As comentadas


Boa noite , Segunda-feira, 31/08/2015








Enquete



Reflita

Blog

Economia

30
Ago
Mesmo em período de crise, 70% dos brasileiros pretendem viajar
Postado por: Anacley Souza / 17:04h

As incertezas por conta do atual cenário econômico do país não impedem os brasileiros de planejarem viagens de férias. Um levantamento da Ipsos Connect – unidade de negócios que coordena os serviços voltados para a área de Comunicação de Marca, Propaganda e Mídia – revela que 70% dos entrevistados pretendem viajar pelo Brasil ou exterior e que 11% planejam fazer um cruzeiro nos próximos 12 meses. Quatro em cada dez entrevistados têm grande interesse por viagem. O estudo aponta que 53% são pertencentes à classe AB, 41% à C e 6% à DE. Já 59% das pessoas que pretendem viajar pelo Brasil ou exterior são da classe AB, 37% da classe C e 5% da classe DE. As que pretendem fazer um cruzeiro, 68% são da classe AB, 29% da C e 3% da DE. “As pessoas prezam por um momento de descanso e acreditam que viajar é a melhor forma de se desligarem dos problemas e se divertirem com a família”, afirma Diego Oliveira, diretor de contas da Ipsos Connect. Os curitibanos são os que disparam no ranking (88% afirmam que pretendem viajar). Em seguida estão os mineiros com 79% e os baianos com 78%.

Comente agora
29
Ago
Brasil ganha 990 mil novas empresas no primeiro semestre do ano
Postado por: Redação Voz da Bahia / 20:12h

Abrir a própria empresa, mesmo que pequena, foi a saída para 990 mil brasileiros no primeiro semestre deste ano. São pessoas que abriram o próprio negócio para sobreviver à crise. A corretora de imóveis Kelli Martins andava preocupada. Com a crise do setor imobiliário, as comissões minguavam e ficou mais difícil pagar as contas. Então, veio o estalo: investir no visual do consumidor. Há cinco meses, ela virou também sócia em um salão de cabeleireiros. "Está valendo a pena em termos financeiros. Aumentou 35%, 40% a minha renda", relata. O caminho que Kelli tomou revela uma tendência em 2015. Segundo a Serasa Experian, o país ganhou 990 mil novas empresas no primeiro semestre deste ano, um crescimento de 4,9% em relação ao mesmo período do ano passado. Dessas empresas, 27% estão em São Paulo. Depois vem Minas Gerais (10,9%) e Rio de Janeiro (10,1%). O Rio Grande do Norte foi o estado que apresentou maior crescimento, com aumento de 15,7% no número de novos negócios. Setenta e cinco por cento dessas empresas são microempresas, ou seja, três em cada quatro novos negócios são pequenos comércios, a maioria serviços executados por uma só pessoa, como uma oficina de costura ou de consertos de eletrodomésticos, por exemplo. São os microempreendedores individuais e boa parte deles virou empresário não por opção, mas por necessidade.

Comente agora
29
Ago
Desempenho econômico do Brasil só supera o da Rússia e da Ucrânia
Postado por: Redação Voz da Bahia / 19:41h

A queda de 2,6% do PIB no segundo trimestre em relação a igual período de 2014 deixou o Brasil no 33º lugar em um ranking de 35 países, elaborado pela Austin Rating. A agência de classificação de risco lista as economias pela variação do PIB em ordem crescente. Pelo segundo trimestre consecutivo, o Brasil só superou as economias da Rússia e da Ucrânia, que amargaram retração de 4,6% e 14,7%, respectivamente, na mesma base de comparação. Os dois países na lanterna do ranking sofrem com a queda do preço do petróleo e com os efeitos do conflito territorial decorrente da anexação da Crimeia pela Rússia - retaliada com sanções econômicas pela União Europeia e os Estados Unidos. Todos os demais países do ranking cresceram na mesma base de comparação, com destaque para China (7%), Filipinas (5,6%), Malásia (4,9%), Indonésia (4,7%) e Estados Unidos (3,7%). A estimativa da Austin Rating é de queda de 2,1% para o PIB de 2015 e retração em 2016 de 0,3%. Se confirmada, a previsão de diminuição do PIB brasileiro no biênio 2015-2016 será o pior desempenho econômico do Brasil em 85 anos. "A perspectiva de um pior desempenho em 85 anos vem se materializando a cada mês, a cada indicador.

Comente agora
29
Ago
Já é possível ver uma 'virada' na economia, diz Levy
Postado por: Samile Macedo / 15:41h

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse neste sábado (29) que a queda de 1,9% do PIB no segundo trimestre do ano não ocorreu por causa do ajuste fiscal e que já é possível ver 'uma virada' da economia até o fim do ano. A afirmação foi feita em discurso durante o 7º Congresso de Mercados Financeiros da BM&FBovespa em Campos de Jordão, no interior paulista. Aos jornalistas, Levy disse que não acredita que o Brasil terá dois anos de recessão, em menção à previsão do mercado de que o PIB deve encolher também em 2016. “Já estamos começando a ver a virada, se as coisas se tranquilizarem até o fim do ano vamos ver uma virada [no cenário econômico]", afirmou Levy. Segundo ele, quem critica a política econômica está equivocado. "Ela tem aspecto de esforço e sacrifício, mas é absolutamente indispensável, tem equilíbrio cíclico que da resultado", acrescentou. O ministro disse ainda que o aumento da contribuição do setor externo no PIB, que veio positivo, é um sinal de que alguns setores da economia estão começando a reagir. “Com a mudança do câmbio e a liberação dos preços e realismo tarifário, estamos vendo em vários setores que os estoques estão acabando e acontece uma coisa curiosa, o estoque vai descendo, e a não ser que haja uma enorme confusão, as empresas começam a produzir de novo, a dar novas encomendas e comparar o preço nacional ao estrangeiro e comprar domesticamente", afirmou. O Produto Interno Bruto (PIB) caiu 1,9% no segundo trimestre de 2015 ante os três meses anteriores, e a economia brasileira entrou no que os economistas chamam de "recessão técnica", que acontece quando o PIB encolhe por dois trimestres seguidos. No primeiro trimestre do ano, o PIB caiu 0,7% (dado revisado). 

Comente agora
28
Ago
Ford paralisa produção de carros e caminhões no ABC Paulista
Postado por: Anacley Souza / 22:44h

A Ford irá paralisar a produção de sua fábrica em São Bernardo do Campo em determinados períodos durante o mês de setembro, de acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. As pausas serão divididas, entre funcionários que montam carros e caminhões. Todos os 3 mil trabalhadores, porém, param no dia 4 de setembro, antes do feriado da Independência, e só voltam no dia 8, terça-feira. Para os funcionários da linha de montagem de carros, de onde sai o Fiesta, a pausa é menor, entre os dias 21 e 25 de setembro. Já os trabalhadores que produzem caminhões ficarão em casa entre os dias 18 de setembro e 2 de outubro. A medida, de acordo com o sindicato, é para ajustar o banco de horas dos funcionários da unidade.

Comente agora
28
Ago
PIB baiano recua 0,5% no segundo trimestre
Postado por: Anacley Souza / 22:26h

No segundo trimestre de 2015 a atividade econômica baiana registrou retração de 0,5% na comparação com o primeiro trimestre de 2015, divulgou a Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI/Seplan). No entanto, comparando-se com o desempenho da economia brasileira, a retração da Bahia foi mais suave visto que, no mesmo período de análise, o PIB brasileiro recuou 1,9%. Já na comparação com o mesmo trimestre de 2014, o PIB baiano recuou 1,9% enquanto o brasileiro registrou retração de 2,6%. No primeiro semestre de 2015 a economia baiana registra queda de 1,5% em relação ao primeiro semestre de 2014. Dentre os setores econômicos, o agropecuário foi o único destaque positivo com expansão de 7,6 no trimestre e 7,4% no semestre, com destaque para a expansão 17,3% na produção de grãos – soja (40,5%), café (10,8%), feijão (4,7%) e algodão (2,8%). Já o setor industrial registrou retração de 6,4% no trimestre e 3,9% no primeiro semestre.

Comente agora
28
Ago
PIB recua pelo segundo trimestre seguido e Brasil entra em recessão técnica
Postado por: Ionara Peixoto / 16:41h

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro registrou queda de 1,9% no segundo trimestre de 2015 em relação aos meses anteriores, maior retração desde 2009. De acordo com valores divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira (28), o PIB do segundo trimestre alcançou R$ 1,43 trilhão. Com o resultado, o país entrou no que economistas chamam de “recessão técnica” – quando há retração por dois trimestres seguidos. O mesmo havia ocorrido entre 2008 e 2009, durante a crise econômica mundial.(BN)

Comente agora
28
Ago
Dólar sobe contra real no início dos negócios, após PIB contrair no país
Postado por: Samile Macedo / 09:51h

O dólar opera em alta nesta sexta-feira (28), após o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil encolher 1,9% no segundo trimestre sobre os três meses anteriores, contração maior do que a prevista por analistas. Às 9h19, a moeda norte-americana avançava 0,42%, cotada a R$ 3,5678 na venda. Na véspera, a moeda fechou em queda ante o real pelo segundo pregão consecutivo, terminando a sessão abaixo de R$ 3,60, em meio a expectativas de que o Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, possa postergar o aumento de juros que era esperado para setembro devido às turbulências financeiras globais provocadas por preocupações com a economia chinesa. Na quinta, a moeda dos Estados Unidos recuou 1,35% na venda, cotada a R$ 3,5528. Nas duas sessões anteriores, o dólar tinha fechado no patamar de R$ 3,60. Com a queda de quinta, a divisa passa a acumular alta de 1,62% na semana. No mês, a valorização é de 3,74% e, no ano, de 33,63%. Mais tarde, o Banco Central fará aquele que deve ser o último leilão de rolagem dos swaps cambiais que vencem em setembro, com oferta de até 11 mil contratos, equivalentes à venda futura de dólares. (G1)

Comente agora
28
Ago
PIB recua 1,9%, e Brasil entra em recessão
Postado por: Samile Macedo / 09:04h

A economia brasileira registrou queda de 1,9% no segundo trimestre de 2015 e país entrou em recessão, conforme divulgou nesta sexta-feira (28) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No primeiro trimestre do ano, a economia caiu 0,7%. O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos dentro do país, e serve para medir o comportamento da atividade econômica. A expectativa do Banco Central era de que o PIB tivesse mesmo recuado de abril a junho deste ano. O Índice de Atividade Econômica (IBC-Br), que é uma espécie de "prévia do PIB", indicava uma retração de 1,89% no segundo trimestre deste ano, frente aos três meses anteriores. Com isso, quando foram divulgados, em meados de agosto, os números já apontavam que a economia brasileira entraria em recessão técnica. Já a estimativa do mercado financeiro para o ano todo, apresentada no início da semana pelo boletim Focus do Banco Central, indicava que a economia deverá ter uma retração de 2,06%, seguida por uma queda de 0,24% em 2016. O Brasil voltou a ter dois trimestres seguidos de queda no PIB e, por isso, entrou em “recessão técnica”. Na prática, essa classificação serve como uma espécie de “termômetro” para medir o desempenho da economia. Isso porque, de acordo com economistas, não são apenas dois resultados negativos seguidos que indicam a recessão, mas sim um conjunto de indicadores negativos, como aumento do desemprego, queda na produção e falência de empresas. 

Comente agora
28
Ago
Mesmo com cortes, rombo no orçamento de 2016 é de R$ 70 bilhões
Postado por: Samile Macedo / 08:26h

Um rombo de R$ 70 bilhões. Foi o que a equipe econômica encontrou nas contas do Orçamento de 2016, mesmo depois de preparar medidas para cortar 3% nas despesas discricionárias, aquelas não obrigatórias que o governo pode ou não executar, dependendo do comportamento das receitas. A conta simplesmente não fechou para garantir o cumprimento da meta de superávit primário de 0,7% do Produto Interno Bruto (PIB) no ano que vem no projeto de lei orçamentária que será enviado na próxima segunda-feira no Congresso Nacional. Nesta quinta-feira, 27, a presidente Dilma Rousseff se reuniu com os ministros da Fazenda, Joaquim Levy, do Planejamento, Nelson Barbosa, e da Casa Civil, Aloizio Mercadante, para discutir a proposta de orçamento. Com o aprofundamento do quadro de deterioração das contas públicas este ano que terá reflexos em 2016, a opção do governo foi buscar a retorno da CPMF, mesmo num ambiente político adverso. Levy, Barbosa e o secretário do Tesouro Nacional, Marcelo Saintive, já começaram conversas com parlamentares para apresentar dados que mostram o real quadro de piora das contas públicas. A costura política é uma construção complexa, na avaliação de fontes, mas a ideia é tentar construir um apoio político preventivo a uma proposta orçamentária mais realista e mais factível para garantir o cumprimento da meta. 

Comente agora
28
Ago
Em busca do PIB perdido: a receita para a retomada do crescimento industrial no Brasil
Postado por: Redação Voz da Bahia / 06:52h

A indústria enfrenta o desafio de retomar o crescimento, atraindo investimentos e gerando empregos para fazer a roda da economia brasileira voltar a girar. A lógica parece simples: se tem pessoas para comprar, tem que aumentar a produção, para ter mais produção precisa de mais gente trabalhando, com mais emprego tem mais consumidores com dinheiro para comprar e, aumentando as compras, a indústria precisa produzir mais. Durante quase uma década foi isso que aconteceu. O setor produtivo se desenvolveu impulsionado pela expansão do mercado interno e crescimento da economia. Mas, nos últimos anos, a roda começou a girar ao contrário. Especialistas ouvidos pelo CORREIO concordam em um ponto: para retomar o crescimento industrial, o Brasil precisa reverter fatores como baixa produtividade e o aumento do custo do capital, e contar com medidas que promovam a estabilidade econômica por parte do governo.

Comente agora
27
Ago
Ministro confirma proposta de novo imposto para financiamento da saúde
Postado por: Anacley Souza / 23:29h

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, confirmou nesta quinta-feira (27) a proposta do governo de um novo imposto para financiar a saúde. A motivação do novo imposto são as dificuldades do governo para cobrir as despesas de 2016. O novo imposto seria cobrado sobre as transações bancárias, exatamente como a antiga Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). O ministro defende uma alíquota de pelo menos 0,38%, o último percentual da CPMF, que vigorou por dez anos e acabou em 2007, quando foi derrubada pelo senado. Segundo ele, o Sistema Único de Saúde (SUS) precisa de mais dinheiro. O imposto deve nascer com um novo nome – CIS (Contribuição Interfederativa da Saúde) – e arrecadar até R$ 85 bilhões por ano. Diferente da CPMF, cuja arrecadação era destinada somente para o governo federal, a nova proposta prevê a divisão dos recursos entre municípios, estados e governo federal – tudo tem que ser investido em saúde. A intenção é incluir a contribuição na proposta do governo para o orçamento do ano que vem, que chega ao Congresso na segunda-feira. Para entrar em vigor, terá de ser aprovada pelos parlamentares em dois turnos. O vice-presidente Michel Temer disse que a discussão ainda está aberta. "Por enquanto é burburinho. Vamos esperar o que vai acontecer nos próximos dias. Nós não examinamos esse assunto ainda. Evidentemente, a primeira ideia é sempre essa: não se deve aumentar tributo. Mas, por outro lado, há muitas vezes a necessidade – não estou dizendo que vamos fazer isso –, há necessidade de apoiar medidas de contenção", afirmou.

Comente agora
27
Ago
Lucro líquido da Caixa atinge no R$ 3,5 bi no 1º semestre
Postado por: Anacley Souza / 20:58h

A Caixa Econômica Federal (CEF) anunciou nesta quinta-feira (27) que registrou lucro líquido de R$ 3,5 bilhões no primeiro semestre, aumento de 2,8% quando comparado com o mesmo período de 2014. De acordo com o instituição financeira, no segundo trimestre do ano (abril, maio e junho), o lucro líquido foi de R$ 1,9 bilhão, crescimento de 25% sobre o primeiro trimestre do ano (janeiro, fevereiro e março). O banco informou que, entre outras operações, a carteira de crédito ampliada atingiu saldo de R$ 648,1 bilhões, o que representa 20,7% do mercado e evolução de 17,4% em 12 meses. O crédito habitacional manteve-se em destaque, com crescimento de 20,8%, alcançando saldo de R$ 366,6 bilhões e 67,9% na participação do mercado. As operações de empréstimos nas áreas de saneamento e de infraestrutura apresentaram, no final de junho de 2015, saldo de R$ 63,3 bilhões, crescimento de 36,8% em relação ao mesmo período do ano anterior. Os números divulgados pela CEF indicam que as operações comerciais com pessoas físicas e pessoas jurídicas totalizaram R$ 196,1 bilhões, alta de 4,9% em 12 meses. A CEF informou que, no primeiro semestre, injetou R$ 363,2 bilhões na economia do país por meio de contratações de crédito, distribuição de benefícios sociais, investimentos em infraestrutura própria, remuneração de pessoal, destinação social das loterias, entre outros programas. A base de clientes do banco alcançou 80,8 milhões de correntistas e poupadores, alta de 6,7% em 12 meses. A instituição tem 65,7 mil pontos de atendimento. Há 4,2 mil agências e postos de atendimento, 29,4 mil correspondentes e lotéricos e 32,1 mil máquinas distribuídas nos postos e salas de autoatendimento.

Comente agora
27
Ago
Custo da construção sobe 7,12% em um ano
Postado por: Anacley Souza / 20:35h

O Índice Nacional de Custo da Construção do Mercado (INCC-M) subiu de 0,66%, em julho, para 0,80%, em agosto. Desde janeiro, o INCC-M acumula alta de 6,15% e, em 12 meses, 7,12%, informou o Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV). Em agosto, os preços de materiais, equipamentos e serviços subiram 0,27%. Em julho, a variação foi 0,17%. De janeiro a agosto, esse índice teve alta de 4,42% e, em 12 meses, 5,93%. O que mais pesou em agosto foi o grupo de materiais para acabamento, que passou de 0,45% para 0,67%. No que se refere apenas à contratação de serviços, a taxa subiu de 0,23% para 0,58%. Em relação à mão de obra, o índice aumentou de 1,1% para 1,27%, puxado pelos reajustes salariais no Distrito Federal e em Porto Alegre. No ano, esse componente de despesa teve elevação de 7,7% e, em 12 meses, de 8,2%. A pesquisa foi feita em sete capitais. Quatro cidades apresentaram aumentos do INCC-M: Brasília (de 0,92% para 3,04%); Belo Horizonte (de -0,1% para 0,24%); Rio de Janeiro (de -0,09% para 0,23%) e Porto Alegre (de 0,76% para 3,43%). Em Salvador, a taxa caiu de 0,18% para -0,08% e, em São Paulo, o ritmo de correção diminuiu de 1,12% para 0,14%. E, na capital pernambucana, Recife, os custos ficaram estáveis em 0,02%. (Agência Brasil)

Comente agora
27
Ago
Caixa tem lucro de R$ 1,9 bilhão no 2º trimestre
Postado por: Redação Voz da Bahia / 14:20h

A Caixa Econômica Federal teve lucro líquido de R$ 1,9 bilhão no segundo trimestre, desempenho praticamente estável sobre o resultado obtido no mesmo período do ano passado (R$ 1,878 bilhão). No semestre, o lucro líquido somou R$ 3,5 bilhões, 2,8% acima do verificado no mesmo período do ano anterior (R$ 3,4 bilhões).A carteira de crédito ampliada chegou a R$ 648,1 bilhões, representando 20,7% do mercado e uma alta de 17,4% em 12 meses. O destaque ficou com o crédito habitacional, que cresceu 20,8%, alcançando saldo de R$ 366,6 bilhões. Em junho, a Caixa diz ter sido responsável pela gestão de R$ 1,9 trilhão de ativos, um aumento de 14,2% em 12 meses, impulsionado principalmente pelos ativos próprios, que apresentaram crescimento nominal de R$ 156,1 bilhões. A Caixa afirmou em comunicado à imprensa que mantém foco em "na sustentabilidade dos resultados" e por isso intensificou ações voltadas para "racionalização de gastos e aumento da produtividade", o que refletiu na melhora do índice de eficiência operacional.

Comente agora
27
Ago
Crise e desemprego dificultam até o pagamento da casa própria
Postado por: Samile Macedo / 09:02h

Por causa da crise econômica e alta do desemprego, a inadimplência de famílias e empresas aumentou em julho. Até as prestações da casa própria, o brasileiro tem deixado de pagar. De acordo com o Banco Central, a taxa de calote das famílias aumentou 0,2 ponto percentual e chegou a 3,8% em todos os tipos de crédito, ou seja, com recursos livres ou direcionados para usos específicos. A inadimplência dos financiamentos imobiliários subiu de 1,8% para 1,9%. Se considerado apenas o segmento de recursos livres, o calote subiu a 4,8% em julho, o patamar mais alto em dois anos. A taxa é a maior desde o mesmo mês de 2013, quando atingiu 4,84%. Em junho, a inadimplência nesse segmento, em que as instituições financeiras definem as taxas de juros livremente, havia sido de 4,6%, segundo dado revisado pelo BC. Outras modalidades também registraram uma alta do calote. Empréstimos para aquisição de bens, rotativo do cartão de crédito, crédito pessoal e cheque especial têm mais parcelas em aberto. As empresas também têm dificuldade de pagar as dívidas. O calote aumentou 0,1 ponto percentual e ficou em 2,4%. No segmento de recursos livres, o crescimento da inadimplência em julho foi maior entre empresas, com o índice passando a 4,1%, contra 3,9% em junho. Entre pessoas físicas, também houve avanço no período, a 5,4%, contra 5,3%. A maior inadimplência, que são atrasos acima de 90 dias nos pagamentos de dívidas, tem como pano de fundo o cenário de deterioração do mercado de trabalho, baixo crescimento econômico e inflação acima de 9% no acumulado em 12 meses, muito superior ao centro da meta do governo - de 4,5% pelo IPCA, com margem de dois pontos para mais ou para menos. 

Comente agora
27
Ago
Desconto de 5% no IPVA para placas de ­ final 9 é válido até esta quinta
Postado por: Redação Voz da Bahia / 08:36h

A Secretaria da Fazenda da Bahia (­Sefaz-Ba) lembra que o benefício aplica-­se somente à quitação à vista. Existe ai­nda a opção de parcelar o imposto em trê­s vezes. Neste caso, o pagamento da prim­eira cota também deve ser feito até o di­a 27. Outra possibilidade é quitar o val­or integral do tributo, sem desconto, at­é 30 de outubro. No mês de agosto, ocorre ainda o vencime­nto de cotas mensais para quem também op­tou, nos meses anteriores, pelo parcelam­ento do IPVA. Dia 27 vence a segunda par­cela para as placas de final 7. Já no dia 31, vence a última parcela par­a as placas de final 6. Caso o proprietá­rio de veículo com placa de final 6 não ­tenha quitado nenhuma parcela, deverá ef­etuar até este dia o pagamento integral,­ em cota única, sem desconto. As datas de quitação das demais cotas e ­placas podem ser conferidas no calendári­o do IPVA 2015, disponível no site da Se­faz-Ba (www.sefaz.ba.gov.br­ => Inspetoria Eletrônica => IPVA => Cal­endário). Para efetuar o pagamento, basta dirigir-­se a uma agência ou caixa eletrônico do ­Banco do Brasil, Bradesco ou Bancoob, co­m o número do Renavam em mãos. Em caso d­e dúvida, o contribuinte pode entrar em ­contato com o call center da Sefaz, pelo­ 0800 071 0071.

Comente agora
27
Ago
Governo estuda projeto de volta da CPMF
Postado por: Redação Voz da Bahia / 08:24h

Descartada no início do ano, a proposta de volta da CPMF, também conhecida como "imposto do cheque", ganha força no governo para fechar as contas em 2016. Fontes ouvidas pelo Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, confirmaram que o envio de uma proposta de emenda constitucional ao Congresso Nacional faz parte do conjunto de medidas de aumento de tributos em discussão na elaboração da proposta do Orçamento da União do ano que vem. Apesar do clima desfavorável no Congresso e na sociedade para um novo aumento da carga tributária, a avaliação é de que a volta do tributo - extinto em 2007, durante o governo de Luiz Inácio Lula da Silva - é indispensável para tirar as contas públicas de um quadro deficitário em 2016, ano em que a economia brasileira continuará em ritmo lento, segundo todas as previsões. Se as medidas de corte dos programas e despesas não tiveram grande alcance para garantir o cumprimento da meta de economia de R$ 43,834 bilhões de 2016, o equivalente a 0,7% do Produto Interno Bruto (PIB), o governo terá de recorrer a uma dosagem maior de aumento da carga tributária.

Comente agora
27
Ago
Ações de bancos disparam e Bolsa registra a maior alta em oito meses
Postado por: Samile Macedo / 07:54h

As ações de bancos dispararam ontem e levaram a Bolsa brasileira à maior alta diária em oito meses. O avanço ocorreu após comissão do Congresso aprovar alíquota menor de tributo que incide sobre o lucro das instituições financeiras. No mercado cambial, o dólar comercial, usado em transações no comércio exterior, fechou em leve queda de 0,19%, para R$ 3,60. O dólar à vista, referência no mercado financeiro e que fecha mais cedo, subiu 2,06%, para R$ 3,640 – maior patamar desde 14 de fevereiro de 2003, quando encerrou cotado a R$ 3,668. O Ibovespa, principal índice do mercado acionário brasileiro, fechou em alta de 3,35%, para 46.038 pontos. Foi a maior variação positiva diária desde 17 de dezembro do ano passado, quando a Bolsa subiu 3,63%. A valorização da Bolsa acompanhou os mercados americanos e também ocorreu após decisão da comissão mista no Congresso responsável pela análise prévia da Medida Provisória 675, que eleva a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) de instituições financeiras. A comissão estabeleceu a alíquota do imposto em 20% até 1º de janeiro de 2019, quando volta a vigorar o percentual de 15%. A decisão representa um alívio para os bancos, pois a proposta inicial era de aumento da alíquota para 23%. A medida provisória segue para o plenário da Câmara dos Deputados e depois, ao do Senado. 

Comente agora
26
Ago
Regras do seguro-desemprego para domésticas serão publicadas nesta sexta
Postado por: Anacley Souza / 23:06h

O governo vai publicar até sexta-feira, 28, no Diário Oficial da União, as regras para a concessão de seguro-desemprego para empregados domésticos. O Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) aprovou nesta quarta-feira, 26, a resolução que regulamenta os procedimentos para habilitação e concessão do benefício para os empregados domésticos demitidos sem justa causa. PUB O ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, afirmou por meio de sua assessoria que a partir da publicação da resolução, os domésticos passam definitivamente a ter garantido o seu direito ao seguro-desemprego. Para tanto, o doméstico deve ter trabalhado por pelo menos 15 meses nos últimos 24 meses que antecedem à data da dispensa do emprego; não estar em gozo de qualquer benefício previdenciário de prestação continuada da Previdência Social, exceto auxílio-acidente e pensão por morte; e não possuir renda própria de qualquer natureza suficiente à sua manutenção e de sua família. Esses requisitos serão verificados a partir das informações registradas no Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS) e, se insuficientes, por meio das anotações na carteira de trabalho, de contracheques ou documento que contenha decisão judicial que detalhe a data de admissão, demissão, remuneração, empregador e função exercida pelo empregado. O valor do benefício corresponderá a um salário mínimo e será concedido por um período máximo de três meses, de forma contínua ou alternada, a cada período aquisitivo de 16 meses, contados da data da dispensa que originou a habilitação anterior.

Comente agora
26
Ago
Juros de empréstimos às pessoas físicas chegam a 59,5% ao ano
Postado por: Anacley Souza / 21:13h

A taxa de juros cobrada nos empréstimos dos bancos às famílias continuou a subir, em julho. De acordo com dados divulgados hoje (26) pelo Banco Central (BC), a taxa média de juros chegou a 59,5% ao ano. Essa é a maior taxa da série histórica do BC, iniciada em março de 2011. De junho para julho, essa taxa subiu 1,1 ponto percentual. As empresas também pagaram juros mais caros. A taxa subiu 0,4 ponto percentual de junho para o mês passado, quando ficou em 27,9% ao ano. A inadimplência das famílias (pessoas físicas), considerados os atrasos acima de 90 dias, subiu 0,1 ponto percentual para 5,4%. No caso das empresas (pessoas jurídicas), a inadimplência subiu 0,2 ponto percentual para 4,1%. Esses dados de juros e inadimplência são do crédito livre, em que os bancos têm autonomia para aplicar o dinheiro captado no mercado e definir as taxas de juros. No caso do direcionado (empréstimos com regras definidas pelo governo, destinados, basicamente, aos setores habitacional, rural e de infraestrutura), a inadimplência ficou estável para as empresas (0,7%) e subiu 0,1 ponto percentual para as pessoas físicas (1,8%). A taxa de juros do crédito direcionado para as famílias subiu 0,8 ponto percentual, chegando a 10% ao ano. Para as empresas, houve alta de 0,7 ponto percentual, para 10,2% ao ano. O BC também informou que o endividamento das famílias em junho correspondeu a 45,8% da renda acumulada nos últimos 12 meses. O resultado é 0,3 ponto percentual menor do que em maio (46,1%). Ao se desconsiderar o endividamento com financiamento imobiliário, a taxa ficou em 27,1%, queda de 0,3 ponto percentual em relação a maio. O saldo total dos empréstimos chegou a R$ 3,110 trilhões, em julho, com alta de 0,3% em relação a junho. Em 12 meses, o crédito cresceu 9,9%.

Comente agora
26
Ago
Comércio mundial registra a maior retração desde 2009
Postado por: Anacley Souza / 19:12h

O comércio internacional tem sua maior contração desde a eclosão da crise financeira e caminha para um ano com os resultados mais negativos desde o tombo nas exportações mundiais registradas em 2009. Segundo o Escritório Holandês de Análise de Política Econômica - e que serve de parâmetro para as instituições internacionais - o primeiro trimestre do ano registrou uma contração de 1,5% no fluxo de bens pelo mundo, contra uma queda de 0,5% no segundo trimestre. O mês de junho chegou a registrar um salto positivo de 2%. Mas os especialistas do centro alertam que a análise precisa ocorrer em médio prazo e o resultado só não é pior que em 2009, quando a economia mundial sofreu seu pior tombo em 70 anos. Maior importador do mundo, a China viu seu crescimento sofrer uma forte queda. O resultado foi uma contração nas exportações de dezenas de países. Hoje, mais de 50 economias tem a China como o principal mercado exportador. Uma das regiões mais atingidas no mundo foi a América Latina. No segundo trimestre do ano, a queda foi de 0,2% nas vendas. Mas, em termos de preços, a contração foi a mais acentuada, com queda de 2,3%. O período coincide com uma queda recorde nos preços das commodities. Pessimismo. Os números para o início de 2015 devem forçar a Organização Mundial do Comércio (OMC) a refazer de forma profunda seus cálculos para o ano, pela terceira vez. Em abril, a OMC já havia revisado para baixo do crescimento do comércio mundial em 2015. Segundo a entidade, a falta de crescimento nos emergentes e as dificuldades na Europa obrigaram a entidade a prever uma expansão menor dos fluxos comerciais neste ano. Originalmente, a previsão era de uma expansão de 5% em volume em 2015. Mas foi reduzida para 4,3% e, depois, caiu para 3,3%. Em 2016, ele será de 4%.

Comente agora
26
Ago
Dólar fecha em queda pela primeira vez em três dias
Postado por: Anacley Souza / 18:59h

Em um dia marcado por forte volatilidade, a moeda norte-americana fechou em queda depois de bater em R$ 3,65. O dólar comercial encerrou esta quarta-feira (26) vendido a R$ 3,601, com queda de R$ 0,007 (-0,19%). Na terça-feira (25), a cotação tinha encerrado no maior valor em 12 anos em meio a turbulências na economia chinesa. No início do dia, a moeda americana operou em queda. Por volta das 9h20, a cotação chegou a ficar em R$ 3,59. Nas horas seguintes, no entanto, o dólar subiu até atingir R$ 3,653 na máxima do dia, por volta das 11h20. Depois das 15h, a cotação desacelerou, até encerrar próxima da estabilidade. As bolsas nos Estados Unidos e na América Latina encerraram em alta nesta quarta-feira (26). A bolsa de Xangai caiu 1,5%, apesar de o governo chinês ter cortado os juros da segunda maior economia do planeta. (Agência Brasil)

Comente agora
26
Ago
Nos supermercados de Salvador pouco se compra com R$ 1,00
Postado por: Ionara Peixoto / 15:24h

Quem faz compras atualmente percebe o quanto é necessário fazer prática da pesquisa e pacientemente procurar os produtos que melhor caibam no bolso. E não é por menos, afinal os preços subiram, atingindo diretamente o bolso do consumidor, que, sem muita escolha, acaba optando entre gastar mais pelo mesmo produto, ou abdicar deste por outro mais barato. Em contrapartida, Salvador continua sendo uma das cidades brasileiras com a população mais pobre do país, e que, com muita dificuldade conseguem, colocar as contas em dia. Buscando saber o que é possível adquirir com uma quantidade tão pequena de dinheiro, a Tribuna explorou um pouco do comércio, ao tentar fazer compras com R$ 1, ou no máximo, R$ 2 no bolso. E o que pode ser percebido é uma variedade pequena de produtos, onde nem mesmo os utensílios da Cesta Básica podem ser adquiridos.

Comente agora
26
Ago
Governo faz decreto para receber R$ 15 bi de empresas da Lava Jato
Postado por: Redação Voz da Bahia / 07:33h

A Operação Lava Jato pode oferecer vantagens para o governo, pelo menos no setor dinanceiro. Segundo reportagem da Folha de S. Paulo, o Ministério da Fazenda preparou um decreto presidencial que permite que as empreiteiras incriminadas paguem indenizações à Petrobras e multas à União como ressarcimento pelos danos causados no esquema de corrupção. Em troca, essas empresas poderiam receber da estatal o que falta pelos contratos que já foram fechados. Como lembra o jornal. os projetos foram paralisados e, dessa forma, as empreiteiras deixaram de receber o acordado pelos serviços prestados. Assim, a equipe econômica espera receber R$ 15 bilhões. O decreto ainda está em fase de negociação e prevê que as empreiteiras só ficariam novamente impedidas de receber da Petrobras caso sejam declaradas inidôneas pela Justiça.

Um comentário
25
Ago
Conta de luz pode ficar 8% mais cara
Postado por: Anacley Souza / 21:49h

A conta de luz deve ficar mais cara ainda este ano. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira a abertura de audiência pública sobre a metodologia de cálculo e cobrança da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), que é um encargo cobrado nas contas de luz. De acordo com o G1, hoje, esta conta é paga pelas indústrias, mas uma decisão judicial obtida pelas empresas determinou que os custos sejam repassados aos consumidores residenciais. Se a determinação for acatada, a mudança deve representar uma alta de até 8% nas contas. Para cumprir a decisão judicial, a Aneel argumentou que antes é preciso realizar audiência pública sobre o tema, já que será preciso definir uma nova metodologia de cálculo, que não está prevista na legislação hoje. Pelos cálculos da Aneel, o cumprimento da decisão judicial levaria ao repasse de R$ 1,8 bilhão aos consumidores residenciais via reajuste tarifário. Neste caso, a agência poderia promover novas revisões extraordinárias ainda este ano, explicou o relator do processo, André Pepitone da Nóbrega.

Comente agora
25
Ago
Entidades se unem contra proposta do governo que eleva PIS e Cofins
Postado por: Anacley Souza / 19:36h

Representantes de diversas entidades ligadas ao comércio e à prestação de serviços do Brasil se encontraram nesta terça-feira, 25, para se posicionar contra a proposta do governo federal de unificar o PIS (Programa de Integração Social) e o Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social). PUB Ao todo, 19 organizações assinaram um documento de repúdio à medida que será enviado aos presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado, com cópia para todos os parlamentares. Em seminário realizado hoje na Associação Comercial de São Paulo (ACSP), as entidades argumentaram que a proposta pode gerar aumento de 3% no preço final dos produtos ao consumidor e elevar a carga tributária para 37% do Produto Interno Bruto (PIB). Os participantes do encontro assistiram a uma palestra do tributarista Gilberto Luiz do Amaral, presidente do Conselho Superior do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT). Ele disse aos convidados que o governo peca ao pensar em aumentar a arrecadação. "Vemos governos atrás de governos utilizando subterfúgios e apresentando propostas de que essas medidas vêm para simplificar", criticou.

Comente agora
25
Ago
País registra 281,450 milhões de linhas ativas na telefonia móvel
Postado por: Anacley Souza / 19:03h

O Brasil registrou em julho um total de 281,450 milhões de linhas ativas na telefonia móvel e teledensidade de 137,65 acessos por 100 habitantes. No mês passado, os acessos pré-pagos totalizavam 209,984 milhões (74,61% do total) e os pós-pagos, 71,465 milhões (25,39% do total). Os dados foram divulgados nesta terça-feira, 25, pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Com relação à participação de mercado de cada prestadora, a Vivo mantém a liderança com 29,21% do mercado. Em seguida, vem a TIM, com 26,30%; a Claro, com 25,35%, e a Oi, com 17,78%. Em relação à quantidade de acessos por operadora, a Vivo registrou em julho, 82,198 milhões de acessos; a TIM, 74,025 milhões; a Claro, 71,370 milhões; e a Oi, 50,051 milhões.(Estadão Conteúdo)

Comente agora
25
Ago
Dólar fecha acima de R$ 3,60 pela primeira vez desde 2003
Postado por: Ionara Peixoto / 17:53h

O dólar anulou a queda e voltou a fechar em alta em relação ao nesta terça-feira (25), descolando-se de outros mercados emergentes, em meio ao cenário político conturbado no Brasil que vem deprimindo o ânimo de investidores no mercado local. A moeda norte-americana terminou o dia cotada a R$ 3,6084, para venda, em alta de 1,57%. Veja cotação. Este é o maior patamar de fechamento desde 27 de fevereiro de 2003. Na mínima do dia, a divisa recuou 1,10%, a R$ 5,5135, reagindo ao anúncio de medidas de apoio à economia da China. 

Comente agora
25
Ago
SAJ: 1º Seminário de Economia Solidária representa mais um passo para o desenvolvimento sustentável no município
Postado por: Samile Macedo / 15:41h

Com o objetivo de promover o consumo consciente de produtos e criação de grupos formais ou informais para efetuar a troca dos mesmos, está acontecendo até a próxima quarta-feira na Sociedade dos Artistas em Santo Antônio de Jesus o 1º Seminário de Economia Solidária do Recôncavo, evento realizado pela Associação Ilê Axé Iepandá Odé juntamente com a Secretaria de Trabalho, Emprego, Renda e Esporte da Bahia. A abertura do seminário contou com importantes presenças, dentre elas a Mãe Nilza, presidente da Associação Ilê Axé Iepandá Odé, professora Tatiana da Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB) que realizou palestras, a gerente regional da Superintendência de Desenvolvimento Industrial e Comercial do Governo do Estado da Bahia (SUDIC) Conceição González, Renilton Oliveira Silva, articulador da Associação de Catadores de Resíduos Recicláveis do Recôncavo Baiano dentre outros que aproveitaram para expor sua opinião acerca do importante tema.

Gerente Regional da SUDIC: A Dra. Conceição González avaliou o seminário como o caminho do progresso para Santo Antônio de Jesus, uma vez que há o envolvimento da comunidade com as políticas públicas e planejamentos, proporcionando uma melhor convivência com o meio ambiente por meio da sustentabilidade. “A economia sustentável é moderna e prevê um melhor comprometimento com a sociedade. Santo Antônio de Jesus possui grande desenvolvimento no comércio, na indústria e na agricultura então é possível fazer uma ponte entre a economia tradicional e a economia solidária, pois esse é o caminho para o desenvolvimento, isso se chama sustentabilidade”, declarou.

Comente agora
25
Ago
Gasto de brasileiros no exterior é o mais baixo para julho em cinco anos
Postado por: Ionara Peixoto / 13:37h

Os gastos de brasileiros no exterior continuaram em queda em julho, tradicional mês de férias, quando somaram US$ 1,67 bilhão, segundo informações divulgadas pelo Banco Central nesta terça-feira (25). Trata-se do menor valor para meses de julho desde 2010, quando totalizaram US$ 1,53 bilhão. Na comparação com julho do ano passado, quando as despesas no exterior somaram US$ 2,41 bilhões, a queda foi de 30,5%. A queda de despesas no exterior acontece em um ano no qual o dólar tem registrado alta. No mês passado, a moeda norte-americana subiu 10,1%, para R$ 3,42. Na parcial dos sete primeiros meses de 2015, o dólar teve alta de quase 29%. O dólar mais alto encarece as passagens e os hotéis cotados em moeda estrangeira, além dos produtos comprados lá fora. A valorização da moeda norte-americana também encarece os gastos com cartões de crédito e débito no exterior – que sofrem a incidência, ainda, do Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF) de 6,38%.Ao mesmo tempo, outros fatores também têm diminuído a renda das famílias, como a alta da inflação e de tributos, como aqueles sobre gasolina, empréstimos, cosméticos e bebidas, por exemplo. O nível de endividamento das famílias está elevado neste ano. Além disso, os juros bancários também estão em níveis historicamente elevados.

Comente agora
25
Ago
Banco central chinês volta a cortar taxas de juro para incentivar a economia
Postado por: Redação Voz da Bahia / 13:16h

O Banco Popular da China – o banco central chinês - anunciou nesta terça-feira (28) nova baixa das taxas de juros, pela quinta vez desde novembro. Com a redução, a instituição diminui a proporção das reservas obrigatórias dos bancos, num aparente esforço para conter a queda das bolsas locais. A partir de amanhã (26), a taxa de empréstimos e a taxa de depósitos, para o período de um ano, vão diminuir em 25 pontos base. Com isso, o rendimento de empréstimos pessoais cairá para 4,60% e os ganhos com certificados de depósitos bancários diminuirão para 1,75%. As medidas visam, por meio do desestímulo às aplicações financeiras, incentivar que os recursos em poder de investidores sejam destinados ao comércio e à produção industrial e agrícola.

Comente agora
25
Ago
Presidente do Sind. dos Comerciários fala sobre demissões em S. A. de Jesus e afirma: "a crise ainda não chegou"
Postado por: Samile Macedo / 10:55h

A crise se alastra pelo país e o desemprego só aumenta, mas uma pergunta surge: será que tais índices também se refletem em Santo Antônio de Jesus? A presidente do Sindicato dos Comerciários Aline Patrícia informou nesta terça-feira (25) em entrevista a uma emissora local que não ocorreu um grande número de demissões nos últimos três anos e de acordo com o levantamento realizado nos anos de 2013, 2014 e 2015, a diferença na quantidade de homologações é muito pequena, só 65 demissões a mais com relação ao ano passado. “O setor comercial é muito rotativo, poucos se permanecem no emprego por mais de oito anos e aqui em Santo Antônio de Jesus a partir das homologações feitas pelo sindicato, percebemos que não há grandes variações. Por exemplo, o índice em 2015 chegou a 1.223, em 2014 foram 1.158, ou seja, graças a Deus em Santo Antônio de Jesus, a crise ainda não chegou e espero que não chegue, creio que esse ‘bicho papão’ que estão criando sobre o assunto provoca medo nas pessoas, o qual pode ocasionar uma redução nas compras e clientela, mas em nossa cidade observamos que o comércio continua funcionando, um bom número de trabalhadores ainda se mantém no emprego e infelizmente há muitas demissões no comércio pelo fato de o setor ser extremamente rotativo, mas se compararmos o número de demissões com os três últimos anos dá para analisar que a diferença é extremamente irrelevante”, destacou.

Redação Voz da Bahia - Samile Macedo

Comente agora
25
Ago
Em processo judicial, MEC revela critério não divulgado do Fies
Postado por: Samile Macedo / 09:33h

O Ministério da Educação (MEC) informou que adotou um critério não informado, além dos de qualidade dos cursos, para distribuir as vagas do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Em processo judicial movido pela Anima Educação, com base nas vagas obtidas pela companhia no curso de engenharia civil, o MEC admitiu ter levado em conta um critério ainda não conhecido, de proporcionalidade das vagas de cada instituição de ensino no total do Fies com base em dados do ano anterior. A informação consta de decisão judicial na qual a Anima obteve a suspensão dos prazos de contratação e inscrição no Fies para o curso de engenharia civil. A decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região determina que os prazos sejam suspensos “até que o MEC confira ao referido curso as vagas a ele destinadas em estrito cumprimento às normas regulamentares”. Os 61,5 mil estudantes pré-selecionados para o Fies do segundo semestre de 2015 tiveram prazo estendido até hoje para que acessem o sistema SisFies e confirmem o interesse em fechar o contrato de financiamento. O processo tinha se encerrado no domingo. Concluída essa primeira etapa, os estudantes terão 10 dias úteis para comparecer à instituição de ensino pretendida para validar as informações que os credenciaram ao benefício. (Correio)

Comente agora
25
Ago
Governo anuncia que não dividirá a 1ª parcela do 13º salário de aposentados
Postado por: Redação Voz da Bahia / 06:43h

O Palácio do Planalto anunciou na noite desta segunda-feira (24) o adiantamento integral em setembro de 50% do 13º salário dos aposentados e pensionistas que recebem do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Os outros 50% serão pagos em novembro, como acontece normalmente. O 13º engloba 28,2 milhões de benefícios. O Ministério da Fazenda havia discutido a suspensão do adiantamento de 50% do benefício por falta de recursos em caixa. O objetivo era pagar tudo somente na folha de novembro. Embora a antecipação do benefício não fosse obrigatória, ela ocorria há nove anos. A decisão de segurar o adiantamento causou polêmica e o Executivo precisou a rever sua posição. No sábado (22), o governo chegou a anunciar que os aposentados iriam receber 25% do adiantamento do 13º salário em setembro e os outros 25% em outubro, mas acabou recuando nesta segunda. O Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos da Força Sindical (Sindnapi) entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para obrigar o governo federal a antecipar a primeira parcela do 13º salário. Por lei, a primeira parcela tem de ser paga até 30 de novembro de cada ano. 

Comente agora
25
Ago
Corrupção na Petrobras paralisa obras de estaleiro e provoca demissões
Postado por: Redação Voz da Bahia / 06:33h

Outra obra gigantesca, também ligada à Petrobras, está parada há seis meses. O estaleiro Enseada, perto de Salvador, que seria um dos fornecedores de navios-sondas para a exploração do pré-sal. Milhares de pessoas perderam o emprego. Dois anos e meio de trabalho pra erguer uma estrutura que já consumiu R$ 2,5 bilhões. O estaleiro é construído por quatro empresas: uma japonesa, a Kawasaki, e as brasileiras Odebrechet, OAS e UTC. Como as três brasileiras estão sendo investigadas na Operação Lava Jato, bancos e o fundo da marinha mercante suspenderam o financiamento faltando menos de 20% para terminar a obra. O píer de atracação está pronto. O guindaste, que custou R$ 200 milhões, já deveria estar funcionando. A construção do dique, onde os cascos dos navios-sondas serão fabricados, está bem adiantada. Quinhentas toneladas de cimento que seriam utilizadas no dique já se perderam nos silos de armazenagem. A validade venceu.

Jornal Nacional: A validade do cimento é de quanto tempo?
Hermano Vieira, coordenador de produção: É de apenas 90 dias.
Jornal Nacional: Não dá pra aproveitar mais?
Hermano Vieira: Não, hoje não dá pra aproveitar mais.




Comente agora
24
Ago
INSS paga em setembro antecipação do 13º de uma só vez
Postado por: Anacley Souza / 22:05h

O Palácio do Planalto anunciou na noite desta segunda-feira (24) que pagará o adiantamento integral de metade do 13º salário dos aposentados e pensionistas que recebem do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), em setembro . Os outros 50% serão pagos em novembro, como acontece normalmente. O 13º engloba 28,2 milhões de benefícios. O governo voltou atrás da decisão de parcelar o pagamento do adiantamento. O Ministério da Fazenda chegou a discutir a suspensão do adiantamento, que não é obrigatório por lei, por conta da falta de recursos. A ideia era pagar tudo na filho de novembro, mas a repercussão negativa foi grande, já que o benefício vem sendo adiantado há nove anos. No sábado, o governo anunciou que os aposentados receberiam 25% adiantado em setembro e outros 25% em outubro. Na noite desta segunda, no entanto, a decisão mudou e o governo mudou, resolvendo pagar todo o adiantamento em setembro. Por conta da intenção do governo, o Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos da Força Sindical (Sindnapi) entrou com ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para obrigar o Planalto a antecipar a primeira parcela. O ritmo fraco da economia este ano fez com que o governo não conseguisse manter a antecipação na folha de agosto, como acontece desde 2006.

Comente agora
24
Ago
Corte no orçamento faz BC adiar, mais uma vez, a troca de notas
Postado por: Anacley Souza / 21:41h

O governo adiou, mais uma vez, a troca total de cédulas antigas pelas novas notas da segunda família do real. A intenção era fazer 100% da substituição antes da Copa do Mundo, em 2014, mas o prazo foi estendido para a Olimpíada do Rio, no ano que vem. No entanto, a um ano dos Jogos, 44% das cédulas de 2 reais e 38% das notas de 5 reais ainda não foram trocadas. A culpa pela frustração dos planos é dos cortes sucessivos no orçamento do Banco Central (BC), que obrigaram a instituição a aumentar o prazo de circulação de notas do real. Os atrasos nos lançamentos das novas cédulas e a extensão do tempo em que as notas ficam em circulação impediram a substituição a tempo dos grandes eventos esportivos. O planejamento para a troca das cédulas foi traçado pelo governo, antes do mundial de futebol, para que todas as notas fossem lançadas a tempo de a substituição ser completa. A ideia era mostrar aos turistas estrangeiros que, duas décadas depois de criado, o real se consolidou como uma "moeda forte". Também se evitaria confusão para os turistas de adaptação a dois modelos distintos de notas de mesmo valor.

Comente agora
24
Ago
Receita envia alerta aos contribuintes sobre erros na declaração do I.R
Postado por: Anacley Souza / 18:54h

A Receita Federal está enviando cartas a 450 mil contribuintes que apresentaram indícios de inconsistência nos dados informados na Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física 2015. O objetivo é alertar esses contribuintes para a retificação da declaração. Os primeiros contribuintes a receber a carta são os que residem nos estados de Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Minas Gerais. Os que moram nos demais estados e no Distrito Federal deverão receber o aviso até setembro. Neste momento estão sendo avisados aqueles com imposto a pagar ou saldo zero. Para ter acesso ao extrato, o contribuinte deve localizar a página do e-CAC , no portal da Receita Federal, onde também estão outras informações relativas ao Imposto de Renda. Quem enviou as informações e identificou algum erro deve fazer a retificação para sair da malha fina. Para utilizar o e-CAC, o contribuinte precisará ter um código de acesso gerado na própria página da Receita ou o certificado digital emitido por autoridade habilitada. Para gerar o código, terá de informar o número do recibo de entrega das declarações de Imposto de Renda dos dois últimos exercícios. A Receita disponibiliza, ainda, aplicativo para tablets e smartphones, que facilita a consulta às declarações do IRPF e situação cadastral no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF).(Portal Brasil)

Comente agora
24
Ago
Brasileiros estão cada vez mais pessimistas sobre inflação, diz FGV
Postado por: Anacley Souza / 18:12h

Os brasileiros estão cada vez mais pessimistas em relação à inflação, afirmou o economista Pedro Guilherme Costa Ferreira, pesquisador da Fundação Getulio Vargas (FGV). Em agosto, os consumidores declararam esperar aumento de 10% nos preços pelos próximos 12 meses. É a primeira vez que a expectativa atinge dois dígitos em dez anos de pesquisa, segundo a instituição. "As pessoas estão cada vez mais pessimistas, o que me leva a crer que a expectativa vai continuar no patamar de 10% por algum tempo", disse o pesquisador. A percepção de que o bolso está menor atinge desde a classe de renda mais baixa até as que ganham mais de R$ 9,6 mil mensais. As estimativas das famílias atingiram uma homogeneidade inédita e estão entre 10% e 10,1%. Geralmente, a baixa renda costuma apontar um aumento de preços mais intenso. A piora ainda vai na contramão dos analistas de mercado, que revisaram para baixo a perspectiva para o IPCA neste ano, segundo o Boletim Focus divulgado hoje. "As medidas que estão sendo tomadas pelo Banco Central estão ancorando (as expectativas) pelo lado do mercado, mas o consumidor não cria um modelo na cabeça dele que impute a variável Selic.

Comente agora
24
Ago
Impostômetro mostra que brasileiro já pagou R$ 1,3 trilhão em 2015
Postado por: Redação Voz da Bahia / 17:41h

Os brasileiros já pagaram em 2015 um total de R$ 1,3 trilhão em tributos, estima o Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). O montante será atingido às 16 horas desta terça-feira, 25, 16 dias antes do que em 2014, quando a mesma arrecadação foi registrada em 10 de setembro. Segundo cálculos da ACSP, com esse valor é possível construir 27 milhões postos policiais equipados, contratar 97,5 milhões de professores do ensino fundamental por ano, fornecer cestas básicas para toda a população brasileira por 21 meses ou comprar 16 milhões de ambulâncias equipadas. "O mais preocupante é que, juntamente com essa elevação da carga tributária, poderão vir novos aumentos de impostos, o que pode agravar a situação financeira das empresas e dos consumidores", alerta o presidente da ACSP e da Facesp (Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo), Alencar Burti. O Impostômetro fica localizado na sede da ACSP, no centro da capital paulista, e tem o objetivo de conscientizar e alertar a população sobre o alto valor pago em tributos federais, estaduais e municipais. Pelo portal www.impostometro.com.br é possível levantar os valores que as populações de cada Estado e município brasileiro pagam em tributos e também visualizar o que dá para os governos fazerem com todo o dinheiro arrecadado. Com informações do Estadão Conteúdo.

Comente agora
24
Ago
Retração do PIB em 2016 passa de 0,15% para 0,24%
Postado por: Samile Macedo / 12:49h

A retração do Produto Interno Bruto (PIB) em 2016, prevista na semana passada pela primeira vez no Relatório de Mercado Focus, foi acentuada na edição desta segunda-feira, 24. De acordo com o documento divulgado pelo Banco Central (BC), a mediana das previsões para a atividade do ano que vem passou de um recuo de 0,15% para uma queda de 0,24%. Há quatro semanas, a taxa vista era de uma alta de 0,20% para esse indicador. Para este ano, a deterioração das previsões do mercado financeiro para a atividade no País também está cada vez mais forte. De acordo com o boletim Focus, as projeções para o PIB de 2015 foram revisadas de uma queda de 2,01% para uma baixa de 2,06% agora. O documento é divulgado pelo Banco Central toda segunda-feira pela manhã. Há um mês, a mediana das previsões estava negativa em 1,76%. O BC, apesar de também ter revisado para pior sua projeção para este ano, de queda de 0,6% para retração de 1,1%, segue mais otimista que o mercado. No Relatório Trimestral de Inflação de junho, a instituição informou que a mudança ocorreu em função de piora nas perspectivas para a indústria, cuja expectativa de PIB recuou de -2,3% para -3,0%. No boletim Focus de hoje, a projeção para a produção industrial também mostrou piora: saiu de uma baixa de 5,00%, onde estava quatro semanas antes, para recuo de 5,20%. Já para 2016, a mediana das estimativas segue em 1,00% - um mês antes era 1,30%. Para a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB, a projeção dos analistas não foi alterada para 2015 (36,15%) e nem para 2016 (38,50%). Há quatro semanas, as medianas das previsões para esse indicador eram de, respectivamente, 37,00% e 38,50%. 

Comente agora
24
Ago
Com temor sobre a China, Bovespa cai
Postado por: Samile Macedo / 11:27h

O principal índice da Bovespa chegou a recuar quase 6% no começo do pregão desta segunda-feira (24) e voltava aos seus menores níveis de abril de 2009, puxado pelo temor global de que a economia chinesa esteja em desaceleração. O comportamento da bolsa brasileira acompanha o dos mercados do exterior, como os da Europa e dos Estados Unidos. Às 11h17, o Ibovespa, principal indicador da Bolsa de São Paulo, caía 3,65%, a 44.051 pontos.Na sexta-feira (21), o Ibovespa recuou 1,99%, a 45.719 pontos. Foi o menor patamar de fechamento desde março de 2014. Na semana passada, a bolsa caiu 3,77%. A forte queda na Bovespa é influenciada pela desaceleração das bolsas asiáticas nesta segunda-feira (24), que fecharam em forte baixa preocupadas com a desaceleração da economia chinesa, apesar dos esforços das autoridades para tentar tranquilizar os investidores. Na China, as bolsas de Xangai e Shenzhen desabaram mais de 8% cada nesta sessão, reforçando o quadro de preocupações com a segunda maior economia do mundo, que vem afetando o apetite por ativos de risco. Entre as empresas com maior peso na Bovespa, o destaque ficava com as ações da Petrobras, que caíam cerca de 8% tanto nas preferenciais quanto nas ordinárias. As da Vale também tinham forte desvalorização, de cerca de 9%. Já as ações dos bancos Bradesco, do Brasil e Itaú Unibanco tinham desvalorização ao redor de 5%. As do Santander despencavam mais de 8%. Outras empresas que tinham forte queda eram Gol, OI, TIM, Gerdau, Usiminas, Siderúrgica Nacional, Rumo Logística e Embraer. 

Comente agora
24
Ago
Crise: mais de 90% dos brasileiros reduziram o orçamento, mostra pesquisa
Postado por: Samile Macedo / 10:02h

Um levantamento feito pela revista Época e pelo site Reclame Aqui mostra que mais de 90% dos brasileiros se viram obrigados a reduzir o orçamento domésticos. Em comparação com o ano passado, o que se espera para o segundo semestre de 2015 é uma situação financeira pior ou muito pior, de acordo com 43% deles. Para outros 24%, nada muda. E ainda há quem seja otimista, pois pelo menos 25% espera uma situação melhor. Entre os mais de 35 mil entrevistados, 76,64% acreditam que o poder de compra do brasileiro teve queda e cerca de 56% afirmaram que sentiram o aumento dos juros ao fazer as compras. (Bocão News)

Comente agora
24
Ago
Inadimplência das empresas sobe 9,57% em julho, maior alta em 2 anos
Postado por: Redação Voz da Bahia / 09:39h

O atual cenário econômico de baixo crescimento, recuo na produção industrial, além de inflação e juros altos, pesou para o aumento da inadimplência das empresas em julho deste ano. De acordo com dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) divulgados nesta segunda-feira, 24, o número de empresas com contas atrasadas por mais de 90 dias aumentou 9,57% no mês passado em relação a julho de 2014. Trata-se da maior alta do indicador desde julho de 2013, quando o resultado foi um avanço de 11,28%. Na comparação interanual, também houve aumento da quantidade de dívidas de empresas em atraso, de 9,83%. Já na passagem de junho para julho, a inadimplência entre as empresas cresceu 1,78%. Também na comparação mensal, o número de empresas com dívidas vencidas em um prazo menor que 90 dias aumentou 11,83%. Na avaliação dos economistas do SPC Brasil, o dado expressa o aumento da dificuldade de empresários para o pagamento de pendências. "O resultado reflete o cenário econômico adverso de menor dinamismo da economia e maior restrição ao crédito, fatores que afetam a capacidade de pagamento tanto das famílias como das empresas", explica a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

Comente agora
23
Ago
Crédito para financiar casa própria cai 42,7%
Postado por: Samile Macedo / 11:41h

O volume de financiamentos imobiliários caiu 42,7% em julho ante o mesmo mês de 2014, segundo informou ontem a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário (Abecip). O volume de empréstimos para aquisição e construção de imóveis somou R$ 5,96 bilhões, superando em 1,4% o valor em junho. Segundo a Abecip, o resultado desfavorável deve-se ao “ambiente econômico mais complexo, com juros em patamar elevado”. Este cenário, disse a entidade em nota, criou uma barreira para a captação de novos recursos da poupança, de onde saem os recursos usados nos financiamentos tanto da construção quanto da compra da casa própria. Desde maio, a menor captação de recursos da poupança tornou mais seletiva a oferta de crédito para o setor. (Correio)

Comente agora
23
Ago
Ajuste fiscal pode ficar ainda mais difícil
Postado por: Samile Macedo / 10:10h

As votações no Congresso da primeira fase do ajuste fiscal pretendido pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, não foram fáceis. Mas, daqui para a frente, as medidas em gestação para promover mais uma rodada de aperto fiscal, voltado para 2016, vão enfrentar um clima ainda pior. Os senadores consideraram a aprovação do projeto de "reoneração" da folha de pagamentos como o "fim do ajuste fiscal", apontando durante a votação que agora é o momento de discutir medidas para promover o crescimento econômico. Para os parlamentares, medidas como a reforma do PIS/Cofins, que está prestes a ser encaminhada por Levy ao Congresso, não poderão conter aumento embutido de alíquota. Nas palavras de um senador da base aliada, que votou contrariado a favor da reoneração da folha de pagamentos, "o que tinha de passar, passou". Com a reoneração, as empresas que pagavam contribuição para a Previdência de 1% sobre a sua receita passam a pagar 2,5%. As que pagavam 2%, passam a pagar 4,5%. Outro parlamentar afirmou ao jornal O Estado de S. Paulo, porém, que o quadro pode mudar depois de assentadas as denúncias do Procurador-geral da República envolvendo deputados e senadores. "Um novo quadro político vai se abrir e, talvez, o governo ganhe uma margem maior de manobra do que tem a partir de agora, que é zero", disse ele. "Vamos compor com as medidas em gestação para 2016." Os senadores avaliam que o importante é dividir o discurso e a agenda do ajuste fiscal com medidas que visem à retomada do crescimento e o restabelecimento da confiança dos investidores.

Comente agora
23
Ago
Por que ir direto para casa quando se recebe o salário?
Postado por: Samile Macedo / 07:55h

Já virou rotina: deixar tudo o que se quer fazer para o dia em que receber o pagamento. No entanto, segundo a coluna Caro Dinheiro, de Samy Dana, na Folha de S. Paulo, essa pode não ser a melhor solução. Isso porque as contas de consumo básicas como água, luz, comida e moradia devem ter prioridade máxima. Ou seja, o melhor é receber o pagamento e ir direto para casa. O colunista aconselha que, apenas depois que se pagar essas contas, é que se deve calcular quanto se pode gastar com despesas menos importantes - ou até com aquilo que é supérfluo. Ele também afirma o que já foi bastante dito: não se deve gastar todo o dinheiro, mas poupar para alguma emergência. O colunista lista alguns motivos pelos quais ir para casa é a melhor forma de fazer o salário durar o mês todo.

- Tendemos a ser mais generosos quando temos dinheiro na conta. Ou seja, se realiza gastos que não são necessários, como, por exemplo, parar no estacionamento mais caro e tomar o café que você não tomaria na rua.

- A inadimplência subiu até nas contas básicas de consumo como água e luz. O que quer dizer que as pessoas estão gastando o salário antes de quitar essas dívidas. Deixar de comprar uma blusa não é tão grave quanto ter a luz cortada.

- Toda a mobilização no comércio popular e nos shoppings pode fazer com que a pessoa se torne uma presa fácil, caso decida das aquela voltinha assim que receber o dinheiro mensal.

Comente agora
22
Ago
10 coisas pelas quais você pode estar pagando muito caro
Postado por: Redação Voz da Bahia / 21:02h

Em tempos de inflação alta, uma maneira simples de adaptar as finanças ao aumento dos preços é realizar uma pesquisa para verificar se é possível reduzir as despesas com taxas e serviços que são utilizados de forma frequente. São tarifas bancárias, planos de celular, seguros, juros de empréstimos, entre outros gastos que fazem parte do orçamento mensal. A economia pode ser obtida simplesmente ao trocar um serviço por outro mais adequado ao seu perfil de uso, ou optar por um equivalente, mas que ofereça custos mais baixos. Antes realizar a troca, pode ser interessante tentar negociar os valores pagos atualmente pelo serviço, utilizando as informações obtidas. Para facilitar a busca pelo melhor preço, é possível consultar informações e ferramentas online, que são disponibilizadas por órgãos governamentais e entidades de defesa do consumidor. Veja a seguir quais são os serviços e tarifas pelos quais você pode estar pagando mais do que deveria: 

1) Plano de previdência privada: A taxa de administração cobrada em seu plano de previdência privada parece alta demais? É possível, por lei, migrar seus recursos para outro plano que cobre taxas mais baixas, tanto na mesma instituição financeira, como em outra. A portabilidade é uma forma de transferir o dinheiro sem a necessidade de resgatar o valor e, como consequência, pagar impostos pelo saque dos recursos, cujos valores variam conforme a tabela de tributação e modalidade do plano. No entanto, a mudança só pode ser feita entre produtos da mesma modalidade. Se você tiver dinheiro aplicado em um Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) não poderá transferir esse valor para um plano Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL), por exemplo. O pedido de portabilidade pode ser feito a cada dois meses. Ao fazer o pedido, é preciso informar o plano de previdência para o qual os valores serão migrados. A transferência deve então ser concluída pela instituição financeira em até cinco dias (veja quando pedir a portabilidade do plano de previdência).

2) Financiamento do imóvel:

Comente agora
22
Ago
Na capital baiana, consumo de pão despenca devido a crise econômica
Postado por: Samile Macedo / 11:33h

Na Panificadora Degustar, na Sete Portas, o pão é vendido a R$ 7,99 o quilo. O preço é unificado e não há diferenças para tipos de pães. Mesmo assim, não houve como evitar a queda nas vendas, que chega a quase 25% nos últimos meses. E na diminuição das vendas, uma outra queda já se delineou: a demissão de funcionários, dois dos quais somente esta semana. A situação de crise tem virado rotina em um setor que normalmente passa incólume, por se tratar de comércio de produtos da cesta básica e por ser imprescindível na mesa da população. Mas mesmo assim, conforme informa o Sindicato das Indústrias de Panificação e Confeitaria da Cidade do Salvador – Sindipan, em média as demissões já atingiram 10% do quadro de funcionários desses estabelecimentos. Já as vendas no setor, também sofreram queda entre 5% e 7% somente neste mês de agosto. Conforme atesta o presidente do Sindipan de Salvador, Mário Augusto Rocha Pithon. Segundo ele, a retração no consumo demonstra a gravidade da crise econômica que atinge o país, pois em tese, o setor de panificação é um dos últimos a sofrerem, por comercializar produto de primeira necessidade para a população. Proprietário de uma loja no bairro da Graça, zona nobre de Salvador, Mário Pithon disse que foi obrigado a demitir 10% do quadro de funcionários, por causa da queda nas vendas. E mesmo com a diversificação dos produtos que comercializa, não houve como manter o mesmo nível de comercialização dos meses anteriores. 

Comente agora
22
Ago
Preocupação com economia da China derruba mercados
Postado por: Samile Macedo / 08:55h

Crescentes preocupações com a economia chinesa derrubaram nesta sexta-feira (21) os mercados internacionais. Índices como o S&P 500, em Wall Street, e o FTSEurofirst 300, na Europa, registraram a maior queda diária desde 2011. Dados sobre a China mostraram que seu setor industrial encolheu no ritmo mais rápido desde o ápice da crise financeira de 2009, exacerbando preocupações com a saúde da economia chinesa e dúvidas se o governo tomará novas medidas para conter a desaceleração.

Veja um resumo de como foi o fechamento dos mercados nesta sexta:

Ásia: Bolsa de Xangai caiu 4,27% e teve perda de 11,5% na semana

EUA: Dow Jones caiu 3,12%, S&P 500 recuou 3,19% e Nasdaq perdeu 3,52%

Europa: FTSEurofirst 300 caiu 3,4%, a pior queda diária desde 2011

Petróleo: preço do barril nos EUA caiu abaixo de US$ 40 pela 1ª vez desde 2009

Brasil: Bovespa caiu 1,99%, a 45.719, menor patamar desde março de 2014

Comente agora
Todos os direitos reservados a Marcus Augusto Macedo | vozdabahia@hotmail.com