Jato, a Petrobrás vê ameaçada a curva de produção que previa alcançar 4,2 milhões de barris de óleo por dia até 2020. Sem a produção, a companhia gera menos receitas e atrasa a recuperação de suas finanças. Preocupada, a estatal direcionou as novas licitações de plataformas para o exterior e determinou prazos mais rígidos aos fornecedores. O caso mais emblemático é o de seis unidades de produção destinadas a campos prioritários, como Lula, Entorno de Iara e Búzios, no pré-sal da Bacia de Santos. Elas ainda aguardam o resultado de uma nova licitação após o abandono do contrato, em novembro, pelo estaleiro Iesa, citado nas investigações de corrupção. Somente na área de Lula, a estimativa era de produção de 1,4 milhão de barris por dia a partir de 2017, quando dez plataformas deveriam estar em funcionamento. Desse total, entretanto, duas estão em obras e devem operar no próximo ano.

Comente agora
29
Mar
Ruim para muitos, dólar alto pode dar fôlego à economia
Postado por: Letícia Oliveira / 11:58h

O dólar valorizado pressiona os preços no mercado interno, aumentando a inflação, e é ruim para quem vai viajar. Mas, em um ano em que é prevista retração do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos no país), o fortalecimento da moeda norte-americana pode dar algum fôlego às exportações e, por tabela, à própria atividade econômica. O dólar tem fechado acima dos R$ 3. A previsão de investidores ouvidos pela pesquisa Focus, do Banco Central (BC), é que ele encerrará o ano em R$ 3,15. A consequência disso, segundo o presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), José Augusto de Castro, será as empresas focarem nas exportações. “Com o ajuste fiscal, forte retração no mercado interno, vai ter que buscar o externo”, avalia, prevendo aumento das vendas principalmente para os Estados Unidos. “As importações de todos os países da América da Sul [que compram do Brasil] estão caindo, pois suas exportações de commodities [produtos básicos com cotação internacional] estão recuando, em função da queda de preços”, explica, projetando que as vendas para os EUA crescerão de 15% a 20%.

Comente agora
29
Mar
Empregador tem que pedir seguro-desemprego para funcionário demitido
Postado por: Letícia Oliveira / 11:55h

Para tornar mais rápido o atendimento ao pedido e dar maior segurança às informações sobre os trabalhadores, o Ministério do Trabalho e Emprego determinou que as empresas passem a preencher o requerimento do seguro-desemprego de seus empregados pela internet. A medida começa a valer na próxima quarta-feira, 1º de abril, de acordo com resolução do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador. Os empregadores só poderão preencher o requerimento do seguro-desemprego e a comunicação de dispensa de trabalhadores por meio do aplicativo Empregado Web, disponível no Portal Mais Emprego, do ministério. A entrega dos  formulários impressos, utilizados hoje, será aceita até 31 de março. Segundo o ministério, o sistema dará maior rapidez à entrega do pedido, além de garantir a autenticidade dos dados, e possibilitará o cruzamento de informações sobre os trabalhadores em diversos órgãos, facilitando consultas necessárias para a liberação do seguro-desemprego. (Agência Brasil)

Comente agora
29
Mar
Bancos querem modelo diferente em disputa por servidor
Postado por: Letícia Oliveira / 11:35h

Os bancos têm interesse no leilão da folha de pagamento do funcionalismo público federal, mas querem um modelo diferente do que vem sendo pensado pela União. Desde que o Estado antecipou a decisão do governo federal de vender a folha de pagamento como estratégia para aumentar a arrecadação, os bancos têm tratado o tema com discrição, mas avaliam, nos bastidores, como influenciar na definição do modelo de licitação. A reportagem procurou as maiores instituições financeiras, que confirmaram o interesse em administrar a folha dos servidores federais, mas ponderaram que o momento econômico atual e as mudanças na legislação que facilitaram a portabilidade das contas causam impacto no modelo do negócio. Executivos dos bancos só aceitaram falar sem que fossem identificados para não explicitar as estratégias de cada instituição.

Comente agora
29
Mar
85% do esforço fiscal sai do bolso dos brasileiros
Postado por: Letícia Oliveira / 10:23h

A maioria das pessoas não sabe para que serve o superávit primário - economia de recursos feita pelo governo para manter as contas no azul e garantir um extra que cobre o pagamento da dívida pública. Neste ano, porém, todos os brasileiros vão tirar dinheiro do bolso para ajudar nessa economia. Do bolo de recursos que o governo já garantiu para o superávit, 85% são bancados pela população. Segundo cálculo do economista Mansueto Almeida, feito a pedido do Estado, as medidas anunciadas pela nova equipe conseguiram reunir até agora R$ 45 bilhões dos cerca de R$ 66 bilhões que fixou como meta para 2015 (o compromisso é fazer o equivalente a 1,2% do Produto Interno Bruto do ano). Ocorre que apenas R$ 7 bilhões são cortes na máquina pública, basicamente de despesas de custeio, como cafezinho e xérox. O grosso dos recursos, R$ 38 bilhões, vai sair do orçamento das famílias (veja quadro abaixo). Uma parte virá da cobrança de tributos, como a volta da Cide nos combustíveis e a mudança no Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), com o fim da desoneração de veículos e a alta na taxa para cosméticos. Um estudo da LCA Consultores, encomendado pelas indústrias do setor, concluiu que um simples batom - que pelas estimativas vai subir mais de 12% - dará um quinhão ao ajuste fiscal. "Não tinha como ser diferente porque esforço fiscal se faz com corte de gasto ou alta de tributo", diz Mansueto. "Ainda assim, o governo terá dificuldades para cumprir a meta."

Comente agora
28
Mar
Eletrobras reduz prejuízos e fecha 2014 com resultado negativo de R$ 3 bilhões
Postado por: Letícia Oliveira / 15:25h

A Eletrobras, holding do sistema elétrico brasileiro, fechou 2014 com resultado negativo de R$ 3 bilhões. Apesar das perdas, o prejuízo é 51% menor que o de 2013, quando a estatal fechou com perdas de R$ 6,1 bilhões. Os dados divulgados pela empresa indicam que as principais causas dos prejuízos foram o custo da energia comprada para revenda (R$ 9,9 bilhões), a provisão para contingências judiciais (R$ 3,2 bilhões) e a baixa de crédito fiscal (R$ 1,7 bilhão). A empresa destaca como ponto positivo em seu balanço o “forte impacto” causada pela queda de 16,8% no custo com pessoal, que passou de R$ 6,7 bilhões para R$ 5,5 bilhões. Outros pontos positivos destacados nas informações do holding dizem respeito à reversão da provisão para perdas de ativos financeiros, que atingiu R$ 792 milhões, e o aumento de 50,9% na receita do suprimento de geração.

Comente agora
28
Mar
Economia e violência abrem 'clarões' nas arenas pelo país
Postado por: Letícia Oliveira / 10:21h

O Itaquerão, a Arena Corinthians, não é o único dos novos estádios brasileiros que convivem com setores que recebem pouco público. Já se tornou comum, por exemplo, ver as partes centrais de Maracanã (Rio) e Mineirão (Belo Horizonte) praticamente às moscas na maioria dos jogos. A rigor, distribuição uniforme de torcedores por suas dependências apenas o Allianz Parque, do Palmeiras, tem conseguido com regularidade. Para o consultor de gestão esportiva da BDO, Pedro Daniel, são dois os principais fatores que andam esvaziando os locais mais nobres das novas arenas, como camarotes e cadeiras especiais: a crise econômica vivida pelo País e a violência que insiste em acompanhar as partidas de futebol, sobretudo os clássicos. "Quando a economia passa por momentos complicados, o gasto com entretenimento diminui", disse Daniel. "No caso dos camarotes, por exemplo, normalmente quem compra são as empresas. Com a economia numa fase desfavorável, esse investimento é deixado de lado". Em relação ao medo da violência, ele alerta que causa impacto nos torcedores comuns de maior poder aquisitivo, justamente aqueles que quando vão aos estádios optam por ficar nos setores mais nobres. "São os que pagam valores mais altos pelos ingressos. Eles estão avaliando que a contrapartida recebida para ir ao estádio ainda não é a ideal". No Itaquerão, o Corinthians chega a cobrar R$ 450 por bilhete no setor Oeste.

Comente agora
28
Mar
Preços de ovos de páscoa variam em até 80%; barras de chocolate são opção
Postado por: Letícia Oliveira / 10:15h

A poucos dias da Semana Santa, em meio à alta da inflação, o consumidor precisa mais do que nunca gastar sola de sapatao na pesquisa pelo melhor preço. Esta é a conclusão de pesquisa divulgada ontem pelo Procon de São Paulo que indica que os preços de ovos e bolos de Páscoa podem variar em até mais de 80%. A pesquisa foi realizada nos dias 16 e 17 de março com preços de 123 ovos e 22 bolos de diversas marcas. O órgão encontrou uma diferença de 81,72% no ovo de Páscoa Toy Story, 150g, da Nestlé, cujo preço variou de R$ 19,80 a R$ 35,98. Na comparação de produtos comuns entre as pesquisas de 2014 e 2015, houve, em média, acréscimo nos ovos de páscoa de 9,16% e nos bolos de 7,04%. Ou seja, uma alta acima da inflação. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC-SP), da Fipe, referente ao período de março de 2014 a fevereiro de 2015, registrou variação de 6,65%. O Procon-SP orienta que o consumidor compare os preços dos estabelecimentos e também considere a relação qualidade, peso e preço do item de compra.

Comente agora
28
Mar
Bancos e empresas são alvo da Operação Zelotes
Postado por: Letícia Oliveira / 09:24h

Os bancos Bradesco, Santander, Safra, Pactual e Bank Boston, as montadoras Ford e Mitsubishi, além da gigante da alimentação BR Foods são investigados por suspeita de negociar ou pagar propina para apagar débitos com a Receita Federal no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf). Na relação das empresas listadas na Operação Zelotes também constam Petrobras, Camargo Corrêa e a Light, distribuidora de energia do Rio.”Aqui no Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais) só os pequenos devedores pagam. Os grandes, não”, resumiu um ex-conselheiro do Carf, com cargo até 2013, numa conversa interceptada com autorização da Justiça, segundo relato dos investigadores. Procuradas pela reportagem, a maioria das empresas informou não ter conhecimento do assunto. A fórmula para fazer o débito desaparecer era o pagamento de suborno a integrantes do órgão, espécie de “tribunal” da Receita, para que produzissem pareceres favoráveis aos contribuintes nos julgamentos de recursos dos débitos fiscais ou tomassem providências como pedir vistas de processos.

Comente agora
28
Mar
Novo cálculo melhora relação dívida/PIB
Postado por: Letícia Oliveira / 09:14h

Com a mudança na metodologia para calcular o Produto Interno Bruto (PIB), que gerou revisões para cima do resultado nos últimos anos, os indicadores de solvência do Brasil melhoraram de forma substancial, disse ao 'Broadcast', serviço em tempo real da 'Agência Estado', o economista-chefe da consultoria LCA, Braulio Borges. Segundo ele, a dívida bruta como proporção do PIB atingiu 63,5% em 2014 antes da adoção do atual método, mas agora deve baixar para 58,9%. Nesse contexto, ele avalia que, em 2015, esse passivo do governo deverá baixar de 65% para 61%. "O patamar menor da dívida bruta diminui o risco de o Brasil perder o grau de investimento pelas três principais agências internacionais de rating", disse. "A Moody's, por exemplo, já deixou explícito que o nível de 70% da dívida bruta em relação ao PIB poderia provocar a perda da nota soberana. No caso da agência, pode ser que rebaixe o País em uma nota neste ano. Mas não acredito que faria uma nova redução de rating, o que levaria a retirar o grau de investimento", acrescentou.

Comente agora
27
Mar
Dólar sobe 1,55% ante real, com operadores buscando nível de equilíbrio
Postado por: Redação Voz da Bahia / 22:29h

O dólar fechou com alta de mais de 1,5 por cento sobre o real nesta sexta-feira, com investidores buscando um nível de equilíbrio para o câmbio após a intensa volatilidade das últimas semanas, que levou a divisa a encostar em 3,30 reais e cair abaixo de 3,10 reais. A moeda norte-americana subiu 1,55 por cento, a 3,2405 reais na venda e, na semana, acumulou leve avanço de 0,32 por cento. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de 2,4 bilhões de dólares. (Por Bruno Federowski)

Comente agora
27
Mar
Levy diz que economia dá sinais de recuperação pelas exportações
Postado por: Anacley Souza / 22:13h

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse hoje (27) que a economia brasileira já dá sinais de recuperação, por meio do crescimento das exportações. Ele pontuou que o resultado fraco do Produto Interno Bruto (PIB) do ano passado reflete um momento de transição do país, que teve, em 2014, atividade econômica abaixo da expectativa. “O resultado do PIB mostrou que a gente está em uma transição. Começa a haver recuperação das exportações. No ano passado, a contribuição das exportações e importações foi neutra, uma compensou a outra. Neste ano, esperamos que haja recuperação das exportações e que o setor externo possa ajudar o crescimento da economia. Nos últimos anos não foi assim, então esta pode ser uma mudança positiva”, disse Levy, após participar, no Rio de Janeiro, de reunião do Conselho de Administração do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Levy disse que a expectativa é de recuperação do investimento no segundo semestre do ano. “O investimento foi realmente um pouco mais fraco no ano passado. Há um esforço de que a gente veja, mais para a segunda metade do ano, uma recuperação do investimento. Isto é muito importante para a retomada do país. A própria exportação deve criar demanda por investimentos, via empresas que queiram se aparelhar não só para exportar, mas também para atender o mercado local, criando empregos”, acrescentou. (Agência Brasil).

Comente agora
27
Mar
Mega-Sena pagará R$ 19 milhões neste sábado
Postado por: Anacley Souza / 19:15h

O concurso 1.690 da Mega-Sena promete pagar, nesse sábado (28/3), o prêmio de R$ 19 milhões ao apostador que acertar os seis números. Por ter final com o número zero, o concurso recebe um adicional de 22% do total destinado aos últimos cinco prêmios da modalidade. O sorteio será realizado às 20h (horário de Brasília) no Caminhão da Sorte da Caixa, que está em Pirajuí (SP), na Praça Dr. Pedro da Rocha Braga. Caso apenas um ganhador leve o prêmio da Mega-Sena e aplique todo o valor na Poupança, receberá cerca de R$ 120 mil em rendimentos mensais. Se preferir investir em bens, poderá comprar 23 imóveis de R$ 800 mil cada ou uma frota de 126 carros de luxo. A aposta da Mega-Sena custa R$ 2,50 e pode ser feita até as 19h (horário de Brasília) de sábado, em qualquer lotérica do país..

Timemania: A modalidade está acumulada e vai sortear R$ 2 milhões, também no sábado. O sorteio será realizado no Caminhão da Sorte, a partir das 20h.

Comente agora
27
Mar
Projeto-piloto de geração de energia solar em reservatórios começa em 120 dias
Postado por: Letícia Oliveira / 17:41h

Dentro de 120 dias, o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, pretende dar início aos testes do  projeto-piloto de geração de energia solar em reservatórios de hidrelétricas. Em coletiva hoje (27) na Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), Braga disse que a ideia é ter uma política pública de financiamento para esses projetos na Região Sudeste, “ainda no segundo semestre deste ano”. A nova tecnologia utiliza flutuadores com placas solares e está sendo usada na Europa e Estados Unidos. O ministro disse, entretanto, que a Europa não dispõe de grandes hidrelétricas. “Estão fazendo isso em pequenos reservatórios de água para usos múltiplos”. No Brasil, a ideia é testar a tecnologia nos grandes reservatórios. O primeiro deles será o da Usina Hidrelétrica de Balbina, no Amazonas. Braga considera Balbina o reservatório mais favorável, porque tem grande área alagada com reduzida geração de energia. “Temos uma ociosidade de subestação e de linha de  transmissão com circuito duplo. Nós vamos fazer lá os primeiros 350 megawatts (MW) testados”.

Comente agora
27
Mar
Custo médio da energia para indústria nacional sobe 48% em 2015
Postado por: Letícia Oliveira / 17:24h

O custo médio da energia para a indústria nacional subiu 48% desde o início deste ano, alcançando R$ 534,28 por megawatt-hora (MWh), segundo atualização feita pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan). Com este valor, o Brasil ocupa a primeira posição no ranking internacional dos 28 países mais caros no custo da energia para a indústria, superando a Índia e a Itália, que ocupavam as primeiras posições. “O custo [no Brasil] é muito mais caro do que o dos nossos principais concorrentes. Isso se traduz, na prática, em produtos que são mais caros, empregos que deixam de ser gerados, investimentos que deixam de ser feitos, porque esse insumo está em toda a indústria”, disse o gerente de Competitividade Industrial e Investimentos do Sistema Firjan, Cristiano Prado.

Comente agora
27
Mar
Serviços têm o menor crescimento desde 1996, diz IBGE
Postado por: Letícia Oliveira / 12:31h

O setor de serviços teve o menor crescimento da série histórica do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), iniciada em 1996. Com alta de 0,7%, os serviços foram essenciais para garantir o crescimento de 0,1% do Produto Interno Bruto (PIB) do país. No entanto, esse crescimento de 0,7% foi inferior, por exemplo, ao observado pelo segmento em 2013 (2,5%). Segundo a coordenadora de Contas Nacionais do IBGE, Rebeca Palis, o crescimento moderado dos serviços foi provocado pela queda da produção na indústria e pelo crescimento, também em ritmo mais moderado, do consumo das famílias. “Uma parte grande dos serviços vai especificamente para as famílias e outra parte grande, para a indústria. Na parte de despesa pessoal, até pelos preços terem aumentado muito, houve queda no consumo desses serviços. Logo, a produção desses serviços também caiu.

Comente agora
27
Mar
Banco do Brasil estuda corte de R$ 1 bilhão nas despesas, diz coluna
Postado por: Redação Voz da Bahia / 11:38h

O governo foi informado de que a cúpula do Banco do Brasil pretende cortar até R$ 1 bilhão em custos este ano, diante da recessão na economia – e seguindo a linha de redução de despesas do banco. A despeito de ser empresa de capital misto, o Planalto recebeu bem a notícia. Curioso é que enquanto a cúpula discute o corte bilionário, mantém a expectativa de crescer suas despesas entre 5% e 8%. ‘O Banco do Brasil mantém foco constante em redução de despesas e aumento da eficiência operacional’, informa a assessoria. Apesar dos cortes, o BB não abrirá mão dos contratos futuros para o aluguel de três edifícios novos em construção, no setor de Autarquias Norte, em Brasília, que serão sedes de diretorias. Segundo a assessoria, uma empresa constrói e o banco alugará os edifícios. Trata-se da incorporadora Tishman Speyer , que ergue três prédios cujo conjunto leva o nome Green Towers Brasília. Um deles foi concluído e já ocupado pelo BB (a fachada foi 'envelopada' com a marca do banco). De acordo com a assessoria do BB, sobre a nova sede, 'o aluguel das novas torres trará redução de despesas para o BB e melhora na eficiência. O BB ocupava em Brasília 9 prédios alugados. Optou por centralizar suas equipes em apenas 2, também alugados. O novo desenho trará ganho de produtividade ao deixar as equipes mais próximas e redução das despesas de aluguel'. (Uol)

Comente agora
27
Mar
Economia brasileira cresce 0,1% em 2014, diz IBGE
Postado por: Samile Macêdo / 09:23h

A economia brasileira cresceu 0,1% em 2014, segundo informou nesta sexta-feira (27) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em valores correntes (em reais), a soma das riquezas produzidas no ano passado chegou a R$ 5,52 trilhões e o PIB per capita (por pessoa), a R$ 27.229. Esse é o pior resultado desde 2009, ano da crise internacional, quando a economia recuou 0,2%. Em 2013, de acordo com dados revisados, a economia havia crescido 2,7%. Em relação ao terceiro trimestre, o PIB do quarto trimestre de 2014 avançou 0,3%. A chamada "estabilidade" da economia no ano passado teve influência da agropecuária, que cresceu 0,4% e do setor de serviços, que expandiu 0,7%. O resultado não foi maior porque também teve reflexos do desempenho da indústria, que recuou 1,2%. Os investimentos, indicados pela formação bruta de capital fixo, recuaram 4,4%. Em relação ao terceiro trimestre, o resultado foi puxado pela agropecuária, que cresceu 1,8% e pelo setor de serviços, que teve expansão de 0,3%. Por outro lado, a indústria mostrou leve queda de 0,1%. 

Comente agora
27
Mar
Governo eleva para 6% ao ano juros de financiamento do BNDES
Postado por: Samile Macêdo / 07:10h

O Conselho Monetário Nacional (CMN) elevou para 6% ao ano a Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) que vigorará no segundo trimestre de 2015, informou nesta quinta-feira o Banco Central. A TJLP é usada para corrigir empréstimos concedidos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A taxa havia sido elevada para 5,5% ao ano para o período do primeiro trimestre de 2015, em convergência com a diretriz da nova equipe econômica de reduzir os subsídios do governo nos empréstimos concedidos pelo BNDES. Antes disso, a TJLP permaneceu em 5% ao ano do primeiro trimestre de 2013 ao último trimestre do ano passado. A definição da TJLP é feita ao fim de cada trimestre pelo CMN, formado pelos ministros da Fazenda e do Planejamento, além do presidente do Banco Central. (Reuters)

Comente agora
26
Mar
Acionistas da Oi aprovam acordo fechado com a PT
Postado por: Anacley Souza / 22:59h

O acordo fechado entre Oi e Portugal Telecom (PT) no ano passado, após calote de 897 milhões de euros tomado pela companhia portuguesa, foi aprovado nesta quinta-feira, 26, em assembleia de acionistas da tele brasileira. Após a decisão, o presidente da operadora, Bayard Gontijo, afirmou que "prevaleceu o bom senso". "Já tínhamos falado que era importante isolar esse problema (calote da Rioforte) do ecossistema da empresa e isso foi feito", afirmou à assembleia. As duas empresas precisaram renegociar os termos da fusão depois que títulos da falida empresa Rioforte, empresa não financeira que pertence ao Grupo Espírito Santo (GES), adquiridos pela PT SGPS, venceram e não foram pagos em julho do ano passado. Com a perda de caixa, foi reduzida a contribuição da PT no aumento de capital da Oi, parte do processo de fusão entre as empresas. Para que a fusão seguisse em frente, as companhias fecharam o novo acordo. Nele, foi estabelecido um contrato de troca, em que a companhia portuguesa se comprometeu a entregar 474.348.720 ações ordinárias e 948.697.440 papéis preferenciais para a Oi e receber os títulos podres da Rioforte. Há ainda um contrato de opção de compra de ações, em que a PT SGPS pode recompor a base acionária em seis anos. A permuta deve ser concluída no próximo dia 31.

Comente agora
26
Mar
Confiança da construção atinge menor patamar desde 2010, mostra FGV
Postado por: Anacley Souza / 22:53h

O Índice de Confiança da Construção recuou 8% em março, na comparação com fevereiro, atingindo 76,3 pontos, de acordo com a Fundação Getulio Vargas (FGV). Essa é a quarta queda consecutiva e o menor nível já registrado pela série, que teve início em 2010. As expectativas de curto prazo apresentaram queda de 7,3%. No mês anterior foi registrado 4,7%. O Índice da Situação Atual caiu 8,9% no mês. Em fevereiro, a queda foi 9,9%. Os índices chegaram aos menores níveis da série. O item que mede as expectativas em relação à evolução da demanda nos três meses seguintes passou de 88,4 pontos para 83,8 pontos no mesmo período, representando uma queda de 5,2%. Ana Maria Castelo, coordenadora de Projetos da Construção da FGV, avalia que o nível de atividade do setor está caindo rapidamente. “O elemento inesperado está vindo do segmento de infraestrutura, porque, nesse caso, as dificuldades não estão relacionadas ao término de obras como no setor imobiliário, mas às obras que estão sendo paralisadas independentemente do estágio, o que tende a gerar um impacto ainda mais forte. E a percepção dos empresários é de que esse quadro tende a se agravar nos próximos meses.” (Agência Brasil)

Comente agora
26
Mar
Receita já recebeu mais de 5,3 milhões de declarações do IRPF 2015
Postado por: Anacley Souza / 20:37h

A Receita Federal já recebeu 5.326.797 declarações do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) 2015, considerando balanço até as 17 horas desta quinta-feira, 26. O prazo de entrega termina em 30 de abril e são esperadas 27,5 milhões de declarações. Quem recebeu mais de R$ 26,8 mil em rendimentos tributáveis ao longo de 2014 está obrigado a prestar contas à Receita Federal. A multa por atraso no envio do IR está limitada a 20% do imposto devido e tem o valor mínimo de R$ 165,74.

Comente agora
26
Mar
Editorial internacional afirma que Dilma venceu eleições vendendo mentiras
Postado por: Anacley Souza / 19:54h

A revista britânica The Economist publicou um novo editorial sobre o Brasil na edição que chega às bancas neste final de semana. Intitulada "Lidando com Dilma", a publicação aponta os motivos que deixam brasileiros "fartos" da presidente. Para a Economist, Dilma mentiu na campanha e os eleitores estão percebendo que foram vítimas de um "estelionato eleitoral". "Mas um impeachment seria uma má ideia", diz a revista. "Não é difícil ver por que os eleitores estão com raiva", afirma a publicação. "Ela presidiu o conselho da Petrobras de 2003 a 2010, quando os promotores dizem acreditar que mais de 800 milhões de dólares foram roubados em propinas e canalizados para os políticos do PT e aliados", diz. Além disso, a revista afirma que Dilma venceu as eleições presidenciais de outubro "vendendo uma mentira". "De fato, como muitos eleitores estão percebendo agora, Dilma vendeu uma mentira", diz o texto. A revista diz que os erros cometidos no primeiro mandato de Dilma levaram o Brasil à situação de crise atual, que exige corte de gastos públicos e aumento de impostos e juros. "Some-se a isso o fato de que a campanha de reeleição pode ter sido parcialmente financiada pelo dinheiro roubado da Petrobras. Os brasileiros têm todos os motivos para sentirem que eles foram vítimas de um equivalente político do estelionato", diz o texto.

Comente agora
26
Mar
Luciano Coutinho substitui Mantega no conselho da Petrobras
Postado por: Anacley Souza / 19:38h

A Petrobras confirmou nesta quinta-feira, 26, a renúncia do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega à presidência do conselho de administração da estatal. Ele será substituído pelo presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, que já integra o conselho da estatal desde abril de 2007. A substituição, entretanto, só é válida até a próxima assembleia geral de acionistas, prevista para abril. A substituição foi aprovada “por maioria”, segundo comunicado divulgado pela Petrobras. A saída do ex-ministro já era dada como certa, mas a expectativa era que fosse anunciado um novo integrante para o conselho, e não uma substituição interna. A previsão era que o atual presidente da mineradora Vale, Murilo Ferreira, assumisse a vaga. Segundo fontes, ele foi convidado pelo governo, mas ainda não há uma confirmação de sua participação no conselho. A eleição completa do novo conselho de administração da empresa será na próxima assembleia geral dos acionistas, prevista para abril. Na ocasião, também será confirmado no cargo o novo representante dos funcionários no colegiado, Deyvid Bacelar, e do advogado Luiz Navarro, indicado pelo governo. (Estadão Conteúdo)

Comente agora
26
Mar
BC prevê estouro da meta de inflação em 2015 e possível recessão
Postado por: Samile Macêdo / 14:41h

O Banco Central admitiu nesta quinta-feira (26), pela primeira vez, que a inflação deve estourar a meta este ano, e que a economia brasileira deve ter retração. Em seu relatório de inflação do primeiro trimestre, o BC mostra que o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve ficar em quase 8%. Já o Produto Interno Bruto (PIB) deve encolher 0,5%. Em 2014, a estimativa do BC é que o PIB tenha recuado 0,1%. Em dezembro, a instituição estimava uma alta de 0,2% para o PIB do ano passado. O dado oficial será divulgado nesta sexta-feira (27) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com isso, não pode ser descartada uma possível recessão técnica na economia brasileira – que se caracteriza por dois trimestres seguidos de recuo do nível da atividade econômica. Segundo a autoridade monetária, a evolução da demanda doméstica sofre os efeitos de "níveis reduzidos dos indicadores de confiança; pela interrupção dos ciclos de expansão robusta do emprego, dos rendimentos e do crédito; e pelos efeitos defasados de políticas monetária e fiscal mais restritivas [alta de juros, de tributos e cortes de gastos]". 

Comente agora
26
Mar
Cresce endividamento das famílias em março, diz CNC
Postado por: Redação Voz da Bahia / 11:10h

O endividamento das famílias subiu em março em relação a fevereiro – o índice foi de 59,6%, maior que o do mês passado, que ficou em 57,8%, informa a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). O levantamento leva em conta os endividados com cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, empréstimo pessoal, prestação de carro e seguro. O percentual foi menor que o registrado no mesmo período do ano passado, de 61%. De acordo com a CNC, a alta se dá pelo segundo mês consecutivo, mas mantém tendência de queda na comparação anual. O percentual das famílias que declararam não ter condições de pagar suas contas ou dívidas ficou em 6,2% em março, ante 6,4% em fevereiro e 7,1% em março de 2014. A proporção de famílias com dívidas ou contas em atraso aumentou na comparação mensal, passando de 17,5% para 17,9%. Entretanto, registrou queda em relação a março de 2014, quando o indicador alcançou 20,8%. Já o número de famílias que se declararam muito endividadas, que havia alcançado, em fevereiro, o menor patamar desde o início da série, em 2010, aumentou em março, passando de 9,7% para 10,6%. 

Comente agora
26
Mar
Dólar alto já reflete no preço dos alimentos
Postado por: Redação Voz da Bahia / 11:07h

A alta do dólar já contribui para o aumento dos preços dos alimentos tanto produzidos no exterior como internamente. De acordo com Vinícius Botelho, pesquisador associado da área de Economia Aplicada da Fundação Getulio Vargas (FGV), são duas razões: aumento de preço dos produtos importados, que são cotados em dólar e, com a subida da taxa de câmbio, se tornam mais caros em reais; e maior rentabilidade no mercado internacional encontrada pelos exportadores brasileiros, fato que influencia no aumento do valor internamente. "Eles ficam mais caros para conseguir manter a mesma vantagem e equilibrar os preços. Isso faz com que a inflação aqui também fique pressionada, como, por exemplo, é o caso das carnes”, explica Botelho. Para o especialista, os impactos da desvalorização cambial estão longe do fim, pois alguns dos efeitos demoram a se manifestar nos índices de preço. “Existe uma valorização global do dólar ocorrendo e isso tem uma consequência positiva no preço das commodities, pois com a moeda americana ficando mais forte em relação às demais, o preço das commodities cotadas em dólar cai. Entretanto, o real tem se desvalorizado ainda mais. Então, ainda existirão efeitos substanciais de repasses ao longo do tempo, apesar deles demorarem a se manifestar nos índices de preços”, analisa. Para ele, a tendência inicial é um aumento dos preços no atacado e, posteriormente, no varejo. “Geralmente leva algum tempo para que aconteça todo esse repasse. A maior parte deve se materializar em, mais ou menos, um ou dois trimestres.” (G1)

Comente agora
26
Mar
Taxa de desemprego fica estável na região metropolitana de Salvador
Postado por: Letícia Oliveira / 10:16h

A taxa de desemprego permaneceu relativamente estável em Salvador e Região Metropolitana em fevereiro em relação a janeiro segundo a Pesquisa  Emprego Desemprego (Ped) apresentada ontem pela Superintendência de Estudos Socioeconômicos (SEI). O estudo mostra que, no mês passado, a taxa de desemprego total da RMS ficou em 16,4% da População Economicamente Ativa (PEA). Em janeiro, este número foi de 16,3%. Em fevereiro de 2014, a taxa de desemprego total marcava 17,7%. Para fevereiro deste ano, o contingente de desempregados foi estimado em 303 mil pessoas,  mil a menos que em janeiro. Essa relativa estabilidade, segundo a SEI, deveu-se à combinação entre a saída de 16 mil pessoas da PEA e a eliminação de 15 mil postos de trabalho. No período, o contingente de ocupados declinou (1,0%), passando de 1.558 mil para 1.543 mil pessoas. Segundo os principais setores econômicos analisados, houve crescimento apenas na Indústria de transformação (6 mil ou 4,5%) e relativa estabilidade no setor de Serviços (-4 mil ou -0,4%), e redução no comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas (11 mil ou 3,6%) e na construção (3 mil ou 2,1%).

Comente agora
26
Mar
Governo consegue adiar no Senado votação sobre dívidas
Postado por: Letícia Oliveira / 10:09h

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, ganhou nesta quarta-feira, 25, um pouco mais de tempo para negociar o prazo de regulamentação da lei que altera o indexador de correção da dívida dos Estados e municípios. Apelando para os riscos de uma batalha jurídica – o governo não quer mudar o indexador porque isso prejudicaria o ajuste fiscal da União -, Levy conseguiu que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), adiasse para a próxima semana a votação do projeto que dá um prazo de 30 dias para a presidente Dilma Rousseff regulamentar a lei. A lei que muda o indexador das dívidas e beneficia Estados e municípios é de novembro de 2014. Desde então, não foi regulamentada pelo Planalto porque isso abriria espaço para que governos regionais gastassem mais, algo que contraria o atual esforço fiscal em razão da crise econômica.

Comente agora
25
Mar
Por que só Itaú Unibanco e Bradesco ganham dinheiro no Brasil?
Postado por: Marcus Augusto Macedo DRT 5719 / 23:08h

A consultoria Economática divulgou ontem um levantamento com grandes bancos brasileiros e americanos. O resultado não foi nenhuma novidade. Desde 2002, as instituições financeiras brasileiras têm dado um "banho de lavada" nas americanas quando o assunto é rentabilidade. Apesar do ROE (rentabilidade sobre o patrimônio líquido) não ser tão alta quanto em 2006 (quando bateu 33,16%), os bancos brasileiros superaram, e muito, os americanos em 2014: 18,23%, contra 7,68%, respectivamente. O que chamou atenção, no entanto, foi um ponto pouco ressaltado no estudo. Retirando o filtro dos grandes bancos (ou seja, aqueles que possuem ativo total superior a US$ 100 bilhões), a média dos ROEs de todos os bancos brasileiros e americanos praticamente coincidem (ver no gráfico abaixo). Os brasileiros encerraram 2014 com rentabilidade de 9,80%, contra 8,47% dos americanos. O que explicaria tamanha diferença? Um dos fatores possíveis de se observar no primeiro momento é que o ROE dos grandes bancos brasileiros, na verdade, é puxado principalmente por duas instituições: Itaú Unibanco (ITUB4), que encerrou o ano passado com 22,68% de rentabilidade sobre o patrimônio líquido (figurando disparado na liderança dos bancos brasileiros e americanos), seguido por Bradesco (BBDC3; BBDC4), com 19,81%. À margem, aparecem Banco do Brasil (BBAS3), que apesar de ter fechado o ano com o indicador em 16,65%, só vem perdendo em ROE - queda de 7,35 pontos percentuais na comparação com 2013 -, e Santander (SANB11), com míseros 3,90%. Passando por essa observação, a segunda mais lógica é que os bancos grandes se diferenciam dos médios por vários motivos, entre eles, o mais óbvio: o próprio porte. Isso possibilita um custo de captação mais barato, dado o menor risco de solvência. O segundo trata-se pela diversificação de receitas. Os grandes bancos ganham dinheiro não apenas com a margem financeira (empréstimos e aplicações em títulos públicos e privados), mas também com receitas de serviços e seguros. Terceiro, os grandes bancos desfrutam de elevados créditos tributários, seja diante dos robustos provisionamentos, seja por conta de aquisições efetuadas.

Comente agora
25
Mar
Telefónica recebe aprovação do governo e compra GVT
Postado por: Anacley Souza / 21:40h

A Telefónica recebeu a aprovação do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) para comprar a GVT (Global Village Telecom) nesta quarta-feira (25). O sinal verde do CADE segue a autorização dada em dezembro de 2014 pela Anatel, agência reguladora brasileira, para a concretização do negócio entre Telefónica e Vivendi e para a troca de ações proposta na transação. A Telefônica Brasil está, a partir de agora, totalmente autorizada a iniciar o processo de integração de Vivo e GVT. Para isso, a Telefônica vai propor ao Conselho de Administração da Telefônica Brasil a indicação de Amos Genish(*), atual CEO da GVT, como novo Presidente e CEO da Telefônica Brasil. A previsão é que o executivo ocupe a posição após o fechamento da operação, que deverá ocorrer no primeiro semestre deste ano, desde que respeitados os acordos celebrados com a Vivendi. Desde já, Genish liderará o processo de integração e a definição de uma estratégia de futuro totalmente orientada ao cliente. Telefónica S.A. e Vivendi fecharam, em setembro de 2014, o acordo final para a venda da GVT (Global Village Telecom) para a Telefónica.

Comente agora
25
Mar
Brasil perdeu 37% da água na rede de distribuição em 2013
Postado por: Anacley Souza / 20:08h

O Brasil desperdiçou 6,53 bilhões de metros cúbicos (m³) de água devido às perdas na rede de distribuição em 2013, aponta pesquisa do Instituto Trata Brasil, divulgado nesta quarta-feira, 25. Esse volume representa 37% de toda a água distribuída e equivale a 6,5 vezes a capacidade do Cantareira ou 7.154 piscinas olímpicas. Em termos financeiros, as perdas na distribuição representam 39%, o equivalente a R$ 8 bilhões. O valor representa 80% dos investimentos feitos em água e esgoto no período analisado. O levantamento, com base no Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento de 2013, do Ministério das Cidades, mostra que a Região Norte é a que mais perde água no processo de distribuição. Mais da metade (50,7%) da água usada no abastecimento é desperdiçada em razão de vazamentos, falta de hidrômetros ou ligações clandestinas. O estado do Amapá, com uma população de 734,9 mil pessoas, é o campeão nacional de perdas, com índice de 76,54%. Em termos unitários, por ligação ativa à rede de distribuição, o índice de perda é 2,7 mil litros/dia por ligação. As perdas também são altas no Nordeste, com 45,03%. O destaque é Sergipe, com 59,27%. A melhor situação é a da Paraíba (36,18%), seguida pelo Ceará (36,52%). O Sudeste é a região que tem o menor índice de perdas, com 33,35% na média estadual. O Rio de Janeiro é o estado com menos perdas, 30,82%, seguido pelo Espírito Santo (34,39%). As demais regiões apresentam índices próximos ao do Sudeste: Sul (35,06%) e Centro-Oeste (33,4%). O Distrito Federal tem o melhor índice do país, 27,27%. Em comparação com 2004, o Trata Brasil avalia que as perdas na distribuição não diminuíram a contento.

Comente agora
25
Mar
Aumento salarial de servidores do Judiciário é aprovado na Câmara
Postado por: Anacley Souza / 19:06h

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (25/3), em caráter conclusivo, proposta (PL7920/14) do Supremo Tribunal Federal (STF) que reajusta os salários dos servidores do Poder Judiciário da União. Pelo texto, o aumento será implementado em parcelas até 2017. O impacto orçamentário para 2015 é de aproximadamente R$ 1,473 bilhão. Como já havia sido aprovado pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Finanças e Tributação, o projeto seguirá agora para o Senado, exceto se houver recurso para que seja analisado antes pelo Plenário da Câmara. Para o cargo de analista judiciário, o salário previsto no texto varia entre R$ 7.323,60 e R$ 10.883,07, de acordo com a progressão na carreira. Já para o cargo de técnico judiciário, os vencimentos propostos estão entre R$ 4.363,94 e R$ 6.633,12. Por fim, para o cargo de auxiliar judiciário, a previsão para o salário varia de R$ 2.584,50 e R$ 3.928,39. O relator na CCJ, deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), deu parecer favorável ao projeto e àemenda da Comissão de Finanças e Tributação que estabelece claramente que os pagamentos desses aumentos estarão condicionados à existência de dotação orçamentária e autorização específica na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).(Agência Brasil)

Comente agora
25
Mar
Endividamento das famílias sobe levemente em janeiro, revela Banco Central
Postado por: Samile Macêdo / 16:07h

O serviço da dívida, a parcela do salário que as famílias destina ao pagamento de juros e de amortizações, também subiu. O indicador passou de 21,97% em dezembro para 22,09% em janeiro. Tradicionalmente, o endividamento e o serviço da dívida sobem em janeiro por causa do aumento dos compromissos financeiros no primeiro mês do ano, marcado por despesas com tributos, material escolar e gastos de Natal. Os dois componentes do serviço da dívida subiram em janeiro. O pagamento de juros passou de 9,3% para 9,4% do salário, refletindo a alta das taxas das linhas de crédito. A despesa com amortizações ficou praticamente estável, mas também aumentou, de 12,67% para 12,69%. (Agência Brasil)

Comente agora
25
Mar
Caem índices de vendas dos materiais de construção no Brasil
Postado por: Samile Macêdo / 13:03h

As vendas de materiais de construção no setor atacadista caíram 16,4% em fevereiro último, na comparação com o mesmo período do ano passado, e 6,4% na comparação com janeiro. Nos dois primeiros meses do ano, os negócios diminuíram 13,9% comparado ao primeiro bimestre do ano passado e, no acumulado de 12 meses (de março de 2014 a fevereiro deste ano), houve retração de 9,2%. Os dados são da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat). Segundo o levantamento, os recuos em relação a janeiro foram maiores no escoamento dos materiais básicos (-7,6%) já descontados os efeitos da inflação no período. Os itens para acabamento tiveram 3,3% menos procura. Em 12 meses, os materiais básicos apresentaram queda de 11%, enquanto os itens para acabamento tiveram recuo de 6,5%. A pesquisa mostra ainda que o emprego também caiu 10,2% nas empresas do setor, na comparação com fevereiro de 2014. Em comparação a janeiro deste ano, o nível foi 0,3% menor. 

Comente agora
25
Mar
Governo estuda aumentar impostos sobre vinhos e uísques, diz jornal
Postado por: Redação Voz da Bahia / 11:40h

A equipe econômica da presidente Dilma Rousseff (PT) estaria estudando formas para aumentar a tributação sobre o setor de bebidas quentes, que engloba uísques, vinhos e vodca. Segundo informações do jornal O Globo, este seria mais um esforço do governo petista para aumentar a arrecadação e contribuir no comprimento da meta de superávit primário de 2015, estimada em 1,2% do Produto Interno Bruto (PIB). Em maio deste ano, entra em vigor o aumento de impostos sobre refrigerantes e cervejas, aprovado em 2014 e que deve elevar o preço das bebidas frias. Ainda segundo a publicação, além de buscar o cumprimento da meta fiscal, o governo também quer corrigir distorções no mercado nacional detectadas pela Receita Federal, através da cobrança de Imposto de Renda (IR) sobre os lucros de multinacionais, que atualmente são auferidos no Brasil e remetidos para outros países.

Comente agora
25
Mar
Receita libera consultas a lote residual do Imposto de Renda
Postado por: Letícia Oliveira / 10:55h

A Receita Federal liberou nesta quarta-feira (25) as consultas ao terceiro lote residual do Imposto de Renda 2014. Os valores serão pagos em 31 de março. As consultas ao lote residual do Imposto de Renda poderão ser feitas no site da Receita. Também poderão ser feitas pelo telefone 146 (opção 3) ou por aplicativo para dispositivos móveis (smartphones e tablets).

R$ 240 milhões em restituições: O Fisco informou que pagará R$ 240 milhões em restituições do Imposto de Renda de pessoas que caíram na malha fina em anos anteriores, mas que depois acertaram as pendências com o leão. Deste valor, R$ 146 milhões referem-se ao Imposto de Renda de 2014. Segundo a Receita Federal, 100.368 contribuintes terão direito à restituição, sendo 21.787 contribuintes idosos e 2.116 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave.

Comente agora
25
Mar
Senadores se reúnem com Levy para debater ajuste fiscal
Postado por: Letícia Oliveira / 10:44h

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, estava reunido nesta manhã com senadores para discutir as medidas de ajuste fiscal tomadas pelo governo com o objetivo de cumprir a meta de superávit primário de 1,2% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2015. A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) disse a jornalistas, ao chegar no Ministério da Fazenda, que acreditava que também seria discutida a questão da renegociação das dívidas de Estados e municípios com a União. Ela ressaltou, porém, que foi convidada para o encontro na manhã da véspera, antes de a Câmara dos Deputados ter aprovado projeto de lei sobre o tema. "Há um consenso entre todos de que tem que haver o ajuste fiscal. O problema é a gente definir onde deverá acontecer o ajuste fiscal. Aí não é fácil porque enquanto a gente debate uma medida para economizar, imediatamente o Congresso aprova outra medida que amplia os gastos", afirmou. O projeto aprovado, que ainda precisa ser votado no Senado, dá um prazo de 30 dias para a União assinar com os Estados e municípios os aditivos contratuais, independentemente de regulamentação. O prazo contará a partir da data da manifestação do devedor, protocolada no Ministério da Fazenda. Nas últimas semanas, Levy intensificou o contato com parlamentares para expor a importância do ajuste fiscal na busca da meta do superávit primário, após um déficit de 0,63 por cento no ano passado.

Comente agora
25
Mar
Confiança do consumidor volta a bater mínima histórica
Postado por: Letícia Oliveira / 09:01h

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) voltou a bater a mínima histórica em março pelo terceiro mês seguido ao recuar 2,9 por cento sobre o mês anterior, para 82,9 pontos. Em fevereiro, o ICC tinha caído 4,9 por cento, chegando a 85,4 pontos, de acordo com os dados da Fundação Getulio VargasA FGV informou nesta quarta-feira que o Índice da Situação Atual (ISA) recuou 5,6 por cento em março, para 77,7 pontos. Já o Índice de Expectativas caiu 1,4 por cento, a 85,8 pontos. Ambos os índices estão nos menores níveis históricos. A proporção de consumidores que avalia a situação da economia como boa caiu de 5,8 por cento em fevereiro para 4,5 por cento em março, enquanto a parcela dos que a consideram ruim aumentou de 71,6 por cento para 77,6 por cento. "O ICC aprofunda a queda, afastando-se ainda mais dos níveis mínimos anteriores, registrados durante a crise financeira internacional de 2008-2009. Aos fatores econômicos, como inflação e mercado de trabalho, soma-se a preocupação do consumidor brasileiro com a turbulência do ambiente político e com os riscos de abastecimento de água e energia", disse o superintendente para ciclos econômicos da FGV/IBRE Aloisio Campelo. (Reuters)

Comente agora
24
Mar
Dólar fecha em queda pelo 3º pregão seguido, a R$ 3,12
Postado por: Marcus Augusto Macedo DRT 5719 / 22:33h

O dólar fechou em queda pelo 3º pregão consecutivo nesta terça-feira (24), no patamar de R$ 3,12, em sessão marcada por sobe e desce. A divisa trocou de sinal pelo menos oito vezes durante o pregão, com investidores ponderando as declarações do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, sobre o programa de intervenções da autoridade monetária no câmbio. A moeda norte-americana caiu 0,57% frente ao real, a R$ 3,1275 para venda. Na mínima da sessão, a divisa chegou a ser negociada a R$ 3,0924. Nas três últimas sessões, a divisa acumulou queda de 5,13%. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de US$ 700 milhões. 

Declarações de Tombini:

Comente agora
24
Mar
Receita abre nesta quarta-feira (25) consulta a lote da malha fina do Imposto de Renda
Postado por: Anacley Souza / 21:17h

A Receita Federal abre na próxima quarta-feira (25), a partir das 9h, consulta ao lote residual do Imposto de Renda Pessoa Física das declarações de 2008 (ano-base 2007) a 2014 (ano-base 2013). Ao todo, serão contemplados 100.368 contribuintes, que receberão R$ 240 milhões. As restituições terão correção de 9,93%, relativa às declarações de 2014, a 67,51%, para as declarações de 2008. Os índices equivalem à taxa Selic – juros básicos da economia – acumulada entre o mês de entrega da declaração até este mês. A relação dos contribuintes estará disponível na página da Receita Federal na internet. A consulta também pode ser feita pelo telefone 146 ou nos aplicativos da Receita Federal para tablets e smartphones. O pagamento será feito no próximo dia 31. Caso o valor não seja creditado nas contas informadas na declaração, o contribuinte deverá receber o dinheiro em qualquer agência do Banco do Brasil. Também é possível ligar para os telefones 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, no nome do declarante, em qualquer banco.

Comente agora
24
Mar
Dilma: todo mundo acha que o ajuste tira; o ajuste reajusta
Postado por: Anacley Souza / 19:41h

A presidente Dilma Rousseff defendeu nesta terça-feira, 24, com veemência, o ajuste fiscal praticado pelo governo a partir de 2015. Durante cerimônia de assinatura da Medida Provisória (MP) com a política de reajuste do salário mínimo entre 2016 e 2019, ela disse que as dificuldades do País são conjunturais e que os cortes no Orçamento não afetarão programas sociais do governo. "O ajuste não tira, o ajuste reajusta", definiu. "Nos últimos anos, tivemos de segurar no Orçamento uma série de medidas contracíclicas, tentando manter o nível da atividade econômica. Desoneramos sistematicamente e tentamos de todas as formas impedir que o Brasil tivesse uma crise em profundidade", afirmou. "Muitas pessoas dizem que não foi suficiente, mas elas não olham o que teria acontecido se não adotássemos essas medidas", completou. Para Dilma, as dificuldades atuais são conjunturais. "A situação atual é que tivemos queda muito grande na arrecadação. O País tem uma economia sólida, sem desequilíbrios, sem endividamento excessivo ou perda de controle do Estado", alegou. "Não temos fragilidade frente às flutuações da economia internacional, pois temos reservas expressivas", complementou. A presidente ainda alfinetou governos passados, ao afirmar que em crises anteriores o Brasil quebrava por não aguentar turbulências do mercado internacional. "Hoje, nós estamos enfrentando a crise", disse, acrescentando que essa fase também decorre de fatores "incontroláveis", como a seca.

Comente agora
24
Mar
Ibametro inicia operação páscoa na capital e em cidades do interior
Postado por: Anacley Souza / 19:19h

O Instituto Baiano de Metrologia e Qualidade (Ibametro), órgão delegado do Inmetro na Bahia e autarquia da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), realiza a Operação Páscoa até o dia 2 de abril. O objetivo é verificar se produtos largamente consumidos nesta época - tais como ovos de chocolate e pescados embalados - estão sendo comercializados com a pesagem correta. O conteúdo do produto deve pesar exatamente o que está informado na embalagem. A fiscalização acontece na capital e interior do estado. Durante a fiscalização, técnicos do órgão visitam estabelecimentos comerciais, como supermercados, mercados de bairro e padarias, para coletar os itens, incluindo ainda bombons e colombas pascais, com a finalidade de análise em laboratório do órgão, na Pituba. O diretor-geral do Ibametro, Randerson Leal, alerta a população sobre os pescados, um item que apresentou o alto índice de reprovação na operação do ano passado. “Algumas pessoas pensam que, para verificar os pescados, basta descongelar o peixe, pondo-o no micro-ondas, mas este trabalho de verificação deve ser feito pelo Instituto, que usa uma metodologia técnica de desglaciamento do pescado”, explica. Com relação aos ovos de páscoa, a fiscalização é redobrada. Além de verificar o peso do produto, os técnicos checam se os produtos que vêm com brinquedos de brinde ostentam, na embalagem, a seguinte frase: “Atenção: contém brinquedo certificado no âmbito do SABC”.

Comente agora
24
Mar
Dilma assina MP que estende até 2019 modelo atual de reajuste do mínimo
Postado por: Redação Voz da Bahia / 18:19h

A presidente Dilma Rousseff assinou nesta terça-feira (24) no Palácio do Planalto medida provisória que será enviada ao Congresso Nacional e prorroga até 2019 o atual modelo de reajuste do salário mínimo. A atual regra de valorização do mínimo, em vigor desde 2011, vale somente até o fim deste ano. O mecanismo de atualização do salário mínimo atualmente é calculado com a correção da inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano anterior, mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos anteriores. Segundo a presidente, o conteúdo da nova MP é o mesmo. novo texto substituirá o projeto de lei aprovado há duas semanas pela Câmara, que estende, até 2019, as atuais regras de correção anual do salário mínimo. Na votação, porém, não houve acordo sobre o reajuste do mínimo para os aposentados que ganham mais que o mínimo, e a análise desse item foi adiada. A MP assinada por Dilma, não se refere aos aposentados que ganham mais que o mínimo, cujo reajuste é feito com base na variação da inflação. Embora a Câmara tenha aprovado projeto com o mesmo conteúdo da MP, Dilma enviou uma medida provisória após acordo com lideranças partidárias da base aliada do governo. Segundo ela, o Dia do Trabalho (1º de Maio) está próximo e, "tradicionalmente", é o governo que envia o texto que reajusta o mínimo. Além disso, com a aprovação do Orçamento da União na semana passada pelo Congresso, "para poder computar qualquer variação do salário minimo eu preciso ter essa medida aprovada".

Comente agora
24
Mar
Carnê da Cidadania enviado pelos Correios é verdadeiro, afirma secretaria
Postado por: Anacley Souza / 18:07h

Posts feitos em uma rede social e reproduzido milhares de vezes sobre uma possível fraude no Carnê da Cidadania 2015 gerou confusão entre os microempresários do país. Os novos modelos do carnê, entregues pelos Correios, são verdadeiros, informou nesta segunda-feira (23) a Secretaria da Micro e Pequena Empresa (SMPE), por meio de nota. O boato sobre a autenticidade do carnê começou em razão das dúvidas postadas nas redes sociais, diz a SMPE. A pasta informou que o carnê começou a ser enviado pelos Correios em janeiro deste ano aos 4,7 milhões de microempreendedores individuais cadastrados. Segundo a secretaria, a medida visa "facilitar o acesso as guias de pagamento das contribuições". A postagem nas redes sociais afirmava que o carnê entregue nas residências dos cadastrados como microempresários individuais se trata de uma fraude e o que o dinheiro pago pelos contribuintes iria para "golpistas". O falso alerta foi compartilhado por mais de 150 mil pessoas nas páginas da rede social. A SMPE alerta que os microempresários que preferirem podem continuar baixando e imprimindo as parcelas do carnê pelo Portal do Empreendedor. (Globo)

Comente agora
24
Mar
Remédios vão ficar mais caros
Postado por: Redação Voz da Bahia / 15:11h

Depois dos aumentos do combustível, que começou no dia de ontem, e da conta de energia, o consumidor baiano pode se preparar para mais um acréscimo que vai pesar, e muito, no bolso. A partir do dia 31 de março, os medicamentos sofrerão um reajuste médio de 4% - os de uso contínuo entre 4% e 5%. Neste ano, com as modificações no cálculo utilizado para determinar o preço destes produtos, a expectativa do governo é de que haja uma maior concorrência na indústria farmacêutica. “Apesar deste aumento, que tem todos os anos, ele ainda será abaixo da inflação”, garantiu o vice-presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos do Estado da Bahia (Sincofarba), Luiz Trindade. No entanto, ainda de acordo com ele, o reajuste deve incidir mais nos medicamentos de marca, dando um espaço para uma maior produção de genéricos. “Já existe uma política, há cinco anos, que autoriza este tipo de aumento”, salientou. O novo cálculo leva em consideração alguns fatores como o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), o da produtividade repassado ao consumidor, o de ajuste de preços relativos entre setores – como o da energia –, além do fator de ajuste de preços relativos do próprio setor de medicamentos, que é estipulado pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED). 

Comente agora
24
Mar
Com dólar mais alto, gastos no exterior caem em fevereiro
Postado por: Samile Macêdo / 12:09h

Os gastos dos brasileiros no exterior caíram 22,9% em fevereiro deste ano, para US$ 1,48 bilhão, segundo informações divulgadas nesta terça-feira (24) pelo Banco Central. Trata-se do valor mensal mais baixo desde fevereiro de 2011, quando as despesas lá fora somaram US$ 1,33 bilhão. Em janeiro, os gastos dos brasileiros fora do país tinham registrado alta de 4,1% ante 1 ano antes, alcançando US$ 2,2 bilhões. No acumulado do ano, os gastos dos turistas no exterior somam US$ 3,68 bilhões, ante US$ 4,04 bilhões nos dois primeiros meses de 2014. O dólar mais alto encarece as passagens e os hotéis cotados em moeda estrangeira, além dos produtos comprados lá fora. O dólar mais alto também encarece os gastos com cartões de crédito e débito no exterior. Em fevereiro deste ano, a moeda norte-americana registrou uma alta de 6,19%, terminando o mês passado em R$ 2,8560. Em março, porém, o dólar rompeu a barreira dos R$ 3. Nesta terça-feira, a moeda norte-americana era negociada em queda. Às 10h40, a divisacaía 0,102%, a R$ 3,1421 para venda. 

Comente agora
24
Mar
Expectativa de Inflação dos Consumidores passa de 8%
Postado por: Letícia Oliveira / 10:11h

A inflação média prevista pelos brasileiros para os 12 meses seguintes foi 8,4% em março, um avanço de 0,5 ponto percentual em relação aos 7,9% de fevereiro. Este é o maior valor da série histórica e a segunda vez em que as previsões superam os 8%. Até então, o maior valor foi 8,1%, em setembro de 2005). Os dados constam do Indicador de Expectativa de Inflação dos Consumidores do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV). Na avaliação do economista do Ibre, Pedro Costa Ferreira, “o resultado de março confirma que a aceleração recente da inflação vem tornando as expectativas dos consumidores mais pessimistas para o futuro”.

Comente agora
24
Mar
Postos recuam e gasolina não sobe de preço na Bahia
Postado por: Letícia Oliveira / 09:17h

Os postos de combustíveis da Bahia recuaram, e não devem mais repassar para o consumidor, pelo menos  nos próximos dias, o aumento de 27% para 28% na alíquota do ICMS. A mudança no imposto entrou em vigor na segunda-feira, 23, em todo o estado, prevendo a utilização dos recursos na composição do Fundo de Logística e Transporte, aprovado no final do ano passado. "Vamos, primeiro, verificar qual será mesmo o impacto no preço de venda pelas distribuidoras, depois das novas condições do reajuste anunciadas pelo governo baiano", afirmou o presidente do sindicato dos postos (Sindicombustíveis), José Augusto Costa. Ontem, o sindicato orientou os associados a esperar a definição do reajuste pelas distribuidoras. "Portanto, não estamos trabalhando mais com a hipótese de aumento generalizado", disse. "Se aumentou para 28%, e não mais para 30% como estava previsto, o impacto será de R$ 0,03 o que pode ser suportado pela maioria dos postos, com exceção de alguns casos pontuais, mas ainda assim sem maiores variações que possam assustar o consumidor", informou José Augusto Costa. Segundo ele, a expectativa de aumento foi criada justamente porque se aguardava um reajuste na alíquota para 30% -  o que já teria levado algumas distribuidoras a vender ontem o produto mais caro, com repasse nas bombas. "Neste caso, o impacto no preço de venda seria de R$ 0,11, sendo inevitável o repasse para as bombas", frisou.

Comente agora
24
Mar
Remédios vão ficar mais caros
Postado por: Letícia Oliveira / 07:49h

Depois dos aumentos do combustível, que começou no dia de ontem, e da conta de energia, o consumidor baiano pode se preparar para mais um acréscimo que vai pesar, e muito, no bolso. A partir do dia 31 de março, os medicamentos sofrerão um reajuste médio de 4% - os de uso contínuo entre 4% e 5%. Neste ano, com as modificações no cálculo utilizado para determinar o preço destes produtos, a expectativa do governo é de que haja uma maior concorrência na indústria farmacêutica. “Apesar deste aumento, que tem todos os anos, ele ainda será abaixo da inflação”, garantiu o vice-presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos do Estado da Bahia (Sincofarba), Luiz Trindade. No entanto, ainda de acordo com ele, o reajuste deve incidir mais nos medicamentos de marca, dando um espaço para uma maior produção de genéricos. “Já existe uma política, há cinco anos, que autoriza este tipo de aumento”, salientou. O novo cálculo leva em consideração alguns fatores como o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), o da produtividade repassado ao consumidor, o de ajuste de preços relativos entre setores – como o da energia –, além do fator de ajuste de preços relativos do próprio setor de medicamentos, que é estipulado pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED).

Comente agora
23
Mar
Dólar fecha em queda de mais de 2% nesta segunda
Postado por: Marcus Augusto Macedo DRT 5719 / 22:18h

O dólar fechou em queda ante o real nesta segunda-feira (23) pela segunda sessão consecutiva, no patamar de R$ 3,14, diante da tranquilidade nos mercados internacionais, com investidores deixando de lado, por ora, as turbulências políticas locais e se concentrando na expectativa de liquidez abundante nos mercados financeiros globais. A moeda norte-americana recuou 2,63%, a R$ 3,1453 na venda. Trata-se da maior queda diária desde 18 de setembro de 2013, quando a divisa caiu 2,89% na sessão. Nos dois últimos pregões, o dólar acumulou queda de 4,59%. No mês, no entanto, ainda há alta acumulada de 10,13% e no ano, de 18,3%. "O resumo é que o mercado está volátil, tanto para baixo quanto para cima", disse à Reuters o gerente de câmbio da corretora Treviso, Reginaldo Galhardo. "O investidor não sabe onde o dólar vai se assentar, então quando vê um movimento mais acentuado, acompanha a manada". 

Fatores externos e domésticos: 

Comente agora
Todos os direitos reservados a Marcus Augusto Macedo | vozdabahia@hotmail.com