As comentadas


Boa tarde , Domingo, 14/02/2016








Enquete



Reflita

Blog

Economia

14
Fev
Procura por celulares usados cresce 70%; preço é o maior atrativo
Postado por: Débora Ayane / 13:29h

Em meio à crise e à redução do poder de compra do consumidor, celular bom é celular barato. Mesmo que ele seja um seminovo. A tendência tem feito aumentar a procura por smartphones usados, mercado que cresceu 60% em volume de negócios na Bahia, conforme aponta a plataforma de anúncios OLX. A diferença do preço de um usado para o valor de um novo pode ser até 70% mais barato - um bom negócio, inclusive, para quem está com a grana curta ou perdeu o aparelho durante os dias de Carnaval, por exemplo.“A categoria de smartphones e celulares da OLX foi a que mais vendeu no ano passado. Na Bahia, o número de negócios fechados foi superior a média nacional que ficou em 60%”, ressalta o chefe comercial da OLX Brasil, Marcos Leite. O volume de anúncios publicados cresceu no mesmo ritmo: “Verificamos um aumento de 60% no número de pessoas que postam anúncios de venda de smartphones.

Comente agora
14
Fev
Produção e venda de bicicletas sofre queda de 10% no Brasil em 2015
Postado por: Redação Voz da Bahia / 13:09h

Tanto a produção como as vendas de bicicletas no Brasil apresentaram queda de 10% em 2015, na comparação com o ano anterior. Segundo o jornal O Globo, números da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo) indicam o número de unidades produzidas passou de 3,7 milhões para 3,3 milhões, enquanto a quantidade de bicicletas comercializadas recuou de 4 milhões para 3,6 milhões. Para Eduardo Musa, vice-presidente do Simefre, sindicato interestadual que representa os fabricantes de bicicletas, existe uma percepção de que mais pessoas estão pedalando nas ruas. A queda nos indicadores estaria diretamente relacionada com a perda do poder de compra dos brasileiros. "Há uma excepcionalidade no momento. Os números do ano passado foram muito afetados pela crise econômica que estamos vivendo. Quem comprava bicicletas para lazer e esporte cortou o gasto. As bicicletas para esporte, por exemplo, têm muitos itens importados, e o preço subiu por causa do dólar", analisou Musa, em entrevista ao jornal O Globo.

Comente agora
14
Fev
Freada global deve manter o petróleo barato
Postado por: Débora Ayane / 11:25h

O mundo vive uma nova e surpreendente era do petróleo barato e não há sinais de mudança, pelo menos no curto prazo. O problema é o excesso de oferta, decorrente do aumento da produção, somado à demora na recuperação da economia dos maiores consumidores e à desaceleração da China. Com produção diária de quase 2 milhões de barris acima da demanda, o preço do petróleo caiu 75% em pouco mais de 18 meses. Está no menor patamar em 13 anos. Esse cenário, e a necessidade de respostas ambientais, tem levado a questionamentos sobre a possibilidade de o mundo estar vivenciando o começo do fim da era da commodity. Porém, a resposta não é simples. Até porque o desequilíbrio entre oferta e demanda tem por trás um jogo de poder político e econômico entre produtores, consumidores e países em desenvolvimento que é mais complexo do que foi no passado. (Estadão Conteudo)

Comente agora
14
Fev
Corte de salários de servidores economizaria R$ 10 bi
Postado por: Redação Voz da Bahia / 10:46h

Em plena crise econômica, os governos federal, estadual e municipal gastam um montante bilionário com pagamentos de servidores que recebem acima do teto constitucional. Estimativas de fontes do Ministério da Fazenda e do Congresso apontam que, caso a lei fosse cumprida, a economia aos cofres públicos chegaria a quase R$ 10 bilhões por ano, considerando todas as esferas de governo. A cifra é similar à que o governo pretende conseguir em 2016 com a recriação da CPMF. Cálculos do governo federal, que consideram apenas o total que a União economizaria, são bem menores, de R$ 1 bilhão anual. Ignorando a Constituição, alguns servidores ganham acima dos R$ 33,7 mil, salário do presidente do Supremo Tribunal Federal, que serve de referência para a definição do teto. Somente no Superior Tribunal de Justiça, o setor responsável pelos pagamentos confirma que ao menos cinco servidores aposentados receberam, entre janeiro e dezembro de 2015, valores líquidos superiores a R$ 100 mil. 

Comente agora
14
Fev
Uruguai e Rússia reforçam parceria em carne e lácteos
Postado por: Débora Ayane / 08:59h

Uruguai e Rússia, tradicionais parceiros no setor pecuário, avançam em negociações para ampliar o intercâmbio comercial de carne bovina e de lácteos. Nesta semana, os ministros da Agricultura do Uruguai e da Rússia assinaram, em Moscou, um convênio que tem por objetivo reforçar o comércio e a troca técnica e científica entre os países. A assinatura veio na sequência da redução da tarifa para as exportações uruguaias de carne premium à Rússia. A taxa caiu de 50% para 15%, para qualquer quantidade exportada da proteína de alta qualidade. Anteriormente, volumes acima de 3 mil toneladas pagavam 50% de tarifa e abaixo, 15%. De acordo com o governo do Uruguai, a Rússia é o principal comprador de manteiga do país latino, adquirindo 55% da produção do derivado - entre janeiro e outubro de 2015 foram comercializadas 8 mil toneladas, de acordo com dados do Uruguai.

Comente agora
14
Fev
Governo amplia crédito do BNDES para destravar concessões
Postado por: Débora Ayane / 08:34h

Oito meses depois de anunciar o endurecimento das condições de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para as concessões em infraestrutura, o governo voltou atrás e anunciará, nos próximos dias, que a parcela de recursos a juros baixos fornecida pelo banco aos concessionários será ampliada, segundo informaram técnicos envolvidos no programa.Atualmente, o banco empresta pelo menos 35% do valor do projeto ao custo da Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), fixada em 7,5% ao ano. A expectativa é que essa parcela suba para algo como 60%, bem próxima dos 70% oferecidos na primeira etapa do Programa de Investimentos em Logística (PIL).

Comente agora
14
Fev
Renda per capita brasileira diminui e fica mais distantes de países emergentes
Postado por: Débora Ayane / 08:04h

A renda per capita do Brasil diminui em 2015, na comparação com o ano anterior. Segundo a Folha de S. Paulo, dados do Fundo Monetário Internacional (FMI) indicam que o valor passou de US$ 16,2 mil para US$ 15,7 mil. O número coloca os brasileiros mais distantes dos moradores de outros países em desenvolvimento. Até 2004, o poder de compra do aqui era maior que a média dos emergentes. No entanto, o forte avanço de China e Índia e a recente retração econômica deixaram o Brasil com 90% do rendimento médio das nações consideradas emergentes pelo FMI. Ainda de acordo com a Folha de S. Paulo, projeções da instituição apontam que os brasileiros terão renda per capita de US$ 18 mil em 2020, valor equivalente a 80% da média dos emergentes, projetada em US$ 21,6 mil. Também na comparação com os Estados Unidos o Brasil ficou mais distante. Nos anos 80 o poder de compra chegava a ser o equivalente a 40% do americano, mas agora está na casa dos 30%.

Comente agora
13
Fev
Coeuré: insegurança do setor bancário na zona euro pode conter inflação
Postado por: Débora Ayane / 15:35h

Em entrevista ao jornal alemão Rheinische Post, o membro da Comissão Executiva do Banco Central Europeu, Benoit Coeuré, disse que a turbulência no mercado financeiro da Europa pode adiar a alta da inflação ainda mais e que os bancos vão precisar de ajuda com medidas firmes no longo prazo. "Se (essa volatilidade) continuar por muito tempo, ela também pode aumentar o risco de que uma alta da inflação seja adiada", disse Coeuré. Com a queda nos preços do petróleo e a desaceleração do crescimento global, a inflação da zona euro está bastante depreciada. Segundo informações do Extra, os bancos da zona euro tiveram queda das ações em cerca de 30% em 2016, por preocupações sobre a rentabilidade do setor bancário. Coeuré disse que os bancos estão enfrentando baixa lucratividade e alguns estão sofrendo com o alto patamar de crédito em atraso, um legado da crise econômica na Europa. "Nenhum desses desafios é novo: eles já foram identificados, eles exigem ações energéticas e eles serão resolvidos ao longo do tempo", disse Coeuré. O membro do BCE afirmou ainda que os governos da zona euro precisam estimular o crescimento, caso contrário os juros continuarão baixos por um período muito longo.

Publicidade

Comente agora
13
Fev
Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 18 milhões neste sábado
Postado por: Débora Ayane / 11:02h

A Mega-Sena vai sortear neste sábado (13) um prêmio de R$ 18 milhões para quem acertar as seis dezenas do concurso 1.790. O sorteio acontece às 20h (pelo horário de Brasília) no Caminhão da Sorte da Caixa, na Praça da Glória, em Fortaleza. De acordo com a Caixa Econômica Federal (CEF), se um apostador levar o prêmio sozinho e aplicá-lo integralmente na poupança, receberá cerca de R$ 114 mil por mês em rendimentos, o equivalente a R$ 3,8 mil por dia. Caso prefira, poderá adquirir 30 imóveis no valor de R$ 600 mil cada, ou 120 carros de luxo.

Publicidade

Comente agora
13
Fev
Nelson Barbosa: Não faltarão recursos para combate à zika
Postado por: Débora Ayane / 10:41h

Em um momento de aperto fiscal e incerteza sobre cortes no Orçamento federal, o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, afirmou há pouco que o combate ao zika vírus é uma prioridade nacional e que não faltarão recursos para ações de prevenção, informação e tratamento dos atingidos. O ministro esteve em Belo Horizonte na manhã deste sábado como parte de uma campanha promovida pelo governo. Segundo ele, os números do Orçamento de 2016, que devem trazer cortes de despesas e detalhar o volume de recursos disponível para esse trabalho do Ministério da Saúde, serão anunciados nos próximos dias. "Nós vamos cortar em outras coisas, vamos preservar os recursos necessários para combater essas doenças", ressaltou.

Publicidade

Comente agora
12
Fev
Dólar avança 0,16%, apesar de recuperação do petróleo
Postado por: Anacley Souza / 21:01h

O dólar à vista alternou pequenas altas e baixas durante toda esta sexta-feira (12) e acabou fechando em alta de 0,16%, cotado a R$ 3,9953. A valorização frente ao real ocorreu mesmo diante da melhora do humor no mercado internacional, sustentado pela forte recuperação dos preços do petróleo e com o consequente aumento do apetite por risco dos investidores internacionais. A moeda americana chegou a ceder em vários momentos, mas as preocupações de sempre com a economia brasileira e a proximidade do fim de semana limitavam o movimento. No exterior, os ganhos do petróleo foram firmes desde o período da manhã, em meio à expectativa de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) possa coordenar um corte de produção. O avanço do petróleo em Nova York e em Londres favoreceu as moedas de alguns países produtores, como o rublo russo e o peso mexicano, em detrimento do dólar. O Brasil, que também é produtor, viu o dólar cair em alguns momentos, mas o movimento não se firmou. Neste cenário, o dólar à vista marcou a máxima de R$ 4,0037 (+0,37%) às 10h29 e a mínima de R$ 3,9669 (-0,55%) às 14h39. Da máxima para a mínima, a moeda americana oscilou -0,92%. O noticiário doméstico foi escasso, tendo como um dos principais destaques a confirmação de Otávio Ladeira como secretário do Tesouro Nacional. A nomeação do economista foi bem recebida pelos analistas ouvidos pelo Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, que o consideram sério, competente e avesso a atitudes controvertidas. Outro destaque do dia foi a viagem da presidente Dilma Rousseff a São Paulo, nesta tarde, para um encontro com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. PT e Palácio do Planalto aguardam uma resposta de Lula sobre o sítio usado por ele em Atibaia, alvo de inquérito da Operação Lava Jato, para traçar uma estratégia de defesa do petista.

Comente agora
12
Fev
Com receio de cortes, mercados fazem preço de barril de petróleo disparar
Postado por: Anacley Souza / 20:27h

Com o receio de um possível corte na produção de petróleo pelos Emirados Árabes Unidos, os mercados reagiram com preocupação, nesta sexta-feira (12), gerando a disparada dos preços do barril de petróleo. Segundo informações da Folha de S.Paulo, em Londres, o Brent ganhava 9,78%, a US$ 33 o barril; nos EUA, o WTI avançava 11,33%, a US$ 29,18. Os mercados reagiram às declarações do ministro da Energia dos Emirados Árabes Unidos, Suhail bin Mohammed al-Mazrouei, que alimentou expectativas de corte coordenado na produção de petróleo. Segundo o ministro, a Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) está disposta a negociar um corte na produção.

Comente agora
12
Fev
Em decisão inesperada, presidente da Victoria's Secret renuncia ao cargo
Postado por: Anacley Souza / 20:21h

Sharen Jester Turney, que por mais de uma década foi um dos nomes mais importantes da icônica marca de lingerie Victoria's Secret - e desde 2006, sua principal executiva -, apresentou sua renúncia. A informação foi divulgada em comunicado pela L Brands, empresa que controla a marca. Sharen chegou à empresa em 2000 para presidir a Victoria's Secret Direct, braço da marca responsável por seu catálogo de produtos. Seis anos depois, ela passou à presidência da marca-mãe. De acordo com o comunicado, Sharen tomou a decisão para se dedicar à família e a seus assuntos particulares. "Depois de dezesseis anos e um quarto trimestre histórico na Victoria's Secret, eu decidi priorizar minha família e minha vida pessoal", disse a executiva no comunicado. A Victoria's Secret, mais forte que nunca após os anos sob o comando de Turney, detém mais de 60% do mercado de lingerie dos Estados Unidos. Com o anúncio, as ações da L Brands fecharam em baixa de 2,2% nesta sexta-feira. (Veja)

Comente agora
12
Fev
Petros vende toda participação acionária que possuia na Dasa
Postado por: Anacley Souza / 18:40h

A Fundação Petrobras de Seguridade Social (Petros) informou à Diagnósticos da América (Dasa) que vendeu toda a sua participação acionária na companhia. Conforme dados da BM&FBovespa e do site da empresa, a Petros detinha 10% do capital social da Dasa. "Cabe ressaltar que a Petros não possui bônus de subscrição, bem como direitos de subscrição de ações e de opções de compra de ações e também não detém debêntures conversíveis de emissão da Dasa e não foram celebrados quaisquer contratos ou acordos que regulem o exercício de direito de voto ou a compra e venda de valores mobiliários", esclareceu a Petros, no comunicado à Dasa.

Comente agora
12
Fev
Fracassam novas negociações entre Argentina e fundos especulativos
Postado por: Débora Ayane / 16:50h

A Argentina e os fundos especulativos mais difíceis que venceram uma disputa sobre o default (não pagamento) da dívida não chegaram a um acordo nas novas negociações sobre a oferta de pagamento do país sul-americano, informou nesta sexta-feira (12) o mediador judicial. As reivindicações dos quatro fundos mais difíceis, entre eles NML Capital e Aurelius, "não foram resolvidas nesta semana", declarou o mediador Daniel Pollack em um comunicado. Pollack indicou que as negociações em Nova York se estenderam até "tarde da noite" e vão "continuar".O novo governo de centro-direita do presidente Mauricio Macri apresentou em 5 de fevereiro em Nova York uma oferta para pagar US$ 6,5 bilhões aos fundos especulativos e outros credores e acabar assim com o bilionário litígio da dívida que data de 2001.

Comente agora
12
Fev
Dólar opera em baixa, após bater R$ 4, com quadro fiscal e cenário externo
Postado por: Débora Ayane / 13:36h

O dólar passou a operar em baixa ante o real nesta sexta-feira (12), após ter chegado a R$ 4, influenciado pela cautela em relação à saúde da economia global e às perspectivas fiscais no Brasil.Às 13h39, a moeda norte-americana recuava 0,22%, vendida a R$ 3,9749.Acompanhe a cotação ao longo do dia:

  • Às 9h09, queda de 0,07%, a R$ 3,9809.
  • Às 9h39, estável em 0%, a R$ 3,9834.
  • Às 10h19, alta de 0,22%, a R$ 3,9926.
  • Às 10h30, alta de 0,47%, a R$ 4,0028.
  • Às 10h49, alta de 0,38%, a R$ 3,9991.
  • Às 11h20, alta de 0,33%, a R$ 3,9971.
  • Às 12h, alta de 0,34%, a R$ 3,9974.
  • Às 13h10, alta de 0,1%, a R$ 3,9878.
Comente agora
12
Fev
Brasileiros que têm bens no exterior devem declarar a partir da semana que vem
Postado por: Débora Ayane / 13:30h

O Banco Central (BC) começa a receber, a partir da próxima segunda-feira (15), a declaração anual da pesquisa de Capitais Brasileiros no Exterior (CBE) relativa ao ano de 2015. Estão obrigadas a prestar as informações pessoas físicas e jurídicas residentes no país, que tinham, no exterior, ativos de valor igual ou superior ao equivalente a US$ 100 mil, em 31 de dezembro de 2015. A declaração deve ser entregue até 18h do dia 5 de abril de 2016. O preenchimento da declaração é realizado via formulário eletrônico que estará disponível na página do BC na internet, a partir da semana que vem. Segundo o BC, o objetivo primordial da declaração é estatístico, pois contribui para que se conheça, de forma ampla e detalhada, os ativos externos que residentes no Brasil têm, auxiliando análises e pesquisas macroeconômicas. (Correio)

Comente agora
12
Fev
Pedidos de falência crescem e recuperação judicial têm maior alta em 10 anos
Postado por: Samile Macedo / 07:55h

O número de recuperações judiciais requeridas no país em 2015 foi a maior desde 2005. Segundo dados divulgados hoje (11) pela Serasa Experian, foram 1.287 recuperações judiciais requeridas em 2015, 55,4% maior do que em 2014, quando foram registradas 828 solicitações. O setor de serviços foi o que mais apresentou recuperações requeridas em 2015, com 480 pedidos, seguido do comércio, com 404, e da indústria, com 359. O setor primário registrou 44 pedidos. “O aprofundamento da recessão econômica, os custos do crédito cada vez mais elevados e a alta acumulada do dólar neste ano estão impondo dificuldades financeiras às empresas, seja pelo enfraquecimento da geração de caixa (recessão), seja pela elevação de custos (juros e dólar)”, disse a Serasa, em nota. A recuperação judicial é uma medida para evitar a falência de uma empresa. É pedida quando a pessoa jurídica perde a capacidade de pagar suas dívidas. É um meio para que a empresa em dificuldades reorganize seus negócios e se recupere de uma dificuldade financeira momentânea. Já o número de falências requeridas em 2015, nos setores de serviço, comércio e indústria, totalizou 1.760, um acréscimo de 6% em relação ao ano anterior. Em 2012, esse número foi de 1.917, e em 2010, 1.914. No período de 2005 a 2015, o recorde de falências requeridas nos três setores ocorreu em 2005 (9.497), seguido de 2006 (4.157) e 2007 (2.705). A nova lei de falências entrou em vigor em junho de 2005. (iG)

Comente agora
11
Fev
Brasil aumenta em 46% capacidade instalada de energia eólica
Postado por: Anacley Souza / 21:04h

O Brasil aumentou em 46% sua capacidade instalada de energia eólica em 2015, acrescentou 2,754 GW de novas instalações. Com isso, o País passou a somar 8,72 GW de capacidade instalada e conquistou a décima colocação entre os maiores produtores de energia eólica, com 2% da capacidade global, passando a constar no ranking TOP 10 eólico, elaborado pelo Global Wind Energy Council (GWEC). A entidade ponderou que o montante corresponde aos projetos totalmente comissionados, mas salientou que parte desse volume ainda depende de conexões com rede de transmissão. A nova capacidade adicionada pelo Brasil correspondeu a 4,4% do total de novas instalações de geração de energia a partir dos ventos em todo o mundo. Segundo a entidade, em todo o mundo foram instalados 63,01 GW, o que correspondeu a um crescimento da ordem de 17%, atingindo 432,419 GW no final de 2015. (Tribuna)

Comente agora
11
Fev
Dólar sobe e volta a se aproximar de R$ 4
Postado por: Anacley Souza / 20:39h

Em um dia de turbulência no mercado financeiro, a moeda norte-americana aproximou-se de R$ 4, e a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) teve forte queda. O dólar comercial fechou esta quinta-feira (11) vendido a R$ 3,984, com alta de R$ 0,048 (1,23%). O Ibovespa, índice da Bolsa de São Paulo, caiu 2,56%, encerrando aos 39.345 pontos. Com a alta de hoje, o dólar volta a acumular alta em 2016, tendo subido 0,9% no ano. A divisa operou em alta durante todo o horário de negociação e encerrou na máxima do dia. O Ibovespa começou o dia operando em forte queda, e a tendência ampliou-se nas horas seguintes. Pela primeira vez desde o último dia 3, o índice voltou a fechar abaixo de 40 mil pontos, aproximando-se dos níveis registrados em março de 2009, no auge da crise econômica provocada pelo colapso do crédito imobiliário nos Estados Unidos. As ações da Petrobras, as mais negociadas, também tiveram forte queda. Os papéis ordinários, que dão direito a voto em assembleia de acionistas, caíram 2,78%, fechando em R$ 5,95. As ações preferenciais, que dão prioridade na distribuição de dividendos, recuaram 1,86%, sendo vendidas a R$ 4,23. Nos últimos dias, as commodities (bens primários com cotação internacional) têm caído fortemente por causa de dados que mostram a desaceleração da economia chinesa. A cotação internacional do barril de petróleo, que tinha chegado a ficar acima de US$ 30 na semana passada, fechou em torno de US$ 28. Os mercados da Ásia não operaram hoje por causa do feriado do Ano-Novo chinês, mas as bolsas norte-americanas e europeias despencaram com a queda generalizada dos preços das commodities e das ações de bancos internacionais e com a redução do número de pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos.

Comente agora
11
Fev
Proposta para reforma da Previdência vai atrasar
Postado por: Anacley Souza / 20:27h

Apontada como principal medida para recolocar as contas públicas em equilíbrio, a reforma da Previdência deve seguir num ritmo mais lento do que o desejado pela área econômica do governo. A expectativa era que o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, apresentasse as linhas gerais de uma proposta na reunião do Fórum de Debates sobre Políticas de Emprego, Trabalho e Renda e de Previdência Social, marcada para a próxima quarta-feira. Mas nesta quinta-feira, 11, o ministro do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto, informou em nota que a pauta principal do encontro são medidas para a retomada do crescimento econômico. Não está prevista nenhuma discussão de conteúdo sobre a reforma da Previdência. Pelo previsto, os integrantes deverão tratar apenas de um calendário de discussões sobre o tema. Segundo Rossetto, o governo ainda não tem uma proposta consolidada de reforma da Previdência, e sim estudos e reflexões. "Existem várias alternativas. Vamos tratar esse assunto com a responsabilidade e com a amplitude social que ele exige. Nossa meta é consolidar uma Previdência que seja justa e sustentável", disse. Essa é uma disputa já se instalou nos bastidores há algum tempo. De um lado, a equipe de Barbosa corre contra o tempo para encaminhar ao Congresso uma proposta de reforma que dê um horizonte de reequilíbrio nas contas da Previdência. Do outro, Rossetto defende uma discussão sem pressa. Ainda que haja dificuldades de avançar com ela no Legislativo, a reforma é considerada pela área econômica uma sinalização importante para o mercado, por representar uma perspectiva de freio no crescimento das despesas. Essa reforma é importante também para dar suporte à proposta do governo de "ressuscitar" a Contribuição Provisória sobre a Movimentação Financeira (CPMF), cuja arrecadação é esperada para fechar as contas ainda este ano.

Comente agora
11
Fev
Christine Lagarde é candidata única ao comando do FMI
Postado por: Anacley Souza / 19:14h

Christine Lagarde é a única candidata à direção do Fundo Monetário Internacional (FMI), o que, virtualmente, assegura a sua nomeação, em julho próximo, segundo um comunicado da instituição divulgado nesta quinta-feira. Nomeada como diretora-gerente do FMI em julho de 2011 para um mandato de cinco anos, a ex-ministra francesa de Economia apresentou oficialmente sua candidatura em 22 de janeiro e foi apoiada por vários países da Europa e da América Latina e também pelos Estados Unidos. No fim de janeiro, o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, manifestou apoio do Brasil à reeleição de Lagarde. Segundo o ministro, isso é fundamental para enfrentar os desafios econômicos atuais. Barbosa disse confiar na habilidade de Lagarde em conduzir temas multilaterais, principalmente num momento de reforma de cotas para dar maior representatividade aos países emergentes no Fundo. (AFP)

Comente agora
11
Fev
TIM deve demitir cerca de mil funcionários, afirma sindicato
Postado por: Anacley Souza / 18:52h

Diante da reestruturação que a operadora TIM está promovendo nos próximos meses, o sindicato de trabalhadores do setor de de telecomunicações (SinttelRio) estima cortes de 800 a mil funcionários da empresa. "De fato eles estão fazendo uma reestruturação (...) Nossa estimativa é de corte de 800 a 1 mil pessoas de áreas variadas, técnica, administrativa. Todas as áreas", disse Luis Antônio Souza, presidente do SinttelRio e secretário geral da Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Telecomunicações (Fenattel). Nesta terça-feira (11), os sindicatos têm reunião marcada com a TIM para tratar da reestruturação. No Brasil, a Telecom Italia (TIM) tem cerca de de 13,6 mil trabalhadores. Segundo informações do O Globo, a TIM afirmou apenas que promove desde o segundo semestre do ano passado um "plano de eficiência que abrange todas as áreas da companhia, com revisão ampla de processos e atividades". As ações da operadora acumulam desvalorização de 12,5% este ano até a quarta-feira. Às 13h54, o papel despencava 6%, enquanto o Ibovespa mostrava baixa de 2,5%.

Comente agora
11
Fev
Juro no cartão de crédito chega a 410,97% ao ano; o maior em duas décadas
Postado por: Anacley Souza / 18:43h

A Associação de Executivos de Finanças (Anefac), informou, nesta quinta-feira (11), que as taxas de juros das operações de crédito subiram em janeiro pelo décimo sexto mês consecutivo no Brasil, atingindo em algumas linhas os maiores níveis em 21 anos. De acordo com a associação, todas as linhas de crédito para pessoas física e jurídicas sofreram alta. No cartão de crédito - o mais elevado - o juro cobrado subiu a 14,56% ao mês (410,97% ao ano), o maior pico desde outubro de 1995, quando foi de 15,43% ao mês. Além do aumento no custo dos empréstimos, a Anefac informou que o prazo dos financiamentos também diminuiu. No caso do financiamento de veículos, o prazo médio caiu para 36 meses, o menor desde o começo de 2009. Já nas demais categorias de empréstimos, o prazo médio de nove meses foi o menor desde janeiro de 1999. Segundo informações da Folha de S.Paulo, um dos motivos que explica as elevações dos juros é o cenário econômico, que aumenta o risco dos índices de inadimplência também subirem. "Este momento se baseia no fato de os índices de inflação estarem mais elevados, com aumento de impostos e juros maiores, que reduzem a renda das famílias. Agregado ao baixo crescimento econômico, deverá promover crescimento dos índices de desemprego", disse o diretor de estudos e pesquisas econômicas da Anefac, Miguel José Ribeiro de Oliveira.

Comente agora
11
Fev
Juro médio do crédito é o maior desde fevereiro de 2005, diz Anefac
Postado por: Samile Macedo / 09:23h

As taxas de juros das operações de crédito seguiram subindo em janeiro de 2016, pelo 16º mês seguido, de acordo com pesquisa da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade). A taxa média para pessoa física (crédito pessoal) aumentou de dezembro para janeiro, passando de 7,55% ao mês (139,78% ao ano) em dezembro de 2015 para 7,67% ao mês (142,74% ao ano) em janeiro de 2016 - a maior desde fevereiro de 2005. No cartão de crédito, os juros estão em 410,97%. No mês anterior, a taxa média ficou em 399,84%. A taxa deste mês é a maior desde outubro de 1995, quando estava em 15,43% ao mês e 459,53% ao ano. No caso do cheque especial, houve uma elevação de 1,86%, passando a taxa de 10,76% ao mês (240,88% ao ano) em dezembro de 2015, para 10,96% ao mês (248,34% ao ano) em janeiro de 2016. Segundo a Anefac, a taxa deste mês é a maior desde julho de 1999, quando atingiu 11,73% ao mês e 278,48% ao ano. Das três linhas de crédito para pessoas jurídicas pesquisadas, todas sofreram aumento. A taxa de juros média geral para pessoa jurídica passou de 4,27% ao mês (65,16% ao ano) em dezembro de 2015 para 4,33% ao mês, ou 66,31% ao ano, em janeiro deste ano - a maior desde fevereiro de 2009. (G1)

Comente agora
10
Fev
Governo aprova compra de empresas de Eike Batista por fundo de Abu Dabhi
Postado por: Anacley Souza / 23:39h

A superintendência do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) aprovou, sem restrições, a compra de participações societárias do Grupo Mudabala na OSX, CCX CIGH, REX SUL e REX IV, integrantes do Grupo EBX, controlado por Eike Batista. A decisão foi publicada nesta quarta-feira (10) no Diário Oficial da União. Parecer disponível no site do Cade não detalha o valor pago pelo grupo que pertence ao governo do Emirado de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, ou quais as participações compradas. As negociações foram anunciadas na metade de janeiro. A OSX, em recuperação judicial (antiga concordata), atua no setor de equipamentos e serviços integrados direcionados à indústria naval e offshore, a CCX Carvão da Colômbia foi criada em maio de 2012 para desenvolver um projeto de mineração de carvão na Colômbia, bem como um sistema logístico integrado voltado às suas operações com carvão. Já a Companhia Industrial de Grandes Hotéis (CIGH) atua apenas no mercado de investimentos em propriedades hoteleiras, embora não seja operacional atualmente, assim como a Rex Sul Empreendimentos. A Rex Empreendimentos Imobiliários IV (Rex IV) atua no setor de desenvolvimento imobiliário e não é operacional.

Comente agora
10
Fev
Petróleo barato já começa a prejudicar a economia global, diz Opep
Postado por: Anacley Souza / 20:30h

Os preços atuais do petróleo, os mais baixos em mais de uma década, começam a prejudicar a economia global e não têm aumentado a demanda por gasolina e outros derivados no nível em que muitos esperavam, afirmou a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) nesta quarta-feira. A Opep cortou suas projeções para crescimento da demanda global por petróleo e também para a economia mundial. Segundo o grupo, os preços mais baixos da commodity não compensaram o apetite reduzido dos consumidores - e, ao mesmo tempo, prejudicam grandes países, como Rússia e Brasil. O anúncio, que aparece no relatório mensal sobre o petróleo da Opep, surge após os preços da commodity retomarem sua trajetória de queda. O movimento ocorre após os membros do grupo não chegarem a um acordo sobre um corte na produção. Os preços mais baixos do petróleo são em geral considerados positivos para os consumidores e para a economia global em geral. Mas agora "o efeito geral negativo do forte declínio dos preços do petróleo desde meados de 2014 tem superado os benefícios no curto prazo", disse a Opep. A entidade, que fornece mais de um terço dos barris consumidos globalmente, reduziu sua previsão para o crescimento global em 2016, de 3,4% para 3,2%. Apesar de os preços do petróleo terem descido a níveis não vistos em mais de dez anos, a Opep também cortou sua projeção para crescimento na demanda em 10.000 barris ao dia para este ano. A demanda por petróleo deve subir 1,25 milhão de barris por dia neste ano, para 94,21 milhões de barris por dia, segundo a entidade.

Comente agora
10
Fev
Fluxo de pessoas em shoppings cai em janeiro, diz Abrasce
Postado por: Anacley Souza / 18:45h

O fluxo de visitantes nos shoppings centers brasileiros caiu 0,6% em janeiro na comparação com o mesmo mês do ano passado, de acordo com dados da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce) e da empresa especializada FX Flow Intelligence. A região Sudeste registrou aumento de 4,53% nas visitas de consumidores aos shoppings na comparação anual, mas houve queda nas visitas em outras partes do País. No Sul, o recuo foi de 7,88% e, no Nordeste, de 5,94%. O setor de shoppings registrou em 2015 a pior taxa de expansão nominal, de 6,5%, na série histórica iniciada em 2000 da Abrasce. Para 2016, a entidade projeta uma queda real de 0,5% nas vendas, levando em conta uma expectativa de que a inflação encerrará o ano em cerca de 7%. Com informações do Estadão Conteúdo.

Comente agora
10
Fev
Desemprego agora também afeta o setor de serviços
Postado por: Anacley Souza / 18:12h

Um dos últimos pilares de resistência à crise, o setor de serviços administrativos e complementares começou a demitir no fim do ano passado diante da escolha de empresas em reduzir a demanda por esse tipo de atividade. Sem escolha, o segmento - que inclui tarefas de limpeza, vigilância e telemarketing - está mandando para a fila do desemprego pessoas com menor qualificação e remuneração, que podem encontrar dificuldades para se recolocar no mercado de trabalho. Além disso, como o setor é intensivo em mão de obra, o sinal de que a crise bateu à porta pode ainda reforçar o círculo vicioso já visto nos últimos meses. Quando essas pessoas são demitidas, elas passam a consumir e gastar menos, deprimindo ainda mais a atividade econômica e gerando mais desemprego. Luis Carlos Avelino, de 40 anos, trabalhou por uma década no setor de vigilância. Após três anos de atuação como segurança em uma empresa do ramo de hotelaria em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, foi dispensado em outubro passado por "redução de custos". "Depois de mim, mandaram outros embora. Sobrevivi porque recebi o seguro-desemprego e fiquei fazendo bicos. Agora, o seguro vai acabar. Estou entregando currículos." Morador da Zona Leste de São Paulo, Avelino se mostra esperançoso em encontrar trabalho na área com facilidade. Mas as empresas desse segmento não têm mostrado disponibilidade em contratar. Em janeiro, a Sondagem de Serviços da Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostrou que 27% das empresas de serviços administrativos e complementares pretendem demitir nos próximos três meses.

Comente agora
10
Fev
Dólar sobe 0,65% na retomada dos negócios após o Carnaval
Postado por: Anacley Souza / 17:58h

O dólar fechou em alta nesta quarta-feira, na retomada dos negócios no mercado de câmbio. Os investidores ajustaram suas posições após o recesso de Carnaval e também movidos por declarações da presidente do Federal Reserve, Janet Yellen, que indicou que o banco central americano deve elevar os juros mais uma vez nos próximos meses. A alta da moeda americana foi de 0,65%, a 3,93 reais. "O câmbio se ajustou ao que aconteceu lá fora enquanto o mercado aqui não estava aberto", disse o operador José Carlos Amado, da corretora Spinelli. Crescentes preocupações com a economia global vêm alimentando a aversão a risco nos mercados, enquanto o tombo dos preços do petróleo deprime a demanda por moedas relacionadas a commodities, como o real. O dólar atingiu a máxima histórica em relação ao peso mexicano nesta terça-feira. Muitos operadores acreditavam que as turbulências globais poderiam levar o Fed a evitar aumentar os juros em breve. Essa perspectiva perdeu um pouco de força nesta sessão, com investidores enxergando em declarações de Yellen indicações de que o banco central, mesmo depois do aumento ocorrido em dezembro, não descarta nova elevação em março. A Verde Asset Management disse acreditar que o dólar deve voltar a subir em breve em relação ao real e vem aproveitando a volatilidade no mercado para aumentar sua posição comprada na divisa, isto é, montando operações que se beneficiariam do fortalecimento da moeda dos EUA. (Reuters)

Comente agora
10
Fev
IPCA para 2016 sobe de 7,26% para 7,56% no Relatório Focus do BC
Postado por: Débora Ayane / 15:15h

Após o IPCA de janeiro vir acima do teto do intervalo das estimativas, o mercado financeiro promoveu nova revisão altista de suas projeções para a inflação no Relatório de Mercado Focus, divulgado nesta quarta-feira (10) pelo Banco Central. Conforme economistas consultados pelo Broadcast (serviço de notícias em tempo real da Agência Estado), nem toda a correção com a surpresa do índice oficial de preços deve estar no levantamento conhecido nesta quarta, já que houve data crítica na quinta-feira, 4, quando os analistas costumam aprimorar seus cálculos, e o IPCA foi divulgado na sexta-feira (5) véspera do feriado prolongado de carnaval. Para 2016, a taxa esperada subiu 0,30 ponto porcentual de uma semana para a outra, passando de 7,26% para 7,56% e distanciando-se ainda mais do teto da meta de inflação deste ano de 6,50%. Quatro semanas atrás, estava em 6,93%.

Comente agora
09
Fev
Gol suspende temporariamente voos para a Venezuela
Postado por: Anacley Souza / 18:12h

A companhia aérea brasileira Gol informou nesta terça-feira (9) que suspendeu temporariamente suas operações em Caracas, na Venezuela, devido às dificuldades que têm sofrido na hora de repatriar as divisas. Em nota , a Gol informou que os voos ficarão suspensos "até que a questão da remessa dos recursos da companhia no país seja resolvida". Segundo a companhia aérea, que já tinha reduzido a frequência semanal de seus voos, os clientes afetados pela suspensão "estão sendo reacomodados em voos de outras aéreas e recebendo toda a assistência necessária.” Na Venezuela vigora há mais de uma década um controle de câmbio, por isso o pagamento de faturas em moeda estrangeira depende de o Estado autorizá-las e repassá-las. Segundo a Associação Internacional do Transporte Aéreo (Iata), o governo venezuelano deve cerca de US$ 4 bilhões às companhias aéreas que operam com o país. (G1)

Comente agora
09
Fev
Analistas dizem que dólar deveria ficar em R$ 5
Postado por: Débora Ayane / 14:57h

O jornal britânico Financial Times publica reportagem na edição impressa desta terça-feira em que discute o valor da moeda brasileira. A matéria destaca a avaliação de alguns analistas que entendem que o real deveria se desvalorizar ainda mais e citam como referência o preço de R$ 5 por dólar. Diante da frágil situação econômica e com o segundo maior déficit público entre os grandes emergentes - atrás apenas da Arábia Saudita, a reportagem cita que parte do mercado entende que o dólar deveria "estar mais perto de R$ 5 do que de R$ 4". O dólar fechou a sexta-feira a R$ 3,91. Para os ouvidos pelo FT, o elevado juro oferecido pela renda fixa brasileira e as intervenções do Banco Central mantêm a moeda nesse patamar. Além dos problemas internos, a reportagem cita que a moeda brasileira também é bastante vulnerável e exposta à China. Uma desaceleração mais forte da segunda maior economia do mundo ou até mesmo o risco de um pouso forçado chinês poderiam, segundo os entrevistados, aumentar ainda mais a pressão sobre o real.

Comente agora
09
Fev
Empresas adotam estratégias para contornar aumento na conta de luz
Postado por: Redação Voz da Bahia / 09:38h

Diante do aumento na conta de luz, as maiores empresas do país adotaram estratégias para driblar o alto custo da energia. Segundo informações do Extra, as companhias criaram diretorias dedicadas ao tema, caso da Oi, e até o desenvolvimento de grupos de trabalho para ir além da já conhecida troca de lâmpadas, como a Wilson,Sons e o Grupo Pão de Açúcar. "A geração própria é apenas umas das iniciativas. Passamos a comprar energia no mercado livre para aproveitar os preços menores e trocamos as lâmpadas, por versões mais eficientes, em 500 prédios. Passamos a desligar as luzes de várias áreas nos prédios para economizar. Metade dos elevadores é desligada após as 19h. A diretoria de Energia conta com 15 pessoas", explica Marco Norci Schroeder, diretor administrativo-financeiro da Oi. De acordo com a consultoria Safira, em 2015, a conta de luz industrial subiu, em média, 45,98%, após uma alta média de quase 12% em 2014. Para 2016, o avanço deve ficar entre 5% e 10%, após as reduções dos valores das bandeiras tarifárias e da revisão do orçamento da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), um encargo social do setor.

Comente agora
08
Fev
Venda de passagens da TAM não sofreu impacto do Zika, diz Latam Airlines
Postado por: Anacley Souza / 22:28h

A venda de passagens aéreas pela TAM, subsidiária do grupo Latam Airlines, não foi impactada pela propagação do Zika vírus no Brasil e outros países da América do Sul, disse a empresa nesta segunda-feira à Reuters. A agência de classificação de risco Moody's disse na semana passada que a Gol e a LATAM Airlines, por meio da TAM, seriam as companhias áreas mais expostas a uma redução de viagens aéreas na América Latina devido ao vírus. "Até o momento, não houve impacto nas reservas (vendas) da TAM... devido aos casos de Zika vírus ocorridos no Brasil e em outras localidades onde a empresa opera", disse a empresa. A LATAM, formada pela TAM e pela chilena LAN, tem unidades de operação na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai e Peru.

Comente agora
08
Fev
Cresce movimento em agências de viagem virtuais com dólar caro
Postado por: Anacley Souza / 18:00h

O setor de turismo pela internet tem aproveitado o crescimento do comércio virtual no país e a alta do dólar para seguir avançando, mesmo com a crise econômica do Brasil. Para isso, essas empresas apostam em preços baixos e altos investimentos em marketing, o que tende a deixar o lucro no curto prazo em segundo plano. Segundo reportagem da Folha de S. Paulo, a Decolar teve aumento de 30% em seu faturamento no país em 2015. De acordo com a consultoria norte-americana PhocusWright, a companhia argentina tem a maior participação no turismo on-line brasileiro. Dois fatores permitem o avanço em contexto de recessão: o cliente brasileiro está mais seguro na compra pela internet e o investimento da companhia em promoções. Segundo Antônio Gomes, cofundador e diretor comercial do Hotel Urbano, o momento da empresa ainda é de crescer e ganhar mercado. A estratégia para o crescimento acelerado é baseada em investimento em marketing para trazer clientes para o site e na oferta de pacotes a preços baixos.

Comente agora
08
Fev
Com crise, embalagem econômica cai no gosto do consumidor brasileiro
Postado por: Débora Ayane / 15:19h

A crise mudou a preferência do brasileiro na hora de comprar produtos do dia a dia, como alimentos industrializados e itens de higiene e limpeza. Embalagens menores e maiores, conhecidas como econômicas, caíram no gosto do consumidor, enquanto as intermediárias perderam participação nas vendas. Uma pesquisa feita pela consultoria Nielsen mostra que nas 20 categorias mais importantes em faturamento nos supermercados, como cerveja, refrigerante, industrializados de carne, leite, achocolatado, entre outras, aumentou em 60% a importância da embalagem econômica nas vendas. A embalagem econômica é aquela que é maior, na qual o consumidor desembolsa mais num primeiro momento, mas o produto sai por um valor unitário menor. Na outra ponta, para essas mesmas categorias de produtos também cresceu em 40% a importância da embalagem menor nas vendas.

Comente agora
08
Fev
Cenário levará ratings corporativos do Brasil para grau especulativo, diz Fitch
Postado por: Débora Ayane / 13:37h

A agência de classificação de risco Fitch Ratings afirmou nesta segunda-feira que questões econômicas, fiscais e políticas, junto com a trajetória de queda nos preços das commodities, levarão ratings corporativos do Brasil para o grau especulativo neste ano. A informação consta de um relatório da Fitch, intitulado "Brazilian Corporate Credit Indicators - Carnival Provides Relief from Misery". "O fluxo de caixa das operações deve recuar a níveis não vistos na última década", disse Debora Jalles, diretora da Fitch, em comunicado da agência.

Comente agora
07
Fev
Governo estima arrecadar R$ 949 milhões ao ano com o pagamento de sevidores
Postado por: Samile Macedo / 10:11h

Nove instituições financeiras assinaram contrato nesta sexta-feira (5) com o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP) para operar as contas-salário dos servidores, aposentados, pensionistas, anistiados e estagiários do Poder Executivo Federal. A parceria vai gerar, segundo previsões do ministério, uma arrecadação mensal na casa de R$ 79 milhões, ou R$ 949 milhões ao ano. O montante será depositado nas contas do governo como contrapartida financeira das instituições credenciadas. Banco do Brasil, Bancoob, Banrisul, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú-Unibanco, Santander e Sicredi pagarão ao governo federal 1,03% sobre o salário líquido de cada remuneração creditada, valor que não será descontado da remuneração dos correntistas. A escolha dos bancos ocorreu por meio de edital de credenciamento publicado em dezembro do ano passado. O recolhimento terá início em março, e o valor será direcionado à Conta Única do Tesouro Nacional até o décimo dia útil após a realização dos créditos nas contas-salário. Os contratos terão validade de 12 meses e poderão ser prorrogados até o limite de sessenta meses. A medida alcança 1,358 milhão de correntistas. Para a maioria deles (1,353 milhão), não será necessário adotar qualquer providência adicional caso queiram continuar recebendo seus salários com os bancos que atualmente os atendem. Apenas 5.495 assalariados, que atualmente recebem por bancos não credenciados, terão que optar por uma das nove instituições bancárias habilitadas. (iG)

Comente agora
06
Fev
Companhias de diversos setores tentam refinanciar dívidas
Postado por: Samile Macedo / 10:44h

Sem condições de honrar suas dívidas, a varejista Brasil Pharma, do BTG Pactual, adiou para fevereiro o pagamento de diversas cédulas de crédito e financiamentos que se arrastam desde o ano passado. O vencimento com o Banco do Brasil, de R$ 60 milhões, foi alongado, mas com custos mais elevados. Com o Bradesco, a dívida de R$ 45 milhões que vencia no ano passado foi prorrogada para abril. O caso, em evidência por conta de todo o contexto vivido pelo seu controlador BTG, é apenas um exemplo do que muitas companhias brasileiras, dos mais diferentes portes, estão vivendo diante de um enxugamento generalizado das receitas. O custo do alongamento é alto. Na Brasil Pharma, por exemplo, o Banco do Brasil passou a cobrar, do saldo devedor, juros atrelados à taxa CDI mais 4,32% ao ano, com vencimento em fevereiro. Essa mesma dívida, que antes vencia em dezembro, tinha juros fixados em 2,65% ao ano. E exemplos não faltam. Atravessando um período de menor demanda, empresas do setor imobiliário, como PDG Realty e Rossi Residencial, também tiveram de recorrer aos bancos para refinanciarem suas dívidas. Ao fim de setembro, o endividamento líquido dessas companhias superava 110% do patrimônio líquido, enquanto a média do setor estava em cerca de 65%. Foram, com isso, forçadas a renegociar prazos e custos de obrigações com os bancos, em troca de garantias em projetos, por exemplo. No setor elétrico, as dificuldades financeiras agravadas pela crise hídrica vista até o primeiro semestre de 2015 tiveram a Light como principal vítima. Em agosto, a companhia anunciou a existência de discussões com bancos para ampliar o prazo de equacionamento de dívida. 

Publicidade:

Comente agora
05
Fev
Pressionada por alimentos e transportes, inflação oficial chega a 1,27% em janeiro
Postado por: Anacley Souza / 19:48h

A inflação oficial brasileira acelerou mais do que o esperado em janeiro e começou o ano ainda acima de 10% no acumulado em 12 meses, no momento em que o Banco Central adotou um tom mais brando em relação à condução da política monetária. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu 1,27% em janeiro, após alta de 0,96% em dezembro, o nível mais alto para o mês desde 2003 (2,25%), de acordo com dados divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com isso, a alta do índice acumulada em 12 meses até janeiro foi a 10,71%, acima dos 10,67% vistos em dezembro, quando encerrou 2015 estourando o teto da meta do governo pela primeira vez desde 2003. Esse é o patamar mais elevado nessa base de comparação desde novembro de 2003 (11,02%). As expectativas em pesquisa da Reuters eram de avanço de 1,10% sobre dezembro, atingindo em 12 meses 10,52%. Em janeiro, os maiores impactos foram exercidos por Alimentação e Bebidas, com alta de 2,28%, e Transportes, com avanço de 1,77%. Para os alimentos, esse é o maior avanço dos preços desde dezembro de 2002. Esses dois grupos são os de maior peso na despesa das famílias e detiveram 71% do índice. Os economistas consultados na pesquisa Focus do Banco Central apontam que a estimativa para o IPCA no final deste ano é de alta de 7,26%. Ainda assim, o BC decidiu manter a taxa básica de juros em 14,25% diante da elevação das incertezas no cenário externo. (Reuters)

Comente agora
05
Fev
Inflação começa o ano em alta e chega a 1,27% em janeiro
Postado por: Samile Macedo / 08:45h

O Índice de Preços ao Consumidor - Amplo (IPCA), considerado a inflação oficial do país, ganhou força no início de 2016, chegando a 1,27% em janeiro, depois de avançar 0,96% em dezembro do ano passado. Essa é a maior taxa mensal para janeiro desde 2003, quando atingiu 2,25%. Os números foram divulgados nesta sexta-feira (5) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 12 meses, o indicador acumula alta de 10,71%, permanecendo acima do teto de 6,5% do sistema de metas do Banco Central e bem distante do objetivo central de 4,5%. De acordo com o IBGE, esse é o resultado mais elevado desde novembro de 2003, quando o aumento acumulado foi de 11,02%. A expectativa dos economistas para o IPCA fechado deste ano é de 7,26%, de acordo com o boletim Focus, do Banco Central, mais recente. No primeiro mês do ano, o que mais pesou no bolso do brasileiro foram os gastos com alimentação e bebidas, que ficaram 2,28% mais caros, e transportes, que subiram 1,77%. Segundo o IBGE, esse aumento no preços dos alimentos foi o maior desde dezembro de 2002, quando chegou a 3,91%. Os produtos consumidos dentro de casa subiram 2,89%, mais do que a alimentação fora de casa, que avançaram 1,12%. Neste mês, ficaram mais caros, por exemplo, cenoura (32,64%), tomate (27,27%), cebola (22,05%) e batata-inglesa (14,78%). No grupo transportes, o que mais contribuiu para a alta foi o reajuste de 3,84% do transporte públicos e do avanço de 2,11% no preço dos combustíveis. As tarifas dos ônibus urbanos, por exemplo, tiveram aumento de 5,61% e dos intermunicipais, de 6,14%. A queda de 6,31% no preço das passagens aéreas freou o aumento dos preços dos transportes, que poderia ter sido ainda maior. Os gastos relativos à habitação também pesaram mais. De 0,49%, a variação passou para 0,81%, puxado pelo reajuste da energia elétrica, que subiu 1,61%, "por influência de aumentos ocorridos nos impostos, especialmente nas contas da região metropolitana de Porto Alegre, que ficaram mais caras em 8,70%, com pressão do PIS/COFINS e ICMS." 

Comente agora
05
Fev
Bancos terão que informar à Receita movimentações acima de R$ 2 mil
Postado por: Redação Voz da Bahia / 08:11h

Edição do dia 05/02/2016 05/02/2016 08h43 - Atualizado em 05/02/2016 08h54 Bancos terão que informar à Receita movimentações acima de R$ 2 mil A exigência já existia. Mas antes, a notificação era feita quando a pessoa movimentava mais de R$ 5 mil. A medida está rendendo muita discussão. FACEBOOK Uma medida da Receita Federal está rendendo muita discussão. Agora, os bancos vão ter que informar todas as movimentações financeiras acima de R$ 2 mil. A Receita aumentou o controle sobre a movimentação financeira dos brasileiros. Desde o fim do ano passado, quando alguém transfere dinheiro, saca, faz uma aplicação no valor acima de R$ 2 mil, dentro de um mês, o banco tem que informar ao Fisco. Além dos bancos, consórcios e seguradoras também estão obrigadas a notificar a Receita. E no caso das empresas, a notificação tem que ser feita quando houver uma movimentação de R$ 6 mil ou mais. A exigência já existia. Mas antes, a notificação era feita quando a pessoa movimentava mais de R$ 5 mil e a empresa mais de R$ 10 mil, no período de seis meses.

Comente agora
04
Fev
Prazo para pagar IPVA com desconto se encerra nesta sexta
Postado por: Anacley Souza / 23:27h

Termina nesta sexta-feira, 5, o prazo para que os motoristas baianos aproveitem o desconto de 10% no pagamento do Imposto sobre Propriedade de Veículo Automotor (IPVA). Segundo a Secretaria da Fazenda do Estado (Sefaz-BA), o desconto é válido apenas para quem quitar o imposto em cota única. Para efetuar o pagamento, o proprietário de veículo deve dirigir-se a uma agência ou caixa eletrônico do Banco do Brasil, Bradesco ou Bancoob, com o número do Renavam. A Sefaz-BA ressalta que não encaminha boleto de pagamento do IPVA para os contribuintes. Em caso de dúvida, o contribuinte pode entrar em contato com o call center da Sefaz, pelo 0800 071 0071. O pagamento é integrado: é necessário quitar ainda a taxa de licenciamento e eventuais multas relacionadas ao Renavan informado. Os valores podem ser consultados no site da Sefaz-BA (www.sefaz.ba.gov.br). Além do desconto de 10% no IPVA para pagamento em cota única até 5 de fevereiro de 2016, existe ainda a opção de quitação com 5% de abatimento, em prazos de pagamento que variam de acordo com o número final da placa do veículo. Para isso, é só pagar o valor integral do imposto no dia do vencimento da primeira cota da placa respectiva. Os proprietários de veículos podem optar também por parcelar o IPVA em três vezes. Os débitos referentes à taxa de licenciamento e a multas de trânsito deverão ser pagos até a data de vencimento da terceira parcela, e os débitos anteriores do imposto também podem ser divididos em três vezes, juntamente com o IPVA 2016. Vale ressaltar que o proprietário que perder o prazo da primeira cota deixa de ter o direito ao parcelamento. As datas de quitação das cotas podem ser conferidas no calendário do IPVA 2016, disponível também no site da Sefaz-BA.

Comente agora
04
Fev
Venda de veículos importados tem queda de 45,3% em janeiro, diz Abeifa
Postado por: Anacley Souza / 19:39h

Com a continuação de um cenário desfavorável ao consumo e a valorização do dólar em relação ao real, a venda de veículos importados no Brasil registrou queda de 45,3% em janeiro deste ano ante igual mês do ano passado, informou nesta quinta-feira, 4, a Abeifa (Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores). Ao todo, foram 3.672 unidades vendidas no mês. Na comparação com o volume de dezembro de 2015, houve recuo de 25,3%. Para o presidente da Abeifa, Marcel Visconde, o resultado mostra que o ano começa da mesma forma como terminou 2015, quando as vendas tiveram queda de 36% sobre o nível de 2014. "Isto sinaliza que o consumidor ainda permanece refratário e aguardando sinais nítidos de que haverá melhora da economia", disse. Em nota, a Abeifa diz ainda que "a taxa de câmbio continua impactando fortemente todas as atividades de importação". Algumas das associadas da Abeifa, além de importar, também fabricam veículos no Brasil: BMW, Chery e Suzuki. Considerando as vendas de modelos fabricados por estas marcas no País, houve baixa de 56,9% em janeiro deste ano em comparação com dezembro, para apenas 634 unidades.

Comente agora
04
Fev
Depois de alta histórica, dólar atinge R$ 3,90
Postado por: Anacley Souza / 18:12h

Depois de uma alta histórica, a moeda americana atingiu R$ 3,90 nesta quinta-feira (4). A queda provocou um corre-corre às casas de câmbio, que cobravam de R$ 4,00 a R$ 4,10. Há exatamente duas semanas, houve a máxima de fechamento da história do plano real em valores absolutos: R$ 4,16. O professor de economia da Universidade Mackenzie, Agostinho Pascalicchio diz que a baixa se deve, entre outros motivos, ao aumento das exportações brasileiras, que jogou mais dólares na nossa economia. “Tem outros movimentos importantes que podem provocar algumas oscilações. A agência Moody’s, por exemplo, faz agora uma avaliação do grade do Brasil, isso traz algumas oscilações em cima dessa cotação”, explica. A sugestão para os que vão precisar da moeda norte-americana é aproveitar a oportunidade e comprar logo. “O Brasil sendo um bom exportador de commodities – cujos índices recentes mostram uma valorização - favorece a entrada do dólar e a cotação em baixa e, consequentemente, favorece também a sua viagem”. O jornalista João Cotrim se deu bem ao esperar até os 45 minutos do segundo tempo pra comprar dólar para as férias que começam no domingo. “Sempre compro com uma semana de antecedência e tenho preferido a cotação dos bancos”, sugere. No banco, Cotrim conseguiu comprar dólar a R$ 3,96. Se tivesse comprado, por exemplo, US$ 1 mil há duas semanas, teria gasto R$ 440 a mais.

Comente agora
04
Fev
Saques da poupança em janeiro superam depósitos; volume é o maior desde 1995
Postado por: Débora Ayane / 17:30h

A quantidade de recursos que os investidores retiraram da poupança em janeiro, já descontadas as aplicações, foi a maior para qualquer mês da série histórica do Banco Central iniciada em 1995. De acordo com a instituição, os saques superaram os depósitos em R$ 12,031 bilhões. Para meses de janeiro, a pior marca havia sido registrada no ano passado, quando as retiradas ficaram R$ 5,528 bilhões maiores do que os investimentos. Já o saldo negativo mais forte de todos os tempos até então fora registrado em março de 2015, de R$ 11,438 bilhões. O resultado de janeiro passado só não foi pior porque no último dia ingressaram R$ 3,417 bilhões na poupança.

Comente agora
04
Fev
Produção de veículos cai 29% em janeiro ante 2015, diz Anfavea
Postado por: Débora Ayane / 14:00h

A produção de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus no Brasil começou 2016 agravando o declínio de 22,8% registrado em 2015. Segundo dados divulgados nesta quinta-feira (4) pela associação de fabricantes (Anfavea), saíram das fábricas instaladas no país 145,1 mil unidades, contra 203 mil em janeiro do ano passado, o que representa queda de 29,3%. O resultado de janeiro colocou a produção de janeiro em nível semelhante ao registrado em 2003, por causa da necessidade de ajustar os estoques, segundo Luiz Moan, presidente da Anfavea.Cerca de 254 mil veículos estavam nos pátios da montadoras e concessionárias, no final de janeiro, o que daria para 49 dias de vendas no ritmo atual, enquanto o ideal seria ter em torno de 30 dias no máximo.Já em relação a dezembro, que somou 142,8 mil unidades, houve um pequeno avanço de 1,6% na produção.

Comente agora
04
Fev
Vendas de abadás e camarotes superam 2015; Salvador recebe 20% mais turistas
Postado por: Débora Ayane / 13:01h

No segundo dia de Carnaval 2016, a venda de abadás e camarotes já superou em 20% os números registrados em 2015. De acordo com a gerente da loja Central do Carnaval do Shopping da Bahia, Larissa Teixeira, o volume de vendas ainda "tende a aumentar", devido às compras de última hora. Entre os 19 blocos e 11 camarotes presentes no catálogo da Central do Carnaval, os blocos mais vendidos são Camaleão, Timbalada e Vumbora, enquanto os camarotes mais procurados são Salvador, nana e Skol Beats. A rede Axé Mix também comemora o aumento nas vendas. Segundo a direção, houve um crescimento de 30% nas vendas. Entre os produtos com mais saída estão os camarotes Cerveja & Cia e do Reino e os blocos Coruja e Cerveja & Cia, ambos esgotados. Para outros setores ligados ao turismo, o Carnaval também já mostra bons resultados. A ocupação hoteleira deve chegar a 95%, segundo informações da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis da Bahia. Números da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult) apontam um acréscimo de 20% na quantidade de visitantes em comparação a 2015, com total de 720 mil turistas. No aeroporto, o número de voos cresceu 28%. Até o fim do Carnaval, seis cruzeiros, com aproximadamente 15,2 mil passageiros, devem chegar a Salvador. Cada turista deverá gastar uma média de R$ 200 por dia reunindo despesas com alimentação, compra de souvenires e locomoção.

Comente agora
04
Fev
Câmara aprova MP que aumenta IR sobre ganhos de capital
Postado por: Samile Macedo / 08:15h

Na primeira sessão deliberativa do ano, os deputados aprovaram nessa quarta-feira (3) a Medida Provisória (MP) 692/15, que aumenta progressivamente o Imposto de Renda (IR) sobre ganhos de capital - a diferença entre os rendimentos recebidos com a venda de um ativo (como ações e imóveis) e o custo de aquisição dele. Hoje o tributo é cobrado em alíquota única de 15%. Os deputados aprovaram o texto, com base no relatório do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), por 205 votos favoráveis, 176 contrários e duas abstenções. A MP também fixa regras para a quitação de dívidas tributárias com a doação de imóveis em pagamento. O PSDB e o DEM tentaram obstruir os trabalhos, mas a tentativa não conseguiu êxito. O texto proposto pelo senador estabelece uma progressividade no pagamento do tributo. Pela proposta a alíquota de 15% permanece para os ganhos que não ultrapassarem R$ 5 milhões. A partir daí, ela aumenta progressivamente para 17,5% sobre a parcela dos ganhos acima de R$ 5 milhões e que não ultrapassar R$ 10 milhões; 20% sobre a parcela dos ganhos acima de R$ 10 milhões e abaixo de R$ 30 milhões; e, por fim, 22,5% sobre a parcela dos ganhos que ultrapassar R$ 30 milhões. A oposição pediu a rejeição da medida alegando que ela aumentava impostos e que oneraria principalmente as micro e pequenas empresas. “As micro e pequenas empresas, em vez de pagar 15%, passarão a pagar 22% e elas são as responsáveis por 90% dos empregos gerados no país”, disse o líder do DEM, Pauderney Avelino (AM). 

Comente agora
03
Fev
Juiz dos EUA autoriza investidores a processar Petrobras
Postado por: Anacley Souza / 23:54h

O juiz distrital em Nova York, Jed Rakoff, autorizou investidores a processar em conjunto a Petrobras. Em comunicado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) do Brasil, a Petrobras informou que o juiz, que é responsável pelas ações ajuizadas por investidores nos Estados Unidos, certificou duas classes de investidores. "Com isso, os pleitos dos investidores dentro da respectiva classe poderão ser conduzidos em conjunto”, diz o comunicado. No mesmo comunicado, a Petrobras disse que cabe recurso à decisão e que “continuará a defender firmemente seus direitos na ação”. O juiz negou o pedido da empresa petrolífera brasileira de impedir que investidores possam processar em grupo a companhia por perdas bilionárias causadas pelas denúncias de propina e desvio de dinheiro na empresa, investigadas pela Operação Lava Jato. A Petrobras esclareceu que o juiz determinou que os representantes da classe de investidores, na qual os pleitos se baseiam no Securities Act, serão os autores Employees’ Retirement System of the State of Hawaii e North Carolina Department of State Treasurer. Já o representante da classe dos investidores, na qual os pleitos se baseiam no Exchange Act, o autor será Universities Superannuation Scheme Limited. Ainda na decisão, Jed Rakoff indicou o escritório de advocacia Pomerantz LLP como assessor jurídico de ambas as classes.

Comente agora
Todos os direitos reservados a Marcus Augusto Macedo | vozdabahia@hotmail.com