As comentadas


Bom dia , Sexta-feira, 31/10/2014









Enquete



Reflita

Blog

Economia

30
Out
Unidade da Ramarim em S. A. de Jesus iniciará suas atividades em janeiro, anuncia diretora da Sudic
Postado por: Anacley Souza / 19:42h

Maria Conceição Gonzalez, diretora da SUDIC de Santo Antônio de Jesus, cedeu uma entrevista a Andaiá FM e falou a respeito dos preparativos para a integração de novas industrias no centro industrial e a conclusão das novas dependências. Segundo informou, as obras no Distrito Industrial estão a todo vapor e a partir do dia 15 de dezembro as portas estarão abertas para novas empresas, pelo menos para fazer a terraplanagem para a construção de novos módulos das empresas. "Existe aquele percurso burocrático para que as empresas participem de uma zona subsidiada pelo estado. Estamos concretizando nossos trabalhos e logo estaremos trabalhando em um novo espaço”, diz. Fábrica Ramarin: A respeito desta integração da empresa Ramarim no Polo Industrial, a empresária disse que em 2015 os maquinários já estarão em atividades. Salientou que, a empresa está concretizando algumas burocracias, tendo em vista que adquiriu o antigo prédio da DalPonte. A fábrica anunciou que contratará cerca de 700 funcionários, no entanto, conforme Conceição, a firma tem seu estilo próprio de contratação e iniciará com apenas 150 empregados, “eles tem uma maneira própria de fazer sua administração, claro que manterão a cota ou a ultrapassará. Eles estão com um horizonte promissor e em Jequié, sua unidade está consolidada e emprega mais de 15 mil servidores e aqui em Santo Antônio de Jesus, começará suas atividades em janeiro”, finaliza.

Redação Voz da Bahia

Comente agora
30
Out
Dólar volta a cair e é cotado a R$ 2,39
Postado por: Samile Macêdo / 18:56h

Após ter alta em reação à reeleição de Dilma Rousseff (PT), no último domingo (26), o dólar voltou a cair nesta quinta-feira (30) e chegou a R$ 2,39 depois que o Banco Central surpreendeu e elevou a taxa Selic em 0,25 ponto percentual, a 11,25% ao ano, citando maiores riscos à inflação. A política econômica do governo de Dilma recebeu fortes críticas por causar inflação elevada e baixo crescimento, além de uma política fiscal pouco transparente. "O aumento dos juros dá uma animada no mercado por causa da expectativa de fluxo, mas principalmente porque é um indício de que o governo está mais preocupado com a inflação", afirmou à Reuters o gerente de câmbio da corretora Treviso, Reginaldo Galhardo.

Comente agora
30
Out
Juro do cheque especial em setembro é o maior desde 1999
Postado por: Letícia Oliveira / 16:04h

Os juros do cheque especial, uma das linhas de crédito mais caras ao consumidor, disparou. Dados do Banco Central, divulgados nesta quinta-feira, 30, mostram que em setembro houve uma alta de 10,5 pontos porcentuais, passando de 172,8% ao ano em agosto para 183,3% – a maior desde 1999, quando havia sido registrado 193,65%. Essa foi a 14ª elevação consecutiva da taxa do cheque especial, o que deixa os endividados com o orçamento ainda mais apertado. A dívida total dos brasileiros nessa linha, a despeito do custo elevado, não para de crescer. Até setembro, estava em R$ 23,425 bilhões, cifra 2,4% maior que a de agosto. No ano, essa conta aumentou 15,9%. Com os juros cada vez mais altos na modalidade, a inadimplência também cresceu. No mês passado chegou a 10,3% – taxa mais alta desde março de 2011, início da série do Banco Central. A alta do calote do cheque especial só perde para a do rotativo do cartão de crédito, que subiu 1 ponto porcentual no mês e chegou a 36,4% das operações. (Estadão)

Comente agora
30
Out
BC surpreende com decisão de elevar Selic para 11,25%
Postado por: Letícia Oliveira / 07:12h

Numa decisão totalmente inesperada, o Banco Central (BC) decidiu elevar a taxa básica de juros, para 11,25% ao ano, na primeira ação depois da reeleição da presidente Dilma Rousseff. Desde abril, a Selic estava em 11,00% ao ano. No comunicado que se seguiu à decisão, a diretoria da instituição avaliou que seria oportuno ajustar as condições monetárias para garantir, a um custo menor, a prevalência de um cenário mais benigno para a inflação em 2015 e 2016. Com a surpresa, os economistas já vão amanhã cedo refazer os cálculos para as projeções de vários indicadores e também definir as apostas para a próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), marcada para o início de dezembro. Até porque havia unanimidade entre os analistas do mercado financeiro de que a taxa seria mantida hoje em 11,00% ao ano. Um fator que será fundamental para o BC nas próximas decisões de política monetária é o comportamento do dólar. Principalmente depois que o Federal Reserve (Fed, o BC dos Estados Unidos) anunciou na tarde de hoje que não irá mais continuar com seu programa de compra de ativos. Embora amplamente esperado, o encerramento pressiona as moedas de países emergentes, como o real. Além disso, a divulgação é vista como um prenúncio de que a alta dos juros por lá está mais próxima.

Comente agora
29
Out
Após as eleições, Copom surpreende e sobe juros para 11,25% ao ano
Postado por: Marcus Augusto DRT 5719 / 19:33h

Em sua primeira reunião após a reeleição da presidente Dilma Rousseff, o Comitê de Política Monetária (Copom), colegiado formado pelo presidente e diretores do Banco Central, surpreendeu ao elevar a taxa básica de juros da economia brasileira de 11% para 11,25% ao ano. Foi a primeira elevação desde abril deste ano. A decisão surpreendeu a maior parte dos economistas do mercado financeiro, que apostavam maciçamente em nova manutenção da taxa básica da economia em 11% ao ano. A decisão acontece em um momento de fraca atividade econômica, tendo o Produto Interno Bruto (PIB) registrado retração no primeiro e segundo trimestres deste ano - o que configura recessão técnica - embora a inflação em doze meses até setembro tenha somado 6,75%, acima do teto de 6,5% do sistema de metas brasileiro. O próprio Banco Central havia sinalizado, na ata da última reunião, que os juros não deveriam ser reduzidos. Na ocasião, informou que seria plausível afirmar que, levando em conta estratégia de não redução do instrumento de política monetária (juro), a inflação tenderia a entrar em trajetória de convergência para a meta nos trimestres finais do horizonte de projeção (2016). Segundo analistas, vários fatores que influenciam a inflação se contrapõem neste momento. O baixo nível de atividade e a queda dos preços das "commodities" (produtos básicos com cotação internacional) atuam para conter a inflação, ao mesmo tempo em que a alta do dólar e dos preços administrados (como telefonia, água, energia, combustíveis e tarifas de ônibus, entre outros), continuam pressionando os preços. Além disso, a inflação de serviços, impulsionada pelos ganhos reais de salários, segue elevada.

Decisão não foi unânime: 

Comente agora
29
Out
Moedas comemorativas dos Jogos Olímpicos começam a circular em novembro, segundo BC
Postado por: Anacley Souza / 17:49h

As moedas comemorativas dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos 2016 devem começar a circular em novembro deste ano, de acordo com o Banco Central (BC). Segundo a Casa da Moeda, ao todo, serão 36 moedas com diferentes desenhos, que serão lançadas em quatro etapas. O pacote comemorativo conta com 16 moedas de R$ 1, de circulação comum, quatro de ouro e 16 de prata. Ainda de acordo com a Casa da Moeda, as outras três fases de lançamento, estão previstas para fevereiro de 2015, agosto de 2015 e fevereiro de 2016. Em cada lançamento, serão emitidas quatro novas moedas de circulação comum, quatro de prata e uma de ouro. O Comitê Rio 2016 prestou todo o suporte técnico necessário para o projeto, desenvolvido pelo Banco Central e pela Casa Moeda e aprovado pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). (Folha de S. Paulo)

Comente agora
29
Out
Não há decisão sobre reajuste da gasolina, diz Petrobras
Postado por: Anacley Souza / 13:59h

A Petrobras enviou um esclarecimento ao mercado nesta quarta-feira, 29, negando que haja decisão sobre reajuste de preços. A afirmação vem  em resposta a reportagem do Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, publicada no último dia 27 e que também saiu na edição do jornal O Estado de S.Paulo no dia seguinte, sob o título “Governo prepara reajuste da gasolina”. “Este assunto é frequentemente discutido pela Diretoria Executiva e pelo Conselho de Administração da Companhia, mas, até o momento, não há decisão quanto a reajuste no preço da gasolina e do diesel”, afirmou a companhia, em comunicado disponível na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O Broadcast apurou que o governo espera acalmar o mercado financeiro com o anúncio, em breve, do reajuste dos preços dos combustíveis, informou uma fonte. O Palácio do Planalto ainda não bateu o martelo sobre quando será o aumento de preço, mas o tema estaria na pauta da reunião do conselho de administração da companhia. (Correio)

Comente agora
29
Out
Senado aprova projeto que regulamenta criação de empresas juniores
Postado por: Anacley Souza / 13:00h

Os senadores aprovaram nesta quarta-feira, 29, um projeto que regulamenta a criação e a organização de empresas juniores, associações formadas por estudantes de graduação e ligadas a instituições de ensino superior. A proposta, de autoria do senador Agripino Maia (DEM-RN), passou pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa em caráter terminativo, o que significa que irá diretamente para apreciação da Câmara dos Deputados, caso não haja recurso de senadores para levá-lo ao plenário. O projeto estabelece que as empresas juniores não têm atividade lucrativa, embora possam cobrar pela elaboração de produtos e serviços, independentemente de autorização do conselho profissional regulamentador da respectiva área de atuação. O texto permite que pessoas físicas ou jurídicas também podem colaborar com os trabalhos das empresas juniores, desde que haja autorização dada em assembleia-geral. Tais empresas não podem ser usadas para captar recursos financeiros para seus integrantes ou mesmo para as instituições de ensino às quais estejam vinculadas, tendo como dever “reinvestir a renda obtida com os projetos e serviços prestados na sua atividade educacional”. O texto também proíbe as empresas juniores de difundirem qualquer tipo de pensamento político-partidário e de ideologia.

Comente agora
29
Out
Flores estão 20% mais caras no Dia de Finados
Postado por: Redação Voz da Bahia / 12:13h

Com a chegada do Dia de Finados, no próximo domingo, o consumidor que for aos cemitérios da cidade vai encontrar flores 20% mais caras em relação a 2013. Apesar da alta de preços, quatro em cada dez comerciantes esperam aumentar as vendas no período. Segundo pesquisa da Hórtica Consultoria, em parceria com o Sindicato do Comércio Varejista de Flores (Sindiflores), 40% das floriculturas acreditam faturar mais que o ano passado. No entanto 33% acham que devem vender igual a 2013 e 27% estimam que vão comercializar menos. Na cotação das flores, o vaso de crisântemos, por exemplo, um dos arranjos mais baratos, aumentou 9%, e o de rosas, de valor mais elevado, subiu 19,3%. Porém, o gasto médio para o Dia de Finados este ano vai continuar em R$ 25, menor que o de Dia das Mães e dos Namorados, que é R$ 120. “O comércio de flores está menos animado porque o consumidor não está disposto a gastar dinheiro”, explica Hélio Junqueira, engenheiro agrônomo e sócio da consultoria Hórtica.

Comente agora
29
Out
Salário mínimo não vai compensar aumentos de preços
Postado por: Letícia Oliveira / 09:20h

A pressão da inflação e o ganho real do salário mínimo em um patamar menor do que o dos últimos anos vai impactar negativamente o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2015, acredita o presidente do Conselho Regional de Economia (Corecon-BA), Gustavo Pessoti. “O cenário para 2015 é preocupante. O mínimo não vai acompanhar a tendência dos últimos anos, temos um cenário de juros altos, pelo menos no primeiro semestre, por conta do momento que a gente está tendo. E a inflação não deve se descontrolar, mas estará no limite extremo”, prevê. Ele acredita que o governo vai tentar dar um choque de gestão, arrumar a casa, mas não vai conseguir livrar os cidadãos dos efeitos dos ajustes. “A inflação é o que existe de pior na economia porque faz com que todos percam. Trabalhadores, empresas e até o governo, porque arrecada menos”, explica Pessoti.

Comente agora
29
Out
Copom anuncia hoje taxa básica de juros para os próximos 45 dias
Postado por: Letícia Oliveira / 07:39h

A taxa básica de juros da economia (Selic), válida para os próximos 45 dias, será anunciada hoje (29) pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BDC). A reunião que vai definir a Selic, a penúltima do ano, começou ontem (28) à tarde, com apresentações técnicas e discussões sobre a conjuntura econômica. Segundo pesquisa semanal do BC, a expectativa do mercado financeiro é que o Copom mantenha a Selic no patamar atual, de 11%, como vem fazendo desde maio. Na ocasião, o BC interrompeu a trajetória de nove altas consecutivas. O patamar atual é o mais alto desde novembro de 2011, quando a taxa também era 11%. A taxa básica de juros da economia é o instrumento do BC para o controle da inflação. Quando o Copom aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, pois os juros elevados encarecem o crédito e estimulam a poupança. Quando há redução da taxa básica, a tendência é o crédito ficar mais barato, com estímulo à produção e ao consumo. (Agência Estado)

Comente agora
28
Out
Fiat investirá R$ 15 bilhões no Brasil até 2016
Postado por: Anacley Souza / 15:27h

O presidente da Fiat Chrysler Automobiles (FCA) para América Latina, Cledorvino Belini, anunciou nesta terça-feira (28) que o grupo surgido após a fusão da montadora italiana com a norte-americana tem um plano de investimentos de R$ 15 bilhões até 2016 para fortalecer a Fiat e a Jeep na região. Belini também informou que a inauguração da nova fábrica da Jeep em Goiana, Pernambuco, ocorrerá no primeiro trimestre de 2015. Lá, será fabricado o Jeep Renegade. A declaração foi dada em uma apresentação à imprensa no 28º Salão Internacional do Automóvel de São Paulo, que acontece entre os dias 30 de outubro e 9 de novembro. O evento ocorre em um momento em que o mercado automobilístico brasileiro pode encerrar o ano com queda de 9% nas vendas. "Na realidade, não há uma queda, mas sim, uma manutenção do volume de vendas. Não está havendo aquela nossa expectativa de grande crescimento. Porém, novembro e dezembro são meses que, historicamente, o mercado cresce", ponderou Belini. O executivo, no entanto, disse acreditar que 2015 será um ano de recuperação, principalmente a partir do segundo semestre.

Comente agora
28
Out
Comércio diminui expectativa de contratações para o final de ano
Postado por: Redação Voz da Bahia / 10:11h

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) revisou ontem para 2,6% a previsão de aumento nas vendas do comércio neste final de ano. Inicialmente a expectativa de crescimento era de 3%. A entidade espera movimentar R$ 31,7 bilhões durante o Natal de 2014. O número de vagas temporárias voltadas para as vendas de fim de ano também foi revisto para baixo. Segundo a CNC, o setor deve oferecer 138,4 mil vagas de emprego – a expectativa anterior da entidade era de geração de 138,7 mil postos de trabalho. Do total, 22,8 mil empregados (17,3%) devem ser efetivados nos meses seguintes ao Natal. Esse percentual é menor que a média dos últimos cinco anos (20,3%), de acordo com a confederação. “O menor grau de absorção de temporários pode ser explicado, principalmente, pela expectativa de crescimento moderado das vendas nos próximos meses”, explicou em nota. Os segmentos de super e hipermercados e vestuário devem responder por 63% do volume de vendas e 65% dos empregos criados, segundo expectativa. O salário médio de admissão pode chegar a R$ 1.143. Os ramos de vestuário e hiper e supermercados deverão responder por R$ 10,5 bilhões e R$ 9,5 bilhões, respectivamente, da receita do comércio durante as festas de fim de ano. Em dezembro, o faturamento do setor costuma crescer 90% em relação ao mês anterior por causa das festas do período. (O Valor)

Um comentário
28
Out
Governo prepara reajuste da gasolina
Postado por: Redação Voz da Bahia / 09:57h

O governo espera acalmar o mercado financeiro com o anúncio, em breve, do reajuste dos preços dos combustíveis, informou uma fonte no governo. Em uma só tacada, a ideia é aplacar o mau humor do mercado e atender às necessidades de recomposição de caixa da Petrobras. O Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, apurou, porém, que o reajuste deve ser menor do que vem pedindo a presidente da estatal, Graça Foster, nos últimos meses. O Palácio do Planalto ainda não bateu o martelo sobre quando será o aumento de preço, mas o tema está na pauta da reunião do conselho de administração da companhia. Na manhã seguinte ao resultado das eleições, a Petrobras divulgou dois comunicados positivos aos investidores, mas, ainda assim, as ações se mantiveram em queda durante o dia. As ações preferenciais caíram 12,33% e as ordinárias, 11,34%. Antes da abertura das operações financeiras na BM&FBovespa, foi anunciada a descoberta de petróleo na perfuração do primeiro poço do super campo de Libra, pré-sal da Bacia de Santos, que já estava registrada desde sexta-feira, 24, na Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustível (ANP).

Comente agora
28
Out
Desaquecimento da construção aumenta em setembro, diz CNI
Postado por: Letícia Oliveira / 08:58h

A construção civil ampliou o nível de desaquecimento, de acordo com uma sondagem divulgada ontem pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Em uma escala na qual valores abaixo dos 50 pontos indicam retração, a atividade registrou 42,3 pontos no mês passado. O desempenho foi ainda pior que o obtido em agosto, quando o índice ficou em 43 pontos. Com o uso da capacidade instalada do setor estável em 67% ao mês, também ampliou-se o ritmo de demissões na indústria da construção. Novamente na escala na qual 50 pontos quer dizer a manutenção das vagas de trabalho, o indicador ficou em 43,1 pontos em setembro.

Comente agora
28
Out
Coelba oferece consultoria de graça para ajudar a economizar até 50% na conta de energia
Postado por: Marcus Augusto DRT 5719 / 07:51h

Quem compra geladeira, televisão, ar-condicionado ou até mesmo lâmpadas já está acostumado a identificar nesses produtos selos com escalas que indicam a sua eficiência no consumo de energia. Mas, esse tipo de classificação ultrapassou a barreira dos eletrodomésticos e agora também pode ser aplicada para casas e edifícios. O setor de eficiência energética da Coelba, Celpe e Cosern - empresas do Grupo Neoenergia -, por exemplo, concede consultoria gratuita para quem quiser pleitear a obtenção de etiquetas de eficiência para seus imóveis. A gerente de eficiência energética da Neoenergia, Ana Christina Mascarenhas, explica que existem dois tipos de etiquetas: a do projeto e a da obra construída. O selo abrange edifícios comerciais, residenciais e de serviços, sendo obrigatório apenas para edificações públicas federais. A etiquetagem tem o objetivo de classificar o nível de consumo de energia e mostrar a sua eficiência através da aplicação de ferramentas da construção que favoreçam um consumo menor. “A economia pode chegar a 30% para edificações já existentes, se estas passarem por uma intervenção tipo retrofit (reforma e/ou atualização). Nas novas edificações, ao se utilizar tecnologias energeticamente eficientes desde a concepção inicial do projeto, a economia pode chegar a 50% do consumo, comparada com uma concebida sem essas tecnologias”, argumenta Ana.

Comente agora
27
Out
Bovespa fecha em queda de 2,77% após vitória de Dilma
Postado por: Redação Voz da Bahia / 23:28h

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em queda nesta segunda-feira (27), em reação à reeleição da presidente Dilma Rousseff na véspera por uma margem apertada. O Ibovespa, principal indicador da bolsa paulista, caiu 2,77% e encerrou o dia a 50.503 pontos, menor patamar desde o dia 15 de abril. As ações da Petrobras despencaram mais de 12%, a principal pressão negativa no índice. Veja cotação. A estatal encerrou o dia com a maior queda diária desde novembro de 2008. Os papeis da Eletrobras também estavam entre as principais baixas do dia, com desvalorização de quase 12%. As ações do Banco do Brasil, por sua vez, recuavam mais de 5% perto do fim do pregão. Operadores e analistas criticam o que consideram como intervenção excessiva nas estatais que, na visão dos agentes, deve persistir com a continuidade de Dilma no Palácio do Planalto, segundo a agência Reuters. "Se Dilma optar por um caminho diferente, pode conseguir acalmar o mercado. Caso insista em nomes [de ministros da Fazenda] que não são bem aceitos pelo mercado, teremos mais quatro anos extremamente ruins na economia. No primeiro momento, o mercado não irá dar o benefício da dúvida a ela", disse à Reuters o gestor de um fundo no Rio de Janeiro, pedindo para não ser identificado. "A economia está muito mal, o quadro fiscal é péssimo e o mercado externo tem um risco crescendo, fora o risco de racionamento (de energia) no ano que vem", disse à Reuters o gestor Eduardo Roche, da Canepa Asset Management.

Comente agora
27
Out
Racionamento de luz pode ocorrer em 2015, dizem analistas
Postado por: Marcus Augusto DRT 5719 / 22:16h

Um racionamento de energia no Brasil em 2015 é mais provável que em 2014, afirmam consultores especializados no setor elétrico, considerando as mais recentes previsões de chuva que indicam que o nível dos reservatórios de hidrelétricas da região Sudeste tende a iniciar o ano que vem em situação pior à enfrentada no início de 2001, ano do racionamento. O período úmido, em que o nível das represas das hidrelétricas tende a crescer, ainda está começando de forma que um anúncio de racionamento não deve ocorrer no curto prazo. Mas se as chuvas não vierem pelo menos dentro da média histórica para o período, conforme o melhor cenário apontado pelas previsões atuais, um racionamento em 2015 será necessário, segundo consultores. "O risco é muito maior que no ano passado. Neste ano, as térmicas conseguiram gerenciar o problema. Ano que vem, se passarmos por isso de novo (nível de represas caindo no mesmo ritmo que no último período úmido), as térmicas não dão mais conta", disse o diretor da consultoria Excelência Energética, Erik Rego. Ele acredita que uma confirmação para possível racionamento tende a esperar as chuvas de dezembro. Desde o início de outubro, mês em que a pluviosidade tende a ficar mais intensa no País, apenas o Sul recebeu chuvas acima da média. No Sudeste, onde fica o principal parque gerador de hidreletricidade do País, as previsões de chuvas têm sido frustradas e ficando mais pessimistas a cada semana. As atenções agora se voltam para novembro, quando as chuvas têm que ser mais frequentes e regulares para recuperar represas. Um racionamento de energia seria um dos principais desafios que a presidente reeleita Dilma Rousseff enfrentaria em 2015, uma situação que também limita a retomada da atividade industrial e o crescimento da economia. 

Comente agora
27
Out
Dólar vai a R$ 2,52 e bolsa cai 2,77% no 1º dia após eleição
Postado por: Redação Voz da Bahia / 18:32h

O dólar fechou em alta nesta segunda-feira (27), após a presidente Dilma Rousseff ter sido reeleita para um segundo mandato. De acordo com a agência Reuters, o dólar chegou a disparar mais de 4% logo após a abertura dos negócios, indo ao patamar de R$ 2,56 e voltando às máximas desde 2008, quando valor atingiu R$ 2,6190 em dezembro daquele ano. A moeda norte-americana avançou 2,68%, a R$ 2,5229. Veja cotação. Este é o maior valor desde maio de 2005, quando, no dia 29 de abril, a moeda fechou cotada a R$ 2,5313, segundo dados do Banco Central. A alta desta segunda é a maior desde novembro de 2011, quando, no dia 23, o dólar subiu 2,94%. No mês, o dólar acumula alta de 3,06% e no ano, de 7,02%. Na quinta-feira (23), o dólar fechou em R$ 2,5137 e antingiu o maior valor desde 2 de maio de 2005, quando a cotação era de R$ 2,5146. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) também reagiu ao resultado das eleições presidenciais. O Ibovespa caiu 2,77% nesta segunda, a 50.713 pontos, no menor patamar desde abril. "O mercado está operando no escuro", afirmoua à Reuters o superintendente de câmbio da corretora Intercam, Jaime Ferreira. "Nós sabemos quem é a presidente, mas agora queremos saber quem é o ministro da Fazenda e como de fato vai ser esse próximo governo. Só aí vai dar para saber onde o dólar vai se acomodar". 

Comente agora
27
Out
Gol e TAM perdem participação de mercado em setembro
Postado por: Anacley Souza / 17:12h

As companhias aéreas Gol e TAM perderam participação de mercado em voos domésticos em setembro ante o mesmo período do ano passado, enquanto as rivais de menor porte Azul e Avianca tiveram avanços de dois dígitos em suas fatias. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), após a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) e a Gol anunciarem os resultados de setembro e do terceiro trimestre. A participação da TAM no mercado doméstico recuou de 39,9% em setembro de 2013 para 38,1% em setembro de 2014. A participação da Gol passou de 35,4% para 35%. Já a fatia da Azul aumentou de 16,7% para 17,1%, enquanto a fatia da Avianca subiu de 7,4% para 9%. A demanda doméstica subiu 3,2% em setembro sobre um ano antes, "completando 12 meses consecutivos de crescimento e atingindo o seu maior nível para o mês nos últimos dez anos", informou a Anac em comunicado à imprensa. Já a oferta interrompeu sete meses de queda e cresceu 1,7% em setembro na mesma base de comparação. Com o resultado, a demanda doméstica acumulou alta de 5,4% entre janeiro e setembro e a oferta ficou praticamente estável, com variação negativa de 0,14% no período. A Anac acrescentou ainda que os aviões voaram mais cheios em setembro. A taxa de ocupação alcançou 78,6%, batendo recorde para o mês nos últimos dez anos. (Revista Veja)

Comente agora
27
Out
Wagner inaugura fábrica israelense em Feira de Santana nesta terça
Postado por: Redação Voz da Bahia / 14:28h

O governador Jaques Wagner (PT) vai inaugurar nesta terça-feira (28), às 14h, no Centro Industrial do Subaé, em Feira de Santana, a primeira fábrica no Brasil destinada à produção de embalagens plásticas especiais para a colheita de algodão, denominadas Round Module Wrap (RMW). Segundo o governo do estado, a fábrica teve um investimento de R$ 40 milhões e vai gerar cerca de 50 EMPREGOS diretos. Ainda segundo o governo, Feira de Santana foi escolhida pela empresa israelense Tama Plastic Industry, por sua proximidade com áreas produtoras de algodão e sua localização estratégica, com rodovias federais e estaduais em boas condições, que facilitam a distribuição para outros estados, especialmente Goiás e Mato Grosso.

2 comentários
27
Out
Redução do valor da indenização do DPVAT é considerada constitucional pelo STF
Postado por: Anacley Souza / 13:52h

A alteração na legislação sobre o DPVAT foi considerada constitucional pelo Supremo Tribunal Federal (STF) na sessão da última quinta-feira (23). Os ministros, por maioria dos votos, julgaram improcedentes as ações diretas de inconstitucionalidade 4627 e 4350, ajuizadas pelo PSol e pela Confederação Nacional da Saúde (CNS), relatadas pelo ministro Luiz Fux. Ainda por maioria foi negado provimento ao recurso extraordinário, de relatoria do ministro Gilmar Mendes, interposto por um segurado que questionava a mudança no valor da indenização. O recurso teve repercussão geral reconhecida e a tese firmada será seguida em mais de 770 casos sobrestados (suspensos) em instâncias inferiores. As ações de inconstitucionalidade questionavam a Lei 11.482/07, que fixou o valor de R$ 13.500,00 para o seguro pago em caso de morte ou invalidez, em substituição à previsão anterior, da lei 6.194/74, que determinava a indenização em 40 salários mínimos (equivalente hoje a R$ 28,9 mil). As ações impugnavam também a Lei 11. 945/09, que vedou a cessão de direitos do reembolso por despesas médicas previstos na regulamentação do seguro. Para o Pleno do STF, a fixação do valor da indenização em moeda corrente e a desvinculação do valor em salário mínimo não afrontam qualquer princípio constitucional. Também entenderam que a proibição da cessão de direitos do reembolso por despesas médicas não representa violação ao princípio da isonomia nem dificulta o acesso das vítimas de acidentes aos serviços médicos de urgência.

Comente agora
27
Out
Setor de energia mostra otimismo com reeleição de Dilma
Postado por: Letícia Oliveira / 13:30h

O aceno da presidente reeleita Dilma Rousseff (PT) de que pretende construir “pontes” de diálogo com os setores produtivos durante seu segundo mandato abre perspectivas mais otimistas para o setor energético brasileiro. A análise é do presidente da Associação Brasileira dos Investidores em Autoprodução de Energia (Abiape), Mario Menel. “A Abiape, assim como o Fase, estava se preparando para colaborar nessa fase de transição, qualquer que fosse o resultado da eleição. Definida a reeleição, ficamos animados com o fato de a presidente reconhecer em seu discurso a falta de diálogo”, afirma Menel, que também é presidente do Fórum das Associações do Setor Elétrico (Fase).

Comente agora
27
Out
CNC reduz estimativa de emprego temporário no Natal
Postado por: Anacley Souza / 13:25h

A previsão de crescimento mais magro das vendas no Natal deste ano levou a uma revisão da expectativa de contratação de trabalhadores temporários para o comércio no período. Segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o setor deverá oferecer 138,4 mil vagas de emprego, ou 300 postos de trabalho a menos do que o previsto anteriormente. O número ainda corresponde a uma expansão de 0,7% em relação às vagas temporárias criadas para o Natal do ano passado. Mas a estimativa é menor do que a expansão de 0,8% projetada antes. Do total de funcionários temporários, a CNC prevê que 22,8 mil (17,3%) sejam efetivados nos meses seguintes ao Natal, porcentual menor do que a média dos últimos cinco anos, de 20,3%. A entidade credita o menor grau de absorção de temporários à expectativa de crescimento moderado das vendas nos próximos meses. A atividade de vestuário e calçados deverá oferecer quase a metade (47,8% do total) das vagas voltadas para o final de ano no varejo, o equivalente a 66,2 mil postos de trabalho. A CNC revisou também a previsão de crescimento do comércio no Natal. As vendas devem movimentar R$ 31,7 bilhões. O resultado é 2,6% maior que o de 2013, mas abaixo da previsão anterior, que estimava um crescimento de 3% do comércio.

Comente agora
27
Out
PRF realiza leilão de veículos apreendidos
Postado por: Anacley Souza / 13:09h

A 10ª Superintendência Regional de Polícia Rodoviária Federal no Estado da Bahia divulgou que realizará um leilão de veículos apreendidos. O leilão, dividido em etapas, será realizado nas datas e locais abaixo discriminados. Todos os veículos retidos e abandonados não foram mais procurados por seus proprietários, ficando disponíveis para o leilão de acordo com o que determina a Lei.

  1. 1ª Etapa – Veículos apreendidos na Delegacia PRF de Simões Filho/Ba
  2. Local: Centro de Convenções, localizado na Av. Simon Bolivar, snº – Salvador/Ba
  3. Data: 18/11/2014 – às 09h
  4. 2ª Etapa – Veículos apreendidos na Delegacia PRF de Feira de Santana/Ba
  5. Local: Auditório do Hotel Feira Palace – localizado na Av. Maria Quitéria, nº 1572 – Feira de Santana/Ba
  6. Data: 02/12/2014 – às 09h
  7. 3ª Etapa – Veículos apreendidos na Delegacia PRF de Itabuna/Ba, incluindo os Postos PRF Gandú e Camacan; Veículos apreendidos na Delegacia PRF de Eunápolis/Ba, incluindo os Postos PRF Itamaraju, Teixeira de Freitas e Porto Seguro.
  8. Local: Auditório do Hotel Feira Palace – localizado na Av. Maria Quitéria, nº 1572 – Feira de Santana/Ba.
  9. Data: 16/12/2014 – às 09h. Mais informações pelo telefone: (71) 2101-2238 – Comissão de Gestão de Pátio – CGPV (Leilão) – 10ª SRPRF-BA e pelo endereço eletrônico: www.centraldosleiloes.com.br
Comente agora
27
Out
Estatais e bancos despencam; Petrobras tem queda de mais de 12%
Postado por: Samile Macêdo / 11:32h

As ações das estatais Banco do Brasil, Eletrobras e Petrobras e os papéis dos bancos Bradesco e Itaú Unibanco despencavam nesta segunda-feira (27), após a presidente Dilma Rousseff (PT) vencer a disputa contra Aécio Neves (PSDB) e conquistar a reeleição. As cinco empresas têm grande peso sobre o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira. Por volta das 11h55, as preferenciais da Petrobras (PETR4), com prioridade na distribuição de dividendos, recuavam 12,15%, a R$ 14,32. As ações ordinárias (PETR3), com direito a voto, perdiam 11,72%, a R$ 13,86. Os papéis ordinários da Eletrobras (ELET3) caíam 11,68%, a R$ 5,37. O Banco do Brasil (BBAS3) tinha perdas de 6,41%, a R$ 24,10. Bradesco (BBDC4) recuava 4,67% a R$ 32,08, e o Itaú (ITUB4) tinha desvalorização de 5,28%, a R$ 31,40. (Uol)

Comente agora
26
Out
Mantega: teremos de fazer ajustes no início de 2015
Postado por: Letícia Oliveira / 16:01h

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, admitiu hoje que o governo terá de fazer ajustes no início do ano que vem, assim como fez no início de 2011. Ele destacou, porém, após votar em São Paulo, que ajustes são feitos a todo momento. “Vamos ter que fazer o resultado ficar um pouco maior em 2015. Se a trajetória da inflação permanecer controlada, a política monetária será mais flexível”, disse o ministro a jornalistas. Para Mantega, um motivo que impediu o crescimento da economia em 2014 foi a falta de crédito ao consumo. De acordo com ele, para investimento, porém, há crédito. “A oferta de crédito já está melhorando, e isso é uma realidade. As vendas de automóveis, nos supermercados e de material de construção estão melhorando”, afirmou. Ele disse ainda que a pressão inflacionária no início do ano levou o governo a adotar uma política monetária restritiva, mas que o Banco Central já começou a flexibilizá-la. Sobre a escolha do seu substituto, Mantega afirmou que a presidente Dilma Rousseff não está debruçada nisso e que sua cabeça está voltada para ganhar a eleição. Questionado sobre seus planos a partir de janeiro, quando deve deixar o Ministério da Fazenda, Mantega disse que está concentrado em terminar este ano. “Temos dois meses de trabalho intenso”, resumiu, sem dar detalhes. Mantega votou nesta tarde, na escola Pueri Domus, no Itaim. Ele disse, durante conversa com jornalistas, que embarcaria para Brasília para aguardar o resultado das eleições. (Estadão)

Comente agora
25
Out
Petrobras faz nova descoberta de gás no ES
Postado por: Samile Macêdo / 20:34h

A Petrobras informou, nesta sexta-feira (24), a descoberta de acumulação de hidrocarbonetos (gás) em águas profundas no pós-sal da Bacia do Espírito Santo por meio da perfuração do poço, conhecido como Lontra. Sua profundidade é de 1.319 metros. Esse poço, localizado a 81 km da cidade de Vitória (ES), na área da concessão de produção de Golfinho, comprovou a presença de gás e condensado, de acordo com dados de perfilagem e teste a cabo. De acordo com a companhia, os reservatórios foram identificados a 3.055 metros de profundidade e a perfuração do poço foi finalizada em 3.238 metros. A Petrobras opera e detém 100% da concessão de produção do campo de Golfinho. (Band)

Comente agora
25
Out
ONS reduz previsão de água em hidrelétricas ao final de outubro
Postado por: Letícia Oliveira / 09:53h

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) reduziu a previsão de armazenamento de água nos reservatórios das hidrelétricas do Sudeste e Centro-Oeste ao final de outubro. De acordo com relatório divulgado nesta sexta-feira (24), as represas devem fechar o dia 31, próxima sexta, com nível médio em 18,4%. Na semana passada, a estimativa era de 19%. As hidrelétricas localizadas nas duas regiões respondem por cerca de 70% da capacidade do país de gerar eletricidade. Por isso, o governo vem acompanhando com atenção a redução no armazenamento de água nesses reservatórios, afetados pela queda no volume de chuvas nos dois últimos verões. Na região Nordeste, onde está o segundo maior parque gerador do país, as represas devem chegar ao final de outubro com nível de água em 15,2%, segundo o mesmo relatório. Na terça (21), o G1 mostrou que a situação nos reservatórios do Sudeste e Centro-Oeste já é pior que na mesma época de 2001, quando o país passava por racionamento de energia. De acordo com o ONS, na quinta (23), dado mais recente, o armazenamento médio de água nas hidrelétricas das duas regiões estava em 20,32%. No dia 23 de outubro de 2001 era um pouco superior: 21,54%. Entretanto, as duas regiões, somadas, têm hoje capacidade de armazenamento de água e, portanto, de gerar energia, superior à de 13 anos atrás: 205 mil MW por mês, ante 160,8 mil MW. (G1)

Comente agora
25
Out
Gastos de brasileiros no exterior batem recorde em setembro, informa BC
Postado por: Letícia Oliveira / 08:08h

A alta do dólar não foi capaz de deter o aumento dos gastos de brasileiros em compras no exterior com recorde de US$ 2,4 bi em setembro. O recorde anterior, para setembro, havia sido registrado em 2013 (US$ 2,14 bilhões em despesas no exterior). A série histórica do BC para as contas externas tem início em 1947. Segundo o Banco Central, nos nove meses anteriores de 2014, os gastos alcançaram U$ 19,6 bi, contra US$ 18,6 bi em igual período do ano passado. Ainda segundo o BC, as receitas de estrangeiros no Brasil chegaram a US$ 493 milhões, contra US$ 505 milhões igual mês do ano passado. De janeiro a setembro, as receitas chegaram a US$ 5,4 bilhões, contra US$ 5 bilhões referente ao mesmo período de 2013. Informações do G1.

Comente agora
24
Out
Fundador da Ricardo Eletro tenta entrar para o Guiness Book
Postado por: Redação Voz da Bahia / 17:59h

Fundador da Ricardo Eletro, Ricardo Nunes quer entrar para o Guinness BOOK como o “melhor vendedor do mundo” e, para isso, irá tentar vender sozinho 500 itens durante 24 horas, a partir da próxima sexta-feira, dia 24. A ação começará às 17h, na loja da rede varejista localizada na Rua Curitiba, 618, no Centro de Belo Horizonte. O executivo permanecerá no local até as 17h de sábado, enquanto um telão indicará em tempo real o número de vendas realizadas por Ricardo Nunes. A iniciativa faz parte das comemorações do aniversário de 25 anos da rede varejista. Esta será a primeira vez que o executivo fará a tentativa de entrar para o livro dos recordes.

Comente agora
24
Out
Contribuintes têm últimos dias para quitar IPVA 2014 sem notificação e multa
Postado por: Anacley Souza / 17:58h

Os contribuintes do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), que não quitaram o tributo em 2014 no prazo previsto, têm até o final de outubro para efetuar o pagamento e evitar notificação por parte da Secretaria da Fazenda do Estado (Sefaz-BA), conforme previsão legal – a notificação deve ser feita a partir de novembro. Além disso, caso o contribuinte com o imposto atrasado deixe de quitar o débito, ainda este mês, pagará multa de 60% sobre o valor original. A vantagem de quitar o imposto ainda em outubro é que haverá apenas incidência de acréscimo moratório, sem a multa. Quem fizer essa opção deve se dirigir a qualquer agência ou caixa eletrônico do Bradesco, do Banco do Brasil ou do Bancoob, devendo apresentar o número do Renavam. O calendário 2014 do IPVA foi encerrado em setembro, com os pagamentos dos veículos de placas finais 9 e 0. No site da Sefaz é possível conferir essas e outras informações sobre o IPVA, que também podem ser obtidas pelo call center da Secretaria da Fazenda (0800 071 0071). A notificação para quem permanecer em débito com o IPVA será publicada em novembro no Diário Oficial do Estado. Para consultar se o veículo está nesta relação, o contribuinte deve acessar o site da Sefaz, canal Inspetoria Eletrônica, com o número do Renavam em mãos. Em caso de notificação, o pagamento poderá ser feito com a impressão do Documento de Arrecadação Estadual, disponível no site – o contribuinte deverá acessar o canal ‘Inspetoria Eletrônica – IPVA’. Depois clicar em ‘DAE para pagamento – Exercícios notificados’. (Ascom)

Comente agora
24
Out
Gastos de brasileiros no exterior batem recorde em setembro
Postado por: Anacley Souza / 13:15h

As despesas de brasileiros no exterior chegaram a US$ 2,4 bilhões no mês passado, o maior resultado registrado pelo Banco Central, na série histórica mensal, iniciada em 1995 para meses de setembro. De janeiro a setembro, os gastos no exterior alcançam US$ 19,6 bilhões, contra US$ 18,6 bilhões em igual período do ano passado. Em setembro de 2013, as despesas de brasileiros fora do país totalizaram US$ 2,1 bilhões. As receitas de estrangeiros no Brasil chegaram a US$ 493 milhões , contra US$ 505 milhões igual mês do ano passado. De janeiro a setembro, as receitas chegaram a US$ 5,4 bilhões, contra US$ 5 bilhões no mesmo período de 2013. Com esses resultados de despesas e receitas, a conta das viagens internacionais ficou negativa em US$ 1,8 bilhão, no mês passado, ante resultado negativo de US$ 1,6 bilhão em setembro de 2013. (Agência Brasil)

Comente agora
24
Out
Confiança do consumidor recua em outubro, diz FGV
Postado por: Letícia Oliveira / 09:17h

A confiança do consumidor caiu 1,5% em outubro, após avançar 0,7% em setembro e cair 4,3% em agosto, sempre na comparação com o mês imediatamente anterior, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV), nesta sexta-feira, 24, ao divulgar o Índice de Confiança do Consumidor (ICC), na série com ajuste sazonal. Em outubro, o indicador, calculado dentro de uma escala de pontuação de até 200 pontos (quanto mais próximo de 200, maior o nível de confiança do consumidor), fechou em 101,5 pontos. Trata-se do menor patamar desde abril de 2009.O resultado foi influenciado tanto pela avaliação sobre o momento atual quanto pela percepção em relação ao futuro. O Índice de Situação Atual (ISA) mostrou queda de 2,9%, ao passar de 104,8 pontos para 101,8 pontos – também o menor nível desde abril de 2009. No mês passado, o índice já havia recuado 2,2%. Já o Índice de Expectativas (IE) caiu 0,6%, de 102,2 pontos para 101,6 pontos. Em setembro, o indicador havia subido 2,1%. O levantamento abrange amostra de mais de 2,1 mil domicílios em sete capitais, com entrevistas entre os dias 01 e 21 de outubro. (Agência Estado)

Comente agora
23
Out
Dólar fecha em alta e atinge o maior valor desde 2005
Postado por: Redação Voz da Bahia / 22:34h

O dólar fechou em alta nesta quinta-feira (23) e bateu o patamar de R$ 2,50, na penúltima sessão antes do segundo turno das eleições presidenciais, com investidores focados na acirrada disputa entre a presidente Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB). A moeda avançou 1,35%, cotada a R$ 2,5137. Veja cotação, na quarta alta seguida. Este é o maior valor desde maio de 2005, quando, no dia 2, a moeda fechou em R$ 2,5146. Na semana, o dólar acumula alta de 3,34% e no mês, de 2,68%. No ano, há valorização acumulada de 6,63%. Pesquisas eleitorais têm mostrado a presidente à frente em relação ao candidato tucano, em empate técnico. O cenário eleitoral também influenciou a Bovespa, que teve queda acentuada nesta quinta. O Ibovespa, principal indicador da bolsa paulista, recuou 3,24%, aos 50.732 pontos.

Comente agora
23
Out
Terceirização de alimentação reduz custos e é tendência nas empresas
Postado por: Anacley Souza / 17:48h

Serviço especializado em refeições coletivas ainda pode garantir aos colaboradores das empresas melhor rendimento profissional. É cada vez menos comum a autogestão da alimentação nas empresas do nosso país. Os refeitórios, antes pequenos e adaptados às possibilidades de cada organização, deram espaço para restaurantes modernos, completos e com serviços diferenciados para agradar ao paladar dos trabalhadores e mais: para garantir a eles qualidade de vida, saúde e bom rendimento profissional. A qualidade dos alimentos já não é mais o diferencial de maior peso na balança entre a relação custo x benefício. Essa característica, na verdade, é uma obrigação das empresas especializadas no serviço. Hoje, o que faz a diferença, é o acompanhamento nutricional de profissionais especializados, de acordo com as necessidades de cada consumidor. Uma das empresas especializadas em Refeições Coletivas, com um grande número de clientes em todo o Brasil, é a Risa Restaurantes Empresariais. Além de diferentes modelos de gestão de alimentos e serviços diferenciados, a empresa oferece aos seus clientes o Programa de Saúde Alimentar Viva Melhor, que busca promover a saúde por meio da reeducação alimentar.

Comente agora
23
Out
Levantamento aponta Nordeste como líder de financiamento de motos em setembro
Postado por: Redação Voz da Bahia / 16:01h

Um levantamento divulgado pela companhia de capital aberto Cetip nesta quinta-feira (23) indica que o Nordeste foi a região líder de financiamento de motos em todo o país, com 30.484 unidades entre novas e usadas e aumento de 7% em relação a agosto. A região superou o Sudeste, onde foram vendidas 29.126 motos a prazo no mês passado. No ranking da região, a Bahia fica em 3º lugar do número de motos compradas em agosto, com o total de 5.220 financiadas. O estado fica atrás do Maranhão (aproximado de 6,3 mil) e Ceará (5,57 mil). Ainda de acordo com o levantamento, as motos correspondem a 34% de todas as vendas financiadas, tendo uma participação significativa nos financiamentos de veículos no Nordeste. (BN)

Comente agora
23
Out
Selo fiscal em garrafões de água se torna obrigatório para comerciantes a partir de novembro
Postado por: Anacley Souza / 15:26h

Comerciantes têm até o dia 1º de novembro para adaptar os garrafões de 20 litros de água mineral comercializados na Bahia a apresentar no lacre o selo fiscal pela Secretaria da Fazenda do Estado (Sefaz-Ba). A multa aplicada àqueles que descumprirem a determinação será de R$ 90 por unidade irregular. O sistema de selo, implantado em estados como Pernambuco e Paraíba, ajuda a combater a concorrência desleal de envasadoras irregulares porque dificulta a entrada clandestina de produtos no mercado. Além disso, a ação garante o controle da produção e a regularidade no recolhimento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). A obrigatoriedade já está em vigor desde o início de outubro e estabeleceu um período maior de adaptação para o comércio, o que permitiu o escoamento dos garrafões adquiridos antes da vigência do selo. A medida não implica em custo adicional, já que o valor desembolsado na aquisição do selo será utilizado como crédito na quitação do imposto devido pelas empresas.

Comente agora
23
Out
Número de endividados e inadimplentes cai em outubro
Postado por: Letícia Oliveira / 12:22h

O número de famílias endividadas ou com contas em atraso caiu em outubro deste ano, segundo dados da Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). O número de famílias sem condições de pagar suas contas também caiu. De acordo com a pesquisa divulgada hoje (23), o percentual de famílias com dívidas como cartão de crédito e financiamento, entre outras, caiu de 63,1% em setembro para 60,2% neste mês. Em outubro do ano passado, a taxa era 62,1%. As famílias que se dizem muito endividadas caíram de 12,6%, em outubro do ano passado, para 11% em outubro deste ano. A maior parte das dívidas é com o cartão de crédito (74,7%). Outras dívidas comuns são com pagamento de carnês (17,3%), financiamento de carro (14,1%), crédito pessoal (9,3%) e financiamento de casa (8,7%). Os inadimplentes, ou seja, famílias com dívidas ou contas em atraso, passaram de 19,2%, em setembro deste ano, para 17,8% no mês seguinte. Em outubro do ano passado, o percentual era 21,6%. O tempo médio para pagar as dívidas ficou em 58,5 dias. As famílias sem condições de pagar suas contas ou dívidas somaram 5,4% do total, taxa inferior às registradas em setembro deste ano (5,9%) e em outubro do ano passado (7,3%). (Agência Brasil)

Comente agora
23
Out
Taxa de desemprego em setembro é de 4,9%, diz o IBGE
Postado por: Letícia Oliveira / 09:35h

A taxa de desemprego apurada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nas seis principais regiões metropolitanas do País ficou em 4,9% em setembro. O resultado ficou no piso do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo AE Projeções, que esperavam um resultado entre 4,90% a 5,30%, com mediana de 5,10%. Em agosto, a taxa de desocupação foi de 5,0%. O rendimento médio real dos trabalhadores registrou alta de 0,1% em setembro ante agosto e alta de 1,5% na comparação com setembro de 2013. A massa de renda real habitual dos ocupados no País somou R$ 48,4 bilhões em setembro, resultado considerado estável em relação a agosto. Na comparação com setembro de 2013, a massa cresceu 0,9%. Já a massa de renda real efetiva dos ocupados totalizou R$ 48,7 bilhões em agosto, uma alta de 0,4% em relação a julho. Na comparação com agosto de 2013, houve aumento de 1,9% na massa de renda efetiva. O rendimento médio real dos trabalhadores em setembro foi de R$ 2.067,10, contra R$ 2.064,82 em agosto. (Estadão)

Comente agora
23
Out
FGV prevê inflação acumulada de 7,5% nos próximos 12 meses
Postado por: Letícia Oliveira / 09:29h

Pesquisa de outubro da Fundação Getulio Vargas (FGV) prevê uma inflação acumulada de 7,5% nos próximos 12 meses, como reflexo dos crescimentos recentes das taxas de inflação, que se mantêm pressionada principalmente pelos alimentos. Em setembro, a expectativa de inflação dos consumidores nos 12 meses seguintes havia ficado em 7,3%. A estimativa do consumidor em outubro é a mais alta desde novembro de 2005, que foi de 7,8%. Avaliando-se a média móvel trimestral (a média dos últimos três meses, incluindo aquele da pesquisa), o indicador subiu de 7,2% em setembro para 7,3% em outubro. As informações são da Agência Brasil.

Comente agora
23
Out
Empresa vai implantar e operar parques eólicos em Jacobina
Postado por: Letícia Oliveira / 08:47h

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou a formação de uma joint-venture entre a Renova Energia e a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), para a implantação e operação de novos parques eólicos na cidade de Jacobina, na Bahia. As informações constam em um despacho publicado no Diário Oficial da União. Segundo as empresas, os parques terão capacidade instalada de 676,2 megawatts (MW). Além disso, cada companhia terá metade da nova empresa. “Como os empreendimentos ainda serão construídos, pode-se afirmar que a operação não gerará qualquer impacto imediato no mercado brasileiro de energia”, afirmaram as empresas. (iBahia)

Comente agora
22
Out
Em dia instável, dólar tem terceira alta seguida
Postado por: Marcus Augusto DRT 5719 / 20:44h

Após começar o dia operando em alta e passar a recuar, o dólar voltou a avançar nesta quarta-feira (22), diante de nova pesquisa eleitoral apontando vantagem de Dilma Rousseff (PT), na disputa pela Presidência contra Aécio Neves (PSDB), preferido pelos mercados. A moeda norte-americana encerrou o dia com alta de 0,15%, a R$ 2,4802 na venda. O levantamento do Datafolha, divulgado nesta madrugada, mostrou melhora na percepção com o futuro da economia do país entre os entrevistados, ajudando a explicar a reação da presidente Dilma Rousseff (PT) na corrida para reeleição. A petista continuou em vantagem numérica sobre Aécio Neves (PSDB) na intenção de voto, com 52%, contra 48% do adversário, mas em empate técnico. "Se o placar continuar igual até sexta-feira, o mercado vai chegar relativamente pessimista ao segundo turno", disse o operador da corretora B&T, Marcos Trabbold. Nesta manhã, o Banco Central vendeu a oferta total de até 4 mil swaps cambiais, que equivalem a venda futura de dólares, pelas atuações diárias. Foram vendidos 2 mil contratos para 1º de junho e 2 mil para 1º de setembro de 2015, com volume correspondente a US$ 196,7 milhões. O BC também vendeu a oferta total de até 8 mil swaps para rolagem dos contratos que vencem em 3 de novembro. Ao todo, a autoridade monetária já rolou cerca de 71% do lote total, equivalente a US$ 8,84 bilhões. "O (nível de) R$ 2,50 (para o dólar), por enquanto, parece estar funcionando como um limitador", acrescentou o operador de uma corretora internacional. Na semana, a moeda acumula alta de 1,96%. No mês, de 1,32%. No ano, há valorização acumulada de 5,20%. Nesta quarta-feira (22), o Ibovespa teve queda de 0,04%, aos 52.411 pontos. Na semana, a Bolsa acumula queda de 5,94%. No mês, desvalorização de 3,15%. E no ano, o índice Ibovespa tem valorização de 1,76%.

Comente agora
22
Out
Tarifa de luz já subiu 17,63% e pode ficar maior até fim do ano
Postado por: Anacley Souza / 15:58h

O reajuste médio da conta de luz já chega a 17,63% neste ano, maior do que o estimado pelo Banco Central (BC) em seu último Relatório Trimestral de Inflação, divulgado em setembro, que previa aumento de 16,8%. O preço médio, porém, pode subir mais até o fim do ano, porque ainda faltam oito distribuidoras, de um total de 56 no país, reajustarem suas tarifas. No total, 68,7 milhões de unidades consumidoras (famílias, comércio e indústrias) já tiveram suas contas reajustadas neste ano, sendo que a tarifa média para grandes consumidores (indústria, por exemplo) subiu 18,20%, enquanto pequenas unidades, como residências, teve aumento médio de 17,41%. Na terça-feira, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou a elevação de 22,43% em média das contas dos consumidores da CPFL Piratininga, que atende 1,6 milhão de unidades consumidoras em Santos, Sorocaba, Jundiaí e outros 24 municípios do litoral e do interior de São Paulo. Outras 1,7 milhão de unidades consumidoras de 28 municípios do Estado de São Paulo (regiões de Alto do Tietê e Vale do Paraíba) também terão suas tarifas de luz acrescidas em 21,93% em média. Elas são atendidas pela companhia Bandeirante Energia. Por fim, também foi aprovado na terça o reajuste de 13,69% da DME Distribuição, que fornece energia para 70 mil pessoas em Poços de Caldas (MG). Ainda passarão pelo processo de reajuste tarifário neste ano as distribuidoras Light, Boa Vista Energia, Amazonas Energia, Companhia Energética de Roraima (CERR), Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), Centrais Elétricas de Rondônia (Ceron), Companhia de Eletricidade do Acre (Eletroacre) e Companhia Sul Sergipana de Eletricidade (Sulgipe). (Revista Veja)

Comente agora
22
Out
Mercado volta a reagir a pesquisas eleitorais e Bolsa anula ganhos
Postado por: Letícia Oliveira / 11:34h

O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) despencou, ontem, para a mínima em mais de quatro meses, revertendo os ganhos acumulados em outubro. A queda verificada no pregão de ontem é fruto da reação do mercado às pesquisas eleitorais divulgadas na noite da segunda-feira que indicam uma melhora na posição da presidente Dilma Rousseff, que disputa a reeleição. Como vem ocorrendo desde o início da campanha, quando a presidente sobe nas pesquisas, as ações de estatais, como a Petrobras, perdem valor. O mercado considera que a política econômica intervém nas estatais, diminuindo seus lucros e receitas. O Ibovespa caiu 3,44%, a 52.432 pontos, menor patamar desde 5 de junho, pressionado principalmente pela estatal Petrobras, além dos bancos privados Itaú Unibanco e Bradesco, que também têm reagido à eleição. No pior momento, o Ibovespa tocou o patamar dos 51 mil pontos pela primeira vez desde o início de junho. O volume financeiro no pregão alcançou cerca de R$ 12 bilhões. O declínio nesta sessão levou o Ibovespa a acumular perdas de cerca de 3,11% em outubro, revertendo o ganho de 0,34% contabilizado até a segunda. Na semana passada, o índice ainda tinha no mês elevação superior a 7%.

Comente agora
21
Out
Etanol está competitivo em 5 Estados
Postado por: Anacley Souza / 16:02h

O etanol passou a ser competitivo também em Mato Grosso do Sul, além de Goiás, Mato Grosso, Paraná e São Paulo na semana que terminou no sábado, 18, mostram dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), compilados pelo AE-Taxas. Nos outros Estados e no Distrito Federal a gasolina continua mais competitiva. Segundo o levantamento, o etanol equivale a 66,22% do preço da gasolina em Goiás. Em Mato Grosso, a relação está em 64,67%; em Mato Grosso do Sul, 69,88%; no Paraná, em 68,12%; e em São Paulo, em 65,32%. A gasolina está mais vantajosa principalmente no Amapá, onde o etanol custa o equivalente a 97,68% do preço da gasolina – a relação é favorável ao biocombustível quando está abaixo de 70%. Os preços do etanol hidratado nos postos brasileiros caíram em 15 Estados, subiram em 10 e no Distrito Federal e ficaram estáveis no Amapá na semana encerrada no sábado. Na semana anterior, o biocombustível havia caído em 11 Estados, subido em 12 e permanecido estável em outros três e no Distrito Federal. Os dados são da ANP e mostram que no período de um mês os preços do etanol caíram em 13 Estados, subiram em 11 e no Distrito Federal e não variaram no Amapá e em Roraima. Em São Paulo, principal Estado consumidor, a cotação subiu 0,21% nesta semana, para R$ 1,865 o litro. No período de um mês, ainda acumula queda de 0,53%. Na semana, o maior avanço das cotações foi registrado na Bahia (2,10%), enquanto o maior recuo ocorreu em Goiás (2,03%). No mês, a maior queda ocorreu em Goiás (1,54%) e o avanço mais significativo, em Mato Grosso (2,85%). No Brasil, o preço mínimo registrado para o etanol foi de R$ 1,49 o litro, no Estado de São Paulo, e o máximo foi de R$ 3,17/litro, no Amazonas. Na média, o menor preço foi de R$ 1,865 o litro, em São Paulo. O maior preço médio foi verificado no Acre, de R$ 2,927 o litro. (Estadão Conteúdo)

Comente agora
21
Out
Setembro teve menos cheques sem fundos, diz Serasa
Postado por: Anacley Souza / 15:04h

O porcentual de cheques devolvidos pela segunda vez caiu em setembro para 1,84%, ante 2,02% em agosto, mas teve leve aumento na comparação com o setembro do ano passado (1,81%), mostra o Indicador Serasa Experian de Cheques Sem Fundos divulgado nesta terça-feira, 21. Com o resultado, o porcentual de cheques sem fundos no acumulado do ano até setembro ficou em 2,07%, acima dos 2,02% registrados no mesmo período do ano passado. De acordo com o indicador, no nono mês do ano foram compensados 64.740.913 cheques, dos quais 1.188.592 foram devolvidos por falta de fundos. Com isso, no acumulado do ano até o mês passado já são 11.709.303 cheques devolvidos, do total de 565.780.133 compensados. Entre as regiões do Brasil, o Norte é o que concentra o maior porcentual de cheques devolvidos (4,32%), seguido pelo Nordeste (4,27%), Centro-Oeste (3,06%), Sul (2,09%) e Sudeste (1,57%). Entre as unidades da Federação, Roraima liderou o ranking estadual dos cheques sem fundos nos primeiros nove meses de 2014, com 11,57% de devoluções.

Comente agora
21
Out
Cheques sem fundos diminuem em setembro, aponta Serasa
Postado por: Letícia Oliveira / 12:51h

O percentual de cheques devolvidos por falta de fundos foi 1,84 %, em setembro, representando uma queda de 0,18 ponto percentual em relação a agosto, segundo a empresa de consultoria Serasa Experian. Já na comparação com setembro do ano passado, houve aumento de 0,03 ponto percentual. Nos primeiros nove meses deste ano, o percentual de cheques devolvidos foi 2,07%. Já no mesmo período do ano passado, o índice ficou em 2,02%. Entre os estados brasileiros, Roraima liderou o ranking de cheques sem fundos nos primeiros nove meses de 2014, com 11,57% de devoluções. O Amazonas foi o estado com o menor percentual (1,13%). Entre as regiões, a Norte foi a que liderou o ranking, com 4,32% de cheques devolvidos, enquanto o Sudeste apresentou o menor percentual (1,57%). Para os economistas da Serasa Experian, a queda em relação a agosto é sazonal, por causa do Dia dos Pais, quando a inadimplência disparou. O aumento da inadimplência em relação à 2013 é reflexo do agravamento do quadro conjuntural: inflação elevada, juros altos e estagnação econômica. A pesquisa da Serasa Experian calcula a quantidade de cheques devolvidos por insuficiência de fundos em relação ao total de cheques compensados. O levantamento só considera a segunda devolução por falta de fundos. (Agência Brasil)

Comente agora
21
Out
Vendas de materiais de construção podem recuar 4% este ano
Postado por: Letícia Oliveira / 10:58h

Depois de atingir, em setembro, crescimento de vendas em nível abaixo dos dois meses anteriores, a indústria de materiais de construção voltou a revisar a meta de fechamento do ano, projetando queda de 4% sobre 2013. No mês de agosto, o setor havia alterado a projeção de crescer 2% para 0,5%. Os negócios em setembro superaram em 5,2% os registrados em agosto, já descontada a inflação. No entanto, este percentual foi menor do que os 7,1% apresentados em julho e agosto. Na comparação anual, setembro foi o sétimo mês seguido de redução no faturamento com queda de 5,7% sobre o mesmo mês do ano passado. Em agosto, o recuo havia atingido 12,4%. No acumulado do ano, o setor vendeu 6,5% menos do que no período de janeiro a setembro de 2013. Os dados são da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat).

Comente agora
21
Out
Inflação oficial fica em 0,48% na prévia de outubro
Postado por: Letícia Oliveira / 10:22h

A prévia da inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15), registrou uma taxa de 0,48% em outubro deste ano. O resultado é superior ao 0,39% da prévia de setembro e igual à taxa observada na prévia de outubro do ano passado. O dado foi divulgado hoje (21) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O IPCA-15 acumula taxas de 5,23% no ano e 6,62% no período de 12 meses. A taxa acumulada no ano supera o teto da meta de inflação do governo federal, que é 6,5%. O IPCA-15 mede a variação dos preços no mercado varejista. Reflete o aumento do custo de vida da população. O período de coleta de preços, que acontece em estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços, concessionárias de serviços públicos e domicílios (para levantamento de aluguel e condomínio), vai do dia 13 do mês anterior ao dia 13 do mês atual.

Comente agora
21
Out
Falta de chuvas já se reflete nos preços de alimentos no país
Postado por: Samile Macêdo / 09:40h

A falta de chuvas já se reflete nos preços de alimentos. No Sudeste, café, carne e leite sentem mais a estiagem. A safra de cana-de-açúcar também será afetada. Já no Centro-Oeste, o plantio da soja foi adiado por causa da seca, enquanto no Sul esse atraso ocorreu com o arroz pela razão oposta: excesso de chuva. Levantamento feito pela consultoria MB Agro a pedido do GLOBO, com base em dados do mercado, como do Cepea, mostra que o volume de chuvas no período entre janeiro e setembro deste ano foi de 457 milímetros no município de Guaxupé (MG), com forte produção de café, 58% menor que os 1.087 milímetros de igual período do ano passado. O preço do café no atacado, por sua vez, saltou 60% entre setembro de 2013 e setembro de 2014. Em Rio Verde (GO), com pecuária forte, o volume de chuva nos nove primeiros meses deste ano foi 38% menor que em igual período de 2013, enquanto o preço da carne bovina subiu 24% entre os meses de setembro do ano passado e deste ano. Já em Uberlândia (MG), com pecuária leiteira, o volume de chuva recuou 45%, enquanto o preço do leite caiu 4%, nas mesmas bases de comparação. Na Região Centro-Oeste, a estiagem levou ao adiamento da plantação da soja. No caso do café, é possível observar que uma menor quantidade de chuva acabou levando a um aumento de preço. Na carne bovina e no leite, a falta de chuvas teve influência no preço

Comente agora
Todos os direitos reservados a Marcus Augusto Macedo | vozdabahia@hotmail.com