Voz


PodCast



Enquete





Artigos

Do medo a violência: Inconscientemente o sinal de alerta já está ligado!

25/07/2016 11:17

(*) Osvaldo Emanuel A. Alves

Inesperadamente, em um domingo onde os anseios e sonhos de dezenas de pessoas, algumas até tensas, que buscavam realizar o exame da OAB, foram surpreendidos com gritos chamando atenção para alguém que supostamente estava disposto a destruir a própria vida e levar outras tantas consigo. A notícia rapidamente chegou ao conhecimento de todos que ansiosos buscavam informações sobre o que seria um "atentado terrorista" justamente em Salvador, Bahia. Afinal como afirmava Otavio Mangabeira: "Pense num absurdo, na Bahia tem precedente" e justamente aqui que o fato parecia se tornar real.

Ultrapassadas as barreiras dos atos terroristas ocorridos do outro lado do Atlântico, separando os ideários políticos, religiosos, existencialistas, nos deparamos com essa situação que nada tem haver com esses acontecimentos. As primeiras noticias revelavam: “Apesar dos rumores que circulam entre estudantes de que há reféns com o homem-bomba que está na Unijorge, a Polícia Militar ainda não confirmou a veracidade da informação. Ambulâncias do Samu e viaturas do BOPE estão no pátio da universidade. A polícia também não confirmou o número de homens-bomba na instituição, já que outro boato em circulação é o de que há um artefato por andar do prédio. “Só o esquadrão antibomba, minha função é isolar o perímetro”, limitou-se a dizer um policial. Por volta das 13h deste domingo (24) um homem com desconfiadas bombas amarradas à cintura ameaçou explodir o prédio da Unijorge, onde iriam acontecer provas da 1ª fase da OAB".

AO FINAL: Segundo o tenente-coronel Coutinho, do Batalhão de Operações Especiais (BOPE), o homem que ameaçou explodir bomba na Universidade Jorge Amado (Unijorge), em Salvador, identificado com Frank Oliveira da Costa, apresentava transtorno mental. "Apresentava sinais de transtornos psiquiátricos e será encaminhado para o nosocômio após apresentação na Polícia Civil", disse o coronel após o candidato ao exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) se entregar no final da tarde deste domingo (24). Coutinho ressaltou que, apesar da ameaça, "não foi detectada nenhuma substância explosiva dentro da sacola que ele portava".

MEDO: Após todo o momento de pânico no saldo inexistiram vitimas apenas um custo muito elevado para todos os envolvidos. O momento que vivemos e de muito receio, às notícias do caos pode ser definido como um conjunto de reações do organismo a agressões de ordem física ou psíquica. Pode ser causado pela ansiedade e pela depressão devido à mudança brusca no estilo de vida e a exposição a um determinado ambiente, que leva a pessoa a sentir muito medo causando um desiquilíbrio emocional. Já a agressão é um comportamento que causa intencionalmente dano ou intimidação moral a outra pessoa ou ser vivo. Tal comportamento pode invadir a autonomia, integridade física ou psicológica e até mesmo a vida de outro. Assim, a violência diferencia-se de força, palavras que costuma estar próximas na língua e pensamento quotidiano. Enquanto que força designa, em sua acepção filosófica, a energia ou "firmeza" de algo, a violência caracteriza-se pela ação corrupta, impaciente e baseada na ira, que convence ou busca convencer o outro, simplesmente o agride. Violência significa usar a agressividade de forma intencional e excessiva para ameaçar ou cometer algum ato que resulte em acidente, morte ou trauma psicológico.

Islâmico?

Diariamente uma “bomba relógio”, associação do estresse com a violência, é levada as ruas pelos indivíduos, podendo explodir a qualquer instante. Não há necessidade do “Estado Islâmico” chegar também por aqui, pois vivemos o aumento do número de mortes registradas no país. Pessoas inocentes a cada dia são assassinadas gratuitamente. 

- na Europa, as mortes foram praticadas por grupos extremistas por motivação religiosa. Aqui os fatos foram praticados por alguém de forma isolada e por motivações puramente pessoais, que, demonstrando o alto grau de estresse que estamos vivendo, quase ocorrendo uma grande tragédia. Enrico Ferri foi advogado criminalista, professor de Direito Penal, escritor e fundador, com Lombroso e Garofalo, da chamada Escola Positiva já ao seu tempo declarava: “o crime é a aberração da vontade humana, que desce a ofender os direitos de outrem sem causa justa, levada por uma questão de cegueira moral, como quando se mata, simplesmente, para derrubar a vítima, ou por um regresso selvagem à brutalidade primitiva, como quando se mata por vingança, quando se pratica o crime no ardor de vingança”. O Direito Penal não consegue controlar tão pouco conseguirá evitar o aumento da violência e da criminalidade na sociedade nos dias atuais, uma vez que reprimir não é prevenir (Sheerer) - INCONSCIENTEMENTE O SINAL DE ALERTA ESTÁ LIGADO!

 

Colunista: Professor em Direito Penal e Advogado Criminalistata, Dr. Osvaldo Emanuel

As 5+ comentadas












Todos os direitos reservados a Marcus Augusto Macedo | vozdabahia@hotmail.com